Secretaria Municipal de Saúde






Toda pessoa tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar a si e a sua família saúde e bem estar, inclusive alimentação, vestuário, habitação, cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis, e direito à segurança em caso de desemprego, doença, invalidez, viuvez, velhice ou outros casos de perda dos meios de subsistência fora de seu controle.

Artigo Artigo XXV da Declaração Universal de Direitos Humanos



Saúde, Ciência, Pesquisa, Arte, Cultura, nossa gente da SMS, e o que mais possa interessar.



Organizado por William H Stutz

Veterinário Sanitarista

whstutz@gmail.com



Este Blog é independente, sem vínculo oficial com instituição alguma.
Todos
estão convidados a contribuir com informações de interesse coletivo.





quarta-feira, 30 de julho de 2014

Fábulas


Clique na imagem que ela aumenta




Outro dia, aqui mesmo no nosso CORREIO, falei sobre a absurda repressão sofrida pelas versões originais das histórias infantis. O tal “politicamente correto” levado ao extremo produz barbaridades. Comecei com o “Atirei o pau no gato” e por ai afora.
No amanhecer hoje, um estranho fenômeno aconteceu na porta de casa. Tenho uma grande quantidade de árvores frondosas no jardim da frente, grandes mesmo, todas plantadas por Bia e eu. Um jambolão gigante tornou-se morada de centenas de passarinhos, self-service de outros tantos durante a época de frutos. Uma bela colônia de morcegos por lá mora, itinerante. Ora se instala, ora desaparece. Um ipê rosa se emaranha no jambolão em namoro secreto.

Duas cariotas, quase a tocar o céu, apóiam ninho de gavião carcará, que, aliás, anda muito feliz com as queimadas urbanas, acredito que apenas eles estejam em festa, pois é durante e depois delas que mais gostam de caçar.

Mais ipês, sete-de-copas, mama-cadela vigorosa, e outras tantas, completam mini mata.
Ao sair para o trabalho notamos um aranzé de folhas espalhadas, mais do que de costume e, em área bem delimitada, apenas folhas de ipê. Parecia que bando de bugios tinha passado só por aquela árvore e chacoalhado com força os galhos. Talvez na tentativa de derrubar algum ninho ou fazer voar passarinho ainda tonto de sono. Mas como chegaram ali sem passar por outras árvores, rastro no chão não havia. Fica o mistério que me proponho a desvendar em uma ou duas noites de campana. Se for bicho descubro. Depois conto.

Olhando aquelas folhas grama afora me lembrei da musiquinha infantil “O cravo Brigou com a Rosa.” Se fosse cair na armadilha do policiamento ideológico que sataniza tudo e todos, imagino como seriam as notícias sobre o enredo da cantiga.

Nos noticiários: Briga violenta entre Cravo e Rosa acaba em delegacia. Cravo teve ferimentos leves, foi atendido na UAI e liberado. Já Rosa, despedaçada, encontra-se em observação no Hospital de Clínicas, sem previsão de alta. Cravo foi indiciado com base na lei Maria da Penha, autuado, responderá em liberdade.

Manchete do dia seguinte: Margaridas, Açucenas e Camélias ainda em luto por irmã que caiu do galho, deu dois suspiros e depois morreu, organizam passeata em todo país contra violência. Redes sociais bombando. Hashtag com sua centilha da semana: #perfumesimespinhosnao. Não criamos monstros contando histórias, eles são formados a exemplos. Como os bugios fantasmas de meu jardim, plantamos idéias, conceitos e preconceitos em nossas crianças conforme agimos. Cantando? Jamais.










Fábulas






Publicado Jornal Correio em 27 de julho de 2014

segunda-feira, 7 de julho de 2014

Reposição hormonal

Homens também precisam da reposição hormonal; veja dica de especialista

Os problemas de saúde que surgem com o passar dos anos, como a redução dos hormônios, não é exclusividade das mulheres. A popularmente conhecida “andropausa” – na verdade um termo incorreto faz analogia a menopausa – afeta os homens a partir dos 40 anos e é denominada Deficiência Androgênica do Envelhecimento Masculino (DAEM) ou Hipogonadismo Senil. Os sintomas, segundo o urologista Luiz Mauro Coelho Nascimento, vão desde a diminuição do desejo sexual a piora da qualidade das ereções, e assim como nas mulheres, pode causar depressão, osteoporose , alteração de humor e insônia.

Para o médico, mesmo a queda dos hormônios masculinos sendo lenta e progressiva em relação às mulheres, o crescente aumento da expectativa de vida fará com que a “andropausa” chegue a todos os homens em idade mais ou menos avançada. “Nos últimos anos o interesse em estudos envolvendo o homem idoso aumentaram significativamente, trazendo uma relação muito forte entre hormônios masculinos e função sexual, osteoporose, depressão e qualidade de vida”, disse o especialista.

A redução da testosterona pode ainda estar associada a algumas doenças como obesidade, estresse, diabetes, Aids, alcoolismo e insuficiência renal, hepática e respiratória. Para o diagnóstico em pacientes com suspeita de hipogonadismo senil, recomenda-se procurar um especialista e fazer uma avaliação laboratorial, com a dosagem da testosterona biodisponível. “Se diagnostica a DAEM, poderá ser realizada a reposição hormonal. O tratamento é contra-indicado para pacientes com de câncer de próstata ou mama, obstrução urinária grave e apnéia do sono”, afirmou Luiz Mauro.


Fonte: Jornal Correio


sexta-feira, 27 de junho de 2014

Contra Dengue na cidade

Quem quer mesmo,  cria !




Do G1 São Carlos e Araraquara

Uma parceria entre a iniciativa privada e as três universidades públicas de São Carlos (USP, Unesp e UFSCar) lançou uma nova versão de um game que conscientiza sobre o combate à dengue. O jogo “Contra Dengue 2 na Cidade", que está disponível na internet e já teve mais de 50 mil acessos, tem o objetivo de mostrar para 30 mil alunos de sete cidades da região os riscos da doença e as formas de eliminar os criadouros do mosquito transmissor.
A iniciativa do grupo Ludo Educativo transformou o Aedes Aegypti no vilão do jogo, que vive colocando ovinhos. A personagem principal do game é Sofia, que tem a missão de evitar que ele se multiplique. Ela coloca areia nos vasos, cobre pneus com lona e tenta eliminar o inseto.
“É uma diversão para as crianças. Elas querem chegar até o final, querem entender a dinâmica do jogo e, com isso, entendem como combater a dengue”, explicou o coordenador de desenvolvimento de jogos, Alexandre Rosenfeld.

Estratégia

Para o professor e diretor do Centro de Materiais Funcionais da Unesp, Elson Longo, essa é uma estratégia para levar a orientação  para dentro de casa. “As crianças têm uma influência muito grande no lar. Então elas vão conscientizar os pais da importância da limpeza”, afirmou.
A ideia é estimular o jogo nas escolas da região. “A gente pretende chegar no objetivo final, que é realmente eliminar o mosquito da dengue e praticar esses bons hábitos nas nossas casas. Toda essa tecnologia vem somar com o nosso objetivo”, destacou a diretora regional de ensino, Débora Gonzalez Costa Blanco.
O estudante Lucas Vítor Dias aprovou o jogo . “É muito interessante porque une o que o jovem gosta de fazer, que é usar o computador, com o aprendizado, que seria conscientizar a prevenir o mosquito da dengue”, opinou.

Fonte: http://g1.globo.com/sp/sao-carlos-regiao/noticia/2014/06/jogo-online-quer-conscientizar-30-mil-estudantes-sobre-o-combate-dengue-sao-carlos.html

sexta-feira, 13 de junho de 2014

Escorpiões que salvam vidas

"Pequeno" lote de 548 escorpiões seguem viagem neste instante, 10:38 de 13 de junho de 2014 rumo a Belo Horizonte. Missão: produção de soro antiveneno. Nosso Laboratório de Animais Peçonhentos se consolida como o maior fornecedor de escorpiões de Minas Gerais com este nobre objetivo. Palavras do Chefe do Serviço de Animais Peçonhentos, Divisão de Produção Animal da FUNED, Rômulo Antônio Righi de Toledo

Imagem apenas do "primeiro andar" da caixa de transporte, são três andares e o "térreo".

Fotos: William H stutz





terça-feira, 10 de junho de 2014

"A malária já não é uma doença negligenciada"

"A malária já não é uma doença negligenciada"
10/06/2014

Por Karina Toledo

Luiz Hildebrando Pereira da Silva
 (foto:Juca Martins/FAPESP)

Agência FAPESP – Referência mundial no estudo de doenças tropicais, o parasitologista Luiz Hildebrando Pereira da Silva foi homenageado com o Prêmio Fundação Conrado Wessel (FCW), um dos mais tradicionais da área de ciência no Brasil.

Ao lado de José Rodrigues Coura (do Laboratório de Doenças Parasitárias do Instituto Oswaldo Cruz, no Rio de Janeiro), eleito na categoria Medicina, e de Niède Guidon (da Fundação Museu do Homem Americano, no Piauí), escolhida na categoria Cultura, Hildebrando foi selecionado para o prêmio na categoria Ciência, entre 400 personalidades brasileiras que se destacam em suas respectivas áreas de atuação. As indicações foram feitas por instituições de ensino e pesquisa de todo o Brasil a convite da FCW.

Os homenageados foram escolhidos pelo conjunto de suas obras e por desenvolverem trabalhos de caráter social. A cerimônia de entrega da 12ª edição do Prêmio FCW de Ciência, Cultura e Medicina foi realizada na Sala São Paulo, na capital paulista, na segunda-feira (09/06).

Formado em Medicina pela Universidade de São Paulo (USP) em 1953, Hildebrando foi diretor das unidades de Diferenciação Celular e de Parasitologia Experimental do Instituto Pasteur, em Paris. Após algumas tentativas frustradas de voltar a trabalhar no Brasil durante a ditadura militar, retornou ao país em 1998, após 32 anos de exílio, e fixou residência em Porto Velho (RO), onde ajudou a montar um grupo de pesquisa que vem alcançando resultados promissores no combate à malária.

Leia mais

quinta-feira, 5 de junho de 2014

Deu pódio














Foto David Rotelli

Lá estava eu em tranquilo, sabadão preguiçoso, cuidando da vida, das plantas, olhando canto de passarinho e recontado ninhos sabidos. Como a manhã mal se fazia anunciar, fui para rápido treino de tiro, não nada de arma, tiro de corrida, velocidade máxima em tempo marcado.

Dei-me por satisfeito. Podia começar almoço, tomar uma cervejinha sem culpa e aproveitar a melhor parte da semana, o fim dela. Bobagem isso, todo dia pode ser bom, vai da gente.
Lá pelas tantas, recebo telefone de amigo e companheiro de muitas e boas corridas de rua. Junto com Maria do Carmo, sua esposa, e Luiz Mauro compadre, formarmos um quarteto e tanto, pelas ruas de várias cidades, a correr pelo correr. Quarteto fantástico ou fanático? Simples prazer de testar limites. Nada de competição além daquela de tentar baixar tempo, e claro, participar e sorver a gigantesca quantidade de energia boa que rola em tais eventos. Revigorante.

“Tem corrida amanhã em Monte Carmelo. Só tem 10 km, vamos?”
Sair daqui para correr 10 km?" Sei não… Mas pensando bem, seria um passeio diferente, bora.
“Combinado! Passo aí lá pelas seis da manhã. Beleza?”

Passado um pouco, pensei no baita programa de índio que tinha arrumado. Quer saber, vai ser divertido. Vamos nessa. Sair com esse trio é sempre garantia de boas risadas. Ainda não sabia que Maria e Luiz Mauro não iriam. Relógio para despertar às cinco, levantei num escuro e num frio que há tempos não sentia.
Um relógio a despertar não. Como uso dois celulares, todos os programas de despertar estavam habilitados. Um toca às cinco. Cinco e trinta despertou outro. Às seis, um terceiro. Às sete, já no carro e a caminho de nossa aventura, disparou o do relógio de pulso. “Pra que tanto despertador em horas diferentes?”, perguntou David. Ia tentar explicar, mas a verdade é que nem eu sabia.
Viagem curta e tranquila, e lá estávamos nós entrando em uma cidade adormecida, ninguém pelas ruas. Custamos a encontrar alguém para nos indicar o local da prova.

Depois de um pouco mais rodar, chegamos. O clima contagiante de começo de prova estava no ar. O que, ou melhor, quem vimos nos assustou um pouco. Só tinha fera, gente conhecida de outras tantas, atletas de ponta. Povo ligeiro, super treinado. David matou a charada: tinha prêmios, e bons, em dinheiro. Aí, os feras vão mesmo. E eles estão certíssimos, são bons e sabem o valor que têm.
Já na largada deu para sentir o nível dos caras. Sumiu todo mundo! Lá fui eu na minha toada de sempre, quase em tour por Monte Carmelo, um sobe-desce sem fim. Fiquei literalmente na poeira. Fui incentivado pelas pessoas durante todo o percurso. Crianças corriam comigo para dar força: “Vai moço, você consegue!”.

E consegui! Uma hora e três minutos em meu cronômetro ou cinquenta e oito minutos na medição da organização. Cruzei a linha de chegada! Último dentre todos. Realizado e feliz.
E para coroar o divertido esforço, ainda fiquei em quarto lugar na categoria dos cabeças grisalhas. Último sim, mas quarto e com medalha. Valeu o domingo, valeu a diversão, valeu o almoço da quermesse à base de frango caipira, coisa de vó e de sogra, coisas da roça.
Ano que vem, estou de volta e, desta vez, espero, com quarteto completo.
Lembrando dos despertadores dos celulares e do relógio, desabilitei todos. Minto, ficou só o das cinco e trinta.





Publicado em Jornal Correio em 05 de junho de 2014


https://drive.google.com/file/d/0B3a7BJIdLwOhaElWa3c2a1RTWjQ/edit?usp=sharing

sexta-feira, 23 de maio de 2014

Boa coleta

Equipe do Laboratório de Animais Peçonhentos da nossa SMS em dia de grande coleta. Mais um lote pronto para envio à FUNED, para produção de soro. Sensação de missão realizada novamente

Clica que as fotos ampliam







quarta-feira, 21 de maio de 2014

Ainda no mês das mães

"Ainda no mês das mães,realizou-se uma deliciosa festa em perfeita harmonia com as mães da comunidade do bairro Aurora.
Foi um momento único para ficar na memória e no coração...contamos com a ajuda dos comerciantes que doaram muitos alimentos para um café da manhã maravilhoso e também brindes para o sorteio...cantamos e tocamos violão para homenagear as presentes,a musica de Roberto Carlos,Eu tenho tanto pra te falar...foi muito bom e gratificante!
Segue fotos.

Cidinha-Assistente Social.
UAPSFs Aurora e São Jorge IV."


terça-feira, 20 de maio de 2014

Intranet SMS


Ajudem a divulgar nossa intranet.
Caso tenham sugestões por favor enviar para suporte
suportesms@uberlandia.mg.gov.br


Iniciamos na intranet uma campanha para conscientização e redução de gastos de Energia Elétrica, Impressão e Telefonia.
 intranetsaude.uberlandia.mg.gov.br

Para acesso aos resultados dos exames da Universidade Federal de Uberlândia e do Hospital Municipal, faz-se necessário o preenchimento do Termo de Compromisso, que pode ser encontrado na própria tela de login.


Obrigado.
Weder Nunes


IntranetSMS

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Tempo

"Contei meus anos e descobri
Que terei menos tempo para viver do que já tive até agora
Tenho muito mais passado do que futuro
Sinto-me como aquele menino que recebeu uma bacia de jabuticabas
As primeiras, ele chupou displicentemente
Mas, percebendo que faltam poucas, rói o caroço.

Já não tenho tempo para lidar com mediocridades
Inquieto-me com os invejosos tentando destruir quem eles admiram
Cobiçando seus lugares, talento e sorte
Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas
As pessoas não debatem conteúdo, apenas rótulos
Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos
Quero a essência... Minha alma tem pressa
Sem muitas jabuticabas na bacia
Quero viver ao lado de gente humana, muito humana
Que não foge de sua mortalidade
Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade."


Ricardo Gondim


Ricardo Gondim Rodrigues é teólogo brasileiro, presidente nacional da Igreja Betesda, presidente do Instituto Cristão de Estudos Contemporâneos, conferencista. Tem programa de rádio e é colunista de vários veículos de comunicação

terça-feira, 13 de maio de 2014

Saúde do coração

O sal é um dos vilões mais temidos da atualidade, mas também é o menos combatido. Isso porque desde sempre nós nos acostumamos a comer tudo com uma bela pitada de sal. E se fosse só essa pitada, tudo bem! Mas, o que torna o sal um grande vilão é que ele é a principal fonte de sódio que consumimos, podendo causar aumento da pressão arterial levando a problemas mais sérios de saúde, como a hipertensão e sobrecarregar os rins.

Porém, manter o sal longe do prato ou pelo menos diminuir as quantidades dele nas receitas pode ser mais fácil do que você imagina. A substituição do mineral por outros temperos naturais dá novo gostinho às preparações e ainda por cima promove uma onda de boa saúde. "Os temperos naturais ou condimentos melhoram o sabor, aroma e aparência dos alimentos preparados", explica a nutricionista Maíra Malta, da Unesp.

Por isso, na Semana Mundial da Consciência sobre o Sal selecionamos alguns temperos que te ajudam a se manter longe do sal. Confira:

Fonte:

http://www.minhavida.com.br/

segunda-feira, 12 de maio de 2014

Viver sem limites

 http://www.uberlandia.mg.gov.br/inscricao_2.php

Faça sua inscrição clicando AQUI ou no CARTAZ  acima

UAPSF São Jorge IV

Recebemos da colega Cidinha Martins, UAPSF São Jorge IV. Parabéns a toda equipe


"Em comemoração ao dia das mães,foi realizado na UAPSF São Jorge IV,uma festa,com brincadeiras,sorteio de brindes,café da manhã e uma boa prosa com a apresentadora da TV Integração Monica Cunha."


quarta-feira, 7 de maio de 2014

Tatuagem

Anvisa suspende 15 marcas de tintas para tatuagem por falta de registro no país

Agência Brasil

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) suspendeu nesta terça-feira (6) 14 marcas de tinta para tatuagem por falta de registro no país. São elas: Intenze, Eternal Ink, Suprema Collors, Solid Ink, Drawing Ink 700, Extrema Magic Collors, Master Ink, Kuro Sumi, Murano, Kactus, Kokkai Sumi Ink, Infinity Tattoo Ink, Korrai Sumi Ink e Bowery Ink.

De acordo com resolução publicada no Diário Oficial da União, a orientação da agência é que as vigilâncias sanitárias dos estados e municípios apreendam e inutilizem as unidades encontradas no mercado.

Outra medida também publicada hoje no Diário Oficial da União visa a impedir o uso da tinta Indian Ink em tatuagens. De acordo com a Anvisa, o produto tem registro, mas o próprio rótulo traz a informação que a tinta não deve ser utilizada para este fim. Neste caso, a orientação é que as vigilâncias sanitárias apreendam o produto quando ele for encontrado em estúdios e feiras de tatuagem.

A Anvisa já havia suspendido a marca de tinta para tatuagem Supreme, fabricada por Tseva Indústria e Comércio, em janeiro passado, após receber uma denúncia do Ministério Público do estado de São Paulo.

A pigmentação artificial permanente para pele, incluindo as tintas de tatuagem, é regulamentada pela Anvisa por meio da Resolução da Diretoria Colegiada de número 55 publicada em 2008, a RDC 55/2008. No país, há três marcas de tintas regulares para tatuagem: a Starbrite Colors, a Electric Ink e a Irons Work.

Desmatamento e água

Desmatamento eleva em 100 vezes o custo do tratamento da água
07/05/2014

Por Karina Toledo

Além de alterar o ciclo de chuvas, prejudicar a recarga de aquíferos subterrâneos e, consequentemente, reduzir os recursos hídricos disponíveis para o abastecimento humano, o desmate da vegetação que recobre as bacias hidrográficas tem forte impacto sobre a qualidade da água, encarecendo em cerca de 100 vezes o tratamento necessário para torná-la potável.

O alerta foi feito pelo pesquisador José Galizia Tundisi, do Instituto Internacional de Ecologia (IIE), durante palestra apresentada no terceiro encontro do Ciclo de Conferências 2014 do programa BIOTA-FAPESP Educação, realizado no dia 24 de abril, em São Paulo.

“Em áreas com floresta ripária [contígua a cursos d'água] bem protegida, basta colocar algumas gotas de cloro por litro e obtemos água de boa qualidade para consumo. Já em locais com vegetação degradada, como o sistema Baixo Cotia [bacia hidrográfica do rio Cotia, na Região Metropolitana de São Paulo], é preciso usar coagulantes, corretores de pH, flúor, oxidantes, desinfetantes, algicidas e substâncias para remover o gosto e o odor. Todo o serviço de filtragem prestado pela floresta precisa ser substituído por um sistema artificial e o custo passa de R$ 2 a R$ 3 a cada mil metros cúbicos para R$ 200 a R$ 300. Essa conta precisa ser relacionada com os custos do desmatamento”, afirmou Tundisi.

Quando a cobertura vegetal na bacia hidrográfica é adequada – e isso inclui não apenas as florestas ripárias como também matas de áreas alagadas e demais mosaicos de vegetação nativa –, a taxa de evapotranspiração é mais alta, ou seja, uma quantidade maior de água retorna para a atmosfera e favorece a precipitação.

Leia mais

terça-feira, 6 de maio de 2014

Unidade de Saúde Dom Almir

A Prefeitura de Uberlândia entregou nesta segunda-feira (05) as novas instalações do Posto de Saúde da Família do bairro Dom Almir. As instalações receberam adequações para tornar o atendimento mais acolhedor e melhorar a estrutura de trabalho dos profissionais de saúde. A assistência à população daquela região, que por estratégia, precisa ser próxima a residência do usuário, ficou temporariamente no anexo da unidade de Atendimento Integrado (UAI) do bairro Morumbi. A unidade atenderá com a reforma a uma demanda de aproximadamente sete mil moradores e mantém o objetivo principal de vincular o paciente ao sistema e facilitar na marcação de consultas. A unidade conta com enfermeiro, médico de saúde da família, agentes comunitários e grupos de apoio às gestantes e portadores de doenças crônicas.

Segundo o secretário de Saúde, Almir Fontes, quando se fortalece a atenção primária como é feito no PSF, é possível solucionar mais de 80% dos problemas de saúde recorrentes na população. “Procuramos atender na prevenção e cuidados onde a comunidade mora. Podemos evitar a sobrecarga nos pronto-atendimentos e ao mesmo tempo conhecer a realidade local para planejar ações de saúde pública mais efetivas”, disse.

Para a comunidade, uma unidade de saúde próxima à residência proporciona mais conforto e evita que se desloquem do local onde moram para buscar atendimento em outros bairros. Segundo a moradora Ruti Elen Rodrigues, a reinauguração da unidade é uma conquista pessoal e coletiva. “Nem sempre tinha dinheiro para o transporte quando precisava ir ao médico. Para mim, esta unidade perto de nós é uma conquista de conforto familiar, sei que posso agendar minha consulta e serei atendida e acompanhada pelo profissional que já conhece meu caso”, disse.


Fonte: Portal da Prefeitura de Uberlândia

terça-feira, 22 de abril de 2014

Vacinação contra gripe


Vacinação: com a nova regra do Ministério da Saúde, crianças entre 6 meses e 5 anos 
incompletos poderão ser imunizadas  (Foto: Arquivo/Agência Brasil)


Vacinação contra gripe começa nesta terça-feira e inclui maior número de crianças

Agência Brasil


Começa nesta terça-feira (22) a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe. Este ano, a imunização deve atingir mais crianças do que em anos anteriores, já que a faixa etária definida pelo Ministério da Saúde foi ampliada. Com a nova regra, crianças de 6 meses a menos de 5 anos poderão ser vacinadas. No ano passado, apenas crianças com até 2 anos podiam receber a vacina.

Representantes do governo acreditam que a ampliação dessa faixa etária vai beneficiar tanto as crianças quanto outros grupos vulneráveis, como menores de 6 meses de idade que ainda são amamentados, idosos e pessoas com doenças crônicas.

Leia mais

sexta-feira, 11 de abril de 2014

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Fiocruz alerta: Vírus chikungunya

O mosquito Aedes aegypti, o transmissor da dengue,
 também transmite a chikungunya. Foto: Divulgação / USDA


A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) emitiu, nesta terça-feira, um alerta para a possibilidade de o vírus chikungunya se espalhar pelo Brasil e por outros países da América, após causar epidemias na Ásia, África, Europa e Caribe. A doença tem sintomas parecidos com a dengue e também é transmitida pelo Aedes aegypti. Um estudo desenvolvido pelo Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz) em parceria com o Instituto Pasteur revela que, em cidades populosas como o Rio de Janeiro, onde há grande infestação do mosquito, por exemplo, o risco de disseminação da virose é muito grande.

Segundo o pesquisador do IOC e coordenador do estudo, Ricardo Lourenço, a preocupação aumentou no continente americano após a identificação de um caso suspeito de chikungunya na ilha de Saint Martin, no Caribe, em dezembro do ano passado. Casos no Brasil já foram registrados, mas todos importados de outros países. “Desde 2004, o vírus vem se alastrando pelo mundo e já houve registro de casos importados no Brasil, envolvendo pessoas que viajaram para outros países. A transmissão em solo brasileiro ainda não ocorreu, mas a pesquisa recém concluída revela que há um risco real e é preciso agir para evitar uma epidemia grave, uma vez que os mosquitos transmissores são os mesmos da dengue”, alerta Lourenço.

Além do Aedes aegypti, outro mosquito da mesma família, o Aedes albopictus também é capaz de transmitir o vírus da chikungunya. Em uma pesquisa com mosquitos desse tipo encontrados no Rio de Janeiro, foi constatado que 97% deles conseguem realizar a transmissão após picar alguém contaminado. O estudo constatou que o inseto é capaz de realizar esse processo apenas dois dias depois de ser infectado.

Leia mais

sexta-feira, 7 de março de 2014

Dia Internacional da Mulher

Um afetuoso abraço em cada uma do mundo se fosse possível! Guerreiras poderosas, todo meu respeito e admiração, sempre, todo santo dia.





"... Além das conquistas da mulher, a essência feminina permanece a mesma, em qualquer época. Ao andar, mantenha a cabeça erguida, os ombros nivelados, para trás, ventre encolhido. Evite dar passos muito largos ou muito curtos. Os pés para frente. Evite andar com as pernas duras ou afastadas. Ao pisar, pouse primeiro o calcanhar sobre o solo. Um porte elegante é importantíssimo para uma mulher que deseja ser bonita.” - Citação do livro "Só para Mulheres” de Clarice Lispector.




Pescado em Sarau Comics

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Menos é mais

Comecei a correr coisa de dois anos e meio atrás feito um louco. Sem orientação específica, apenas ajuda de grandes amigos corredores. Hoje mais disciplinado e focado, aprendi na bruta o que todos deem saber instintivamente. Exageros não levam a lugar nenhum, a não ser a lesões e prejudiciais interrupções de treinos. Já perdi corrida por conta disso. Encontrei este artigo. Achei muito bom e compartilho com com vocês. O título diz tudo. Boa leitura, ótimas corridas e malhação.Correr, caminhar, puxar ferro enfim  é preciso, enfim, movimentar é preciso.





Menos é mais: treinar em excesso não garante desempenho


Corredores que "puxam ferro" demais podem prejudicar a performance nas pistas

Num passado não tão distante a regra básica era que os corredores deveriam correr e os levantadores de peso deveriam fazer musculação. A preparação física para corredores era correr cada vez mais, até que vieram os treinos intervalados e regenerativos de Bowerman e Prefontaine, quando ficou bem definido que depois de um dia de treino intenso, deve-se treinar leve.

Nos anos 70, o então treinador da Universidade de Oregon, Bill Bowerman,treinava diversos competidores de elite, entre eles o recordista americano de diversas distâncias Steve Prefontaine. Entre suas teorias revolucionárias, ele contrariou os formatos de treinamento da época, em que os atletas costumavam pegar pesado vários dias da semana antes de descansar ou realizar uma atividade leve.
Saiba o que pode causar overtraining, o famoso excesso de treino

Hoje, vamos muito além desse conhecimento. Sabemos a partir de artigos científicos que o movimento e o fortalecimento leves, quando bem aplicados, são fisiologicamente importantes pelo efeito da mecanotransdução, ou seja, a explicação de como o estímulo mecânico atua sobre a célula muscular para que ela produza fibras estruturais que possibilitem a regeneração tecidual. Este processo ocorre também no alongamento e no fortalecimento.

Em todo treinamento é necessário fazer uma pausa.  Em todo treinamento é necessário fazer uma pausa.

Foto: Goran Bogicevic/ Fotolia

Mas, muito além de estudos científicos, é importantes trazer essas informações para nossa realidade e entender como isso interfere no nosso treino diretamente. Não é possível fazer um treino de fortalecimento agressivo, seja ele qual for: pilates, crossfit, musculação, treinamento funcional, etc, sem aumentar as microlesões que foram adquiridas durante o treinamento intenso de corrida. É bom entender que sou totalmente a favor desses tipos de fortalecimentos, mas quando feitos com consciência e planejamento.

Portanto, a regra é bem simples: o que te prepara para o seu esporte principal, para o qual você realmente está treinando para ter resultado, não pode ser agressivo a ponto de causar dor. A não ser que esteja num planejamento de início de temporada para ganho de massa muscular, o trabalho de força tem sempre que ser regenerativo para o corredor e nunca lesivo.

Trocando em miúdos: menos é mais!

Leia também  Saiba o que pode causar overtraining, o famoso excesso de treino

Fonte: www.webrun.com.br

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

O teatro do engano

O teatro do engano

Pesquisadora da Unicamp investiga as comédias do dramaturgo romano Plauto, referência para Shakespeare, Molière, Camões e Suassuna

A esposa colérica, o escravo astuto, o jovem apaixonado sem dinheiro, a meretriz, o parasita social. Esses são alguns dos personagens mais notórios da comédia de Plauto, dramaturgo romano nascido no século III a.C., cuja obra está entre os textos literários mais antigos preservados em latim. As comédias de Plauto foram retrabalhadas por escritores como William Shakespeare, Molière, Luís de Camões e, no caso brasileiro, Ariano Suassuna, que em 1957 usou como subtítulo de sua comédia O santo e a porca a frase “imitação nordestina de Plauto”.





Leia em: http://agencia.fapesp.br/18635