Secretaria Municipal de Saúde






Toda pessoa tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar a si e a sua família saúde e bem estar, inclusive alimentação, vestuário, habitação, cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis, e direito à segurança em caso de desemprego, doença, invalidez, viuvez, velhice ou outros casos de perda dos meios de subsistência fora de seu controle.

Artigo Artigo XXV da Declaração Universal de Direitos Humanos



Saúde, Ciência, Pesquisa, Arte, Cultura, nossa gente da SMS, e o que mais possa interessar.



Organizado por William H Stutz

Veterinário Sanitarista

whstutz@gmail.com



Este Blog é independente, sem vínculo oficial com instituição alguma.
Todos
estão convidados a contribuir com informações de interesse coletivo.





segunda-feira, 6 de novembro de 2006

História Natural dos Escorpiões



Apesar da existência de poucos exemplares, evidências fósseis indicam que os primeiros escorpiões ( aproximadamente 400 milhões de anos atrás) eram de vida aquática possuindo guelras e patas, e se pareciam em muito com os escorpiões atuais.

Alguns dos primeiros escorpiões a viverem a maior parte do tempo em terra firme eram muito pequenos, mas pelo menos uma espécie - Praearcturus Gigas - assumia maiores proporções chegando a medir 1 metro de comprimento sendo pois um notório predador.

Os escorpiões modernos se adaptaram aos mais variados tipos de habitat

Dos desertos às florestas tropicais e do nível do mar a grandes altitudes em montanhas. Uma espécie foi encontrada vivendo a 4.200 metros de altitude nos Andes.

Apesar de pequenos em tamanho , escorpiões exercem papel fundamentalna cadeia alimentar. Não é incomum encontrarmos três ou quatro espécies diferentes convivendo no mesmo habitat, ou em grupos númerosos . Eles são animais carnívoros, predando grande quantidade de invertebrados e ocasionalmente pequenos vertebrados contribuindo sobre maneira para o equilíbrio ecológico.

Habitats

Como dissemos os escorpiões são encontrados nos mais variados habitats tais como florestas tropicais, cerrados , campos, e em áreas intermediarias às descritas.

A grande maioria destes aracnídeos tem preferência por climas tropicais e subtropicais. Todavia algumas espécies de adaptaram a regiões pouco comuns, algumas surpreendentes.

Em várias regiões do planeta algumas espécies de pequenos escorpiões (menos de 1 mm ), vivem em zonas intermediárias . Conhecidos como escorpiões do litoral, se alimentam de minúsculos invertebrados marinhos trazidos pelas marés.

Algumas espécies vivem como já nos referimos em altitudes acima de 4.200 metros no Himalaia asiático, uma em particular - Orobothriurus altola - vive a 4.400 metros de altitude na cordilheira dos Andes aqui na América do sul.

Estes são muito pequenos e passam meses sob pedras e em abrigos cobertos por neve e gelo.

Experimentos já demonstraram que muitos escorpiões podem resistir a temperaturas abaixo do ponto de congelamento .

A influencia de microclimas específicos, assim como composição de solo, tipos de rochas, sazonalidade de temperaturas extremas e disponibilidade alimento são fatores limitantes na distribuição destes animais.

Para sobreviver através dos milênios os escorpiões tiveram que se adaptar.

Os escorpiões das areias (psammophiles) possuem numerosas cerdas, que aumentam a área de superfície de contato com o solo, as patas são adaptadas para melhor locomoção na areia fofa. Os escorpiões de regiões rochosas (lithophiles) são mais achatados e alongados com cerdas mais espessas e pontudas mas patas o que facilita se mover livremente sobre o terreno e em seus abrigos. Seus metasomas são longos e finos e mais elevados em relação a maioria das espécies.

Um corpo desenvolvido, robusto com patas curtas e pedipalpos grandes e , poderosos caracterizam os escorpiões que constróem abrigos (fossorial). Alguns escorpiões (troglobites) vivem em cavernas profundas. Como não há nenhuma necessidade enxergar na escuridão, a maioria deles são cegos e em alguns a ausência total de olhos é observada. Geralmente seus corpos , patas, e pedipalpos são extremamente delgados, incolores - todas estas adaptações foram desenvolvidas para viver em fendas, sob a rocha, e nas profundezas das cavernas . Escorpiões adaptados às proximidades das entradas das caverna são conhecidos como troglophiles, não perderam os olhos e não adquiriram outras características dos troglobites .

Os escorpiões arbóreos são pequenos, leves, ágeis em escaladas. Alguns sobem em árvores, vivendo dentro dos buracos e das rachaduras dos troncos, outros preferem as parte basal de bromélias .

Uma vez que as pesquisas para explorar as copas das árvores das florestas tropicais estão em estágio inicial , acredita-se que muitas espécies novas de escorpiões ainda serão descobertas e descritas .

Cada uma destas variações físicas são acompanhadas de inconvenientes, algumas espécies são tão especificas de certo ecossistema que encontram sérias dificultadas em se adaptar a outros com características diferentes, mesmo que estas variações sejam mínimas. Esta é uma consideração importante quando avaliamos a necessidade de se manter estes animais em cativeiro, seja para fins médicos-sanitários seja para estudo de comportamento. Algumas espécies simplesmente não são passíveis de se manter em laboratório, pelo menos com a técnica e equipamento que dispomos.

Adaptar para sobreviver

Além da sustentação, o exosesqueleto rígido do escorpião age como um revestimento rígido, protetor cuja coloração geralmente condiz com o seu habitat.Isto fornece ao escorpião a capacidade de se camuflar.

A forma achatada dos escorpiões os permitem esgueirar por entre locais muito pequenos e apertados.

Sua capacidade de inocular veneno e seus fortes pedipalpos combinados com sua velocidade de reação a estímulos fazem do escorpião um predador formidável e perigoso.

Os escorpiões possuem uma das taxas metabólicas mais baixas do reino animal. Podem permanecer longos períodos sem se alimentar pois ao final de uma única refeição ( na qual ingeriu grande quantidade de alimento), conservam ao máximo energia evitando ao extremo se locomoverem, poupando assim energia para sua manutenção.

Os escorpiões do deserto são os artrópodes mais especializados em conservação de água.

O revestimento de seu exoesqueleto os torna impermeáveis evitando perda de líquido corpóreo.

A necessidade de água da maioria dos escorpiões do deserto é adquirida através de suas presas ou seja através de seu alimento.

Seus dejetos são extremamente secos devido ao elevado teor de nitrogênio e uma porção mínima de água.

Respirar através de espiráculos minimiza substancialmente a perda de água através da respiração. Algumas espécies possuem membranas que cobrem as entradas dos espiráculos podendo fecha-las voluntariamente diminuindo ainda mais quaisquer perda de líquido.Ao se refugiarem dentro de tocas, sob as pedras ou se enterrando no solo os escorpiões do deserto evitam os períodos mais quentes do dia este procedimento também minimiza a perda de umidade .

Classificação dos Escorpiões

A medida que pesquisadores aprofundam seus estudos sobre os escorpiões torna-se mais freqüente a necessidade de reavaliação e mudanças na sua classificação.

Infelizmente são pouquíssimos os pesquisadores trabalhando com escorpiões no mundo, no Brasil não seria possível enumerar uma dezena mesmo sabendo que no passado contávamos com os maiores expoentes da arcnologia mundial tais como Lutz, Wolfgang Burchel, Campos Mello, além do "pai " da terapia anti-escorpiônica Vital Brasil. O resultado deste desinteresse é a lentidão do processo evolutivo da sistemática atual.

Utilizando-se das características físicas e moleculares, pesquisadores já determinaram a classificação de 1500 espécies e sub espécies aproximadamente, dividas em 16 famílias:

1- Bothriuridae
2 - Buthidae
3 - Chactidae
4 - Chaerilidae
5 - Diplocentridae
6 - Euscorpiidae
7 - Heteroscorpionidae
8 - Ischnuridae
9 - Iuridae
10- Microcharmidae
11 - Pseudochactidae
12 - Scorpionidae
13 - Superstitionidae
14 - Troglotayosicidae
15 - Vaejovidae

Muitas delas são divididas em sub-famílias, que por sua vez se dividem em gênero, espécies, e em alguns casos subespécies.

Existe muita discordância entre os pesquisadores sobre a validade ou não das subespécies; alguns afirmam que a classificação atual de muitas subespécies esta pouco definida e muito subjetiva . Uma vez que as características físicas utilizadas para tal definição são muito pequenas e só podem ser observadas através de dissecação microscópica.

A separação de gênero em espécie deve ser motivo de investigações cuidadosas que requerem muita paciência e determinação. É sabido que a coloração e o tamanho de indivíduos de uma mesma espécie podem variar de acordo com os seus respectivos micro habitats e estas peculiaridades deve ser cuidadosamente avaliadas quando da classificação das espécies.

Uma diferença única e isolada não é suficiente para elevar um certo tipo de escorpião à condição de espécie. Se houver aumento de interesse por parte de pesquisadores e principalmente fontes de financiamento para pesquisa , seguramente novas espécies de escorpiões serão descritas. A biologia molecular através do uso de PCR, ou análise de DNA tornou-se uma ferramenta de suma importância nesta tarefa.


Anatomia do Escorpião

A maioria das pessoas esta familiarizada com o formato de um escorpião, todas as espécies existentes se parecem .

Os escorpiões são considerados muito primitivos se comparados a outros animais terrestres

Além do mais os escorpiões são considerados os aracnídeos mais antigos encontrados até o momento.

Sua notória capacidade de evolutiva e de adaptação permitiu que sobrevivessem na superfície da terra por aproximadamente 300 a 350 milhões de anos após saíram do ambiente aquático.

Todos os escorpiões captam calor de fontes externas e são incapazes de gerar seu próprio calor. Em ambientes muito quentes eles possuem hábitos noturnos. Algumas espécies de regiões temperadas e de florestas tropicais tem atividade durante parte do dia, uma vez que a vegetação densa impede que o calor excessivo do sol atinja o solo.


Olhando de perto

Apesar de se buscar fazer uma abordagem detalhada da anatomia dos escorpiões, torna-se importante uma revisão de todas as partes do corpo e suas características de forma identificar algumas partes externas do animal.

Os escorpiões, internamente possuem sistemas nervoso, circulatório, respiratório, reprodutivo e digestivo. Como todos os artrópodes os escorpiões tem o corpo revestido por fino e resistente exoesqueleto de quintina que carrega e protege as estruturas internas.

É a base de sustentação também de vários receptores sensitivos, espiráculos

( ou opérculos respiratórios ) e outras estruturas de comunicação com o meio exterior de grande importância biológica .

O Prosoma

O corpo é dividido em duas partes principais o prosoma (cefalotórax) e o opistosoma ( abdome) . Dorsalmente , o prosoma é coberto por uma carapaça. As quelíceras são parcialmente cobertas pela carapaça e projetadas para a frente.

As quelíceras são órgãos pré-bucais e são usadas para rasgar e triturar alimento; todos os aracnídeos as possuem .

Um par de olhos medianos e outros laterais, menores ( ao todo cinco pares ) estão localizados na carapaça . Os olhos medianos são órgãos muito primitivos, com capacidade de percepção de profundidade e espacial produzindo assim imagens visuais distorcidas. São muito sensíveis a luz . Seu propósito parece ser permitir orientação e para diferenciar luz e escuridão .

Os olhos laterais são até três vezes menores do que os olhos medianos e parecem reagir a estímulos mais rapidamente no escuro.

Aparentemente são os responsáveis pelo ciclo luz-escuridão e parecem serem reguladores do relógio biológico dos escorpiões .

Uma área foto sensível no metasoma foi descoberta recentemente em diferentes escorpiões . Sua função não foi ainda esclarecida.

Opistosoma

O opistosoma é composto pelo mesosoma ( pré abdome ) e metasoma, erroneamente chamado de cauda , ( pós abdome ). Sete tergítos se combinam para formar a parte dorsal do mesosoma. O tecido flexível que une as partes rígidas do exoesqueleto são denominadas membranas (pleura) intersegmental .

O Metasoma é formado por cinco segmentos arredondados que terminam com um bulbo chamado telson.

O telson não é considerado parte do metasoma. O aguilhão ou a parte inoculadora de veneno é chamada de acúleo ( ferrão ) e em sua porção arrendada estão as glândulas produtoras de veneno.

Uma pequena protuberância esta presente em algumas espécies e são usadas por taxonomistas como uma característica quando da classificação de espécies.

O metasoma não é uma cauda no sentido da palavra, mas uma continuação do abdome. Contém partes do intestino , nervos, artérias, veias e músculos além de sustentar o telson.

O metasoma é um órgão musculoso e além de ser usado para ferroar também é usado para cavar, higienização, equilíbrio e sustentação do animal. A abertura anal esta localizada no tecido mole do quinto segmento, onde este se conecta com o telson.

Apêndices

Quadro pares de patas articuladas ( todas inseridas no cefalotórax ) permitem locomoção e também são usadas para escavar o solo. A porção que de cada pata que se conecta com o corpo é denominada coxa, e segue nesta ordem o trocanter, fêmur, patela, tíbia, basitarso, tarso e apotele.

Garras laterais e medianas estão ligadas à apotele.

Os pedipalpos são análogos ao braçõ e mãos humanas. Cada pedipalpo possui seis segmentos. Começando a partir do corpo temos: O trocanter, o fêmur, a patela, a tíbia, e o tarso. Os dois últimos segmentos apresentam o formato de pinças ( mãos ) a tíbia modificada representam a palma e um dedo fixo, e o tarso é o dedo móvel da pinça.

Apesar das estruturas anatômicas dos pedipalpos possuírem a mesma nomenclatura daquelas das pernas, os pedipalpos não são pernas. Estes são usados para capturar, conter e esmagar presas; para proteção como uma poderosa arma e escudo; e para escavar.

Também possuem órgãos sensitivos excepcionais. A superfície interna das pinças possui uma série de granulações dentadas e pontiagudas, que possibilita segurar firmemente e esmagar suas presas.

Algumas estruturas dos pedipalpos são presentes apenas nos machos, fornecendo base segura quanto ao dimorfismo sexual ( a abertura ou vão encontrado no Tityus bahiensis utilizado para segurar a fêmea quando acasalamento é um bom exemplo ).

Escorpiões com pinças maiores e robustas são capazes de esmagar o exoesqueleto de qualquer invertebrado por mais rígido que este seja.

A porção ventral

As formas das estruturas da porção ventral entre as pernas ( coxoesterno ) dos escorpiões são as mais utilizadas pelos para diferenciar famílias.

Os dois opéculos genitais ( fundidos cobrindo a abertura genital ) podem ser observados no centro do dorso imediatamente atrás e posteriormente ao externo.

Oito pequenas aberturas ( espiráculos ) localizados na parte ventral do mesosoma, transportam ar para os pulmões ( organelos respiratórios ) Uma vez que podem ser "fechados " em momentos de stress, estes espiráculos são extremamente eficientes e minimizam a entrada de partículas de pó no organismo.



Escorpiões que matam

Os Escorpiões que mais riscos trazem para seres humanos são originários do norte da África e do Oriente Médio (Androctonus , Buthus, Hottentotta, Leiurus), America do Sul (Tityus), Índia (Mesobuthus), e México (Centruroides).

Em algumas destas regiões ( como no Brasil por exemplo ) acidentes escorpiónicos são importante causa de mortes humanas. Infelizmente estatísticas confiáveis não estão disponíveis.
As raras estatísticas sugerem que o percentual de mortalidade em ambiente hospitalar por escorpiões seria da ordem de 4% dos agredidos, sendo crianças e idosos os mais susceptíveis a este tipo de envenenamento.

A morte por envenenamento escorpiónico ocorre como resultante de falência cardio-respiratória algumas horas após o acidentes ( este período é variável podendo ocorrer entre 1 a 6 horas em média - mortes tardias também podem ocorrer )

Órgãos sensitivos

Apesar dos escorpiões possuírem pouca visão eles são dotados de um arsenal de potentes receptores sensitivos. Captando movimentos de ar, vibrações, e tato são capazes de perceber a presença de predadores , presas, água, temperatura e luz, assim como uma gama de outros estímulos.

Pectíneas

As pectíneas são um par de apêndices com aparência de pentes localizados na porção ventral imediatamente após o último par de patas. Apenas os escorpiões as possuem. Estes órgãos sensitivos estão permanentemente em contato com o solo e são capazes de captar vibrações mínimas no mesmo e são ainda utilizados pelos machos para perceber a presença de ferormônios durante o período reprodutivo.

Cerdas

As cerdas são estruturas com aparência de pelos distribuídas por quase todo o corpo dos escorpiões, nas pata , e nos pedipalpos, dando a algumas espécies a aparência "peluda". Algumas destas cerdas não são visíveis a olho nu.

Pelo menos três tipos diferentes de cerdas já forma descritas, As Cerdas captam sensações radiculares, térmicas, químicas e variações de umidade.

As mais importantes são as longas e finas tricobótrias encontradas apenas nos pedipalpos. Estas são incrivelmente sensíveis e a movimentos de ar e a vibrações e podem perceber o menor movimento de suas presas, de outros escorpiões e situações de perigo.

A quantidade, localização e disposição das tricobótrias são importantes na identificação de espécies.

As cerdas do tarso captam vibrações do substrato e muitas ainda percebem variações e presença de água e umidade além de mudanças químicas no ambiemte.

Tufos de cerdas localizados no tarso e basitarso aumentam a área de contato com o solo facilitando a locomoção me terrenos arenosos e macios. Apesar de muito importantes para se determinar o habitat de espécies de escorpiões estes tufos de cerdas não são facilmente observados sem a utilização de intrumentos ópticos ( lupa entomologica ).

Outros receptores

Outros sensores microscópios chamadas de "réguas" sensitivas são encontrados nos pés e no metasoma. Quando algum tipo de pressão é feita sobre o exoesqueleto estss "réguas" se abrem rapidamente . Dependendo da duração e da intensidade desta pressão os escorpião faz ajustes em nos movimentos e postura do corpo.

Outras "réguas" sensitivas localizados no basitarso em todas as oito patas parecem perceber vibrações no terreno , como aqueles produzidos por movimentos de insetos.

Os escorpiões se utilizam das sensações recebidas por patas opostas para se aproximar de suas presas e determinar a localização e distância da mesma.

Produção de sons

Aproximadamente 150 espécies de escorpiões são capazes de produzir sons ou esfregando partes do corpo uma contra a outra ou vibrando estruturas anatômicas.

Alguns Opistotamus esfregam suas quelíceras e o cefalotorax e produzem um som sibilante. Algumas espécies friccionam o telson no metasoma, pectíneas ao externo, e os pedipalpos ao primeiro par de patas .

Em nosso laboratório tivemos a rara oportunidade de manter um Tityus brazilae por mais de 3 anos e a qualquer toque em seu terráreo o mesmo vibrava suas pectíneas produzindo um som que em muito lembrava o de uma cascavel.

Outros escorpiões literalmente batem o telson no solo. Estes sons produzidos parecem ter a função de intimidar agressores.

Veneno e envenenamento

O veneno é uma mistura química complexa (peptídeos de baixo peso molecular) que destroem as células quando as penetram .

Mais 100 destes peptídeos ja foram isolados em veneno de escorpiões. A função básica do veneno é de capturar e imobilizar presas: sua função defensiva é secundária.

Mas apenas uma minoria dos escorpiões produz veneno. E felizmente apenas 24 espécies são potencialmente perigosas para o ser humano.

O veneno dos escorpiões tem sido largamente estudado, particularmente em como é sua ação no corpo humano. A toxicidade dos venenos varia de gênero para gênero e de espécie para espécie, e muitas vezes dentro de uma mesma espécie a ação do veneno pode variar.

Também, por razões ainda desconhecidas, parece ter variações de acordo com regiões. Talvez em função da variação dos componentes químicos de cada tipo de veneno, aliados a variações genéticas, condições ambientais, tipo de alimentação disponível, ou simplesmente variações fisiológicas entre espécies podem ser a causa destas diferenças.

A ferroada

O processo utilizado pelo escorpião para provocar envenenamento é rápido e eficiente. Os musculoso metasoma é suspenso e o telson posicionado, para a introdução rápida e certeira do aguilhão no exoesqueleto ou pele do seu alvo. O escorpião deve perceber que foi certeiro, pois se o aguilhão não penetrar adequadamente o animal fará novas tentativas repetidamente até obter sucesso na inoculação do veneno.

As cerdas próximas ao ferrão são importantes sensores durante o ataque. Presas relutantes, que se debatem, serão ferroadas seguidamente enquanto estiverem seguras pelas pinças.

A quantidade de veneno injetada é controlada pelo escorpião; doses maiores para grandes animais e menos para as presas menores.

Algumas vezes o veneno não é injetado apesar da ferroada, este fenômeno é conhecido como "ferroada seca".

O ferrão pode se manter introduzido na presa por alguns segundos ou simplesmente ser espetado e retirado imediatamente , retornado a sua posição de ataque. Independentemente da forma como é utilizado o veneno faz do escorpião um predador extraordinário e eficiente, capaz de capturar presas maiores e mais perigosas do que o próprio.

Referências Bibliográfica

-Kjellesvig-Waering, E.N . 1986. A restudy of the fossil Scorpionida of the world. Organised for publication by A. S. and

-K. E Caster. Palaeontographica Americana, No. 55, 287 pp.

- Polis A.G - Biology of Scorpions - Stanford University Press - 1990

-Schulz, J.W. 1990. Evolutionary morphology and phylogeny of Arachnida. Cladistics, 6:1-38.

- Stutz, W. H. 1990, Ocorrência de Escorpiões em Uberlândia Minas Gerais , Brasil - Monografia para obtenção de título de Especialista em Saúde Coletiva - Universidade Federal de Uberlândia.

-Selden, P.A. 1993. Arthropoda (Aglaspidida, Pycnogonida, and Chelicerata), pp. 297-320. In: The Fossil Record 2 (M. J. Benton, ed.). Chapman and Hall, London. - Stockwell, S.A. 1989. Revision of the Phylogeny and Higher Classification of Scorpions (Chelicerata). Ph.D. Dissertation , University of California, Berkeley. 413 pp

Histórico -Lapq

Prefeitura de Uberlândia
Secretaria Municipal de Saúde
Laboratório de Manejo de Animais Peçonhentos e Quirópteros (LAPQ)



Histórico

Os programas de controle de animais peçonhentos ( escorpiões, serpentes, aranhas e lacraias ), foram implantados em nosso município em 1983 . As atividades se norteavam exclusivamente em atendimento às solicitações da população ( demanda espontânea ). A partir desta forma de atuação foi possível a construção de um banco de dados e o delineamento de um modelo epidemiológico onde o serviço passa a intervir no controle destes agravos de maneira racional e objetiva, priorizando as regiões de maior incidências destes animais, sem, contudo interromper o atendimento às solicitações individuais, pois com certeza estas seriam nossas sentinelas epidemiológicas.

O Programa de Quirópteros ( Morcegos ) se limitava ao controle de colônias das espécies hematófagas ( programa de controle da raiva dos herbívoros) .

Atualmente o estudo da etologia dos morcegos não hematófagos em áreas urbanas e rurais vem sendo desenvolvido como rotina, com vistas a conhecer nossa fauna "sinantrópicas", a distribuição das espécies no município, seus hábitos alimentares, territorialidade, a dinâmica desta população , e ainda, prioritariamente, o monitoramento da circulação do vírus rábico em nossas colônias.


Estudos visando a identificação das espécies de quirópteros de nosso município estão em constante evolução e resultados parciais estão publicados na revista CHIROPTERA NEOTROPICAL, a mais importante e especializada publicação sobre morcegos do país. Confira aqui nosso trabalho:
Updated list of bats from Uberlândia, State of Minas Gerais, Southeastern
Novas espécies já foram incorporadas à nossa quir´ptero fauna após a publicação. Em breve uma nova atualização será apresentada


Educação e Saúde Ambiental passaram a ser prioridade do LMAPQ.

Atuação


As atividades do LMAPQ são eminentemente de vigilância e educação ambiental, uma vez que os agravos com os quais lida dizem respeito principalmente e muito mais à intervenção negativa humana ao projetar suas cidades, suas vivendas, seu espaço urbano do que aos animais alvo propriamente dito .

Além da constante busca em amenizar os efeitos desta degradação ambiental e seus efeitos sobre nossa população humana ( coexistência quase nunca pacífica daqueles animais e população ), e os riscos à saúde humana e animal daí resultantes, atua-se diretamente nos fatores bióticos e abióticos responsáveis por esta sinantropia metropolitana e rural e principalmente em educação em saúde ambiental na tentativa de se evitar, ou ao menos procrastinar , o aumento destes agravos.

O LMAPQ desenvolve trabalhos de pesquisa aplicada de dinâmica populacional dos animais com os quais lida, objetivando principalmente o monitoramento do do deslocamento destas populações ( causa - efeito ), para junto das viviendas humanas.

Desenvolve-se trabalhos permanentes de pesquisa de novos métodos de controle ( bioensaios de laboratório e campo ) de bases químicas ( venenos ), para o controle principalmente de escorpionídeos.

Atividades de educação em saúde ambiental são rotina junto à rede de ensino do município, em SIPATS, e outras comunidades organizadas ( Associações de Moradores, Sindicatos ), através de oficinas pedagógicas objetivando a democratização do conhecimento e a formação de espirito crítico cidadão.


A intersetorialidade e a transdisciplinaridade fazem parte das ações do LAPQ, buscando-se total integração com secretarias municipais ( Meio Ambiente, Agricultura, Planejamento, Educação, Serviços Urbanos, Comunicação Social ), e órgãos de outras esferas administrativas como Fundação Nacional de Saúde ( FNS), Instituto Mineiro de Agropecuária ( IMA ), Secretaria de Estada da Saúde ( SES ), Instituto Brasileiro de Meio Ambiente ( IBAMA ), Polícia Federal e Florestal.

Novas Proposta de Ação.


Incremento das ações em curso , implantação de biotérios adequados para aperfeiçoamento de nossas pesquisas. Criação de museu zoo educativo em saúde ambiental. Geo demarcação das colônias de morcegos urbanos e da áreas rurais. Ampliação de banco de dados e criação de epidemiólogicos com vistas à intervenção rápida no que concerne aos agravos sob nossa responsabilidade .

Escorpionismo


Informações Toxicológicas

Centros de Informações Toxicológicas do Brasil

Centro de Informações Toxicológicas de Belém - Pará
Hospital Universitário João de Barros Barreto - 5° andar
Rua dos Mundurucus, 4487
Cep: 66073-000
Bairro: Guamá
Fone: 91 249-6370
Fone fax: 91 259-3748

Centro de Informações Toxicológicas de Manaus
Hospital Universitário Getúlio Vargas
Farmácia do HUGV
Av. Apurinã, 4 Praça 14 Telefone: (092) 622.1972 /633.3241
Fax: (092) 233.5095
CEP: 69.020-170
Manaus Amazonas

Centro de Assistência Toxicológica de Pernambuco Hospital da Restauração
Av. Agamenon Magalhães s /nº - DERBY - Boa Vista
Telefone: (081) 421.5444 /421.5477 - Ramal 192 (para ambos)
CEP: 50.000-000
Recife Pernambuco


Centro de Informações Anti-veneno da Bahia
Hospital Central Roberto Santos
Rua do saboeiro s/nº - Cabula
Telefone: (071) 231.4343 /231.5593/371.2355 Ramal 199
Fax: (071) 371.1520
CEP: 41.150-000
Salvador Bahia


Serviço de Toxicologia de Minas Gerais
Hospital João XXIII
Av. Professor Alfredo Balena , 400 1º andar
Santa Efigênia
Telefone: (031) 239.9308 /239.9224/239.9223
Fax: (031) 239.9260
CEP: 30.130-100
Belo Horizonte Minas Gerais


Centro de Informações Tóxico-Farmacológicas do Rio de Janeiro
Hospital Universitário Clementino Fraga Filho
Av. Brigadeiro Trompovsky s/nº UFRJ - Subsolo
Sala SSN02
Ilha do Fundão
Telefone: (021) 290.3344 /280.2010 Ramal 491
Fax: (021) 270.2193
CEP: 21.941-590
Rio de Janeiro Rio de Janeiro


Centro de Assistência Toxicológica do Hospital das Clínicas
Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
Hospital das Clínicas/Faculdade de Medicina
Av. Dr. Enéas de Carvalho Aguiar, 647 - 2º andar
Pacaembu
Telefone: (011) 280.9431 /881.6311 Ramal 171
Fax: (011) 280.9431
E-Mail: jgodoy@ams.com.br
CEP: 05403-900
São Paulo São Paulo


Centro de Informações Toxicológicas de Curitiba Rua Engenheiro Rebouças, 1707
Telefone: (041) 225.7540 /322.3434 Ramais 234 e 148
Fax: (041) 232.5071
CEP: 80.230-040
Curitiba Paraná

Centro de Informações Toxicológicas do Rio Grande do Sul
Rua Domingos Crescêncio, 132 - 8º andar
Santana
Telefone: (051) 223.6417 /223.6110/217.9203 e 148 (três dígitos)
Fax: (051) 217.9067
E-Mail: nicolela@pampa.tche .br
nicolela@procergs.com.br
www.procergs.com.br /cit/
CEP: 90.650-090 Porto Alegre Rio Grande do Sul


Centro de Informações Toxico-Farmacológicas de Goiás
Av. Anhaguera, 5195 - Setor Coimbra
Telefone: (062) 291.4350
Fax: (062) 262.5005
E-Mail: citgo@netline.om .br CEP: 74.043-001
Goiânia Goiás

terça-feira, 20 de junho de 2006

Agenda de Compromisso

Clique nas imagens para ampliar

Informativo nº 11



Informativo nº 10


Conselho Municipal de Saúde

O que é e como Funciona o Conselho Municipal de Saúde

Para que se possa cumprir o que a Lei determina o Conselho deve exercer o controle social do SUS. Isso significa dizer que cabe ao Conselho fiscalizar, planejar, propor e controlar os recursos destinados à área de Saúde no Orçamento do Município, bem como aprovar o Plano Municipal de Saúde.

Do mesmo modo o Conselho deve exercer o controle, o planejamento e a fiscalização do Fundo Municipal de Saúde, fundo esse para onde é destinado os recursos a serem gastos com a saúde no município.

Você pode e deve participar das reuniões do conselho que ocorre sempre na ultima quarta feira do mês as 19 horas, no Anfiteatro Cícero Diniz na PMU.

Endereço: Av. Anselmo Alves dos Santos, 600 Bloco A, 3º andar (Secretaria Municipal de Saúde)
Fone: 3239 2418, 3239-2976
E-mail: cmsu@uberlândia.mg.gov.br

SUS - O que é

  • Sistema Único de Saúde - SUS

    A Constituição de 1988 acolheu entre as obrigações do Estado brasileiro, a de assegurar saúde como direito de todos "mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação" (C.F. Art. 190. Cabe ao Sistema único de Saúde prover essas ações e serviços (C.F. Arts. 198 e 200).

    Criado pela Constituição de 1988 e regulamentado dois anos depois pelas Leis nº 8080/90 e nº 8142/90, o Sistema Único de Saúde é constituído pelo conjunto de ações e serviços de saúde prestados por órgãos e instituições públicas federais, estaduais e municipais e, complementarmente, por iniciativa privada que se vincule ao Sistema.

    PRINCÍPIOS E DIRETRIZES DO SUS


    A organização e o funcionamento do SUS estão balizados pelos seguintes princípios e diretrizes constitucionais:

    saúde como direito de todos e dever do Estado, o que ampliou a obrigação do Estado, antes limitada a determinados grupos como trabalhadores, mães e crianças;

    acesso igualitário às ações e serviços de promoção, proteção e recuperação da saúde; o que implica a ausência de discriminação ou privilégios de qualquer natureza, fazendo com que o acesso ao serviço seja função exclusiva da necessidade do paciente;

    direção única em cada esfera de governo, de modo a corrigir o contexto no qual instituições públicas federais, estaduais e municipais, além do setor privado, atuavam de forma paralela, superposta, quando não conflitante;

    integralidade da assistência, que assegure serviços preventivos e curativos e, nestes últimos, o acesso a todos os níveis de assistência e tipos de procedimentos, excluídos os supérfluos (cirúrgias plásticas cosméticas, tratamentos rejuvenescedores) e de caráter não ético (esterelização, eutanásia);

    descentralização, reconhecendo a natureza local da grande maioria dos serviços de saúde e atribuindo, explicitamente, ao município a competência para a prestação de serviços de saúde com o apoio técnico e financeiro da União e do estado;

    participação da comunidade, por meio dos conselhos nacional, estaduais e municipais de saúde nos quais metade de seus membros representa os usuários do SUS e a outra metade os provedores, públicos e privados.


    COMO O SISTEMA DE SAÚDE ESTÁ ORGANIZADO


    Atenção á saúde é tudo que envolve o cuidado com a saúde do ser humano, incluindo as ações e serviços de promoção, prevenção, reabilitação e tratamento de doenças. No SUS, o cuidado com a saúde está organizado em níveis de atenção, buscando à melhor programação e o planejamento das ações e serviços do sistema.

    Não se deve, porém, considerar um desses níveis de atenção mais relevante que outro, porque a atenção à Saúde deve ser integral, ou seja, garantir ao usuário uma atenção que abrange o acesso a todos os níveis de complexidade do Sistema de Saúde.


    O QUE É ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE


    Constitui o primeiro nível de atenção à saúde, de acordo com o modelo adotado pelo SUS. Engloba um conjunto de ações de caráter individual ou coletivo, que envolvem a promoção da saúde, a prevenção de doenças, o diagnóstico, o tratamento e a reabilitação dos pacientes, realizado pelas especialidades básicas da Saúde, que são:

    > clínica médica;
    > pediatria;
    > obstetrícia e ginecologia;
    > odontologia;
    > psicologia;
    > serviço social;
    > ações de enfermagem.

    A prioridade para todos os municípios é ter a atenção primária, pois esta bem organizada garante resolução de cerca de 80% das necessidades e problemas de saúde da população de um município.


    Os atendimentos de Atenção Primária são oferecidos nas Unidades Básicas de Saúde e nas Unidades do Programa Saúde da Família.
    As Unidades de Atenção Integrada – UAI também oferecem atendimento de Atenção Primário para os moradores de suas proximidades.


    O QUE É MÉDIA COMPLEXIDADE


    Compõe-se por ações e serviços cuja prática clínica demande disponibilidade de profissionais especializados e o uso de recursos tecnológicos de apoio diagnóstico e terapêutico.
    Os grupos que compõem os procedimentos de média complexidade do Sistema de Informações Ambulatoriais são os seguintes:

    > procedimentos especializados realizados por profissionais médicos, outros de nível superior e nível médio;
    > cirurgias ambulatoriais especializadas;
    > procedimentos traumato-ortopédicos;
    > ações especializadas em odontologia;
    > patologia clínica;
    > anatomopatologia e citopatologia;
    > radiodiagnóstico;
    > exames ultra-sonográficos;
    > diagnose;
    > fisioterapia;
    > terapias especializadas;
    > próteses e órteses;
    > anestesia.


    As ações de Média Complexidade são oferecidas nas Unidades Ações Integradas – UAIs, Centro de Reabilitação Municipal (Fisioterapia), Ambulatório de Oftalmologia, Ambulatório de DST/AIDS Herbet de Sousa, Centro de Atenção ao Diabético, Centro de Referência Saúde do Trabalhador, Fonoaudiologia, Programa de Lesões Lábio-Palatais e Ambulatório Amélio Marques – UFU


    O QUE É ALTA COMPLEXIDADE


    Ações de Alta Complexidade são o conjunto de procedimentos que envolve alta tecnologia e alto custo, objetivando propiciar à população acesso a serviços qualificados.
    Os procedimentos da alta complexidade encontram-se relacionados na tabela do SUS com custo extremamente alto.
    As principais áreas que compõem a alta complexidade do SUS são:

    > assistência ao paciente portador de doença renal crônica (por meio dos procedimentos de diálise);
    > assistência ao paciente com câncer;
    > cirurgia cardíaca e de veias;
    > colocação de marca passo ;
    > assistência em problemas dos ossos e articulações (juntas);
    > procedimentos de neurocirurgia;
    > assistência em otologia;
    > cirurgia de implante coclear;
    > cirurgia das vias aéreas superiores e da região cervical;
    > cirurgia da calota craniana, da face e do sistema estomatognático;
    > procedimentos em lábio leporino;
    > procedimentos para a avaliação e tratamento dos transtornos respiratórios do sono;
    > assistência aos pacientes portadores de queimaduras;
    > assistência aos pacientes portadores de obesidade (cirurgia para emagrecer);
    > cirurgia reprodutiva; genética clínica;
    > terapia nutricional;
    > distrofia muscular progressiva;
    > osteogênese imperfecta;
    > fibrose cística e
    > reprodução assistida.


    As ações de Alta Complexidade são oferecidas nos Centros de Atenção Psico Social – CAPS, Hospital de Clinicas – UFU e Hospitais Privados conveniados ao SUS.


    COMO FUNCIONA O PRONTO SOCORRO E O PRONTO ATENDIMENTO - EMERGÊNCIA E URGÊNCIA


    A assistência em situações de emergência e urgência se caracterizam pela necessidade de um paciente ser atendido em um curtíssimo espaço de tempo.

    A emergência é caracterizada como sendo a situação onde não pode haver uma demora no atendimento, implicando em risco de vida. O Atendimento deve ser imediato e realizado no Pronto Socorro da UFU.

    Nas urgências que podem ou não apresentar risco potencial à vida, o paciente necessita de assistência médica imediata. O atendimento deve ser prestado em um período de tempo que, em geral, é considerado como não superior a duas horas, sendo este serviço prestado no Pronto Atendimento de TODAS as UAIs.

    As situações não-urgentes podem ser encaminhadas para o atendimento ambulatorial das Unidades Básicas de Saúde ou Unidades Básicas de Saúde da Família.

Princípios e Diretrizes do SUS

A organização e o funcionamento do SUS estão balizados pelos seguintes princípios e diretrizes constitucionais:

§ saúde como direito de todos e dever do Estado, o que ampliou a obrigação do Estado, antes limitada a determinados grupos como trabalhadores, mães e crianças;

§ acesso igualitário às ações e serviços de promoção, proteção e recuperação da saúde; o que implica a ausência de discriminação ou privilégios de qualquer natureza, fazendo com que o acesso ao serviço seja função exclusiva da necessidade do paciente;

§ direção única em cada esfera de governo, de modo a corrigir o contexto no qual instituições públicas federais, estaduais e municipais, além do setor privado, atuavam de forma paralela, superposta, quando não conflitante;

§ integralidade da assistência, que assegure serviços preventivos e curativos e, nestes últimos, o acesso a todos os níveis de assistência e tipos de procedimentos, excluídos os supérfluos (cirúrgias plásticas cosméticas, tratamentos rejuvenescedores) e de caráter não ético (esterelização, eutanásia);

§ descentralização, reconhecendo a natureza local da grande maioria dos serviços de saúde e atribuindo, explicitamente, ao município a competência para a prestação de serviços de saúde com o apoio técnico e financeiro da União e do estado;

§ participação da comunidade, por meio dos conselhos nacional, estaduais e municipais de saúde nos quais metade de seus membros representa os usuários do SUS e a outra metade os provedores, públicos e privados.

Organização do SUS

Como o Sistema de Saúde está Organizado

Atenção á saúde é tudo que envolve o cuidado com a saúde do ser humano, incluindo as ações e serviços de promoção, prevenção, reabilitação e tratamento de doenças. No SUS, o cuidado com a saúde está organizado em níveis de atenção, buscando à melhor programação e o planejamento das ações e serviços do sistema.




Não se deve, porém, considerar um desses níveis de atenção mais relevante que outro, porque a atenção à Saúde deve ser integral, ou seja, garantir ao usuário uma atenção que abrange o acesso a todos os níveis de complexidade do Sistema de Saúde

Atenção primária

O que é Atenção Primária à Saúde


Constitui o primeiro nível de atenção à saúde, de acordo com o modelo adotado pelo SUS. Engloba um conjunto de ações de caráter individual ou coletivo, que envolvem a promoção da saúde, a prevenção de doenças, o diagnóstico, o tratamento e a reabilitação dos pacientes, realizado pelas especialidades básicas da Saúde, que são:



§ clínica médica;

§ pediatria;

§ obstetrícia e ginecologia;

§ odontologia;

§ psicologia;

§ serviço social;

§ ações de enfermagem.



A prioridade para todos os municípios é ter a atenção primária, pois esta bem organizada garante resolução de cerca de 80% das necessidades e problemas de saúde da população de um município.



Os atendimentos de Atenção Primária são oferecidos nas Unidades Básicas de Saúde e nas Unidades do Programa Saúde da Família.

As Unidades de Atenção Integrada – UAI também oferecem atendimento de Atenção Primário para os moradores de suas proximidades.

Alta complexidade

O que é Alta complexidade


Ações de Alta Complexidade são o conjunto de procedimentos que envolve alta tecnologia e alto custo, objetivando propiciar à população acesso a serviços qualificados.

Os procedimentos da alta complexidade encontram-se relacionados na tabela do SUS com custo extremamente alto.

As principais áreas que compõem a alta complexidade do SUS são:

§ assistência ao paciente portador de doença renal crônica (por meio dos procedimentos de diálise);

§ assistência ao paciente com câncer;

§ cirurgia cardíaca e de veias;

§ colocação de marca passo ;

§ assistência em problemas dos ossos e articulações (juntas);

§ procedimentos de neurocirurgia;

§ assistência em otologia;

§ cirurgia de implante coclear;

§ cirurgia das vias aéreas superiores e da região cervical;

§ cirurgia da calota craniana, da face e do sistema estomatognático;

§ procedimentos em lábio leporino;

§ procedimentos para a avaliação e tratamento dos transtornos respiratórios do sono;

§ assistência aos pacientes portadores de queimaduras;

§ assistência aos pacientes portadores de obesidade (cirurgia para emagrecer);

§ cirurgia reprodutiva; genética clínica;

§ terapia nutricional;

§ distrofia muscular progressiva;

§ osteogênese imperfecta;

§ fibrose cística e

§ reprodução assistida.



As ações de Alta Complexidade são oferecidas nos Centros de Atenção Psico Social – CAPS, Hospital de Clinicas – UFU e Hospitais Privados conveniados ao SUS.

Média complexidade

O que é Média Complexidade

Compõe-se por ações e serviços cuja prática clínica demande disponibilidade de profissionais especializados e o uso de recursos tecnológicos de apoio diagnóstico e terapêutico.

Os grupos que compõem os procedimentos de média complexidade do Sistema de Informações Ambulatoriais são os seguintes:

§ procedimentos especializados realizados por profissionais médicos, outros de nível superior e nível médio;

§ cirurgias ambulatoriais especializadas;

§ procedimentos traumato-ortopédicos;

§ ações especializadas em odontologia;

§ patologia clínica;

§ anatomopatologia e citopatologia;

§ radiodiagnóstico;

§ exames ultra-sonográficos;

§ diagnose;

§ fisioterapia;

§ terapias especializadas;

§ próteses e órteses;

§ anestesia.


As ações de Média Complexidade são oferecidas nas Unidades Ações Integradas – UAIs, Centro de Reabilitação Municipal (Fisioterapia), Ambulatório de Oftalmologia, Ambulatório de DST/AIDS Herbet de Sousa, Centro de Atenção ao Diabético, Centro de Referência Saúde do Trabalhador, Fonoaudiologia, Programa de Lesões Lábio-Palatais e Ambulatório Amélio Marques – UFU

Unidade de Atendimento Integrado

Unidade de Atendimento Integrado - UAI


As Unidades de Atendimento Integrado são unidades mistas, com Atendimento Ambulatorial na Atenção Básica e Pronto Atendimento funcionando 24 horas por dia todos os dias da semana.

O atendimento ambulatorial acontece das 7h às 22h, com a instalação do Horário do Trabalhador.

O atendimento de emergência de Odontologia, também funciona das 7h às 22h de segunda a sexta.

Outra característica importante das UAIs é que elas oferecem consultas especializadas, como: Angiologia, Cardiologia, Cirurgia Geral, Cirurgia Infantil, Cirurgia Plástica, Dermatologia, Endocrinologia, Gastroenterologia, Infectologia, Mastologia, Nefrologia, Neurologia, Oncologia, Ortopedia, Otorrinolaringologia, Pneumologia, Proctologia, Psiquiatria, Urologia.

Uberlândia conta com 7 UAIs, são elas: Pampulha, Tibery, Planalto, Luizote, Roosevelt, Martins e

Morumbi, sendo que a UAI Morumbi só faz o Pronto Atendimento.

Pronto atendimento

Como Funciona o Pronto Socorro e o Pronto Atendimento - Emergência e Urgência

A assistência em situações de emergência e urgência se caracterizam pela necessidade de um paciente ser atendido em um curtíssimo espaço de tempo.

A emergência é caracterizada como sendo a situação onde não pode haver uma demora no atendimento, implicando em risco de vida. O Atendimento deve ser imediato e realizado no Pronto Socorro da UFU.

Nas urgências que podem ou não apresentar risco potencial à vida, o paciente necessita de assistência médica imediata. O atendimento deve ser prestado em um período de tempo que, em geral, é considerado como não superior a duas horas, sendo este serviço prestado no Pronto Atendimento de TODAS as UAIs.

As situações não-urgentes podem ser encaminhadas para o atendimento ambulatorial das Unidades Básicas de Saúde ou Unidades Básicas de Saúde da Família.

Unidade Básica de Saúde

O que é e como Funciona a Unidade Básica de Saúde


Unidade Básica de Saúde é a estrutura física básica de atendimento aos usuários do SUS, onde a comunidade deve conseguir resolver a maioria dos problemas, com qualidade. Todos os níveis de atenção são igualmente importantes, porém a atenção primária deve ser prioritária, porque possibilita uma melhor organização e funcionamento também dos serviços de média e alta complexidade.

Estando bem estruturada, ela reduzirá as filas nos prontos-socorros e hospitais, o consumo abusivo de medicamentos e o uso indiscriminado de equipamentos de alta tecnologia. Isso porque os problemas de saúde mais comuns passam a ser resolvidos nas unidades básicas de saúde, deixando os ambulatórios de especialidades e hospitais cumprirem seus verdadeiros papéis, o que resulta em maior satisfação dos usuários e utilização mais racional dos recursos existentes.

Cada Unidade é responsável pela saúde de todos os habitantes de uma determinada região da cidade, chamada de área de abrangência. Todo planejamento das ações de saúde da unidade é voltada para esta comunidade, entendendo as situações sócio-econômicas e priorizando grupos de risco.

Em todas as unidades você encontra um coordenador para tirar suas duvidas e te ajudar caso você tenha alguma dificuldade.

O Programa Saúde da Família e as Unidades Básicas de Saúde é o primeiro local que você deve procurar atendimento, é mais rápido, mais próximo de sua casa e o que tem condições de resolver a maioria das suas necessidades.

Quando necessitar de atendimento especializado, você será encaminhado as Unidades de Atendimento Integrado ou aos hospitais conveniados do SUS.

O atendimento é realizado com agendamento e na possibilidade de cada serviço. Em casos agudos como febre, dor, falta de ar, o atendimento é no dia.

Procure sempre que precisar, a Unidade de Saúde mais próxima de sua casa. Apenas quando a situação for grave você deverá procurar o Pronto Atendimento da UAI.

São 08 (oito) Unidades de Saúde onde são disponibilizados atendimento médico nas clínicas básicas (Clínica Geral, Pediatria e Ginecologia-Obstetrícia) As Unidades Básicas de saúde estão localizadas nos seguintes bairros: Brasil, Custódio Pereira, Dona Zulmira, Guarani, Nossa Senhora das Graças, Patrimônio, Santa Rosa e Tocantins

Setores de Atendimento à Saúde

Setores de Atendimento à Saúde




Uberlândia está dividida em 05 (cinco) Setores: Central, Leste, Norte, Oeste e Sul. Neles você encontra 82 unidades de atendimento a saúde, sendo 68 na zona urbana e 6 na Zona rural. Isso significa serviços mais próximos de você.

Segue abaixo os sServiços de Saúde oferecidos em cada Setor da Cidade

Área de Abrangência

O que é como Funciona a Área de Abrangência

Cada Unidade de Atendimento é responsável pela saúde de todos os habitantes de uma determinada região da cidade, chamada de área de abrangência. Todo planejamento das ações de saúde da unidade é voltada para esta comunidade, entendendo as situações sócio-econômicas e priorizando grupos de risco.

Área de abrangência de uma unidade de saúde é definida segundo a distribuição geográfica dos serviços e dos pacientes; mantendo a relação entre a forma como os serviços organizam-se para atender melhor a comunidade.

A delimitação da área de abrangência é fator importante para identificar quantitativamente a população residente nas localidades que circundam uma determinada Unidade de Saúde, procurando estabelecer limites territoriais, obedecendo-se parâmetros de cobertura assistencial, de atenção básica e média complexidade. O objetivo é possibilitar e facilitar o acesso dos pacientes à estas Unidades, buscando-se a resolutividade no atendimento.

A descrição dos bairros e as populações, compondo a área de abrangência a ser atendida de cada unidade de saúde é uma importante ferramenta para a organização e funcionamento dos serviços oferecidos.

Partindo de uma área utilizada pela Diretoria de Controle, Regulação e Avaliação do SUS - DCRAS , a Diretoria de Planejamento e Informação em Saúde – DPIS em duas etapas de discussão com os coordenadores de Unidade de Saúde, sendo uma na própria Unidade e posteriormente em conjunto, delimitou e redistribuiu a população para o atendimento ambulatorial e de referencia para as especialidades.

Para a delimitação foi usado o conceito de bairros integrados da Secretaria Municipal de Planejamento e Meio Ambiente – SEPLAMA, e para calcular a população usou-se como base IBGE/Censo 2000, atualizado anualmente pela SEPLAMA ate 2005, que utiliza a estimativa de crescimento populacional do IBGE (3,15%).

Ouvidoria

O que é e como Funciona a Ouvidoria

A característica principal da Ouvidoria é a de ser um instrumento de comunicação do povo com a administração pública. O serviço de Ouvidoria tanto protege o cidadão quanto põe a salvo a administração de críticas injustas e acusações infundadas, pois a boa administração sempre interessa a todos.

O usuário poderá elogiar e/ou reclamar da atuação dos profissionais de saúde e funcionamento dos serviços por meio de ligação telefônica ou diretamente no setor.

Toda solicitação recebida pelo serviço de Ouvidoria será encaminhada para as coordenações e diretorias da SMS. No prazo de 15 dias úteis, será comunicado ao cidadão por meio de telefone a resposta obtida.

Fone: 0800 940 1480 (ligação telefônica gratuita)

Horário de atendimento: de 2ª à 6ª feira, das 8 às 18 horas por telefone;

das 12 as 17 horas pessoalmente no setor.

Endereço: Av. Anselmo Alves dos Santos, 600 Bloco A, 3º andar (Secretaria Municipal de Saúde)

Setor Oeste


CAPS Oeste
Centro de Reabilitação Física
Centro de Saúde Escola Jaraguá
UAI Luizote
UAI Planalto
UBS D. Zulmira
UBS Guarani
UBS Tocantins
UBSF Canaã I
UBSF Canaã II
UBSF Canaã III
UBSF Jd. das Palmeiras I
UBSF Jd. das Palmeiras II
UBSF Jd. das Palmeiras III
UBSF Mansour I e II
UBSF Morada Nova
UBSF São Lucas
UBSF Taiaman I
UBSF Taiaman II



Unidade de Atenção: UBSF Canaã I
Endereço: R. Gaza, 238

Fone: 3227-8711
Atendimento: medico generalista, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 11 hs e das 13 as 17hs de segunda a sexta
Bairro da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Canaã

Unidade de Atenção: UBSF Canaã II
Endereço: Rua Creta, 413
Fone: 3227-8743
Atendimento: medico generalista, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 11 hs e das 13 as 17hs de segunda a sexta
Bairro da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Canaã

Unidade de Atenção: UBSF Canaã III
Endereço: R. Sinai, 1184
Fone: 3227-8723
Atendimento: medico generalista, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 11 hs e das 13 as 17hs de segunda a sexta
Bairro da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Canaã


Unidade de Atenção: UBSF Jardim das Palmeiras I
Endereço: R. do Cisne, 311

Fone: 3254-4442
Atendimento: medico generalista, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 11 hs e das 13 as 17hs de segunda a sexta
Bairro da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Jardim das Palmeiras



Unidade de Atenção: UBSF Jardim das Palmeiras II
Endereço: R. Do Garçon, 289 - Santo Inácio
Fone: 3222-5250
Atendimento: medico generalista, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 11 hs e das 13 as 17hs de segunda a sexta
Bairro da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Jardim das Palmeiras


Unidade de Atenção: UBSF Jardim das Palmeiras III
Endereço: R. do Tico- Tico, 112
Fone: 3217-6835
Atendimento: medico generalista, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 11 hs e das 13 as 17hs de segunda a sexta
Bairro da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Jardim das Palmeiras, Santo Inácio e São Lucas


Unidade de Atenção: UBSF Mansour I e II
Endereço: Rua Rio Claro nº 140
Atendimento: medico generalista, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 11 hs e das 13 as 17hs de segunda a sexta
Bairro da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Mansour e Jardim Europa

Unidade de Atenção: UBSF Morada Nova
Endereço: Av. Aldo Borges Leão nº 15
Fone: 3224-9577
Atendimento: medico generalista, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 11 hs e das 13 as 17hs de segunda a sexta
Bairro da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Morada Nova, Chacaras Panorama, Fazendas da Região

Unidade de Atenção: UBSF São Lucas
Endereço: R. do Ceramista, 94
Fone: 3214-4761
Atendimento: medico generalista, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 11 hs e das 13 as 17hs de segunda a sexta
Bairro da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: São Lucas


Unidade de Atenção: UBSF Taiman I
Endereço: Rua das Flautas nº 62
Fone: 3210-6566
Atendimento: medico generalista, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 11 hs e das 13 as 17hs de segunda a sexta
Bairro da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Taiman

Unidade de Atenção: UBSF Taiman II
Endereço: Rua do Alumínio nº 164
Atendimento: medico generalista, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 11 hs e das 13 as 17hs de segunda a sexta
Bairro da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Taiman


Unidade de Atenção: UBS Guarani
Endereço: Rua da Polca, 601
Fone: 3226-8193
Atendimento: clínica médica, pediatria, obstetrícia, ginecologia, odontologia, psicologia, serviço social e ações de enfermagem, inclusive as emergências referentes a essas áreas
Funcionamento: 7 as 18 hs de segunda a sexta
Bairros da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Guarani

Unidade de Atenção: UBS Tocantins
Endereço: Rua Joaquim Carrijo Neto, 758
Fone: 3217-2210
Atendimento: clínica médica, pediatria, obstetrícia, ginecologia, odontologia, psicologia, serviço social e ações de enfermagem, inclusive as emergências referentes a essas áreas
Funcionamento: 7 as 18 hs de segunda a sexta
Bairros da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Tocantins, Morada do Sol

Unidade de Atenção: UBS Dona Zulmira
Endereço: Rua da Mica, 223
Fone: 3238-1455
Atendimento: clínica médica, pediatria, obstetrícia, ginecologia, odontologia, psicologia, serviço social e ações de enfermagem, inclusive as emergências referentes a essas áreas
Funcionamento: 7 as 18 hs de segunda a sexta
Bairros da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Dona Zulmira, Jardim Patrícia, Daniel Fonseca

Unidade de Atenção: CSE Jaraguá
Endereço: Av. Aspirante Mega, 77
Fone: 3238-1530
Atendimento: clínica médica, pediatria, obstetrícia, ginecologia, odontologia, psicologia, serviço social e ações de enfermagem, inclusive as emergências referentes a essas áreas
Funcionamento: 7 as 18 hs de segunda a sexta
Bairros da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Jaraguá

Unidade de Atenção: Centro de Reabilitação Municipal
Endereço: Rua Juvenal Martins Pires, 281 - Jd. Patrícia
Fone: 3237-4445
Atendimento: fisioterapia, psicologia, e serviço social
Funcionamento: 7 as 18 hs de segunda a sexta
Referência para todo o município, sendo encaminhado pelo PSF e UBS


Unidade de Atenção: UAI Planalto - Tubal Vilela da Silva
Endereço: Rua do Engenheiro, 246
Fone: 3227-8010 / 3232-5575
Funcionamento: Ambulatório das 7 as 22 hs de segunda a sexta
Pronto Atendimento: 24 hs
Especialidades: Pequenas Cirurgias, Otorrino, Urologia, Dermato, Psquiatria, Endócrino, Neurologia
Bairros da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Planalto, Tubalina, Cidade Jardim, Nova Uberlândia, ¼ da Chácaras Tubalina e Quartel
Referência para Atendimento de Especialidades e Pronto Atendimento: UAI Planalto,UBSF Jardim das Palmeiras I, II e III, UBSF Canaã I, II e III, UBSF São Lucas, UBS Patrimônio (Patrimônio, Morada da Colina), UBSF Morada Nova, UBSF Miraporanga



Unidade de Atenção: UAI Luizote de Freitas - Dr. Domingos Pimentel de Ulhoa
Endereço: Rua Matheus Vaz, 465
Fone: 3223-8005
Funcionamento: Ambulatório das 7 as 22 hs de segunda a sexta
Pronto Atendimento: 24 hs
Especialidades: Neurologia, Urologia, Endócrino, Dermato
Bairros da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Luizote, ¾ Chácaras Tubalina e Quartel
Referência para Atendimento de Especialidades e Pronto Atendimento: UAI Luizote, UBS Tocantins, UBS Guarani, UBSF Mansour I e II, UBSF Taiaman I e II, UBS Dona Zulmira (exceto Bairro Daniel Fonseca)



Unidade de Atenção: CAPS Oeste
Endereço: Rua Opala, 341 - D. Zulmira
Fone: 3255-7337
Atendimento: Psiquiatria, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 18 hs de segunda a sexta
Referência para todo o setor oeste, sendo encaminhado pelo PSF e UBS

Setor Sul


Animais Peçonhentos
Ambulatório de Oftalmologia
CEAI II
Imunização
Manutenção
UAI Pampulha
UBS Patrimônio
UBSF Aurora
UBSF Lagoinha I e II
UBSF Granada I
UBSF Granada II
UBSF Laranjeiras
UBSF Santa Luzia
UBSF São Gabriel
UBSF São Jorge I
UBSF São Jorge II
UBSF São Jorge III
UBSF São Jorge IV
UBSF Seringueiras I
UBSF Seringueiras II
UBSF Shopping Park




Unidade de Atenção: UBSF AuroraEndereço: R. Congresso, 743
Fone: 3217-6437
Atendimento: medico generalista, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 11 hs e das 13 as 17hs de segunda a sexta
Bairro da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Aurora


Unidade de Atenção: UBSF Granada IEndereço: R. Geraldino M. Rodrigues, 63
Fone: 3210-7540
Atendimento: medico generalista, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 11 hs e das 13 as 17hs de segunda a sexta
Bairro da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Granada


Unidade de Atenção: UBSF Granada II

Endereço: Alameda Pio Batista Moraes, 134
Fone: 3255-8288
Atendimento: medico generalista, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 11 hs e das 13 as 17hs de segunda a sexta
Bairro da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Granada e Buritis


Unidade de Atenção: UBSF Laranjeiras
Endereço: R. Seme Simão, 1725
Fone: 3223-2202
Atendimento: medico generalista, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 11 hs e das 13 as 17hs de segunda a sexta
Bairro da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Laranjeiras


Unidade de Atenção: UBSF Lagoinha I e II
Endereço: R. Pio XII nº 353
Fone: 3226-5367
Atendimento: medico generalista, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 11 hs e das 13 as 17hs de segunda a sexta
Bairro da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Lagoinha e Saraiva


Unidade de Atenção: UBSF Santa Luzia
Endereço: Av. Najila Alípio Abrão, 547
Fone: 3253-0216
Atendimento: medico generalista, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 11 hs e das 13 as 17hs de segunda a sexta
Bairro da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Santa Luzia


Unidade de Atenção: UBSF São Gabriel
Endereço: R. Serra do Cachimbo nº 851
Fone: 3255-5455
Atendimento: medico generalista, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 11 hs e das 13 as 17hs de segunda a sexta
Bairro da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: São Gabriel



Unidade de Atenção: UBSF São Jorge I
Endereço: R. Dólar nº 642
Fone: 3231-1094
Atendimento: medico generalista, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 11 hs e das 13 as 17hs de segunda a sexta
Bairro da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: São Jorge



Unidade de Atenção: UBSF São Jorge II
Endereço: R. Ângelo Cunha nº 269
Fone: 3231-6144
Atendimento: medico generalista, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 11 hs e das 13 as 17hs de segunda a sexta
Bairro da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: São Jorge



Unidade de Atenção: UBSF São Jorge III
Endereço: R. Alípio José de Souza nº 51
Fone: 3227-2578
Atendimento: medico generalista, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 11 hs e das 13 as 17hs de segunda a sexta
Bairro da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: São Jorge



Unidade de Atenção: UBSF São Jorge IV
Endereço: R. Dos Titos nº 854
Fone:
Atendimento: medico generalista, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 11 hs e das 13 as 17hs de segunda a sexta
Bairro da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: São Jorge



Unidade de Atenção: UBSF Seringueiras I
Endereço: R. Fausto Henrique Matias, 176
Fone: 3227-4875
Atendimento: medico generalista, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 11 hs e das 13 as 17hs de segunda a sexta
Bairro da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Seringueiras



Unidade de Atenção: UBSF Seringueiras II
Endereço: R. Chapada dos Perecis, 56
Fone: 3231-9554
Atendimento: medico generalista, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 11 hs e das 13 as 17hs de segunda a sexta
Bairro da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Seringueiras



Unidade de Atenção: UBSF Shopping Park
Endereço: R. Agenor Lemes Garcia, 83
Fone: 3235-1686
Atendimento: medico generalista, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 11 hs e das 13 as 17hs de segunda a sexta
Bairro da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Shopping Park



Unidade de Atenção: UBS Patrimônio
Endereço: Rua Tenente Rafael Freitas, 530
Fone: 3214-9755
Atendimento: clínica médica, pediatria, obstetrícia, ginecologia, odontologia, psicologia, serviço social e ações de enfermagem, inclusive as emergências referentes a essas áreas
Funcionamento: 7 as 18 hs de segunda a sexta
Bairros da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Patrimônio, Morada da Colina, Vigilato Pereira, Karaíba, Tabajaras, Fundinho



Unidade de Atenção: UAI Pampulha - Irmã Dulce
Endereço: Av. João Naves de Ávila, 4920
Fone: 3211-8206
Funcionamento: Ambulatório das 7 as 22 hs de segunda a sexta
Pronto Atendimento: 24 hs
Especialidades: Urologia, Psiquiatria, Otorrino, Gastro, Endócrino, Dermato
Bairros da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: 1/2 do Santa Mônica (lado sul da Av. Segismundo Pereira), 2/3 do Segismundo Pereira (lado sul da Av. Segismundo Pereira), Saraiva, Pampulha
Referência para Atendimento de Especialidades e Pronto Atendimento: UAI Pampulha, UBS Patrimônio (Vigilato Pereira, Jardim Karaíba), UBSF Lagoinha I e II, UBSF Santa Luzia, UBSF Shopping Park, UBSF Aurora, UBSF Granada I e II, UBSF Laranjeiras, UBSF São Gabriel, UBSF São Jorge I, II, III e IV, UBSF Seringueiras I e II, UBSF Tatuirama



Unidade de Atenção: Ambulatório de Oftalmologia
Endereço: Av. Rondon Pacheco, 2222
Fone: 3237-2169 / 3237-2215
Atendimento: oftalmologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 18 hs de segunda a sexta
Referência para todo o município, sendo encaminhado pelo PSF e UBS


Unidade de Atenção: Laboratório de Animais Peçonhentos (CCZ)
Endereço: Av. das Américas, 333 - Patrimônio
Fone: 3255-3028
Atendimento: orientação e ações de prevenção e controle de animais peçonhentos (cobras, escorpiões, aranhas, lacraia e outros) e quirópteros (morcegos)
Funcionamento: 7 as 18 hs de segunda a sexta
Referência para todo o município



Unidade de Atenção: CEAI II
Endereço: Rua Senegal, 30 - Laranjeiras
Fone: 3214-2246
Atendimento: clínica médica, odontologia, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 18 hs de segunda a sexta
Publico: Pessoas acima de 60 anos inscritas no CEAI



Unidade de Atenção: CAPS Sul
Endereço: Rua Patrulheiro O. Tavares, 1516 - Sta. Mônica
Fone: 3227-2070
Atendimento: Psiquiatria, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 18 hs de segunda a sexta
Referência para todo o setor sul, sendo encaminhado pelo PSF e UBS

Setor Norte


CAPS Norte
Centro de Controle de Zoonoses
DST/AIDS
UAI Roosevelt
UBSF Maravilha
UBSF São José
UBS N. Stª das Graças
UBS Santa Rosa



Unidade de Atenção: UBSF São José
Endereço: Delfina Almeida nº 197 B. JD Brasília
Fone: 3234-5185
Atendimento: médico generalista, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 11 hs e das 13 as 17hs de segunda a sexta
Bairro da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Bairros São José e o Residencial JD. Brasília

Unidade de Atenção: UBSF Maravilha
Endereço: Rua Tiago nº 287
Fone: 3210-2609
Atendimento: médico generalista, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 11 hs e das 13 as 17hs de segunda a sexta
Bairro da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Maravilha

Unidade de Atenção: UBS N. S. Graças
Endereço: Rua Siqueira Campos, 101
Fone: 3213-1855
Atendimento: clínica médica, pediatria, obstetrícia, ginecologia, odontologia, psicologia, serviço social e ações de enfermagem, inclusive as emergências referentes a essas áreas

Funcionamento:
A UBS N.Sra.das Graças atende os bairros: N.Sra.das Graças, o “antigo” Conj. Cruzeiro do Sul e Residencial Gramado;
Horário de funcionamento : Das 07:00 às 19:00hs;
Marcação de consultas: De Segunda à Sexta-feira das 07:00 às 18:00hs


Unidade de Atenção: UBS Santa Rosa
Endereço: Rua Santa Catarina, 2825
Fone: 3215-5134
Atendimento: clínica médica, pediatria, obstetrícia, ginecologia, odontologia, psicologia, serviço social e ações de enfermagem, inclusive as emergências referentes a essas áreas
Funcionamento: 7 as 18 hs de segunda a sexta
Bairros da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Sta Rosa, ½ Marta Helena, Residencial Gramado

Unidade de Atenção: Ambulatório DST/AIDS - Hebert de Souza
Endereço: Rua Avelino Jorge Nascimento, 15 - Roosevelt
Fone: 3215-2444
Atendimento: medico infectologista, odontologia, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 18 hs de segunda a sexta
Referência para todo o município

Unidade de Atenção: Centro de Controle de Zoonoses
Endereço: Av. Alexandrino Alves Vieira, 1423 - Liberdade
Fone: 3213-1470 / 3213-1418
Atendimento: orientação e ações de prevenção e controle do mosquito da dengue, controle de raiva animal e agravos e roedores
Funcionamento: 7 as 18 hs de segunda a sexta
Referência para todo o município

Unidade de Atenção: UAI Roosevelt - Dr. Josias de Freitras
Endereço: Av. Cesario Crosara, 4000
Fone: 3254-8777
Funcionamento: Ambulatório das 7 as 22 hs de segunda a sexta
Pronto Atendimento: 24 hs
Especialidades: Mastologia, Ortopedia, Dermato, Cardiologia, Otorrino, Hematologia, Neurologia Infantil, Neurologia Adulto, Urologia, Endocrino
Bairros da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Roosevelt, Pacaembu, 2/3 Jardim Brasília
Referência para Atendimento de Especialidades e Pronto Atendimento: UAI Roosevelt, UBS Santa Rosa, UBS Nossa Senhora das Graças, UBS Brasil (1/2 Brasil,1/4 N.S. Aparecida,5/6 Bom Jesus), UBSF Maravilha, UBSF Jardim Brasília, UBSF Cruzeiro dos Peixotos, UBSF Martinesia e UBSF Sobradinho

Unidade de Atenção: CAPS Norte - Renascer
Endereço: Rua Olívia Freitas Guimarães, 367 - Roosevelt
Fone: 3229-2118
Atendimento: Psiquiatria, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 18 hs de segunda a sexta
Referência para todo o setor norte, sendo encaminhado pelo PSF e UBS

Setor Leste

Clique na imagem para ampliar




CAPS AD
CAPS Leste
CAPS Sul
UAI Morumbi
UAI Tibery
UBS Custódio Pereira
UBSF Aclimação
UBSF Alvorada
UBSF D. Almir
UBSF Ipanema I e II
UBSF Joana D’arc
UBSF Morumbi I
UBSF Morumbi II
UBSF Morumbi III
UBSF Morumbi IV
Central de Transporte Sanitário
Centro de Referência a Saúde do Trabalhador
Laboratório de Controle de Qualidade em Saúde
Ouvidoria de Saúde
Vigilância Sanitária


Unidade de Atenção: UBSF Aclimação
Endereço: Av. João de Souza Brito, 184
Fone: 3222-8142
Atendimento: medico generalista, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 11 hs e das 13 as 17hs de segunda a sexta
Bairro da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Aclimação

Unidade de Atenção: UBSF Alvorada
Endereço: R. Edézio Fernandes de Morais, 121
Fone: 3216-3290
Atendimento: medico generalista, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 11 hs e das 13 as 17hs de segunda a sexta
Bairro da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Alvorada

Unidade de Atenção: UBSF Dom Almir
Endereço: R. Da Consolação, 104
Fone: 3212-1277
Atendimento: medico generalista, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 11 hs e das 13 as 17hs de segunda a sexta
Bairro da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Dom Almir

Unidade de Atenção: UBSF Ipanema I e II
Endereço: Rua Gilberto Roland Cunha, 138
Fone: 3211-6276
Atendimento: medico generalista, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 11 hs e das 13 as 17hs de segunda a sexta
Bairro da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Ipanema

Unidade de Atenção: UBSF Joana Darc
Endereço: R. Ana Maria de Jesus, 300
Fone: 3222-4433
Atendimento: medico generalista, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 11 hs e das 13 as 17hs de segunda a sexta
Bairro da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Joana Darc

Unidade de Atenção: UBSF Morumbi I
Endereço: Rua das Emas nº 57
Fone: 3229-2231
Atendimento: medico generalista, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 11 hs e das 13 as 17hs de segunda a sexta
Bairro da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Morumbi

Unidade de Atenção: UBSF Morumbi II
Endereço: Rua Vertentes, 248
Fone: 3217-1130
Atendimento: medico generalista, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 11 hs e das 13 as 17hs de segunda a sexta
Bairro da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Morumbi

Unidade de Atenção: UBSF Morumbi III
Endereço: R. Pimenta nº 29
Fone: 3226-3281
Atendimento: medico generalista, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 11 hs e das 13 as 17hs de segunda a sexta
Bairro da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Morumbi

Unidade de Atenção: UBSF Morumbi VI
Endereço: R. Antônio Jorge Isaac nº 578
Fone: 3216-6063
Atendimento: medico generalista, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 11 hs e das 13 as 17hs de segunda a sexta
Bairro da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Morumbi

Unidade de Atenção: UBS Custódio Pereira
Endereço: Av. Tito Teixeira, 1236
Fone: 3232-4757
Atendimento: clínica médica, pediatria, obstetrícia, ginecologia, odontologia, psicologia, serviço social e ações de enfermagem, inclusive as emergências referentes a essas áreas
Funcionamento: 7 as 18 hs de segunda a sexta
Bairros da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Custódio Pereira, 1/2 do Alto Umuarama

Unidade de Atenção: Centro de Referência em Saúde do Trabalhador
Endereço: Rua Antônio Fortunato da Silva, 928 - Sta. Mônica
Fone: 3236-5266
Atendimento: médico do trabalho, serviço social, fisioterapia, psicólogo, enfermeiro do trabalho, engenheiro de segurança do trabalho, técnico de segurança do trabalho
Funcionamento: 7 as 18 hs de segunda a sexta
Publico: trabalhadores do serviço publico e privado
Referência para todo o município

Unidade de Atenção: Vigilância Sanitária
Endereço: Av. Benjamim Magalhães, 895 - Tibery
Fone: 3231-5733 / 3238-7368 / 3231-3158
Atendimento: Fiscalização referentes à condições de produtos e serviços que possam afetar a saúde de quem os consome, além de situações ambientais ou de ambiência que colocam em risco a população
Funcionamento: 7 as 18 hs de segunda a sexta
As reclamações na área de Vigilância Sanitária devem ser encaminhadas ao SIM, por determinação do gabinete do prefeito, através do telefone 32392800
Referência para todo o município

Unidade de Atenção: CAPS Leste
Endereço: Av. Prof. José Ignácio Souza, 3505 - Umuarama
Fone: 3232-4466
Atendimento: Psiquiatria, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 18 hs de segunda a sexta
Referência para todo o setor leste, sendo encaminhado pelo PSF e UBS

Unidade de Atenção: UAI Tibery - Alice dib Jatene
Endereço: Av. Benjamim Magalhães, 1115
Fone: 3227-8060
Funcionamento: Ambulatório das 7 as 22 hs de segunda a sexta
Pronto Atendimento: 24 hs
Especialidades: Gastro, Urologia, Endócrino, Arritmia e Marca Passo, Cardiologia, Cirurgia Geral, Angiologia, Dermato, Proctologia, Nefrologia
Exames: Eletrocardiograma, Esteira, Holter, Mapa de Pressão Arterial
Bairros da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Tibery, 1/2 do Santa Mônica (lado norte da Av. Segismundo Pereira), 1/3 do Segismundo Pereira (lado norte da Av. Segismundo Pereira)
Referência para Atendimento de Especialidades e Pronto Atendimento: UAI Tibery, UBS Brasil, UBS Custódio Pereira, UBSF Morumbi I, II, III e IV, UBSF D. Almir, UBSF Joana D’arc, UBSF Aclimação, UBSF Alvorada, UBSF Ipanema I e II, UBSF Tenda do Moreno

Unidade de Atenção: UAI Morumbi
Endereço: Av. Felipe Calixto Milken, 47
Fone: 3226-3325 / 3211-4096 / 3211-6974
Atendimento: Odontologia e Pronto Atendimento
Funcionamento: 24 hs
Referência para Atendimento de Pronto Atendimento: UBSF Morumbi I, II, III e IV, UBSF Dom Almir, UBSF Joana Darc, UBSF Aclimação, UBSF Alvorada, UBSF Ipanema I e II, UBSF Tenda do Moreno

Unidade de Atenção: CAPS – AD – Dependência Química
Endereço: Av. Frederico Tibery, 1042 - Tibery
Fone: 3226-2276 / 3227-8583
Atendimento: Psiquiatria, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 18 hs de segunda a sexta
Referência para todo o município, sendo encaminhado pelo PSF e UBS



Setor Central


Ambulatório de Fonoaudiologia
Atendimento ao Diabético Tipo I
CAPS Infantil
CEAI I
Centro de Atenção a Saúde Escolar
Centro de Documentação em Saúde
Centro Radiológico
Tratamento Fora Domicilio
UBS Brasil
UAI Martins


Unidade de Atenção: UBS Brasil
Endereço: Rua Porto Alegre, 140
Fone: 3232-3722
Atendimento: clínica médica, pediatria, obstetrícia, ginecologia, odontologia, psicologia, serviço social e ações de enfermagem, inclusive as emergências referentes a essas áreas
Funcionamento: 7 as 18 hs de segunda a sexta
Bairros da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Brasil, N.S. Aparecida , Bom Jesus, Cazeca

Unidade de Atenção: UAI Martins - Dr. João Fernandes de Oliveira
Endereço: Av. Belo Horizonte esq. Com Bueno Brandão
Fone: 3214-2972 / 3215-8331 / 3236-7426
Atendimento: Centro de Referência de Atendimento a Mulher, média complexidade e atenção básica
Especialidades: urologia; cardiologia; pequenas cirurgias; ortopedia; gastro; dermato; psiquiatria
Funcionamento: Ambulatório das 7 as 22 hs de segunda a sexta
Pronto Atendimento da Saúde da Mulher e Clinico Geral: 24 hs
Bairros da Área de Abrangência para Atendimento Ambulatorial: Martins, Osvaldo Rezende, Lídice, Centro
Referência para Atendimento de Especialidades: UAI Martins, UBS Brasil (1/6 Bom Jesus, 1/4 N.S. Aparecida, Cazeca), UBS Patrimônio (Fundinho, Tabajaras), UBS Dona Zulmira (só o Bairro Daniel Fonseca)

Unidade de Atenção: Lesões Lábio Palatais
Endereço: Pça. Guaraciaba Santos, 168 - Tabajaras
Fone: 3219-8046
Atendimento: fonoaudiologia, psicologia, e serviço social
Funcionamento: 7 as 18 hs de segunda a sexta
Publico: Portadores de Lesões Lábio-Palatais
Referência para todo o município, sendo encaminhado pelo PSF e UBS

Unidade de Atenção: Fonoaudiologia
Endereço: Pça. Guaraciaba Santos, 168 - Tabajaras
Fone: 3219-8046
Atendimento: fonoaudiologia, psicologia e serviço social
Funcionamento: 7 as 18 hs de segunda a sexta
Publico: Pacientes com transtornos em motricidade oral, linguagem e voz
Referência para todo o município, sendo encaminhado pelo PSF e UBS

Unidade de Atenção: Centro de Atenção ao Diabético
Endereço: Av. Belo Horizonte, 80
Fone: 3219-0811
Atendimento: endocrinologia, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 18 hs de segunda a sexta
Publico: Pacientes diabéticos Tipo 1 de todo o município, sendo encaminhado pelo PSF e UBS

Unidade de Atenção: Centro Radiológico
Endereço: Av. Belo Horizonte esq. Bueno Brandão (UAI Martins)
Fone: 3214-5519
Atendimento: Radiografia, mamografia e ultra sonografia
Funcionamento: 7 as 18 hs de segunda a sexta
Referência para todo o município, sendo encaminhado pelo PSF e UBS

Unidade de Atenção: CEAI I
Endereço: Av. Rondon Pacheco, 5865 - Brasil
Fone: 3212-0513 / 3232-0122
Atendimento: clínica médica, odontologia, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 18 hs de segunda a sexta
Publico: Pessoas acima de 60 anos inscritas no CEAI

Tratamento Fora Domicilio
Endereço: Rua Jamil Tannús, 322
Fone: 3215-6319 / 3224-1337
Atendimento: Encaminhamento de pacientes que receberão tratamento fora de Uberlândia
Funcionamento: 7 as 18 hs de segunda a sexta
Referência para todo o município, sendo encaminhado pelo PSF e UBS

Unidade de Atenção: CAPS Infância e Adolescência
Endereço: Av. João Pinheiro, 1.427
Fone: 3210-0046
Atendimento: Psiquiatria, psicologia, serviço social e ações de enfermagem
Funcionamento: 7 as 18 hs de segunda a sexta
Referência para todo o município, sendo encaminhado pelo PSF e UBS

Gerência de Informação e Divulgação em Saúde - GIDS
Endereço: Rua Johen Carneiro, 1461 - Lídice
Fone: 3210-0071 / 3231-4080
Funcionamento: 7 as 18 hs de segunda a sexta
Serviços oferecidos: Biblioteca, videoteca, dados de produção ambulatoriais, hospitalares, atenção básica, números de nascidos vivos e dados de mortalidade
Publico: comunidade e funcionários

Procedimentos ambulatoriais

Número procedimentos ambulatoriais realizados por categoria profissional nas Unidades de Saúde da SMS no ano de 2006

(Clique na tabela para ampliar)



Número procedimentos ambulatoriais realizados nas Unidades de Saúde da SMS no ano de 2006





FONTE: Sistema de Saúde/Sistema de Informações Ambulatoriais – SIA, Org. CANDELORO, Marcelo

Pacientes Atendidos

Número de pacientes atendidos nos Ambulatórios das Unidades de Saúde da SMS no ano de 2006
(Clique nass tabela para ampliar-las)





FONTE:Sistema de Saúde/Sistema de Informações Ambulatoriais – SIA, Org. CANDELORO, Marcelo



Número de pacientes atendidos nos Pronto Atendimento das Unidades de Saúde da SMS no ano de 2006


Nascidos vivos

Nascidos vivos por mês em residentes de Uberlândia no ano de 2006


(Clique na tabela para ampliar)




Fonte: SINASC - GIDS

Consultas de Pré-Natal

Número de consultas de Pré-Natal nas gestantes residentes de Uberlândia no ano de 2006

(Clique na tabela para amplia-la)




Fonte: SINASC - GIDS

Nascidos Vivos

Nascidos vivos por tipo de parto e peso – em residentes de Uberlândia no ano de 2006

(Clique na tabela para ampliar-la)




Fonte: SINASC - GIDS

Internações - faixa etária

Número de Internações no município de Uberlândia por faixa etária no ano de 2006



Fonte: Ministério da Saúde - Sistema de Informações Hospitalares do SUS (SIH/SUS), em 09/04/07

Morbidade

Número de Internações no município de Uberlândia segundo Capítulo CID-10 no ano de 2006

Clique na tabela para ampliar-la



Fonte: Ministério da Saúde - Sistema de Informações Hospitalares do SUS (SIH/SUS), em 09/04/07

População por faixa etária

População por Faixa etária
(Clique nas tabela para amplia-la)


População Residente no Município de Uberlândia por Sexo e Faixa Etária no ano de 2006


Fonte: IBGE - Censos Demográficos e Contagem Populacional; para os anos intercensitários, estimativas preliminares dos totais populacionais, estratificadas por idade e sexo pelo MS/SE/Datasus, em 09/04/07

Lesões Lábio Palatais

Atendimento aos Portadores de Lesões Lábio Palatais

O programa começa a atuar junto ao paciente e sua família desde o nascimento. A equipe é informada pelo hospital sobre o nascimento do bebê com fissura lábio/palatina, o serviço social juntamente com a fonoaudióloga se dirigem até a maternidade para esclarecimentos, orientações e apoio a família.

A finalidade do programa é o de viabilizar o acesso e a continuidade do tratamento nas áreas de fonoaudiologia psicologia, serviço social e odontologia e outros. As cirurgias são realizadas com sucesso no hospital de referência nacional “o centrinho” USP de Bauru – SP.

A incidência das fissuras lábio palatinas vem aumentando nos últimos anos e, infelizmente, mesmos com os novos avanços da medicina ainda vemos muitas crianças e adultos portadores de fissura lábio palatina sem tratamento ou tratados de forma inadequada. O programa foi implantado na SMS em 1991. As cirurgias de lábio são realizadas com 3 meses de idade e as e do palato com 1 ano.

Objetivo
Oferecer aos pacientes, crianças e adultos portadores de fissura lábio palatina, atendimentos em várias áreas.


Principais atividades
Acompanhamento em Serviço Social
Suporte psicológico ao paciente e a família
Atendimento fonoaudiológico
Atendimento odontológico, clínico e odontopediátrico
Marcação de consultas com especialistas (otorrinolaringologistas, neurologistas, dermatologistas, etc)
Grupo de atendimento a pais
Oficinas terapêuticas
Grupo de mães e bebês de 0 a 12 meses e de 12 a 24 meses
Carona Amiga (ônibus que transporta o paciente 01 vez por mês para Bauru-SP)
Encaminhamento TFD


Como se dá a acessibilidade ao programa?
Recém nascidos através dos hospitais particulares e da rede pública.
Casos novos através das UBS's, UAI's e outros.


Programa Municipal de Fissura Lábio Palatina
Coordenação: Regina Helena Justino Mahalalela
Av. João Naves de Ávila, 2202 sala 105
Anexo da Saúde
Os telefones de contato são 3229 0683 /3210 0771 ramal 206
07:00h. às 13:00h.13:00h. às 18:00h.