Secretaria Municipal de Saúde






Toda pessoa tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar a si e a sua família saúde e bem estar, inclusive alimentação, vestuário, habitação, cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis, e direito à segurança em caso de desemprego, doença, invalidez, viuvez, velhice ou outros casos de perda dos meios de subsistência fora de seu controle.

Artigo Artigo XXV da Declaração Universal de Direitos Humanos



Saúde, Ciência, Pesquisa, Arte, Cultura, nossa gente da SMS, e o que mais possa interessar.



Organizado por William H Stutz

Veterinário Sanitarista

whstutz@gmail.com



Este Blog é independente, sem vínculo oficial com instituição alguma.
Todos
estão convidados a contribuir com informações de interesse coletivo.





sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

Conjuntivite

No verão, fique de olho vivo e proteja-se da conjuntivite
Isis Breves


Em geral, no verão, época mais quente do ano, é comum que haja um aumento de casos de conjuntivite - uma doença altamente contagiosa que causa uma inflamação na conjuntiva. Para falar sobre o assunto, a Agência Fiocruz de Notícias (AFN) entrevistou o oftalmologista André Luiz Land Curi, do Instituto de Pesquisa Clínica Evandro Chagas (Ipec) da Fiocruz.


AFN: No verão, principalmente, no Carnaval, é muito comum um aumento de casos da conjuntivite, geralmente da forma viral. Por que isso ocorre?
André Luiz Land Curi: A conjuntivite é uma inflamação da conjuntiva, que é uma membrana fina e transparente que reveste a parte da frente dos olhos. Ela pode ser causada por vírus (forma viral), por bactéria (forma bacteriana) ou até mesmo por uma reação alérgica. No verão, é comum a forma epidêmica da doença que geralmente é a conjuntivite viral, normalmente causada pelo vírus chamado adenovírus. A doença é transmitida por contato direto, ou seja, quando tocamos em algum objeto contaminado, ou por exemplo, apertamos a mão de alguém que esteja com a conjuntivite e logo em seguida levamos aos olhos sem lavar as mãos. No carnaval, o que acontece é que a doença se espalha por causa do aglomerado de pessoas, umas tendo contatos com as outras e assim o vírus se espalha, pois é uma doença altamente contagiosa.

AFN: Quais são os sintomas e a média de duração do ciclo da doença? Curi: A conjuntivite viral tem um ciclo médio de dez dias e os sintomas são edema da pálpebra que é inchaço dos olhos, vermelhidão, sensação de corpo estranho, de areia nos olhos e uma secreção transparente. Quando a coloração da secreção é amarelada a possibilidade de ser uma conjuntivite bacteriana é grande. Ficar atento também, se o indivíduo tiver uma adenomegalia (íngua) na frente da orelha, a conjuntivite é viral. Em todos os casos, se aparecer qualquer sintoma, o ideal é procurar um médico oftalmologista para dar o diagnóstico e o tratamento correto. Afinal, a conjuntivite é uma doença que tem cura, é simples de se tratar porém pode evoluir para a forma mais grave e deixar seqüelas como a ceratite (um comprometimento da córnea). Causando baixa de acuidade visual e fotofobia intensa.

AFN: Qual é o tratamento? Onde a população pode buscar orientações?
Curi: Na forma viral o tratamento é local, podendo ser com água gelada ou compressa de gelo, além de fazer a higiene dos olhos e utilizar colírio de lágrima artificial para lubrificar. Nos casos da bacteriana, o uso do colírio é com antibiótico específico receitado pelo oftalmologista. A população pode buscar orientação médica nos hospitais públicos de emergência.

AFN: Quais as medidas que devemos adotar para prevenção da conjuntivite?
Curi: Lavar as mãos é a melhor prevenção.

Fonte: Agência Ficruz

Diversificar

conviver e aprender sempre, para uma vida mais saudável

Clique para ampliar

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

Integração

Unidades de Saúde dos Núcleos Luizote e Planalto promovem integração dos Idosos



Centenas de idosos atendidos pelo Programa Saúde da Família das Unidades dos Núcleos Luizote e Planalto tiveram, na última quarta-feira, 27, um dia repleto de ações voltadas à integração deles com comunidade onde moram. As Unidades de Saúde do Núcleo Planalto são: Jardim das Palmeiras I, II e III, Canaã I, II e III, Morada Nova e São Lucas; do Núcleo Luizote: Taiaman I e II e Mansour I e II.

Em todas as Unidades aconteceram palestras ministradas por médicos, promotores e técnicos do INSS que discorreram sobre os direitos dos idosos. A descontração foi total com apresentações teatrais encenadas por agentes de saúde. Ao final, os participantes puderam degustar frutas, sucos e leite.

A pessoa mais idosa, D. Maria Domingas, (foto ao lado, clique para ampliar) esteve presente na Unidade do São Lucas. Aos 108 anos, é ativa, lúcida e provou ter fôlego para participar de todas as reuniões e eventos da Unidade. Acompanhada há quatro anos pela agente de saúde, Paulina Ambrosio Pena, D. Maria Domingas apresenta boa saúde, embora faça controle da pressão arterial. “Venho aqui porque gosto das festas e porque não quero sentir dor”, brinca. “Gosto de todos e da cidade de Uberlândia onde moro há 50 anos”, completou D. Domingas.

Ana Rita de Faria, enfermeira e supervisora dos núcleos as quais pertencem às Unidades dos Núcleos Planalto e Luizote, disse que projetos como esse se repetirão ao longo do ano. “O resultado apresentado foi muito receptivo e o trabalho das equipes da Saúde da Família, as ações coletivas na comunidade e a elaboração de um plano de organização da atenção ao idoso é decisivo não só para garantir a qualidade de vida, como também eqüidade e participação social”, frisou.






















Texto e fotos
Renato Cury/Comunicação em Saúde
Cristina Gonçalves/Segesc


quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Dica do Blog da Saúde

Livro sobre cronobiologia analisa o 'relógio das doenças'
Livro sobre cronobiologia analisa o 'relógio das doenças' e mostra a importância do sono

O livro Medicina da noite: da cronobiologia à prática clínica, lançamento da Editora Fiocruz, traz o estado da arte da cronobiologia e, sobretudo, sua interface com os saberes e as práticas médicas. A cronobiologia é uma ciência que abrange todos os seres vivos e estuda os fenômenos biológicos em função do tempo, especialmente aqueles que apresentam caráter cíclico.

A publicação é organizada pelo médico José Manoel Jansen, professor de pneumologia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), e colaboradores. “Entender que o organismo humano modifica-se à noite e que certas doenças expressam-se mais ou preferentemente nesse período é um ganho do médico no trato com seus pacientes”, explicam os autores, segundo os quais a “medicina da noite” é filha da cronobiologia.

Leia mais na Agência Fiocruz de Notícias

terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Saúde da Família

Unidades de Saúde dos Núcleos Luizote e Planalto promovem ações voltadas para o idoso
O trabalho visa incentivar o convívio social e familiar, bem como organizar grupos de pessoas da mesma idade


Será realizado nesta quarta feira, dia 27, das 8h às 17h, em todas as Unidades de Saúde dos Núcleos Luizote e Planalto, mais um trabalho do Projeto Saúde da Família, da Secretaria Municipal de Saúde de Uberlândia, com enfoque especial ao idoso.

O trabalho prevê atividades voltadas para o melhor convívio social dos idosos e a comunidade e contará com apresentações de grupos de dança de rua, teatro e palestras nas salas de espera – ministradas por médicos, enfermeiros e assistentes sociais. As Unidades de Saúde do Núcleo Planalto são: Jardim das Palmeiras I, II e III, Canaã I, II e III, Morada Nova e São Lucas; do Núcleo Luizote: Taiaman I e II e Mansour I e II. Todas estarão enfeitadas para receber os idosos.

Além de promover a integração dos idosos com as Unidades, o trabalho visa, ainda, incentivar o convívio social e familiar, bem como organizar grupos de pessoas da mesma idade. Segundo a supervisora desses Núcleos, Ana Rita de Faria, a qualidade de vida tem sido preocupação constante dentro das prioridades das políticas públicas da Secretaria Municipal de Saúde. “É importante destacar, no trabalho das equipes da Saúde da Família, que as ações coletivas na comunidade e a elaboração de um plano de organização da atenção ao idoso é decisiva não só para garantir a sua qualidade de vida, como também sua eqüidade e participação social”, destacou a supervisora.

Fonte: Portal PMU

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Cultura é Saúde

O teatro Municipal de Uberlândia começou a ser coberto na manhã deste domingo, dia 24, por volta das 10h00 da manhã. O anel central de cobertura foi instalado por guindastes que chegaram à cidade especialmente para a instalação da estrutura.

A peça pesando 4 toneladas foi içada a 30 metros do chão por dois guindastes especiais que trabalharam por cerca de 2 horas no local. Após a instalação, a estrutura central pesará 9 toneladas. O engenheiro responsável pela operação, Joaquim Luiz de Paula, explica que a cobertura do teatro terá 1.200 metros quadrados e será composta por 150 metros cúbicos de concreto e 90 toneladas de aço. O próximo passo será a colocação de 48 treliças de aço que em seguida serão concretadas. Segundo o engenheiro, dentro de 60 dias a cobertura estará concluída e consequentemente a estrutura do teatro estará pronta.

As operações foram coordenadas pelos representantes da empresa LJ Construções e Serviços, acompanhados do prefeito Odelmo Leão e do ex-governador de Minas Gerais, Rondon Pacheco.

O prefeito Odelmo Leão afirmou que o teatro será concluído ainda em 2008 para que sirva como instrumento de inserção social. "Estamos trabalhando para levar cultura para a nossa população, especialmente a dos bairros mais carentes, que em breve contará também com o teatro municipal", disse o prefeito. Odelmo completou ainda que a finalidade é trazer os jovens da cidade para o teatro.

Após mais de uma década que se encontrava paralisada, a atual administração municipal retomou as obras do teatro. "Não poderíamos deixar parado um projeto do maior arquiteto do mundo que é Oscar Niemeyer", concluiu o prefeito.

O valor total da obra é de 14 milhões de reais e os investimentos feitos até hoje são de, aproximadamente, 4 milhões. A área principal do teatro possui 7.406 metros quadrados, além de outro espaço de urbanização exclusivo, com estacionamento, praça e espelho d'água com 16.485 metros quadrados.

Fonte: Portal PMU

Mutirão na zona rural

Escolas da zona rural recebem o Mutirão contra a Dengue
13 escolas da zona rural receberão informações quanto a transmissão da doença


O Mutirão Uberlândia contra a Dengue vai para as escolas da zona rural, a partir de amanhã, dia 26, na Fazenda Sobradinho. Nos próximos dias, o Mutirão continuará, respectivamente, na Escola Municipal de Olhos D’Água, e, ainda, nas escolas Dom Bosco (saída para Ituiutaba), Professora Regina Arantes Lemes (saída para Prata), distritos de Martinésia, Tapuirama e Tenda dos Morenos. Nos dias 5 e 6 de março, o Mutirão seguirá para as escolas Emílio Ribas (saída para Uberaba), José Marra da Fonseca (distrito de Cruzeiro dos Peixotos), Domingas Camim (distrito de Miraporanga), Babilônia (saída para Campo Florido) e Leandro José de Oliveira (saída para Prata). A Escola Municipal Freitas Azevedo, também da zona rural, recebeu o Mutirão dia 19 de fevereiro.

A meta do Mutirão Uberlândia contra a Dengue é orientar os estudantes de 113 escolas públicas – sendo 35 municipais, 65 estaduais e 13 da zona rural – para que eles difundam conhecimento sobre a Dengue em casa, passando o aprendizado para os familiares. Até o dia 7 de março, as ações do Mutirão alcançarão aproximadamente 80 mil pessoas, entre alunos, servidores e famílias da comunidade escolar. O trabalho consiste em mostrar à comunidade escolar, por meio de lupas, o verdadeiro mosquito transmissor, bem como informações sobre as formas de prevenção contra a Dengue. A orientação é feita por agentes do Núcleo de Educação em Saúde e do Centro de Atenção em Saúde Escolar, da Secretaria Municipal de Saúde.

Fonte Portal PMU

Foto: Conjunto D. Domingas Camin Gazelli, situa-se
na Rua do Comércio nº 300, em Miraporanga,
distrito do município de Uberlândia. Edificado em
fins do século XIX de arquitetura colonial presente
nas pequenas comunidades do interior.

(Arquivo Público Municipal)

Saúde do Trabalhador

O Blog da Saúde recebeu do Setor de Comunicação Integrada em Saúde de nossa SMS e da SMGEC
Texto e fotos de Renato Cury/ SCIS-SMS e Cristina Gonçalves Secretaria Municipal de Gestão Estratégica e Comunicação




Saúde do Trabalhador foi tema do Módulo VII
do Projeto de
Educação Popular promovido pela UFU



Foi realizado nos dias 23 e 24 o último Módulo do Projeto de Educação Popular, Formação Política e Controle Social em Saúde promovido pela UFU – Universidade Federal de Uberlândia através da Pró-Reitoria de Extensão, Cultura e Assuntos Estudantis – PROEX, Diretoria de Extensão – DIREC, Divisão de Relações Comunitárias – DIVCO, Diretoria de Culturas – DICULT, Movimentos Sociais, Entidades da Sociedade Civil Organizada e com o apoio da Secretaria Municipal de Saúde.

No sábado, uma das palestras foi ministrada pelo Coordenador da Saúde do Trabalhador, da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Marco Antonio Perez, com o tema "O Desafio da Saúde do Trabalhador no Brasil da Diversidade”. Ele discorreu sobre a inspeção dos produtos, a assistência dos trabalhadores no campo, ambiente de trabalho e, principalmente, sobre as diretrizes sociais do SUS - determinantes sociais da saúde - que é questão ideológica e de mercado.

O coordenador da Central de Movimentos Populares do Triângulo Mineiro e Região, Abrahão Nunes, também foi um dos palestrantes, bem como Gilca Starling Diniz, médica e diretora de Qualidade de Vida e Saúde do Trabalhador da Universidade Federal de Uberlândia.

Com um público interativo e interessado, o domingo teve a participação do advogado Júlio Guilherme e da fisioterapeuta Silvia Fonseca Magalhães, ambos do Centro de Referência da Saúde do Trabalhador (Cerest), que discorreram sobre a importância da capacitação, da ausência dos sindicatos nas reuniões, bem como das Relações interpessoais e política do Trabalhador.

Estiveram presentes também Abrahão Nunes, Coordenador da Central de Movimentos Populares do Triângulo Mineiro e Região, membro da Coordenação Colegiada do Projeto de Educação Popular Formação Política e Controle Social em Saúde; Sebastião Filho do Ministério do Trabalho, que falou sobre a importância do acesso da população sobre o que se tem feito no segmento do Trabalho e o conhecimento de normas.

Outra presença foi a da psicóloga e assessora da Câmara dos Deputados Federais - Conceição Aparecida Rezende, relatando que 34% dos projetos que passam naquela Casa são da Saúde, ou seja, 1/3 de todos os projetos.

Estiveram presentes, ainda, Sionando Silvério Ferreira - representante da SINTET/UFU e Veridiano de Oliveira - representante do Conselho Municipal de Saúde e Coordenador de Formação Sindical do SINTET.

Segundo Maria Francisca Abritto, assessora da Pró-Reitoria da UFU, o Projeto foi fechado com “chave de ouro”, com tema de extrema relevância, colocando para sociedade idéias para serem discutidas para futuras políticas públicas de saúde.

O evento teve a participação e o apoio da Pró-Reitoria de Extensão, Cultura e Assuntos Estudantis - PROEX, Diretoria de Extensão - DIREC, Divisão de Relações Comunitárias - DIVCO, Diretoria de Culturas - DICULT, Movimentos Sociais, Entidades da Sociedade Civil Organizada e com o apoio da Secretaria Municipal de Saúde.
























Climatério

Recebemos de Wilma Nunes:
UBS Custódio Pereira discute climatério


Aconteceu terça-feira, dia 19 de fevereiro, organizada pela assistene social Vânia Rangel, a Primeira Reunião de Climatério da UBS Custódio Pereira.
Compareceram 35 mulheres, a maioria participante do grupo de Unibiótica do bairro.


A reunião foi conduzida pela giencologista Iaracema, que falou sobre as doenças e males da atualidade (tansição epidemiológica), enfatizando a importância de mudar o estilo de vida para não adoecer, ou seja:

  • Alimentação saudável - inegrir pouca carne e muitas verduras, legumes e frutas;
    restringir sal e gorduras, tomar bastante água;
  • Abolir ou diminuir álcool e fumo;
  • Fazer atividade física regularmente;
  • Combater o stress.

    Participaram ainda da reunião as enfermeiras Wilma Nunes, a preceptora de enfermagem Luzia e alunos de graduação em enfermagem da UNIPAC.

    Novo encontro ficou agendada para o dia 18 de março às 8:00 horas no salão da Paróquia Nossa senhora da Abadia.












  • Canal Saúde



    Canal Saúde debate questões do SUS ao vivo nesta segunda


    As questões do Sistema Único de Saúde (SUS) serão debatidas ao vivo no programa Sala de Convidados, do Canal Saúde/Fiocruz, nesta segunda-feira (25), das 12h05 às 14h. Criado para ser universal e equânime, o sistema enfrenta contradições que persistem desde a atenção básica. Acesse o sítio do Canal Saúde clicando AQUI e participe na sala de bate-papo ou assista pela parabólica e ligue 0800-701-8122.

    O diretor de desenvolvimento setorial da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), José Leôncio Feitosa; o secretário estadual de Saúde do Rio de Janeiro, Sérgio Côrtes; a vice-presidente do Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Estado de São Paulo (Cosems/SP), Aparecida Linhares Pimenta; e Clair Castilhos, membro do Conselho Nacional de Saúde (CNS) são os convidados. O Sala de Convidados é apresentado por Arlindo Fábio Gómez de Sousa e Renato Farias.

    Fonte: Portal Fiocruz

    sábado, 23 de fevereiro de 2008

    Serenamente Sábado



    Fernanda Prado por e-mail hoje cedo me fez lembrar Henfil, compartilho



    Se não houver frutos,
    valeu a beleza das flores...
    Se não houver flores,
    valeu a sombra das folhas...
    Se não houver folhas,
    valeu a intenção da semente...
    (Henfil)


    Ótimo fim de semana pra todos

    sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

    Mutirão - Dengue

    Região oeste da cidade recebe Mutirão contra a Dengue
    Trabalho prosseguirá nas escolas dos bairros Maravilha, Jardim das Palmeiras, Tubalina, Luizote, Tocantins, Planalto, Canaã, Taiaman e Santo Inácio

    O Mutirão Uberlândia Contra a Dengue, que teve início dia 12 de fevereiro no bairro São Jorge, chega à região oeste da cidade, amanhã, dia 22. O trabalho prosseguirá nas escolas dos bairros Maravilha, Jardim das Palmeiras, Tubalina, Luizote, Tocantins, Planalto, Canaã, Taiaman e Santo Inácio. A meta é orientar os estudantes de 113 escolas públicas – sendo 35 municipais, 65 estaduais e 13 da zona rural – para que eles difundam conhecimento sobre a Dengue em casa, passando o aprendizado para os familiares. Até o dia 7 de março, as ações do Mutirão alcançarão aproximadamente 80 mil pessoas, entre alunos, servidores e famílias da comunidade escolar.

    O trabalho consiste em mostrar à comunidade escolar, por meio de lupas, o verdadeiro mosquito transmissor, bem como informações sobre as formas de prevenção contra a Dengue. A orientação é feita por agentes do Núcleo de Educação em Saúde e do Centro de Atenção em Saúde Escolar, da Secretaria Municipal de Saúde.

    Fonte: Portal PMU

    Vigep

    Recebemos boas novas de Elaize:
    Algumas iniciativas da VIGEP em fevereiro:

  • Treinamento de enfermeiros contratados recentemente sobre o sistema de notificação compulsória - SINAN, ministrado por Rosa e Roberto Arruda.

  • Realização de reunião sobre utilização dos recursos do VIGISUS, onde estiveram presentes representantes da Vigilância Eppidemiológica (VIGEP), do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), do Programa de Tuberculose, Programa de Hanseníase, da DPS, da Vigilância Ambiental em Saúde, do Programa de Imunização, programas estes contemplados pelo VIGISUS.

    Aos novos colegas enfermeiros, o Blog da Saúde lhes deseja boas-vindas e felicidades.





  • quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

    Hepatite C


    Informação de boa qualidade em todas as áreas é absolutamente necessário para todos nós. Na saúde então não poderia ser diferente. De posse dela, da correta informação, caminha-se para uma vida plena, produtiva e principalmente mais lúcida e crítica. Uma vida feliz e completa. Mais importante ainda é repartir, dividir o conhecimento e a informação adquirida.

    Nosso Blog da Saúde recebeu de Ana Paula este excelente texto sobre hepatice C de autoria de Chico Araujo da Agência Amazonia.
    Importante leitura e reflexão, não apenas pelo conteúdo informativo sobre a doença, mas também para que possamos lançar um olhar crítico sobre a saúde publica em tão diferentes "Brasis" que nos circundam.
    Boa leitura. Por favor repassem, divulguem. Assim se exerce verdadeira postura cidadã, humana.
    E por favor, continuem a enviar suas contribuições e sugestões.


    Amazônia bate recorde em prevalência de hepatite C
    Acre é o lugar com a maior taxa, 5,9%. E os índios, o grupo
    social mais castigado pela doença.


    BRASÍLIA - A Amazônia tem hoje a maior taxa de prevalência de
    infecção por hepatite C (VHC) do Brasil e uma das maiores do mundo. Seus índices se assemelham a algumas regiões da Ásia, África e Europa Ocidental. Dos nove Estados da região, o Acre é o que concentra os índices mais elevados da doença: 5,9%. Excluindo o Acre, o Rio de Janeiro aparece na segunda posição, com 2,66% de taxa de prevalência da doença.

    O dramático quadro é traçado num relatório de um estudo encomendado pela Sociedade Brasileira de Hepatologia (SBH) para traçar o perfil epidemiológico da hepatite C no país. "Os resultados obtidos neste inquérito quanto aos aspectos epidemiológicos da infecção pelo VHC no Brasil revelam dados preocupantes e até então desconhecidos, inclusive por todos nós", afirma o professor José Carlos Fonseca em seu relatório. Fonseca integra a equipe de virologistas da Fundação de Medicina Tropical do Amazonas (FMT), referência nessa área virologia no país.

    Segundo Fonseca, a investigação sobre a hepatite C se deu porque a infecção pelo VHC é hoje um dos mais sérios problemas de saúde no mundo. Como no Brasil as informações acerca da doença são incipientes, a SBH decidiu fazer um inquérito nacional do perfil da infecção pelo vírus da hepatite C. A coleta de dados se processou
    por meio de questionários a membros da sociedade e dirigentes de hemocentros.

    Só a partir de 1992 os testes anti-HVC passaram a ser rotina na triagem de doares de sangue, o que possibilitou a coleta de dados mais realistas da infecção pelo vírus da hepatite C. Em seu estudo, Fonseca revela que, de 1.173.406 pré-doadores avaliados e de diversas regiões do Brasil, 14.527 deles (1,23%) foram reativos nos
    testes. Do total, o maior índice (2,12%) foi constatado na região Norte.

    Índios são mais afetados

    Dentre os grupos de maior risco estão os hemofílicos, portadores de doenças hematológicas e de leucemias, presidiários, politransfundidos e prostitutas. O índice é também preocupante entre as pessoas com doença hepática crônica - 38% em um total de 1.839 pacientes estudados.

    Fora do grupo de risco, os índios da Amazônia são os mais castigados pela hepatite C. Entre os indígenas brasileiros a prevalência do VHC alcança percentual de 19,50%, percentual este 13 vezes maior que o encontrado na população brasileira. "De acordo com estes resultados, podemos sugerir que entre os indígenas, o VHC (o vírus da hepatite C) circula ativamente", atesta José Fonseca em seu estudo.

    Javari tem índice de 10%

    A hepatite B, parente próxima do C, também é uma tragédia na Amazônia. O Ministério da Saúde estima que, nos dias atuais, mais de 20% da população da região - o equivalente a 4,6 milhões de pessoas - sofra as mazelas desse tipo de vírus. Em todo mundo, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), a hepatite C atinge 200 milhões de pessoas. Destes, grande parte é assintomático e sem conhecimento de que é portador do vírus da hepatite C - 99,9% destes podem ter doença hepática.

    Na Amazônia, a maior prevalência é a dos tipos B e C. Segundo o infectologista Noaldo Lucena, no Amazonas, os casos do tipo B apresentam incidência de 2% em Manaus, chegando a 10% na região do Javari, a segunda maior área indígena do país. Os casos do tipo C, acrescentou, apresentam índices que variam até 3%.

    "A gente sabe que os vírus podem proliferar mais rapidamente em regiões tropicais e também que as doenças têm a ver com o nível socioeconômico e cultural, e infelizmente nossas populações mais carentes não dispõem às vezes de água encanada ou de educação básica", avalia. Lucena diz que as precisam entender que escova de dente, copos, talheres, toalha, aparelhos de barbear são de uso
    individual por uma questão de higiene. "Mas parte da população não entende isso e acaba favorecendo a proliferação de vírus e bactérias, e a contaminação por muitas doenças infecciosas".


    O que é a hepatite C
    A hepatite é uma inflamação do fígado e, segundo Lucena, na maioria dos casos a pessoa doente não apresenta sintomas. O tratamento é realizado com medicamentos específicos e as seqüelas vão da cirrose hepática ao câncer de fígado.

    Atualmente, cerca de 3% da população mundial pode estar infectada pelo HCV. Esse número é difícil de ser precisado devido à inespecificidade dos sintomas (já que seus sintomas podem ser confundidos com sintomas de outras doenças) ou até a falta deles.

    Os possíveis sintomas incluem: fadiga, perda de peso, perda de apetite, dor nas articulações, náusea, sintomas semelhantes à gripe (febre, dor de cabeça, sudorese), ansiedade, dificuldade de concentração, intolerância ao álcool e dor na região do fígado.
    Desses, o mais comum é a fadiga. Pacientes diagnosticados como tendo Síndrome da Fadiga Crônica têm, em muitos casos, o diagnóstico posterior de hepatite C.

    Diferentemente das hepatites A e B, a hepatite C geralmente não cursa com icterícia (olhos e peles alaranjados). Outra particularidade que a difere das demais é que a maioria das pessoas que adquirem a hepatite C desenvolve doença crônica e lenta. Assim, o diagnóstico só costuma ser feito quando a pessoa vai fazer exames para doação de sangue, exames de rotina ou quando sintomas de doença hepática surgem, já numa fase avançada, como a cirrose, por exemplo.

    Apenas 15 a 30% das pessoas infectadas pelo vírus da hepatite C se curam espontaneamente, enquanto 70 a 85% ficam com hepatite crônica. Persistindo a infecção, 1 em cada 5 portadores do HCV evoluem com cirrose. Uma vez com cirrose, cerca de 1% a 4% dos pacientes desenvolvem câncer. Entretanto, a hepatite C é uma doença de progressão lenta e pode levar cerca de 20 anos para que a cirrose se instale.

    O tratamento, quando necessário, vai depender de uma série de fatores. Isso inclui o tipo do vírus HCV (que pode pertencer a dois genótipos: 1 ou não-1), o funcionamento do fígado e o resultado de uma biópsia para estabelecer se a cirrose está ou não em progressão.

    Quando não há cirrose instalada, as chances de eliminação total do vírus do organismo variam entre 30% e 70%, dependendo dotipo de vírus.

    Quanto à prevenção, ainda não existe uma vacina contra o vírus HCV, mas existem maneiras de se reduzir o risco de contaminação. O não compartilhamento de seringas ou outros equipamentos perfuro-cortantes entre os usuários de drogas, a prática do sexo seguro através do uso de preservativos nas relações sexuais, o rastreamento adequado de doadores de sangue e programas de informação são essenciais.

    Chico Araujo
    chicoaraujo@agenciaamazonia.com.br

    Fonte:
    Agência Amazonia

    quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

    Projeto Educação Popular




    Tema: Saúde do Trabalhador

    Será realizado nos dias 23 e 24/02 sábado e domingo respectivamente, a realização do último Módulo do Projeto de Educação Popular, Formação Política e Controle Social em Saúde promovido pela UFU – Universidade Federal de Uberlândia através da Pró-Reitoria de Extensão, Cultura e Assuntos Estudantis – PROEX, Diretoria de Extensão – DIREC, Divisão de Relações Comunitárias – DIVCO, Diretoria de Culturas – DICULT, Movimentos Sociais, Entidades da Sociedade Civil Organizada com o apoio da Secretaria Municipal de Saúde

    O Módulo terá início no sábado dia 23/02, a partir das 12:30 horas no Anfiteatro do Bloco 3Q do Campus Santa Monica da UFU, sob a coordenação da psicóloga e assessora da Câmara dos Deputados Federais Conceição Aparecida Rezende, com a seguinte programação:

    12:00 horas: Abertura
    13:30 horas: apresentação cultural
    14 às 15 horas: palestra com o Coordenador da Saúde do Trabalhador da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Sr. Marco Antonio Perez com o tema “O Desafio da Saude do Trabalhador no Brasil da Diversidade”
    16 às 16:15 horas: Intervalo
    15 às 18 horas: o mesmo palestrante com o painel temático: “Saúde do Trabalhador: da legislação a atenção básica na saúde do trabalhador no SUS”

    No domingo:

    8:00 horas: abertura
    8:00 às 8:30 horas: Café cultural
    8:30 às 9:20 horas: palestra com Silvia Fonseca – Representante do Centro de Referencia de Saúde do Trabalhador e Gilca Starling – Representante da Diretoria de Qualidade de Vida e Saúde do Servidor/UFU
    9:30 às 10:30 horas: palestra com representante do Conselho Nacional de Saúde e Representante do Conselho Municipal de Saúde de Uberlândia
    10:30 às 12:00 horas: palestra com Abrahão Nunes – Sebastião Filho – Gilca Starting – Silvia Fonseca com o tema “A nossa realidade loco - regional: enfrentando os desafios”.

    Os objetivos da conferência são basicamente ampliar a formação dos educadores populares por meio de:

  • Reflexão crítica da inclusão social e da prática pedagógica em Educação popular;
  • Divulgação e reflexão sobre as experiências em educação popular desenvolvidas em Uberlândia e região;
  • Discussão do significado dos movimentos sociais na Educação Popular;
  • Discussão conceito de educação popular;
  • Universalização da educação popular nos espaços educativos;
  • Análise do significado das relações humanas na educação popular;
  • Reflexão sobre currículo na perspectiva da Educação Popular;
  • Divulgação e debate sobre a teoria de Paulo Freire;
  • Construir Teorias e Práticas para educação popular.

    Mais detalhes aqui em nosso Blog da Saúde clique AQUI

  • Aclimação


    População do Aclimação tem nova sede para atendimento médico
    Unidade passa a contar com atendimento odontológico



    A população do bairro Aclimação, de Uberlândia, passa a contar com uma nova sede para o atendimento básico à saúde. A Unidade Básica de Saúde da Família (UBSF) foi totalmente reestruturada e ganhou equipamentos para atendimento odontológico. O prefeito Odelmo Leão esteve no local acompanhado pelo secretário municipal de Saúde, Gladstone Rodrigues da Cunha.

    Durante a visita à nova sede da UBSF Aclimação, o prefeito Odelmo Leão reiterou o apoio à equipe que atua na região para garantir que este é mais um passo rumo à reorientação do modelo de “Atenção Básica à Saúde” em Uberlândia. Trata-se de uma estratégia adotada pela atual administração que supera a antiga proposição de caráter exclusivamente centrado na doença.

    A UBSF Aclimação conta com seis agentes de saúde, dois técnicos de enfermagem, além de assistente social, psicóloga, médico, enfermeiro (coordenador), serviço geral e vigilantes. A UBSF Aclimação, que atende aproximadamente 4.500 pessoas cadastradas pelos agentes comunitários de saúde, fica na rua Natal Lozzi, 20.

    Fonte: Portal PMU

    Capacitação

    Secretaria de Saúde treina mais profissionais sobre funcionamento de redes do SUS
    O treinamento será destinado a diretores, coordenadores de programas e de unidades, apoiadores e facilitadores da Rede Municipal de Saúde


    A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Uberlândia realizará amanhã,(hoje) dia 20, a 8ª Oficina sobre o Funcionamento de Redes dentro do Sistema Único de Saúde (SUS). A Oficina será ministrada pela médica e consultora da SMS, Maria Emi Shimazaki, das 8h às 12h e das 13h às 17h30, no bloco 3Q, sala 201, no campus Santa Mônica da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), e contará com a participação de diretores, coordenadores de programas e de unidades, apoiadores e facilitadores da Rede Municipal de Saúde.

    O objetivo da Oficina é dar continuidade ao Plano Diretor da Atenção Primária à Saúde, que visa, entre seus objetivos, reduzir o número de internações que podem ser evitadas com o trabalho da atenção primária e a qualificação permanente dos profissionais, promovendo também a melhoria da gestão. É nesta tônica que a consultora da SMS, Maria Emi, desenvolverá a oficina, enfatizando, por exemplo, que o acesso à saúde deve ocorrer pela Rede Básica de Saúde (atenção básica) e que somente os casos de maior complexidade devem ser encaminhados aos serviços especializados, que podem ser organizados de forma municipal ou regional, dependendo do porte e da demanda do Município.

    Maria Emi deverá discorrer, ainda, sobre as principais redes de atenção que compõem a alta complexidade do SUS, tais como: assistência ao paciente portador de doença renal crônica por meio dos procedimentos de diálise; assistência ao paciente portador de oncologia; cirurgia cardiovascular; cirurgia vascular; cirurgia cardiovascular pediátrica; procedimentos da cardiologia intervencionista; procedimentos endovasculares extracardíacos etc.

    Fonte: Portal PMU

    Mais referências

    Alguns Sites de referência para Humanização

    Alguns sites de Referência, e que podem constituir ótimas referências para o assunto "Humanização na Saúde".
    Fonte: Portal humaniza


  • Amigas do parto
  • Associação de Diabetes Juvenil - ADJ
  • Biblioteca Virtual em Saúde
  • Biblioteca Dédalus
  • CNPQ
  • Conferência Nacional de Saúde
  • Conselho Federal de Medicina
  • Conselho Federal de Psicologia
  • Faculdade de Saúde Pública da USP
  • Fundação Nacional de Saúde
  • Fundação Oswaldo Cruz
  • Fundação das Santas Casas de Misericórdia
  • HC da UNICAMP
  • HC da USP
  • Hospital Virtual Brasileiro
  • Humanização
  • Humanização em hospitais
  • Medcenter
  • Organização Mundial da Saúde
  • Organização Pan-Americana de Saúde
  • Rede Nacional de Informações em Saúde
  • Saúde da Mulher
  • Associação dos Médicos Hospital Israelita Albert Einstein
  • Associação Viva e Deixe Viver
  • Bibliomed
  • Centro De Vigilância Epidemiológica
  • Conselho Nacional De Saúde
  • DATASUS
  • Doutores da Alegria
  • Fórum Social Mundial
  • Fundação Abrinq
  • Grupo Hospitalhaços
  • Health on Net Foundation
  • Instituto de Medicna Social
  • Projeto Biblioteca Viva em Hospitais
  • Info. e Documentação sobre a Infância e a Adolescência
  • Re-humanização em Hospitais
  • CREMESP: Revista Ser Medico - Humanizaçao na Saúde
  • Psychiatry On-line Brazil (7) Abril 2002:
  • Saúde Mental do Profissional de Saúde
  • Plantão Sorriso

  • Ótima notícia


    Deu no Jornal Correio de hoje:

    Cai o número de casos de câncer de colo do útero
    Falta de exames impede a cura da doença e causa 15 mortes em 2 anos

    Manuella Garcia
    Repórter
    Jornal Correio de Uberlândia


    O índice de câncer de colo do útero diminuiu 46,87% em Uberlândia nos dois últimos anos. Em 2005 foram registrados 128 casos, enquanto em 2007 o número caiu para 68. A notícia, entretanto, não pode ser comemorada a ponto de trazer comodidade às mulheres. Afinal, motivos é que não faltam para que a doença, segundo tipo de câncer mais comum na cidade, continue sendo motivo de preocupação entre os especialistas da área. Afinal, se por um lado o número de diagnósticos caiu, as mortes nesse mesmo período subiu de zero para 15 óbitos.

    O diretor do Hospital do Câncer de Uberlândia, Rogério Araújo, atribui essa discrepância ao fato de algumas mulheres ainda não estarem se prevenindo. “Muitas só procuram o médico quando a doença já está em estágio avançado”, avaliou. A ginecologista Melissa Antoun concorda: “Já tive pacientes com cerca de 60 anos que estavam com o câncer em nível que não tinha mais como tratar, porque nunca haviam se consultado antes”, complementou.

    A Secretaria de Estado de Saúde constatou que o número de exames preventivos — o papanicolau — cresceu 29% em Minas Gerais, passando de 1.004.877 em 2003 para 1.297.174 no ano passado. Mesmo assim, Rogério Araújo alerta que não é suficiente, já que a média de pacientes que procuram tratamento para a doença é de dois por semana. “Os dados mostram que estamos no caminho certo, mas ainda falta educação para que a doença seja diagnosticada precocemente e não seja problemático como é agora”, observou.

    O câncer de colo de útero é causado pelo vírus HPV, que é sexualmente transmissível. A incidência maior é em mulheres entre 25 e 59 anos e o maior perigo é que ela é silenciosa. Na fase inicial, quando a cura ainda é possível, a doença é assintomática. Por isso, a única forma de prevenção é o acompanhamento médico. “O surgimento dos sintomas típicos, que são sangramento após a relação, dores e sensação de peso no abdômen, indicam que o tumor já está em estágio avançado e incurável”, alertou Melissa Antoun.

    Rogério Araújo acrescenta que a incidência de vírus mais agressivos em mulheres jovens está alta. Segundo ele, o motivo pode ser início precoce da atividade sexual, com múltiplos parceiros. “Depende também da imunidade do organismo. Um mesmo tipo de vírus pode ser fulminante em algumas pessoas e não ocasionar nada em outros”, citou o médico, ressaltando que as mulheres fumantes portadoras do HPV, se tornam mais propensas a desenvolver a doença, já que o tabaco atinge a capacidade imunológica do organismo.

    Prevenção

    Melissa Antoun é ainda mais enfática ao falar de prevenção. Ela critica o hábito de os brasileiros só procurarem o médico quando estão doentes. “Falta educação, porque a rede de saúde de Uberlândia oferece esse serviço gratuitamente. O que dói não é o exame, mas sim diagnosticar um câncer que poderia ser evitado”, enfatizou.

    A Organização Mundial de Saúde (OMS) preconiza que, inicialmente, o exame seja realizado todo ano. No caso de dois exames normais e consecutivos, a periodicidade cai para a cada três anos. No entanto, a especialista orienta que suas pacientes façam todo ano. “É para diminuir as chances de algum falso negativo”, concluiu.

    Leia materia completa clicando AQUI

    terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

    Humanizar quem?


    Fala-se tanto em humanização na saúde, mas será que todos nós da SMS sabemos realmente o que significa e sua real importância?
    Para tentar humanizar este assunto o Blog da Saúde sugere visita ao PortalHumaniza.org.br .
    Boa leitura, bom proveito.
    Outras fontes de consulta são bem-vindas, envie sua colaboração para whstutz@gmail.com

    Humanização

    Projeto de humanização leva apresentações musicais na UAI Roosevelt





    Apenas uma hora de apresentação foi suficiente para comprovar que a música faz bem para os pacientes que esperam por uma consulta. A experiência foi vivida na última sexta-feira, dia15, no ambulatório da Unidade de Atendimento Integrado – UAI Roosevelt, quando aconteceu, das 8h às 9h, o 2º Momento Cultural em Sala de Espera, projeto que segue o Plano Nacional de Humanização proposto pelo Ministério da Saúde, cujo objetivo é buscar a humanização do ambiente por meio de mudanças e inovações na cultura e nas atitudes que proporcionam cuidar e tratar o doente e não apenas a doença.

    O 2º Momento Cultural em Sala de Espera contou com apresentações que exploraram músicas do folclore local e regional, com a psicóloga e violinista Denise Decarlos, e participação especial do professor da Universidade Federal de Uberlândia, Guimes Rodrigues Filho. “Como já era esperado, houve total interatividade entre os presentes e a proposta apresentada, sem prejuízo das chamadas para as consultas”, avaliou o coordenador administrativo da Unidade, Adair Balduino.






    Texto e fotos Renato Cury - Mtb 07547 JPMG
    Setor de Comunicação/SMS

    segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

    Segunda

    "Amanhã é sempre o dia mais ocupado da semana."

    E se espirrar, saúde.

    Em divertido texto Ruy Castro, este jornalista e escritor mineiro de Caratinga, expõe as contradições do tempo, do avanço das pesquisas, do cotidiano, e nós que trabalhamos SAÚDE, ficamos sempre entre a cruz e a espada.
    Boa leitura e ótima semana

    Samba do cientista louco
    Folha de SP - 18-2-2008
    RUY CASTRO

    RIO DE JANEIRO - Nelson Rodrigues contava que, toda madrugada, acordava com a úlcera em chamas e, de pijama e meias, ia à cozinha tomar um copo de leite para aplacá-la. Com o leite, a úlcera amansava e, dizia, só faltava ronronar como uma gata amestrada. Nelson morreu em 1980, de outras causas. Imagino seu choque, hoje, se soubesse que, segundo as últimas descobertas da ciência, leite é um veneno para quem tem úlcera.
    E a manteiga? Depois de séculos sendo louvada, com justiça, como uma das maiores invenções do homem, levou os últimos 50 anos acusada de vilã para vários órgãos, inclusive o coração. Para a ciência, boa mesmo era a insípida, insossa e inodora margarina. Agora a mesma ciência, num lance de gênio, concluiu que a margarina é que é a vilã, por causa da mortal gordura trans.
    E temos a saga e anti-saga do ovo. Certo dia, decretaram que ele era o pior inimigo do colesterol e do coração, e só faltaram proibir as galinhas de produzi-lo. Pois, há pouco, descobriram que, ao contrário, ele faz bem ao coração, porque ajuda a emagrecer, não influi no colesterol e até protege nossos olhos dos raios ultravioleta -o que é ótimo, porque nos permitirá ir à praia sem óculos escuros.
    Sem falar no café. Por conter cafeína, ele também já freqüentou todas as listas negras. Criaram inclusive o café descafeinado. Pois os cientistas vêm de concluir que a cafeína é uma maravilha: estimula o sistema nervoso central, o coração, os vasos sangüíneos e os rins. Já o café descafeinado faz subir a pressão e aumenta o colesterol e o risco de doenças cardíacas.
    Finalmente, esta semana, a ciência mandou dizer que, ao contrário do que ela própria afirma há anos, o açúcar é uma beleza e são os adoçantes que engordam! É o maravilhoso samba do cientista louco, em cuja letra certeza rima com dúvida.

    sábado, 16 de fevereiro de 2008

    Sábado

    Poeminha do contra

    Todos estes que aí estão
    Atravancando o meu caminho,
    Eles passarão.
    Eu passarinho!

    Mario Quintana

    Mutirão contra a Dengue


    Mutirão contra a Dengue nas escolas prossegue na segunda, dia 18
    Serão orientados estudantes de 113 escolas públicas – sendo 35 municipais, 65 estaduais e 13 da zona rural



    O Mutirão Uberlândia Contra a Dengue prossegue na segunda-feira, dia 18, nas escolas localizadas nos setores leste e centro-norte da cidade. O Mutirão teve início dia 12, na Escola Municipal Eurico Silva e na Escola Estadual Parque São Jorge, e visa orientar os estudantes de 113 escolas públicas – sendo 35 municipais, 65 estaduais e 13 da zona rural. O trabalho consiste em mostrar à comunidade escolar, por meio de lupas, o verdadeiro mosquito transmissor, bem como informações sobre as formas de prevenção contra a Dengue. A orientação é feita por agentes do Núcleo de Educação em Saúde e do Centro de Atenção em Saúde Escolar, da Secretaria Municipal de Saúde.

    No setor leste, o Mutirão continua nas escolas dos bairros Morumbi, Tibery, Dom Almir, Custódio Pereira e Santa Mônica. No setor centro-norte, os agentes trabalharão nas escolas dos bairros Bom Jesus, Martins, Aparecida, Cruzeiro do Sul, Osvaldo, Liberdade, Centro, Brasil, Marta Helena e Roosevelt. O Mutirão já passou nas escolas dos bairros Pampulha, Shopping Park, Lagoinha, Aurora, Santa Maria, Santa Luzia, Seringueira, Granada e Morumbi do Setor Sul, bem como no Segismundo Pereira, Aclimação, Alvorada, Custódio Pereira, Tibery, Morumbi, Ipanema, Santa Mônica e Morumbi do Setor Leste.

    Fonte: Portal PMU

    sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

    Uma reflexão

    Recebemos de Marília Cunha em vídeo, segue aqui o texto, o vídeo está no final. Impossível não se emocionar, reflitam colegas e amigos do Blog da Saúde, reflitam

    Só de Sacanagem
    Ana Carolina
    Composição: Elisa Lucinda

    Meu coração está aos pulos!

    Quantas vezes minha esperança será posta à prova?

    Por quantas provas terá ela que passar? Tudo isso que está aí no ar, malas, cuecas que voam entupidas de dinheiro, do meu, do nosso dinheiro que reservamos duramente para educar os meninos mais pobres que nós, para cuidar gratuitamente da saúde deles e dos seus pais, esse dinheiro viaja na bagagem da impunidade e eu não posso mais.

    Quantas vezes, meu amigo, meu rapaz, minha confiança vai ser posta à prova?

    Quantas vezes minha esperança vai esperar no cais?

    É certo que tempos difíceis existem para aperfeiçoar o aprendiz, mas não é certo que a mentira dos maus brasileiros venha quebrar no nosso nariz.

    Meu coração está no escuro, a luz é simples, regada ao conselho simples de meu pai, minha mãe, minha avó e os justos que os precederam: "Não roubarás", "Devolva o lápis do coleguinha", "Esse apontador não é seu, minha filha". Ao invés disso, tanta coisa nojenta e torpe tenho tido que escutar.

    Até habeas corpus preventivo, coisa da qual nunca tinha visto falar e sobre a qual minha pobre lógica ainda insiste: esse é o tipo de benefício que só ao culpado interessará. Pois bem, se mexeram comigo, com a velha e fiel fé do meu povo sofrido, então agora eu vou sacanear: mais honesta ainda vou ficar.

    Só de sacanagem! Dirão: "Deixa de ser boba, desde Cabral que aqui todo mundo rouba" e vou dizer: "Não importa, será esse o meu carnaval, vou confiar mais e outra vez. Eu, meu irmão, meu filho e meus amigos, vamos pagar limpo a quem a gente deve e receber limpo do nosso freguês. Com o tempo a gente consegue ser livre, ético e o escambau."

    Dirão: "É inútil, todo o mundo aqui é corrupto, desde o primeiro homem que veio de Portugal". Eu direi: Não admito, minha esperança é imortal. Eu repito, ouviram? Imortal! Sei que não dá para mudar o começo mas, se a gente quiser, vai dar para mudar o final!


    O vídeo!

    Música


    UAI Roosevelt leva música para a sala de espera
    Serão apresentadas aos pacientes músicas do folclore local e regional


    A Unidade de Atendimento Integrado – UAI Roosevelt realizará amanhã,(hoje) dia 15, a partir das 8h, o 2º Momento Cultural em Sala de Espera, projeto que segue o Plano Nacional de Humanização proposto pelo Ministério da Saúde. O projeto está sendo implantado nas UAIs e, posteriormente, será levado para as Unidades Básicas Saúde da Família – UBSFs. Seu principal objetivo é buscar a humanização do ambiente por meio de mudanças e inovações na cultura e nas atitudes que proporcionam cuidar e tratar o doente e não apenas a doença.

    O 2º Momento Cultural em Sala de Espera contará com apresentações que exploram músicas do folclore local e regional, com a psicóloga e violinista Denise Decarlos, e participação especial do professor da Universidade Federal e Uberlândia, Guimes Rodrigues Filho. A proposta de ambos é promover uma interatividade entre os usuários da unidade com a música.

    Fonte: Portal PMU