Secretaria Municipal de Saúde






Toda pessoa tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar a si e a sua família saúde e bem estar, inclusive alimentação, vestuário, habitação, cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis, e direito à segurança em caso de desemprego, doença, invalidez, viuvez, velhice ou outros casos de perda dos meios de subsistência fora de seu controle.

Artigo Artigo XXV da Declaração Universal de Direitos Humanos



Saúde, Ciência, Pesquisa, Arte, Cultura, nossa gente da SMS, e o que mais possa interessar.



Organizado por William H Stutz

Veterinário Sanitarista

whstutz@gmail.com



Este Blog é independente, sem vínculo oficial com instituição alguma.
Todos
estão convidados a contribuir com informações de interesse coletivo.





segunda-feira, 31 de março de 2008

Aedes aegypti na mira

Aedes aegypti na mira
31/03/2008
Por Thiago Romero


Agência FAPESP – Rajado de branco e preto, ele é o mesmo mosquito que transmite a febre amarela. A maneira mais eficiente de controlá-lo é eliminar seus criadouros, os famosos depósitos de águas paradas. Essas características do Aedes aegypti, transmissor da dengue, são conhecidas por boa parte da população brasileira.

Docente da Unesp lança site parar meio da formação de agentes
multiplicadores, auxiliar a população a combater o mosquito transmissor da dengue
(foto: divulgação)


Preocupada, no entanto, com a possibilidade de tais informações não estarem sendo assimiladas corretamente por moradores de cidades como o Rio de Janeiro, que atualmente enfrenta uma epidemia de dengue por conta, em parte, da não aplicação correta de medidas preventivas, a professora Hermione de Campos Bicudo, da Universidade Estadual Paulista (Unesp), resolveu fazer sua parte.

Ela acaba de lançar o projeto Ação Comunitária para o Controle do Aedes aegypti, que tem como ferramenta principal uma página na internet, dentro do site do Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (Ibilce), em São José do Rio Preto (SP), onde Hermione leciona no Programa de Pós-Graduação em Genética.

Na página encontram-se, além de informações e curiosidades sobre o mosquito, métodos preventivos de baixo custo, como o uso da borra de café ou o sal fino de cozinha, duas alternativas para criadouros em potencial que não podem ser completamente eliminados.

“A idéia é contribuir para a formação de agentes multiplicadores, de todos os setores da sociedade, interessados em se engajar na tarefa de difundir por que e como devemos combater o Aedes aegypti. Damos foco na prevenção, pois, na fase adulta, o mosquito tem características biológicas que tornam seu combate muito mais difícil”, disse Hermione, que há 20 anos desenvolve pesquisas com o mosquito, à Agência FAPESP.

O site do projeto contém um abrangente texto didático, escrito com base em resultados de estudos feitos no instituto, com explicações sobre a biologia do mosquito, suas principais características, como ocorre a transmissão do vírus e as formas de desenvolvimento do inseto, processo que dura, em média, sete dias e abrange quatro fases: ovo, larva, pupa e adulto. Também descreve particularidades dos criadouros e estratégias para combatê-los.


Recurso visual

Uma apresentação em Power Point, que pode ser baixada por qualquer interessado, com diversas imagens e um resumo das informações do projeto, também está no site. O material ajuda a repassar os conceitos a outros interessados.

O site destaca que o Aedes aegypti, que tem uma vida útil de cerca de 40 dias, tem características que lhe conferem grandes vantagens para sobrevivência. Sabe-se que as fêmeas do mosquito botam os ovos em águas paradas, mas o grande problema, segundo a professora da Unesp, é que os ovos podem se desenvolver mesmo em pequenos recipientes, como uma tampinha de garrafa.

“Mesmo que a água da tampinha seque, os ovos podem permanecer vivos por até um ano. Se a tampinha voltar a encher, podem ser desenvolvidos naquele pequeno espaço até 300 ovos de uma mesma fêmea. Além do mosquito se esconder no meio de uma grande variedade de espécies de plantas, uma tampinha também é um criadouro em potencial. O ovo do mosquito tem o tamanho de um ponto feito por uma lapiseira em um papel”, explicou.

Diferente da febre amarela, que já conta com uma vacina para seu controle, para a dengue – inclusive para sua forma mais severa, a hemorrágica – ainda não há vacina e nem tratamento específico, o que faz com que o índice de mortalidade seja elevado. Em 2007, cerca de 500 mil pessoas tiveram a doença no Brasil e pelo menos 250 morreram de dengue hemorrágica.

“Este ano, no Rio de Janeiro, já foram registrados mais de 50 mortes ocasionadas pela doença, sendo a maioria de crianças. Calcula-se que sejam infectadas 75 pessoas por hora naquele Estado, o que fez com que o governo decretasse uma epidemia. Até o fim do ano passado, a doença não tinha chegado ao Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Mas, hoje, está presente em todos os Estados brasileiros”, disse.

Mais informações: www.ibilce.unesp.br/dengue

Fonte:

domingo, 30 de março de 2008

Mosquitos e balas perdidas



Há tempo existia uma discussão sem fim em relação ao dono ou responsável por certos problemas nacionais. Certa feita, dizem, reuniões intermináveis vararam dias e noites adentro para resolver um impasse com o jacaré. Isso mesmo. Com o jacaré, o bicho.

Diziam uns que se o jacaré estivesse no seco o problema era do agora extinto IBDF; se estivesse na água o problema era do IEF, ou o contrário, não sei ao certo. Agora, se o bicho fosse flagrado com o corpo fora d’água e o rabo na lagoa, não tinha dono. Ninguém podia fazer nada ou respondia por ele, e olha: não adiantavam memorandos, ofícios, carimbos, padrinhos, bravatas ou decretos. Lá ficava o sonolento réptil abandonado à sua própria sorte e, de cá, alguns esperando que ele se mexesse para poder jogar a culpa de ele existir em alguém.

Acho que foi daí que criaram o Ibama para cuidar do animal de corpo inteiro, vai saber. Pelo visto a experiência não adiantou, pois lá se foi o Ibama também, agora sendo fatiado, uma parte virando Instituto Chico Mendes — coitado do jacaré. Será outra vez dividido também? Mas essa é outra história. A situação repete-se agora com um mosquito no Rio de Janeiro e olha que isso já aconteceu em muitas e bem próximas cidades antes. Ninguém sabe ou finge não saber, se o mosquito é federal, estadual ou municipal. Cada qual atirando pedra no outro e como sempre a população carioca se encontra outra vez em meio ao fogo cruzado,só que desta vez, diferentemente das balas, não existe mosquito perdido.Eles conhecem muito bem o caminho.





Jornal Correio - Opinião do leitor. 30/03/2008
Mini crônica AQUI em .pdf


Nota importante do Blog da Saúde:
A charge acima é do genial cartunista Sinfrônio veja mais trabalhos do artista do traço AQUI

sexta-feira, 28 de março de 2008

Tenda da Vacinação


Escola Municipal Eurico Silva recebe a Tenda da Vacinação



O Projeto Tenda da Vacinação, promovido pela Secretaria Municipal de Saúde, por meio da Diretoria de Atenção Primaria à Saúde e o apoio do Programa Municipal de Imunização, chegou à Escola Municipal Eurico Silva, na última quarta-feira. Além da vacinação, o projeto contou com a apresentação de uma peça teatral encenada por agentes das Unidades Básicas Saúde da Família – UBSFs do Núcleo São Jorge – ressaltando temas ligados a contágios de doenças através do beijo ou sexo. A peça destacou também a importância do uso de contraceptivos, bem como manter a cartela de vacinas em dia.

 

 

 

 
Posted by Picasa

Projeto Saúde

e Educação

UBS Custódio Pereira lança Projeto Saúde e Educação

O objetivo geral é, juntamente com pais e educadores, contribuir na formação dos alunos promovendo a saúde física, mental, emocional e psicológica

A Unidade Básica de Saúde do bairro Custódio Pereira já fechou o calendário do projeto “Saúde e Educação: de mãos dadas na formação dos adolescentes”, que será desenvolvido na Escola Estadual Custódio Pereira. O objetivo geral é, juntamente com pais e educadores, contribuir na formação dos alunos promovendo a saúde física, mental, emocional e psicológica. Entre os objetivos específicos, destaca-se a introdução do conceito de auto-estima e desenvolver vivências para aumentar a estima e o autoconhecimento, através de uma maior consciência de si mesmo.

O projeto – que foi apresentado à diretora Maria Beirigo Souto Silva essa semana – inclui atividades que vão até o mês de dezembro. A apresentação foi feita por uma equipe da Secretaria Municipal de Saúde, coordenada pela coordenadora da Unidade, Wilma Nunes Amorim, e composta pela agente de Saúde Bucal, Mara Rubia Rezende Rodrigues Barbosa; a especialista em Educação, Laura Borges Araújo; a enfermeira Bárbara Nascimento; e a assistente social Vânia Rangel.

O projeto prevê a realização de 11 encontros, sendo nove com os alunos e professores, um com a equipe pedagógica da escola e um com os pais dos alunos. Os encontros acontecerão uma vez por mês.

Abaixo o cronograma das atividades:



 

 

 

 
Posted by Picasa




Fonte:





Jornalista – Cristina Gonçalves
Saúde – UBS Custódio
28/03/2008

IX SERV MUSIC



Para nossos colegas possuidores de talentos e veia artística repassamos:


"A Secretaria de Administração, comunica que as inscrições para o IX SERV MUSIC festival de Música dos Servidores Públicos Municipais, acontecerão no período de 01 a 15 de abril de 2008.

Todos os servidores poderão concorrer: efetivos, contratados, ocupantes de Cargos Comissionados, Aposentados e Pensionistas, bastando para tanto, que se inscrevam no Núcleo de Assuntos Sociais da Diretoria de Desenvolvimento Humano.

Mais informações pelos fones: 3239-2522 , 3239- 2519."

VIGEP - Dengue

Nossa colega Elaize envia e o Blog da Saúde registra o criterioso trabalho de nossa Vigilância Epidemiológica, lembrando que os dados referentes a 2008 estão sujeitos a alterações.
Parabéns à VIGEP

Abaixo informações dos casos de dengue notificados até 27/03/2008. Comparativo de 2007 e 2008 e por unidade de saúde de notificação. Dados sujeitos a alterações, observar que o mês de março ainda temos várias notificações em aberto aguardando resultados de exames.
Atenciosamente
Elaize Maria Gomes de Paula
Coordenação das ações em Vigilância Epidemiológica


Para ampliar, clique nas tabelas



UNISER - Convite



A Fundação Maçônica Manoel dos Santos, nas comemorações dos seus 27 anos de fundação, tem a honra de convidar V. Sª para o lançamento da Pedra Fundamental da Universidade do Ser - UNISER, Centro de Pesquisa e Estudos que objetiva tornar os seres humanos mais sensíveis à existência objetivando a melhoria da qualidade de vida.

A UNISER será implantada em um terreno situado no bairro Shopping Park, Setor Sul uberlandense.

A construção será iniciada pelo Bloco da Creche

“CENTRO EDUCACIONAL
IRMÃ ODELCIA LEÃO CARNEIRO”


Contamos com sua presença.
LUISMAR ALVES DE OLIVEIRA
PRESIDENTE


Local: UNISER
Rua: Claudino José de Carvalho - bairro Shopping Park
Dia:
28 de março de 2008
Hora: 16 horas

quinta-feira, 27 de março de 2008

Veterinários

no Programa de Saúde da Família Parte I

Abrem-se novas frentes de atuação para os médicos veterinários que se dedicam à saúde coletiva



Em virtude das diversas manifestações e solicitações para que os médicos veterinários fossem incluídos nos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF), a Direção de Gestão da Atenção Básica do Ministério da Saúde encaminhou Nota Técnica no dia 15 de fevereiro – em resposta ao oficio emitido pelo CRMV-SC em 31 de outubro de 2007 - informando que “o departamento apóia e recomenda a integração das ações de Atenção Básica e de Vigilância, de forma que o médico veterinário e a equipe de Atenção Básica/Saúde da Família atuem articuladamente no território, com vistas ao princípio da integralidade no SUS”.
De acordo com a nota, tais ações devem contar com o apoio do médico veterinário na capacitação dos profissionais da Atenção Básica, no suporte técnico e na responsabilização sanitária pela área de abrangência.

Porém, destacam que entendem que “a integração das ações de Atenção Básica e de Vigilância suprime a necessidade de inclusão de médico veterinário na equipe de profissionais que poderão compor os NASFs, tendo em vista que este profissional já faz parte do elenco de profissionais que compõem os Centros de Zoonoses”.

No documento, os dirigentes ressaltam o apoio do departamento no “desenvolvimento de estratégias de promoção da saúde e de prevenção de doenças e agravos produzidos por animais, como elenco das atividades desenvolvidas pela medicina veterinária no SUS de forma articulada com a Atenção Básica/Saúde da Família”.

Fonte: CRMV SC

Veterinários II

no Programa Saúde da Família - II parte

A inserção de médicos veterinários no Programa Saúde da Família (PSF), do Governo Federal, foi novamente pauta da reunião da Comissão Nacional de Saúde Pública Veterinária do Conselho Federal de Medicina Veterinária. O terceiro encontro da Comissão aconteceu em Brasília na última semana.
“Este é o grande pleito da classe. Representantes do Ministério da Saúde já estiveram no CFMV e, agora, o Conselho foi recebido pelo diretor da área, com boa receptividade”, conta Nelson Sell Duarte, conselheiro do CRMV/SC e um dos membros da Comissão.

Segundo ele, a inserção do médico veterinário no programa, municipalizado, ainda está em estudos e depende da aprovação do Ministério da Saúde, que analisa formas de ampliação do PSF, iniciado em 1994, voltado a ações de promoção da saúde, prevenção, recuperação, reabilitação de doenças e na manutenção da saúde da comunidade assistida. “Estamos nos antecipando para que a gente não fique fora dessa”, acrescenta. Outros profissionais também reivindicam sua participação no PSF, como fisioterapeutas, psicólogos e fonoaudiólogos.

De acordo com dados de 2006 do Ministério da Saúde, o PSF conta com 26.729 Equipes de Saúde da Família - formadas por médicos, enfermeiros e auxiliares de enfermagem; 15.086 Equipes de Saúde Bucal – formadas por dentista, auxiliar de consultório dentário e técnico em higiene dental; e 219.492 Agentes Comunitários de Saúde. Em Santa Catarina, 99,7% dos municípios contam com Agentes Comunitários de Saúde (9.219 profissionais); 98% com Equipes de Saúde da Família (1.194); e 88,7% com Equipes de Saúde Bucal (597).

Fonte: CRMV SC

Nova UBSF

Moradores do bairro Campo Alegre ganham UBSF.
A 11ª unidade de saúde do Núcleo São Jorge beneficiará cerca de 900 famílias


A Prefeitura de Uberlândia entrega nesta sexta-feira, dia 28, às 9h, a Unidade Básica de Saúde da Família – UBSF do bairro Campo Alegre, situada na rua Serra dos Apiacás, 346. Esta é a 11ª unidade de saúde do Núcleo São Jorge e beneficiará aproximadamente 3.300 moradores (900 famílias). São moradores que utilizam os serviços de saúde na rede do Município, mas que não estavam em área de nenhuma abrangência em termos de Atenção Primária e que se deslocavam para outras Unidades da cidade em busca de atendimento.

A cerimônia de inauguração contará com a presença do prefeito Odelmo Leão, do secretário municipal de Saúde, Gladstone Rodrigues da Cunha, demais secretários da Administração Municipal, lideranças comunitárias e comunidade em geral (o grifo nosso).

A sede da UBSF Campo Alegre passou por uma obra de reforma que incluiu a limpeza do telhado, ajustes das instalações elétricas e hidráulicas, pintura geral, colocação de um sistema de alarme, placa indicativa, ventiladores para a área de recepção e para a sala de farmácia e de atendimento de enfermagem, entre outros benefícios.

A Unidade funcionará com uma equipe de profissionais do Programa Saúde da Família composta por um médico, uma enfermeira, um técnico de enfermagem, cinco agentes comunitários e funcionários para os trabalhos administrativo e de serviço geral. O objetivo é atender a comunidade em todos os ciclos de vida com ações de prevenção de doenças e promoção da saúde, por meio dos Programas Municipais de Saúde, entre eles o de Hipertensão e Diabetes, Saúde da Mulher, da Criança e Adolescente, Saúde do Idoso e de Ações em Enfermagem.

Fonte:

Dengue no Rio

Para Fiocruz, falta informação sobre dengue em crianças

Agencia Estado

Pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) atribuem o alto número de mortes em crianças na epidemia de dengue no Rio à falta de orientação específica para essa faixa etária no protocolo distribuído aos médicos da rede pública pelo Ministério da Saúde. A mestre em Saúde da Mulher e da Criança da Escola Nacional de Saúde Pública, Elyne Engstron, explicou que os valores de referência de plaqueta e hematócritos, medidos no exame de sangue e que podem indicar a ocorrência de dengue hemorrágico, são diferentes em crianças e adultos.

Os sinais de alarme também podem ser diferentes dos sintomas da dengue em adultos. "As crianças desidratam muito mais rápido e costumam se queixar de dores de barriga ou na garganta, que já são indícios de que a doença está se agravando", exemplificou Engstron. "Estamos tendo que treinar as equipes e estipular essas orientação no meio da epidemia", disse ela, acrescentando que o diagnóstico também é mais difícil do que nos adultos, já que os sintomas são inespecíficos e típicos de outras enfermidades infantis.

A infectologista da Fiocruz Patrícia Brasil defendeu um estudo mais aprofundado das mortes já confirmadas por dengue. No início da epidemia, segundo ela, os médicos estavam subestimando a doença e mandando o paciente de volta para casa com outros diagnósticos. Agora, a situação se inverteu. "Tem criança morrendo de insuficiência hepática causada por excesso de paracetamol (único antitérmico que pode ser utilizado em caso de suspeita de dengue), de meningite ou infecção generalizada e dizem que é dengue", criticou.

Segundo ela, a dengue é uma doença benigna e que deveria matar em menos de 1% dos casos, se fosse tratada na hora e de modo adequado. Médicos e pais devem estar atentos para o momento em que a febre abaixa ou vai embora, o que acontece entre 3 e 5 dias após os primeiros sintomas. Agitação, tonteira ou dores abdominais podem ser sinais de que a doença está evoluindo para o tipo hemorrágico. O exame de sangue, com a contagem de plaqueta e hematócritos, confirma ou não o agravamento.

Dia Internacional

do Teatro e Nacional do Circo

quarta-feira, 26 de março de 2008

Fim de tarde

Momento artístico

Tudo contra a tuberculose



Momento artístico marca participação da UAI Luizote
na semana de combate à Tuberculose


A Unidade de Atendimento Integrado – UAI Luizote realizou, hoje, dia 26, ações para reforçar a prevenção à Tuberculose, seguindo o calendário das atividades da Secretaria Municipal de Saúde para marcar o Dia Mundial de Combate à Tuberculose, comemorado nacionalmente em 24 de março. O evento foi aberto pelo quinteto da Banda Municipal de Uberlândia, que apresentou várias composições nacionais e regionais, como forma de descontrair e chamar a atenção dos pacientes e seus familiares.

A coordenadora do Programa Municipal de Tuberculose, Rosária Maria Paixão, destacou a importância de uma boa alimentação na vida das pessoas como forma de resistência ao microorganismo causador da doença, o bacilo de Koch, cientificamente chamado Mycobacterium tuberculosis. O enfermeiro Sebastião Elias acrescentou que o tratamento dura mais ou menos seis meses usando uma composição de vários remédios disponíveis na Rede SUS.

A próxima apresentação desse projeto será amanhã, 27 de março, na UAI Planalto, no mesmo horário, prosseguindo até 4 de abril nas UAIS Tibery, Morumbi, São Jorge, Pampulha e Martins.

Veja as fotos AQUI

20.000 acessos

Nosso Blog da Saúde ultrapassou hoje os



Marca significativa para tão pouco tempo. Vamos avançar mais ainda. Nossa SMS merece!
Obrigado a todos e continuamos aguardando colaborações.

UAIs intensificam


ações no combate à Tuberculose

Comemorações do Dia Mundial de Combate à Tuberculose tem continuação nas UAIs


As atividades que comemoram o Dia Mundial de Combate à Tuberculose, abertas dia 24 prosseguem até o dia 4 de abril nas Unidades de Atendimento Integrado – UAIs de Uberlândia. Hoje, (ontem) dia 25, pela manhã, as atividades aconteceram na UAI Roosevelt. A próxima atividade desse projeto será amanhã, hoje dia 26, na UAI Luizote, das 7h30 às 9h; e prossegue, no mesmo horário, nas UAIs Morumbi, Pampulha e Martins, respectivamente nos dias 1º, 3 e 4 de abril. Na UAI São Jorge, as atividades serão a partir das 19h, dia 1º de abril. As Unidades Básicas Saúde da Família também farão um trabalho nas salas de espera, conscientizando os usuários sobre os sintomas e tratamento da doença.

UAI Roosevelt

Na UAI Roosevelt, a coordenadora do Programa Municipal de Tuberculose, Rosária Maria Paixão, juntamente com o enfermeiro Sebastião Elias, alertaram sobre a importância da realização do exame do escarro, principalmente se a pessoa está com tosse há mais de três semanas, febre no período da tarde, suor à noite, e emagrecimento sem causa aparente.



Além das informações essenciais no que se refere aos sintomas, formas de tratamento, contágio e locais de exames, aconteceram apresentações musicais com foco na cultura regional, sob a coordenação da psicóloga Elaine Bordini e apoio do professor e médico Guimes Rodrigues Filho e da violonista (também psicóloga) Denise Decarlos. O momento cultural contou, ainda, com a apresentação do Grupo Intervalo, composto por integrantes da Banda Municipal de Uberlândia, que executou um repertório variado.

Galeria de fotos da abertura da campanha confira AQUI

Confira a Galeria de fotos do evento AQUI

terça-feira, 25 de março de 2008

AVC

Uma ótima sugestão de tema a ser abordado pelo nosso Blog da Saúde foi passado por Ana Paula. O idéia nasceu a partir de uma mensagem bem intencionda que está circulando na web sobre como reconhecer os sinais de um AVC e poder agir rápidamente.


Segundo o site Quatro Cantos, especializado em lendas urbanas virtuais ou "hoaxes" como são conhecidos, a mensagem traz meias verdades (confira AQUI), o que nos levou a buscar mais informações sobre o tema.


Encontramos excelente material na Unicamp e, depois de contato com o autor Manuel Alves Filho, ele gentilmente nos autorizou a reproduzir o texto abaixo que foi originalmente publicado no Jornal da Unicamp. A ele os sinceros agradecimentos do Blog da Saúde pela sensibilidade e por se preocupar em difundir informação de qualidadade.






Equipe da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp usa medicação trombolítica com sucesso e explica como podemos ajudar a salvar vítima de AVC

Derrame cerebral pode ser tratado, é o que neurologistas procuram mostrar




Manuel Alves Filho
manuel@reitoria.unicamp.br

Neurologistas da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp estão obtendo resultados promissores com o uso de medicação trombolítica no tratamento de vítimas de acidente vascular cerebral (AVC), popularmente conhecido como derrame cerebral. Em dois casos atendidos pela equipe do Departamento de Neurologia, os pacientes, que tiveram AVC isquêmico [causado por obstrução do vaso], apresentaram completa recuperação. Isso só foi possível, conforme os médicos, porque ambos tiveram o problema identificado imediatamente por parentes e amigos e foram socorridos num período inferior a três horas. “Se as pessoas aprenderem a reconhecer os sintomas do AVC e souberem que ele tem como ser tratado, muitas vidas poderão ser salvas”, afirma o professor Li Li Min, coordenador do grupo.


Na Foto:

Wagner Mauad Avelar, Priscila Porto, Li Li Min e Leonardo de Deus Silva, que formam a equipe da FCM: medicação apresenta bons resultados em casos de rompimento de vaso sanguíneo (Foto: Antoninho Perri)



Identificação de sintomas e atendimento imediato são fundamentais

Além dos recursos técnicos e materiais alocados pela medicina, a informação também constitui um importante fator para sucesso do tratamento, conforme o professor Li Li Min. Segundo ele, quando está devidamente orientada, a população tem condições de identificar corretamente certas doenças e, conseqüentemente, prestar socorro imediato e eficaz ao paciente. No que toca ao AVC, tal premissa é especialmente importante. Quanto mais demorado for o atendimento, maiores as chances de a vítima apresentar seqüelas irreversíveis ou mesmo morrer. Para exemplificar o grau de desconhecimento das pessoas em relação ao acidente vascular cerebral, o pesquisador faz uso de uma comparação.

Clique na imagem ampliá-la
De acordo com ele, quando alguém sofre um mal súbito e acusa fortes dores no peito, a associação com o infarto do miocárdio é quase imediata, o que normalmente proporciona um atendimento rápido à vítima. Entretanto, quando uma pessoa também passa mal, mas tem um quadro constituído por dificuldade para falar, perda de movimento dos membros de um lado do corpo e alterações na visão, a relação com o AVC não é tão automática assim. Há quem pense, inclusive, que se trata de sintomas relacionados à depressão. “Isso faz com que o socorro seja protelado, o que reduz o sucesso do tratamento”, adverte o professor Li Li Min. Além disso, prossegue o neurologista, a literatura aponta que uma fatia importante da população (90%) e até mesmo da classe médica (50%) desconhece a existência de terapêutica para o problema.


Ainda é comum entre as pessoas imaginar que não há o que fazer quando alguém é vítima de AVC e que as únicas abordagens possíveis são as proporcionadas pela fisioterapia e fonoaudiologia, especialidades que cuidam da reabilitação dos pacientes que conservam dificuldades motoras ou de fala após o derrame cerebral. “O AVC pode, sim, ser tratado. No caso dos acidentes isquêmicos, que correspondem a 80% dos episódios, o uso de medicação trombolítica vem proporcionando bons resultados em diversos países, que têm alcançado índices de sucesso em torno de 30%. Aqui, no Hospital das Clínicas (HC) da Unicamp, nós usamos o medicamento em dois pacientes, sendo que ambos receberam alta em uma semana e não apresentaram qualquer seqüela”, relata o neurologista Leonardo de Deus Silva, membro da equipe coordenada pelo professor Li Li Min.

Medicação – A droga trombolítica, explica o especialista, pode ser aplicada pela via endovenosa (injeção na veia) ou diretamente no local onde o vaso sanguíneo encontra-se entupido, por meio de um cateter. A função do medicamento é dissolver o coágulo (trombo) e fazer com que a região atingida seja novamente irrigada. Silva adverte, porém, que o tratamento deve ser aplicado, preferencialmente, nas três primeiras horas e somente nos casos de AVC isquêmico. “Esse período pode ser estendido para até seis horas, mas é importante deixar claro que a possibilidade de sucesso do tratamento está diretamente relacionada com a rapidez do atendimento”.


De acordo com outro membro da equipe, o também neurologista Wagner Mauad Avelar, o socorro tem de ser rápido justamente para evitar que a área do cérebro atingida pelo AVC permaneça muito tempo sem ser irrigada. Quando isso acontece, o tecido fica necrosado, o que impede a sua recuperação. “Ou seja, time is brain [tempo é cérebro]”, afirma. O médico assinala que o uso de medicação trombolítica pode eventualmente causar efeitos adversos. A maior preocupação é com a ocorrência de hemorragia. Exatamente por isso, os neurologistas seguem um protocolo rigoroso de atendimento. Antes de ser submetido à terapêutica, o paciente passa por uma série de avaliações e exames, entre eles a tomografia computadorizada. “Um estudo internacional indicou que de 312 pacientes submetidos a esse tipo de tratamento, apenas 5,6% apresentaram hemorragia sintomática. Nesses casos, há a necessidade de uma intervenção cirúrgica para o tratamento dessas complicações”, esclarece.



Sucesso – O índice de sucesso do tratamento do AVC à base de medicação trombolítica, afirmam os especialistas, é muito significativo, principalmente se consideradas as vantagens que a abordagem traz aos pacientes e ao sistema público de saúde. De acordo com o neurologista Wagner Avelar, nos Estados Unidos estudos apontam que cada vítima de acidente vascular cerebral acarreta ao país um custo mensal que varia de US$ 18 mil a US$ 31 mil. “Isso sem falar no custo social, visto que muitas vítimas de AVC acabam se aposentando por invalidez em um período ainda ativo da suas vida, o que sobrecarrega a previdência social”, pondera.


Estudo desenvolvido a partir da análise de atestados de óbitos pela fisioterapeuta Priscila Porto, que também integra a equipe da FCM, aponta que em Campinas ocorre, a cada período de quatro anos, uma morte causada por AVC por 100 domicílios. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a cidade conta com 290 mil residências. Estima-se que no Brasil a taxa de mortalidade provocada pelos derrames cerebrais seja da ordem de 56 pessoas para cada grupo de 100 mil habitantes. Calcula-se, ainda, que o AVC seja responsável por algo em torno de 8% das internações e por cerca de 19% dos custos dos hospitais públicos brasileiros.

Vítimas têm mais de 45 anos

O acidente vascular cerebral (AVC) é mais freqüente entre homens e mulheres com idade acima de 45 anos, embora também possa acometer pessoas mais jovens. O popular derrame cerebral é caracterizado pela interrupção do fluxo sangüíneo numa determinada área do cérebro, causada pelo entupimento (tipo isquêmico) ou rompimento (tipo hemorrágico) de um vaso. Algumas doenças podem concorrer para o surgimento do problema, como a hipertensão arterial, diabetes e cardiopatias. De acordo com o neurologista Li Li Min, professor da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp, os sintomas mais comuns do AVC são: dificuldade para falar, perda de força dos membros, boca torta e alterações na visão. Estes podem se manifestar de forma isolada ou combinada.


O especialista afirma que a rápida identificação do problema facilita o tratamento e pode significar a plena recuperação do paciente. O ideal é que a pessoa seja socorrida imediatamente e levada a um hospital terciário, ou seja, preparado para procedimentos de alta complexidade. Se o atendimento for feito preferencialmente em até três horas, crescem as chances da administração da medicação trombolítica. De acordo com dados do estudo desenvolvido pela pesquisadora Priscila Porto, as doenças do aparelho circulatório constituem a principal causa de morte em Campinas. Dentre elas, o AVC responde por um terço dos óbitos deste grupo. No Brasil, o derrame cerebral ocupa o topo no ranking das doenças que mais matam, além de ser o primeiro fator gerador de incapacidade motora.

Além da população, a classe médica também precisa ser mais bem informada sobre os riscos e possibilidades de tratamento do AVC, na opinião do professor Li Li Min. De acordo com ele, algumas instituições, notadamente a Unicamp, estão empreendendo esforços nesse sentido. Um exemplo é o “I Simpósio Neurovascular da Unicamp”, que será (foi) realizado pela Unicamp sobre o tema.

Fonte:
Jornal da Unicamp.

Inauguração


C O N V I T E
________________________________________________________

CONVIDAMOS V.Sª., FAMÍLIA E AMIGOS PARA A INAUGURAÇÃO DA
EQUIPE SAÚDE DA FAMÍLIA CAMPO ALEGRE.


Dia: 28/03/2008
Horário: 9hs
Local: Rua Serra do Apiacas, nº 346
Bairro: Campo Alegre
Uberlândia/MG


TEREMOS GRANDE SATISFAÇÃO EM RECEBÊ-LOS!

UBS N.Sra.das Graças

em ação


Nossa colega Magda Helena Peixoto envia importante informação:

A equipe de saúde da UBS N.Sra.das Graças irá realizar quarta-feira,26/03vacinação na empresa Atacado União em todos os funcionários que estiverem com vacinas em atraso (Febre Amarela, Dupla Adulto, Tríplice Viral, e outras....).
É a nossa gente em mais uma demosntração de seriedade compromisso.
Parabéns do Blog da Saúde a todos da UBS N.Sra.das Graças

segunda-feira, 24 de março de 2008

Pela saúde do planeta!

Clique na imagem para ampliar


Pegada

Tenda da Vacinação

Projeto Tenda da Vacinação faz conscientização em escolas
Além de distribuição de folder, haverá também apresentação de peças de teatro


A Prefeitura de Uberlândia, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, inaugura dia 24 de março, na Escola Estadual Professor Inácio Castilho, a partir das 8h, a ação em saúde “Tenda da Vacinação”. O projeto envolve as equipes da Diretoria de Atenção Primária à Saúde, Programa de Imunização, Centro de Controle de Zoonoses e a coordenação dos Programas Saúde da Família de Uberlândia (PSFs), que foram treinadas para desenvolver o trabalho. O objetivo é sensibilizar os alunos do ensino fundamental e médio quanto à importância da vacinação, além de orientar e provocar discussão quanto a patologias como Rubéola, Febre Amarela, Hepatite B e Tétano. Além de distribuição de folder, as equipes vão fazer a orientação com a apresentação de peças de teatro, desenvolvendo temas sobre a importância da vacinação.

Na Escola Estadual Professor Inácio Castilho, a ação prosseguirá até o dia 28. Na terça-feira, dia 25, a ação se inicia na Escola Municipal Professor Eurico Silva, onde também continua até o dia 28. Novo calendário será fechado para as escolas municipais Odilon Custódio, CAIC Laranjeiras, Professor Jacy de Assis, Shopping Park e Gláucia Monteiro, e também para as escolas estaduais Parque São Jorge e Felisberto Carrijo.

A Tenda

O objetivo do projeto Tenda da Vacinação é iniciar um processo de trabalho conjunto entre o PSF e as escolas de sua área de abrangência. Assim, estarão cobertos pelo projeto os PSFs das regiões dos bairros São Jorge, Seringueiras, São Gabriel, Laranjeiras, Aurora, Granada, Santa Luzia, Shopping Park e Lagoinha.

A ação prevê, além da vacinação e atualização dos cartões de vacina dos estudantes, realizar debates sobre as doenças que são transmitidas por animais domésticos, tais como: toxoplasmose, leptospirose, raiva, etc.

Fonte:

Fala sério,

tuberculose tem cura!



Uberlândia intensifica ações na campanha contra Tuberculose
A campanha de prevenção será desenvolvida em todas as Unidades de Atendimento Integrado – UAIs até o dia 4 de abril


A Prefeitura de Uberlândia, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, abrirá, no dia 24 de março, na praça Tubal Vilela, a partir das 15h, a campanha de prevenção à Tuberculose, que será desenvolvida em todas as Unidades de Atendimento Integrado – UAIs até o dia 4 de abril. Uma equipe do Programa Municipal de Controle da Tuberculose estará presente para fornecer informações à população, alertando-a sobre a importância do combate à doença. Paralelamente, quem quiser poderá aferir a pressão arterial e assistir a apresentações de grupos de dança e de Unibiótica.

O slogan da campanha em Uberlândia é “Fala sério, tuberculose tem cura!” para chamar a atenção para o fato de que a doença pode ser tratada e curada. “Por isso é importante levarmos informações às pessoas, pois o conhecimento é a possibilidade de mudar o pensamento tradicional sobre a Tuberculose, buscando sempre a participação popular no seu controle e combate”, comenta a coordenadora do Programa, Rosário Maria Paixão.


Nas UAIs, as ações acontecem das 7h30 às 9h, com café da manhã e momento cultural, à exceção da UAI São Jorge que, devido ao horário do trabalhador, terá seu início a partir das 19h do dia 1º/04 , com os profissionais da Humanização – psicóloga Elaine Bordini e professor Guimes Rodrigues –, além de palestras e realização de exame sintomático respiratório. Cada UAI terá seu dia comemoração: Roosevelt, Luizote, Planalto e Tibery, de 25 a 28 de março, respectivamente; e nas UAIs Morumbi, São Jorge, Pampulha e Martins, respectivamente de 1º a 4 de abril. As Unidades Básicas Saúde da Família também farão um trabalho nas salas de espera, conscientizando os usuários sobre os sintomas e tratamento da doença.







Fonte:






Para melhor visualizar a programação clique no cartaz abaixo

Seminário DANT

Para detalhes, clique nas imagens abaixo


Festa no GIDS

Quarta-feira, 19/03, foi comemorado no GIDS – Gerência de Informação e Divulgação em Saúde, situado à Rua Johen Carneiro, 1460 Bairro Lídice, os aniversariantes do mês: Aldair dos Reis, Marcelo Candelloro e Maria Margareth Lemos (Meg) com um tremendo de um almoço. O almoço foi organizado pela colega Erika Cristiane que não mediu esforços para que tudo corresse de acordo com o esperado.
Além do almoço, feito pelo Chef de cozinha Douglas Xavier – vulgo Douglas do Siab, foi oferecido o tradicional bolo que rapidamente foi degustado pelos presentes.
Parabéns!

Texto: Renato Cury

Nota do Blog da Saúde:
Parabéns aos aniversariantes do mês
Fotos da festa em breve

Gente que agita

Jorge Queiroz, programador visual e a Carolina Amâncio do marketing. Ambos do Comunicação da Saúde e que sempre estão por trás de todo evento que acontece".


Confraternização

Confraternização fecha o Mutirão contra a Dengue




Uma confraternização com todos os envolvidos fechou, dia 19, a campanha Mutirão contra a Dengue, que passou por todas as escolas do município, no período de 12 de fevereiro a 7 de março. Promovido pela Secretaria Municipal de Saúde, por meio do Centro de Controle de Zoonoses, o Mutirão – que alcançou mais de 80 mil pessoas da comunidade escolar – contou com a parceria da Secretaria Municipal de Educação, Centro de Atenção da Saúde Escolar, Núcleo de Educação em Saúde, e com o apoio da Transpetro/Petrobras.

A confraternização serviu para agradecer e homenagear os agentes de saúde pelo empenho dedicado ao Mutirão, bem como aos parceiros presentes que se somaram ao projeto. Durante a confraternização foi exibido um vídeo com imagens das ações realizadas pela equipe nas escolas.

O coordenador do Centro de Controle de Zoonoses, Adalberto Pajuaba, ressaltou a importância do trabalho dos agentes, que souberam repassar aos alunos informações importantes para a prevenção e combate à Dengue. “Os estudantes são excelentes multiplicadores de opinião no meio onde vivem, seja na escola, na rua ou em suas residências, e os agentes souberam como aproveitar este potencial”, ressaltou.



Também participaram da confraternização o coordenador do Programa de Controle da Dengue, Jose Humberto Arruda ; a coordenadora do Case, Maria Inês Miranda Pacheco; e Leonardo Boloni, da Transpetro/Petrobras. O Assessor de Saúde, Mauro Lima representou o prefeito Odelmo Leão e o secretário municipal de Saúde, Gladstone Rodrigues da Cunha.



Renato Cury - Comunicação em Saúde(fotos) e Cristina Gonçalves - Segesc/PMU

A dengue e o inhame

Nossa colega e amiga Marilia envia instigante texto para nosso Blog da Saúde bom proveito e tenham todos ótima semana.


A dengue e o inhame

A dengue é um dos principais problemas de saúde pública do mundo. Doença viral, transmitida pelo mosquito Aedes Egypti, entre 50 a 100 milhões de pessoas são infectadas anualmente em mais de 100 países, de acordo com a Organização mundial de Saúde.
O Brasil sofre há muitos anos com o problema e, no momento, o Secretário de Saúde do Rio de Janeiro admitiu que existe naquele Estado uma epidemia de dengue, com vários casos de mortes e internações.
Cabe ao Ministério da Saúde coordenar o combate às endemias e epidemias, assim como aos governos estaduais e municipais estabelecer e implementar ações que eliminem o problema e que reduzam os efeitos maléficos sobre as populações. É um dever de toda pessoa utilizar as mais variadas formas de combater a doença, através da conscientização, do respeito às normas ditadas pelas autoridades constituídas e do senso de coletividade e cidadania.

Achei interessante um artigo do Dr. Victor, acupunturista e médico de Clínica Geral na Tijuca, RJ, versando sobre um alimento importante e ao qual nós não damos o devido valor. Pois é! Sabem aquele tubérculo pequeno, cabeludinho, chamado de inhame chinês, com a pele variando entre o roxo e o branco? É excelente remédio natural, cujo uso constante retira impurezas do organismo através da pele, dos rins e intestinos. E sabem o que é muito importante? A presença do inhame no sangue fortalece o sistema imunológico e evita várias doenças, como DENGUE, FEBRE AMARELA, permitindo reação imediata à invasão do mosquito.

Se você, infelizmente, já está acometido da dengue, coma inhame ou tome o elixir de inhame, pois dizem que acelera a recuperação. Se você já teve dengue, coma inhame, pois o grande-pequeno remédio ajuda a eliminar os resíduos que permanecem no sangue e que muitas vezes tornam mais dramática uma recaída. Mal não faz!
Os sintomas da dengue são muito conhecidos por todos nós. Ao serem observados, deve-se procurar orientação médica no posto de saúde mais próximo.

Marilia Alves Cunha
Email – mariliacunha16@hotmail.com

quarta-feira, 19 de março de 2008

Feliz Páscoa


A todos uma feliz Páscoa em seu mais verdadeiro sentido ou seja Pesach em hebraico que significa Passagem:
Seja passagem da escuridão para Luz ou essencial e vital passagem da escravidão para a liberdade. Um dia de pura reflexão e se dar ao direito de promover profundas mudanças.

Acima de tudo, independente de credo religioso a Páscoa é a festa da Libertação, e só o homem ou mulher verdadeiramente livres podem se realizar em felicidade e doação.
A todos uma verdadeira Feliz Páscoa, e quanto ao feriadão e ao chocolate, aproveitem com moderação.






Curiosidades sobre a Páscoa


A páscoa judaica (Pesach), que ocorre 163 dias antes do início do ano judaico, foi instituída na epoca de Moisés, uma festa comemorativa feita a Deus em agradecimento à libertação do povo de Israel escravizado pelo Faraó, o rei do Egito. Esta data não é a mesma da Páscoa Juliana e Gregoriana.

O dia da Páscoa cristã, que marca a ressurreição de Cristo, de acordo com o decreto do papa Gregório XIII (Ugo Boncampagni, 1502-1585), Inter Gravissimas em 24.02.1582, seguindo o primeiro concílio de Nicéia de 325 d.C., convocado pelo imperador romano Constantino, é o primeiro domingo depois da Lua Cheia que ocorre em ou logo após 21 de março , data fixada para o equinócio de primavera no hemisfério norte. Entretanto, a data da Lua Cheia não é a real, mas a definida nas Tabelas Eclesiásticas, que, sem levar totalmente em conta o movimento complexo da Lua, podia ser calculada facilmente, e está próxima da lua real.

De acordo com essas regras, a Páscoa nunca acontece antes de 22 de março nem depois de 25 de abril. A Quarta-Feira de Cinzas ocorre 46 dias antes da Páscoa e, portanto, a Terça-Feira de carnaval ocorre 47 dias antes da Páscoa.

A Páscoa sempre ocorre entre 22 de março e 25 de abril. Para as igrejas ortodóxicas, a data da páscoa é dada pelo calendário Juliano e não pelo gregoriano.

Fonte:
Departamento de Astronomia do Instituto de Física da UFRGS

Deu no Correio

Medidas reduzem absenteísmo na UAIs
Redução de 40% para menos de 20% na quantidade de resultado de exames

Da Redação
Jornal Correio de Uberlândia

A criação de novos horários de atendimento ambulatorial em todas as unidades da rede municipal de saúde, que começou a ser feita há cerca de um ano, está surtindo efeito. Neste período, o número de pacientes que não compareciam às consultas marcadas caiu de 60% para 20%. Com isso, houve também uma redução de 40% para menos de 20% na quantidade de resultado de exames complementares que não são procurados, já que, na maioria das vezes, isso é feito durante as consultas de retorno.

É o que garante o coordenador geral técnico da rede de saúde, Adenílson Lima e Silva. “Foi um trabalho emergencial de adequação das agendas, a fim de diversificar os horários de atendimento, para que o usuário tenha mais opções de acesso à rede”, explicou. Para ele, uma das principais conquistas foi a ampliação do plantão dos médicos de ambulatório, de quatro para oito horas. No entanto, a Secretaria Municipal de Saúde não soube precisar qual foi o aumento real do número de consultas nesse período.

Apesar de não ter sido feito um estudo sobre quais os motivos para o alto índice de absenteísmo, Adenílson Lima tem alguns palpites. “A população é muito heterogênea. Muitos são idosos e necessitam de acompanhantes ou trabalham o dia todo. Por isso optamos por reestruturar a base da rede e, posteriormente, fazer uma pesquisa de satisfação com o usuário”, disse.

A consultora de vendas Núbia Cristina Cunha, que freqüentemente procura atendimento na Unidade de Atendimento Integrado (UAI) do bairro Tibey, sentiu a mudança. Segundo ela, além da diversificação dos horários, hoje a marcação das consultas é feita em um espaço menor de tempo. “Antes demorava mais de 20 dias para consultarmos. Hoje, esse período caiu pela metade”, avaliou a usuária, que está grávida de cinco meses e faz acompanhamento na unidade.

Adenílson Lima afirmou ainda que, com a informatização da rede municipal de saúde, que vai interligar todas as unidades, inclusive o Hospital das Clínicas, tanto nas consultas quanto na entrega dos exames, esse índice deve chegar próximo de zero. A previsão é que a implantação desse sistema seja feita ainda este ano. “Será possível verificar, por exemplo, se aquele exame já foi realizado em outra unidade. Além disso, o médico poderá solicitar exames mais específicos. Isso vai otimizar o atendimento e trazer economia dos cofres públicos”, enumerou.

Horários
A extinção do fechamento no horário de almoço nos Programa de Saúde da Família (PSFs) também beneficiou a ampliação de horários de consultas. “Fizemos uma escala entre os funcionários para que o atendimento não ficasse tão restrito”, comentou Adenílson Lima. Outra medida adotada nas unidades foi o “encaixe”. “Estabelecemos uma tolerância de uma hora para cada consulta. Se o paciente não chega, os atendentes chamam outras pessoas”, explicou.

Núbia Cristina Cunha aprovou essa alternativa. Para ela, o atendimento está mais humanizado e mais eficiente. “Está mais fácil lidar com os funcionários”, destacou. Adenílson Lima prevê mais uma novidade para este ano. Trata-se da criação de um cartão para o usuário da rede municipal de saúde. “É um cartão semelhante ao do convênio particular e que já está em fase de conclusão do leiaute”, adiantou.

Todas as medidas serão implementadas por etapas, em cada região da cidade, assim como está sendo feito com o atendimento por classificação de risco, programa criado para desafogar o Pronto-atendimento. “Os equipamentos e os recursos já estão garantidos”, concluiu Adenílson Lima.

Fonte: