Secretaria Municipal de Saúde






Toda pessoa tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar a si e a sua família saúde e bem estar, inclusive alimentação, vestuário, habitação, cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis, e direito à segurança em caso de desemprego, doença, invalidez, viuvez, velhice ou outros casos de perda dos meios de subsistência fora de seu controle.

Artigo Artigo XXV da Declaração Universal de Direitos Humanos



Saúde, Ciência, Pesquisa, Arte, Cultura, nossa gente da SMS, e o que mais possa interessar.



Organizado por William H Stutz

Veterinário Sanitarista

whstutz@gmail.com



Este Blog é independente, sem vínculo oficial com instituição alguma.
Todos
estão convidados a contribuir com informações de interesse coletivo.





quarta-feira, 9 de julho de 2008

Férias

Caros amigos e colegas, estamos de férias voltamos em meados de Agosto!
Até lá!

História viva

UM POUCO DA HISTÓRIA DA BIBLIOTECA E VIDEOTECA DA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE

Rubia Pereira Barra
Dentista Sanitarista, Técnica do SUS

Gosto de comparar a história da Biblioteca e Videoteca com a história de Fênix, ave fabulosa que, segundo a mitologia, vivia durante muitos séculos e que, depois de queimada, renascia das cinzas. Na mitologia Antiga, a Fênix habitava os desertos da Arábia e vivia muitos séculos. Era do tamanho de uma águia, tinha na cabeça uma crista brilhante, as penas do pescoço eram douradas e as outras, de cor púrpura, a cauda era branca com plumas encarnadas e os olhos brilhantes como estrelas.

Diz-se que, quando sentia aproximar seu fim, fazia um ninho com ramos untados de gomas odoríferas, expunha-o aos raios do Sol, nele se abrasando. Das suas cinzas nascia um ovo, do qual nascia uma nova Fênix, cujo primeiro cuidado era transportar a Heliópolis e depositar, no altar do Sol, os restos de seu pai. Era um símbolo do Sol e, entre os egípcios, um emblema da alma.

Gosto de fazer essa comparação porque como Fênix, a Biblioteca e Videoteca que foi implantada em 1998, no esforço conjunto da equipe do então Núcleo de Informação em Saúde – NIS, no ano de 2001 foi desativada e o acervo depositado em uma sala sem ventilação propensa a inundações. Parte do acervo se perdeu. No ano de 2003 com o retorno de algumas técnicas para o setor, o que restou do acervo foi recuperado e a Biblioteca e Videoteca renasceu e recebeu o nome de Centro de Documentação. Voltou a ser disponibilizada para os trabalhadores da saúde e comunidade em geral, pois esse é seu verdadeiro papel.

Mas essa não é apenas uma história de determinação de um grupo de pessoas que por amor ao trabalho na área da saúde coletiva pensou em preservar a história por meio da conservação de documentos, projetos, vídeos e fotos. É a história de pessoas que também acreditam no SUS e sempre cuidaram para que a memória fosse preservada. Não é um simples acervo. É um acervo que traz na disposição de cada pessoa que passou por lá, que com muito carinho etiquetou cada livro, buscou cada vídeo, guardou fotos para que outras pessoas um dia no futuro pudessem voltar ao passado.

Portanto esse acervo traz de volta aos dias atuais, fatos acontecidos e busca por meio de novos títulos manter as pessoas informadas e sobretudo atuando na educação e promoção da saúde.
Muitas pessoas buscam esse acervo. Profissionais de saúde, pesquisadores, professores, alunos dos mais diversos cursos. Mas nada me impressionou mais do que uma mãe que buscava as fitas de vídeos para discutir a sexualidade e a gravidez na adolescência com suas filhas. E uma senhora já na terceira idade que se distraia assistindo as fitas do setor. Poderia contar aqui inúmeras outras histórias.
Creio que a maioria das pessoas que trabalharam no setor, foram contaminadas por aqueles livros e fitas de vídeos e se dedicaram intensamente a esse trabalho. Como não tínhamos mobiliário adequado, improvisávamos. Como não havia uma verba destinada para ampliação do acervo, fazíamos rifas, como não tínhamos pessoas especializadas na área, estudávamos. E assim o acervo chegou a 5.972 livros cadastrados, 22 DVDs, 342 fitas de segurança, 717 fitas de empréstimo, 165 cartazes de segurança (exemplares únicos), 422 cartazes de empréstimo, 33 cartazes de datas comemorativas, 12 unidades de material pedagógico, 17 álbuns seriados, 39 banners e faixas e 80 CD diversos.

Quando volto meu olhar de sanitarista para tudo isso, não enxergo apenas o acervo, mas principalmente as pessoas que contribuíram para isso. E a elas faço o meu agradecimento sincero e comovido de quem viveu esta maravilhosa experiência. Enxergo também todos os técnicos da SMS que nos ajudaram com compra de placa de vídeo, copiadora de DVD e outros equipamentos que eram comprados com recurso dos programas. Mas, também enxergo todos os usuários, principalmente os técnicos da SMS, que fizeram as consultas e os empréstimos, pois sem eles o acervo não teria vida.

Hoje depois de 10 anos - não se esquecendo da interrupção de 2 anos - por uma questão de nova definição de organograma, o Centro de Documentação deixa o seu setor de origem (NIS, DICS e DPIS), para fazer parte de outra Diretoria a de Gestão de Pessoas.
Outras pessoas cuidarão de tudo que sem sombra de dúvidas também serão contaminadas por aqueles livros e fitas e o trabalho continuará, pois sempre existem os guardiões de nossa história.

Fica aqui registrado o meu desejo do fundo do coração que jamais nossa tão querida Biblioteca e Videoteca necessite passar novamente pela experiência da ave Fênix e renascer. Que o crescimento seja diário e continuo e que a contribuição de cada pessoa que passou ou que passará pelo setor dê continuidade ao sonho de algumas que a 10 anos atrás acreditaram que seria possível.



Nota do Blog da Saúde

É sempre muito bom receber relatos tão repletos de demonstrações de dedicação verdadeira e emoção pelo que se faz, pelo trabalho. Parabéns Rubia, em uma só palavra: Fantástico !

terça-feira, 8 de julho de 2008

Evidências em Saúde Pública



Recebemos de Rubia, vale conferir.
O site já está nos "Sites de interesse de nosso Blog da Saúde ai ao lado.




Nas comemorações dos 20 anos do SUS foi lançado um site importante sobre evidências em saúde pública, acessem e divulguem: http://evidenciassp.bvs.br/php/index.php

Atenciosamente
Rubia Pereira Barra
Diretoria de Planejamento e Informação em Saúde

Alimentação Saudável


"Dieta composta de proteínas, carboidratos, gorduras, fibras, cálcio e outros minerais, como também rica em vitaminas. Para isto necessitamos de uma dieta variada, que tenha todos os tipos de alimentos, sem abusos e também sem exclusões.

Variar os tipos de cereais de carnes, de verduras, legumes e frutas, alternando as cores dos alimentos. As vitaminas e minerais é que dão as diversas colorações."

Isto posto, o Blog da Saúde volta e meia , nesse período de férias, trará receitas fáceis, baratas e saudáveis.

Receita saudável

Sopa de Feijão Branco com Legumes


Ingredientes

- 200 g de feijão branco
- 250 g de peito de frango
- salsa, tomilho e louro a gosto
- 3 litros de caldo de legumes sem gordura
- 500 g de alho-poró
- 250 g de cenoura
- 250 g de batatas
- 2 talos grandes de salsão
- 150 g de chuchu
- 150 g de abobrinha
- 2 dentes de alho
- 1 cebola
- sal e pimenta a gosto

Modo de Preparo

Deixe o feijão de molho na véspera e escorra posteriormente. Ponha o feijão em uma panela, com as ervas e junte 150 ml do caldo de legumes. Ferva por 10 minutos. Depois tampe a panela e cozinhe em fogo baixo por 1 hora. Tire a raiz e a parte mais dura e verde do alho poro e corte-o em fatias finas (apenas a parte tenra). Corte as batatas, as cenouras, chuchu e abobrinha em cubos. Junte ao caldo, com o alho, sal e pimenta e coloque o restante do caldo de vegetais e o frango. Deixe cozinhar até os legumes ficarem tenros.


Foto por : Douglas Tadeu Aby Saber Filho

Fonte: Vila Sabor

segunda-feira, 7 de julho de 2008

Saúde em fumaça

Por Alex Sander Alcântara

Agência FAPESP – Uma pesquisa realizada na Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP) da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), avaliou em que medida o tabaco é causa importante de perda de qualidade de vida na população. O estudo constatou que 7% da carga de doença é atribuível ao hábito de fumar.

O estudo, publicado na revista Clinics, aplicou o Daly (Disability-Adjusted Life Years), um indicador que mede simultaneamente a mortalidade e a morbidade, avaliando os anos de vida perdidos por mortes prematuras com ajuste de incapacidade. Entre a população com mais de 30 anos, a proporção de Daly atribuível ao tabaco ultrapassa 13% em homens e 7% em mulheres.

De acordo com Andreia Ferreira Oliveira, uma das autoras do artigo, o trabalho teve o objetivo de estimar a carga de doença atribuível ao tabagismo no Rio de Janeiro, no ano 2000. A partir de estimativas de prevalências de fumantes e riscos relativos de morte, foi calculada a fração respondida pelo tabaco por causa, idade e sexo. "O conhecimento da carga global de doença atribuível ao tabagismo é importante para que as iniciativas dirigidas ao controle do tabaco se multipliquem e se consolidem, de modo que venham a se transformar em políticas públicas articuladas e permanentes de promoção da saúde", disse à Agência FAPESP.

Segundo a pesquisadora, as informações sobre mortalidade são insuficientes para dar um panorama da qualidade de vida. Para superar essa limitação, o indicador Daly envolve também dados sobre a morbidade. Ele permite ainda avaliar a gravidade de doenças que são altamente incapacitantes, mas nem sempre letais. "A Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC), a doença isquêmica do coração, a doença cerebrovascular e o câncer de traquéia, brônquios e pulmões foram responsáveis por, respectivamente, 32,2%, 15,7%, 13,2% e 11,1% do total estimado de Daly, totalizando 72,2% da carga de doença atribuível ao fumo", afirmou.

Os resultados indicaram que as doenças relacionadas aos cânceres e às doenças respiratórias crônicas apresentam alta prevalência e riscos de morte. "Concluímos que é imprescindível que medidas de prevenção e controle do hábito tabágico sejam efetivamente implementadas", disse a pesquisadora, que trabalha na Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro.

Entre as principais patologias associadas à diminuição da qualidade de vida, as doenças cardiovasculares foram as mais significativas, com destaque para a doença isquêmica do coração (20,4%), na população acima de 30 anos. Mas, de acordo com o estudo, essa proporção não aumenta de acordo com a idade.
"Evidenciamos que a obstrução aérea crônica e as doenças isquêmica do coração e cerebrovasculares foram responsáveis por 61% do total de Daly na população de 30 anos e mais", afirmou Andreia.

Estratégias preventivas

O estudo constatou que os homens apresentam cargas atribuíveis maiores em relação às mulheres. O maior número se explica, segundo a pesquisadora da Fiocruz, não só pela prevalência maior do fumo, mas também "porque essas doenças acometem mais o homem".
A pesquisa estabelece também comparações entre países desenvolvidos e em desenvolvimento. "Assim como no Brasil, o tabaco é causa importante de anos de vida perdidos prematuramente ou por incapacidades nos países desenvolvidos. Mas aqui a carga atribuível ao tabaco é maior se comparada aos países mais ricos", apontou.
"O hábito tabágico se inicia ainda na adolescência. Por conta disso, estratégias preventivas maciças devem ser veiculadas pela mídia, por exemplo, para evitar que milhões de jovens iniciem esse hábito ainda precocemente e, com isso, venham a se tornar dependentes dessa droga", disse Andreia.

Apesar de ter focado o Rio de Janeiro, o trabalho aponta que o padrão de morbidade observado no estado é semelhante ao da região Sudeste e que essa relação não se modificou entre 1998 e 2000.
O estudo apresenta algumas limitações, segundo a autora. "A mais importante se refere à utilização de prevalências de exposição atuais, não levando em consideração o período de latência entre a exposição ao tabaco e o aparecimento das doenças. Não foi uma decisão inédita, pois tem sido apontada, consistentemente, por outros autores", disse Andreia, que assina o artigo com Joaquim Gonçalves Valente e Iuri Costa Leite, também da ENSP.

De acordo com Andreia, o estudo pode prosseguir tentando estimar a prevalência do fumo no interior por meio de indicadores socioeconômicos. "Assim, teríamos uma estimativa mais próxima da realidade desses locais e com estratégias preventivas bem localizadas", destacou.

Eonte: Agência FAPESP

Rede Pan-Americana

Encontro da Rede Pan-Americana de Dengue

Agência FAPESP – O primeiro Encontro da Rede Pan-Americana de Dengue será realizado no Recife, de 22 a 25 de julho, com o objetivo de promover o intercâmbio de conhecimentos e estimular o desenvolvimento conjunto de estudos que busquem soluções para o crescente aumento dos casos da doença.

Participarão pesquisadores das Américas, do Reino Unido, de Cingapura e da Índia. Serão discutidos temas relacionados às áreas de epidemiologia, imunopatologia, diagnóstico, vacinas, vetores e virologia.

Entre os palestrantes estão Amy Morrison, do Laboratório de Iquitos (Peru), Eva Harris, da Escola de Saúde Pública da Universidade da Califórnia em Berkeley (Estados Unidos), Paul Reiter, do Instituto Pasteur (França), Hermann Schatzmayr, do Instituto Oswaldo Cruz e responsável pelo isolamento dos vírus da dengue 1, 2 e 3 no Brasil, e Scott Halstead, da organização internacional Iniciativa para uma Vacina Pediátrica da Dengue (PDVI, na sigla em inglês).

A comissão organizadora do evento selecionou 25 trabalhos para apresentação oral. Outros 150 serão apresentados no formato pôster.

O evento conta com apoio do Ministério da Saúde, da Fundação Oswaldo Cruz, do Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães, da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), da PDVI e da Sociedade Brasileira de Virologia (SBV).

Mais informações: http://www.lavite.info/denguemeeting


Fonte: Fapesp

sábado, 5 de julho de 2008

Vestibular UFU

O vestibular UFU 2008 começa hoje, o Blog da Saúde deseja aos vestibulandos tranquilidade e sucesso.
Boa sorte para todos!!!



Informações importantes clique na imagem abaixo:

sexta-feira, 4 de julho de 2008

Hanseníase

No Brasil, 15 mil postos de saúde fazem o diagnóstico e
o tratamento da doença.
Ministério vai distribuir 100 mil exemplares de cartilha com direitos dos pacientes. Entre os dias 6 e 20 de julho, o Ministério da Saúde veicula na mídia a campanha Saúde é bom saber! com o foco na hanseníase.


A iniciativa vai munir os brasileiros com o máximo de informações para que eles possam ser ativos na prevenção. Quanto mais cedo se identifica a doença, menores as chances de seqüelas. A campanha será transmitida nos canais de TV, rádios e jornais e explica o que é a hanseníase, como se transmite, como identificar os sintomas e como fazer o tratamento adequado.

A cada ano, o Brasil tem 47 mil novos casos da doença. Em 2005, dado mais recente, o país registrou 1,48 caso/10 mil habitantes. A meta é a detecção precoce de casos, especialmente entre os menores de 15 anos. Espera-se com isso intensificar a identificação e tratamento dos portadores.

No país, 15 mil postos de saúde fazem o diagnóstico. O tratamento da hanseníase – que tem cura – é feito com vários medicamentos fornecidos gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS). É importante que a adesão seja efetiva. Se o indivíduo atrasa a dose ou deixa de tomar o remédio, o bacilo pode ficar mais resistente e há um atraso na cura da doença.

CARTILHA – Uma vez identificada a enfermidade, também é importante que o indivíduo faça o autocuidado, com técnicas e exercícios para prevenir incapacidades ou a piora das mesmas. Esses exercícios estão disponíveis na cartilha que o Ministério da Saúde lançou no início de julho com o título Hanseníase e Direitos Humanos – Direitos e Deveres dos Usuários do SUS. Serão distribuídos 100 mil exemplares para gestores, ONGs e Secretaria de Direitos Humanos. A íntegra da cartilha está disponível na página inicial do Portal Saúde (www.saude.gov.br).

O manual aborda questões ligadas ao direito do paciente com hanseníase como informação, garantia de acesso a cirurgias reparadoras, apoio psicológico para o enfrentamento da doença e adaptação das pessoas com incapacidades.

Ainda com o intuito de fornecer mais esclarecimentos aos indivíduos para que eles possam ser ativos na prevenção, o ministério distribuirá dois milhões de panfletos sobre a doença, capacitou 100 profissionais do Disque-Saúde para fornecer informações por telefone e, em parceria com uma empresa de telefonia, lançará um milhão de cartões telefônicos sobre o tema.

Dentre os principais sinais da hanseníase estão: manchas esbranquiçadas, avermelhadas em qualquer parte do corpo, lisas ou elevadas; caroços avermelhados ou castanhos; e áreas da pele que não coçam, mas formigam e ficam dormentes, com diminuição da ausência de dor, de sensibilidade ao calor, ao frio e ao toque. Também são sinais: engrossamento de certos nervos dos braços, pernas e pescoço, aparecimento de caroços ou inchaços, perda de pêlos nas manchas e perda dos cílios e sobrancelhas.

Fonte: Ministério da Saúde

Caldo de mocotó

Uma receita especial para o frio, esta é para a Cristina jornalista




INGREDIENTES:

1 mocotó, cortado em rodelas e bem lavado
água o suficiente para cozinhar o mocotó
1 cebola grande picada
2 dentes de alho amassados
1/2 xícara (chá) de coentro
3 colheres (sopa) de salsinha
2 colhres (sopa) de hortelã picada
1 colher (sopa) de extrato de tomate
pimenta malagueta ou pimenta vermelha a gosto
5 colheres (sopa) de azeite.


MODO DE PREPARO:


Cozinhar na panela de pressão o mocotó com a água e todos os temperos.
Deixe apurar o caldo até que os ossos se soltem.
Retire as rodelas de ossos, tirando bem o restante de carne.
No caldo já apurado, junte o azeite , sirva com farinha e molho de pimenta.


Bom apetite!

Demografia e Saúde

Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde, financiada pelo Ministério da Saúde, revela perfil da mulher em idade fértil e de crianças menores de 5 anos.


Pesquisa divulgada nesta quinta-feira (3) pelo Ministério da Saúde mostra que, em dez anos, as políticas sociais implementadas no país resultaram em significativa melhoria de vida de mulheres e crianças, que passaram a ter maior acesso aos serviços de saúde, assistência médico-hospitalar, medicamentos e métodos contraceptivos. A redução em mais de 50% da desnutrição das crianças menores de cinco anos, de 1996 a 2006, somada a medidas educativas de hidratação oral e higiene, contribuiu para uma queda de 44% na mortalidade infantil. Houve avanço também no meio rural, onde 97% das mulheres tiveram acesso a pelo menos uma consulta pré-natal durante a gravidez em 2006, contra um percentual de 68% em 1996. No período, as políticas de planejamento familiar contribuíram para reduzir de 2,5 filhos por mulher em 1996 para 1,8, em 2006.

A Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde da Criança e da Mulher (PNDS), foi realizada pelo Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap), sob orientação do IBOPE e envolveu 15 mil mulheres em idade fértil (15 a 49 anos) e 5 mil crianças com até 5 anos.


Leia mais informações no hotsite da PNDS

Fonte: Site do Ministério da Saúde

Oficina DST/AIDS

Aconteceu hoje, 3 de julho na Escola Estadual Dona Alexandra Pedreira, uma aula sobre prevenção as DST/AIDS.
Agentes de saúde do CASE: Denise Andrade e Sueli Costa
Profª: Leidimar 4ª série sala 5 e Maria Abadia 4ª série sala 4
Todo mundo sabe que a Aids mata. Todo mundo sabe que a Aids pode ser passada de uma pessoa para outra através de sexo não seguro. Então porque estas doenças avançam justamente entre os adolescentes e jovens?


Leio o texto completo de Denise Andrade clicando AQUI (Texto em pdf 25k)






Fotos e texto enviadas para o Blog da Saúde por Denise Andrade

Anti-rábica animal


Vacinação anti-rábica animal começa dia 07 de julho na zona rural
Etapa urbana acontecerá de 18 a 23 de agosto


A 26ª Campanha de Vacinação Anti-rábica Animal do município de Uberlândia, planejada pela Prefeitura Municipal, por meio do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), acontecerá de 07 de julho a 8 de agosto na zona rural. A etapa urbana da Campanha será de 18 a 23 de agosto.

A expectativa do CCZ é vacinar mais de sete mil cães que vivem nas fazendas próximas à cidade. Cinco equipes volantes do CCZ, com dois agentes cada, trabalharão durante todo o período, vacinando os animais de casa em casa de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h.

Segundo a veterinária do Programa de Controle da Raiva do CCZ, Fabiane Alves Ferreira, é importante que a população se conscientize sobre a necessidade da vacinação dos animais, pois a raiva é uma doença fatal e a única forma de prevenção é a vacina. Fabiane revela ainda que as equipes enfrentam algumas dificuldades durante a vacinação na zona rural principalmente com relação ao acesso às propriedades. “Fazemos um apelo aos proprietários rurais da região que facilitem o acesso às fazendas e fiquem atentos aos horários de visitas de nossos agentes”, alerta.

A etapa urbana de vacinação anti-rábica está planejada para o mês de agosto. Portanto, os proprietários de cães e gatos criados na cidade deverão levar seus animais para serem imunizados entre os dias 18 e 23 de agosto, em diversos postos espalhados pela cidade.

Os endereços dos postos de vacinação da 26ª Campanha de Vacinação Anti-rábica Animal na zona urbana serão divulgados pela Prefeitura de Uberlândia ainda neste mês de julho.

De acordo com informações do Ministério da Saúde, a raiva é transmitida pela lambedura, mordedura e arranhadura de animais contaminados com o vírus. Em caso de acidente, segundo orientações do Ministério, a vítima deve lavar o ferimento com água e sabão e procurar o centro de saúde mais próximo de sua residência.

Fonte:

quinta-feira, 3 de julho de 2008

Aconteceu

...Liberdade, essa palavra
que o sonho humano alimenta
que não há ninguém que explique
e ninguém que não entenda...


Cecília Meireles
(Romanceiro da Inconfidência)






Depois de longo e sinistro cárcere que durou seis anos, foi finalmente resgatada do desumano jugo opressor Ingrid Betancourt.
Uma das notícias internacionais mais bem-vindas do ano.
Feliz retorno à vida!

Veja mais nos links:

  • www1.folha.uol.com.br
  • Vídeo da liberdade AQUI
  • http://noticias.terra.com.br
  • http://www.euronews.net
  • http://news.bbc.co.uk/1/hi/world/americas/7486552.stm
  • O mundo fala: veja AQUI

  • quarta-feira, 2 de julho de 2008

    Cultura

    Saúde para a alma

    Cineclube Cultura homenageia a cantora, regente e professora Edmar Ferretti
    As apresentações acontecem aos sábados e domingos, sempre às 20h


    O Projeto Cineclube Cultura, realizado pela Prefeitura de Uberlândia, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, traz no mês de julho o “Concerto de Vozes”. A mostra é dedicada à cantora, regente e professora Edmar Ferretti. As apresentações são gratuitas e acontecem aos sábados e domingos, a partir das 20h, na Oficina Cultural – sala Roberto Rezende – localizada na praça Clarimundo Carneiro, 204, bairro Fundinho. O Cineclube Cultura é um projeto de caráter cultural, sem fins lucrativos. Confira a programação:

    Cineclube Cultura – “Concerto de Vozes”
    Dia 5 de julho – sábado
    Tony Bennett – Wonderful World Live in San Francisco
    Concerto do cantor Tonny Bennett, realizado no dia 16 de setembro de 2002, na cidade de São Francisco. Participação da cantora K.D. Lang. Cor. 76 min.
    Sinopse: Este concerto de Tony Bennett foi originalmente filmado para a emissora PBS (rede pública de TV dos Estados Unidos) e foi realizado em São Francisco, cidade tema de um de seus maiores clássicos: "I Left My Heart In San Francisco". Participação da cantora K.D.Lang. 76 min.
    The Sprezzatura Quartet – Music Director: Lee Musiker – Bass: Paul Langosch - Drums: Clayton Cameron – Guitar: Gray Sargent.
    * Antes da exibição do filme será prestada uma homenagem à cantora, professora e regente Edmar Ferretti, que no dia 25 de junho de 2008 recebeu da Universidade Federal de Uberlândia o título de Doutora Honoris Causa.

    Dia 06 de julho – domingo
    The Manhattan Transfer - Vocalese Live
    Apresentação do quarteto vocal Manhattan Transfer, no Nakano Sun Plaza Hall, em Tóquio, Japão.
    Cor. 70 min.
    Sinopse: O quarteto vocal Manhattan Transfer foi fundado em 1972, e é considerado tanto pela crítica como pelo público como o melhor grupo da atualidade em sua categoria, o vocalese. O termo se refere à adaptação de uma letra a melodias e solos originalmente apenas instrumentais – e o Manhattan Transfer sempre foi excelente nessa fórmula. Este show, gravado em 1986, em Tóquio, é um retrato fiel do trabalho do grupo, apresentando versões surpreendentes de alguns clássicos de Woody Herman e Count Basie. O grupo também coloca letras em solos de Sonny Rollins e Clifford Brown, e em outras músicas mais recentes. 80 min.

    Dia 12 de julho – sábado
    Diana Krall Live in Paris
    Gravação ao vivo do concerto da pianista e cantora Diana Krall, realizado no Olympia, em Paris.
    Cor. 130 min.
    Sinopse: Nesta apresentação ao vivo no Olympia, em Paris, Diana Krall apresenta uma seleção de clássicos da música americana e da bossa-nova, acompanhada pela Orchestre Symphonique Europeen e a Paris Jazz Big Band, além dos músicos de sua banda, vindos especialmente de Los Angeles e da participação especial do lendário maestro Claus Ogerman. 130 min.

    Dia 13 de julho – domingo
    Dionne Warwick – Live At Syracuse Jazz Festival 2003
    Sinopse: Às vésperas de completar meio século de carreira, a cantora Dionne Warwick, realizou um grande concerto no tradicional Festival de Jazz da cidade americana de Syracuse. Cor. 138 min.

    Fonte:

    terça-feira, 1 de julho de 2008

    Mega campanha

    Ministério inicia mobilização para maior vacinação já feita no mundo

    É a primeira vez que o Brasil vai imunizar 70 milhões de pessoas. Ministro da Saúde está enviando correspondência para parlamentares, políticos e gestores para reforçar a ação.

    O Ministério da Saúde (MS) está preparando uma campanha inédita e de grande dimensão que começa no dia 9 de agosto. A Campanha Nacional de Vacinação para Eliminação da Rubéola pretende vacinar aproximadamente 70 milhões de pessoas de ambos os sexos durante cinco semanas. Essa é a maior campanha de imunização já realizada no mundo. A segunda maior foi em 1992 quando o Brasil vacinou 52 milhões de crianças e adolescentes contra o sarampo.

    A imunização será feita em duas grandes frentes: com a aplicação da vacina Dupla Viral (sarampo e rubéola) em homens e mulheres com idade entre 20 e 39 anos de todo o país, e por meio da vacina Tríplice Viral (sarampo, caxumba e rubéola) em indivíduos entre 12 e 19 anos nos estados do Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso, Rio de Janeiro e Rio Grande do Norte, além de toda população indígena que vive em aldeias.

    As ações para mobilização feitas pelo ministério já começaram e são intensas. O ministro da saúde, José Gomes Temporão, começou a enviar a partir desta segunda-feira, 30 de junho, correspondências individuais a todos senadores, deputados, governadores, prefeitos, secretários estaduais e municipais de saúde e integrantes dos Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde (Conasems), conclamando os gestores a participarem ativamente dessa grande ação, sensibilizando a população. O ministério enviou também para os estados e municípios o plano de ação da campanha, assim como o manual técnico-operacional.

    PREVENÇÃO - A ação está dentro do compromisso firmado pelos países das Américas durante a 44ª reunião do Conselho Diretor da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) de eliminar até 2010 a rubéola e a Síndrome da Rubéola Congênita (SRC) – que pode causar aborto ou malformações no bebê. A rubéola é uma doença infecto-contagiosa que pode até matar.

    A campanha faz parte de uma ação preventiva para evitar a disseminação da doença. O foco principal é a população de sexo masculino, já que, em anos anteriores, mulheres e crianças foram o alvo. Em 2006, houve um aumento de casos confirmados da rubéola nos estados do Rio de Janeiro e de Minas Gerais. Em 2007, a doença atingiu 20 estados brasileiros, totalizando 8.156 casos, sobretudo nas regiões Sudeste, Sul, Nordeste e Centro-Oeste. A faixa etária mais acometida é a de 20-34 anos de idade e 70% dos casos confirmados ocorreram no sexo masculino.

    Outras informações

    Atendimento à Imprensa
    (61) 3315 3580 e 3315 2351

    Atendimento ao cidadão
    0800 61 1997 e (61) 3315 2425

    Fonte: Portal do Ministério da Saúde