Secretaria Municipal de Saúde






Toda pessoa tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar a si e a sua família saúde e bem estar, inclusive alimentação, vestuário, habitação, cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis, e direito à segurança em caso de desemprego, doença, invalidez, viuvez, velhice ou outros casos de perda dos meios de subsistência fora de seu controle.

Artigo Artigo XXV da Declaração Universal de Direitos Humanos



Saúde, Ciência, Pesquisa, Arte, Cultura, nossa gente da SMS, e o que mais possa interessar.



Organizado por William H Stutz

Veterinário Sanitarista

whstutz@gmail.com



Este Blog é independente, sem vínculo oficial com instituição alguma.
Todos
estão convidados a contribuir com informações de interesse coletivo.





quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Capacitação

Fotos da Capacitação das Enfermeiras das Uais, recebemos de Elaize


Alvíssaras !

O setor de animais silvestres do Hospital Veterinário da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) agora é credenciado pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), e se torna um Centro de Resgate, um dos poucos do país. Isso significa que agora o setor é referência regional certificada pelo órgão e vai receber verba para alimentação e parte dos medicamentos usados com os animais silvestres e exóticos, como aves de rapina, por exemplo.

Em contrapartida, o Ibama passa a contar com a prestação de serviços gratuita do setor, para casos de animais apreendidos ou machucados. Antes, a alimentação dos bichos era mantida com doações da comunidade.

No ano passado foram atendidos 918 animais silvestres na unidade, 18% a mais que o ano anterior. Destes, a maioria foi de aves de rapina, e dentro deste grupo, a maior quantidade foi de papagaios, pássaros e periquitos. Com o credenciamento do Ibama, o chefe do setor, professor André Quagliatto, acredita que este número deve aumentar. “Lutamos por dois anos pelo termo de acordo, assinado em setembro. Agora temos o reconhecimento do Ibama como centro especializado. A universidade ganha em conhecimento, que será usado para ensino e pesquisa”, afirmou.

Criado na década de 1970, o Hospital Veterinário inaugurou o centro de animais silvestres em 2001. Em 10 anos, mais de 2,5 mil animais já foram atendidos. O atendimento aos animais particulares é cobrado, já os demais são atendidos gratuitamente.



Jornal Correio de Uberlândia em 30/11/2011

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Menos vagas

O Ministério da Educação (MEC) anunciou nesta terça-feira (29) o corte de mais 3.968 vagas em 148 cursos de Enfermagem, Odontologia e Farmácia que obtiveram resultado insatisfatório em avaliações da pasta. Em Uberlândia, 96 vagas foram cortadas de duas instituições, sendo 76 do curso de Odontologia e 33 de Farmácia do Centro Universitário do Triângulo (Unitri), totalizando 96 vagas. Já a Faculdade Presidente Antônio Carlos (Unipac) teve 20 vagas cortadas nas graduações de Enfermagem e Farmácia, sendo 16 e 4, respectivamente.

Essas graduações ficaram com nota 1 ou 2 no Conceito Preliminar de Curso (CPC) de 2010, indicador que afere a qualidade da oferta do ensino em uma escala que vai de 0 a 5. As medidas foram publicadas no Diário Oficial da União de hoje.

A Unipac Campus Araguari também está na lista das faculdades que tiveram redução no número de vagas, foram seis no curso de Enfermagem.

O corte faz parte do processo de supervisão pelo qual passarão esses cursos em função dos resultados considerados insuficientes. A maior redução foi na área de enfermagem: menos 2.572 vagas. Vinte cursos de odontologia foram afetados totalizando uma redução de 307 vagas. Em farmácia, as medidas atingem 40 graduações e reduzem 1.107 vagas.

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Construção Coletiva



Profissionais da Rede Municipal de Saúde se reuniram nesta sexta-feira (25) no auditório Cícero Diniz, no Centro Administrativo, para participar do “V Ciclo de Planejamento: Uma Construção Coletiva para 2012”. O evento abordou as melhorias nas ações e qualificação dos serviços prestados pelo sistema público de saúde na cidade. Também foi um espaço para a apresentação de boas práticas e avanços da gestão em todos os setores, projetos e programas da Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

Foram ministradas palestras com 24 profissionais de diversos setores, divididas em quatro painéis de discussão. Assuntos pertinentes à realidade das redes de atenção materno-infantil, de urgência e emergência e de saúde mental fizeram parte da programação.

“Desde 2007, a Prefeitura de Uberlândia promove o Ciclo para avaliar os avanços na gestão e balizar os profissionais. É um momento em que é possível avaliar o trabalho realizado pela SMS e desenvolver ações cada vez melhores, em benefício dos profissionais e usuários da Rede. A cada ano, percebemos que a gestão avança, com o apoio e participação de assessores, gerentes, coordenadores, conselheiros e profissionais das unidades”, apontou Rúbia Pereira Barra, diretora de Planejamento e Informação em Saúde.

sábado, 26 de novembro de 2011

CAPS Norte



Prezados senhores,

Vimos por meio deste informar que a partir do dia 02 de dezembro de 2011, o
CAPS Norte passará a funcionar no seguinte endereço:

Rua Alexandre Marques, nº 399, Bairro Martins.

Outrossim, comunicamos que, devido aos procedimentos relativos à mudança de endereço do CAPS Norte, o atendimento ao público nessa unidade de saúde ficará suspenso, excepcionalmente, no dia 01/12/2011.

Sem mais para o momento, estaremos à disposição para sanar quaisquer dúvidas.

Atenciosamente,

André Zoccoli Bueno
Coordenador do CAPS Norte

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Negligência à criança

Negligência à criança está ligada a isolamento e perturbações
agenusp@usp.br

Rosemeire Soares Talamone, do Serviço de Comunicação Social da Coordenadoria do Campus de Ribeirão Preto – imprensa.rp@usp.br

Pesquisa da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da USP identificou que a situação de negligência vivenciada por crianças está ligada a dois mecanismos específicos. Um é relativo a uma perturbação na relação família-coletividade, razão pela qual a família vive isolamento socioemocional, o que dificulta o acesso a apoio, seja ele de pessoas do convívio ou de profissionais de serviços especializados. O outro é relativo a uma perturbação na relação entre cuidadores-criança, caracterizado por uma baixa frequência de interação entre cuidadores e crianças. Quando a interação acontece, essa tende a ser negativa.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

HM - 1 ano



Hospital Municipal completa um ano de exemplo em saúde pública

O dia 15 de novembro é para os cidadãos de Uberlândia uma data especial. É nesse dia que a cidade comemora a inauguração física de um dos melhores hospitais públicos do país: o Hospital e Maternidade Municipal Dr. Odelmo Leão Carneiro.

“Este complexo é fruto da parceria entre o Governo de Minas e a Administração Municipal. Uma união que viabiliza um maior cuidado com a população e que tem dado resultados. A comunidade ganha, o setor se qualifica e a cidade se torna referência em saúde pública”, disse o prefeito Odelmo Leão.

A Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM) – organização social que administra o hospital – foi a responsável pelo treinamento dos funcionários contratados em processo seletivo. Desde então, a unidade, que recebeu seu primeiro paciente em janeiro de 2011, segue com o atendimento em ascensão e estima-se que até o início do próximo ano, os 258 leitos estejam em plena atividade.



segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Vitamina D

Imagem Beleza pura


Consumo de vitamina D prolonga vida de mulheres acima dos 50 anos, diz estudo
E diminui risco de infarto e derrame de homens

Vida longa para quem consome vitamina D. É o que garantem recentes estudos divulgados pela revistas "American Journal of Clinical Nutrition" e "The Cochrane Library".

Segundo os pesquisadores, o resultado do estudo mostrou que a vitamina D diminui a taxa de mortalidade, especialmente de mulheres acima de 50 anos. E que homens que consumiram 600 unidades internacionais (UI) de vitamina D por dia estavam menos propensos a sofrer infarto ou derrame.

Porém, de nada adianta consumir a vitamina D, que também estimula a absorção de cálcio nos ossos, sem se expor diariamente ao sol por um período de 15 a 20 minutos.

Os raios solares são fundamentais para a síntese de vitamina D porque eles ativam a substância 7-dihidrocolesterol, encontrada na pele, que se transforma em vitamina D3, após passarem pelo fígado e pelo rim.

O ideal é buscar fontes naturais da vitamina, presentes no leite, nos ovos e no peixe. A ingestão de suplementes só deve ser feita com orientação médica.

A superdosagem pode causar elevação dos níveis de cálcio no sangue e na urina e também provocar cálculos renais e calcificação das articulações.

Autor: Redação
Fonte: Agência Estado

Atenção Domiciliar

Hospital e Maternidade Municipal oferece Serviço de Atenção Domiciliar



A recuperação de um trauma, cirurgia ou enfermidade pode ser mais eficaz quando o paciente tem a possibilidade de se restabelecer em casa. O conforto do lar em sua própria cama, a privacidade, o ambiente familiar e o apoio de amigos reforçam o processo de recuperação e também trazem benefícios à Rede Municipal de Saúde.

O Serviço de Atenção Domiciliar (SAD), implantado em agosto pelo Hospital e Maternidade Municipal Dr. Odelmo Leão Carneiro (HMMDOLC), aumenta o índice de rotatividade dos leitos, a produtividade na prestação de serviços e diminui o tempo médio de permanência hospitalar. A medida beneficia também os chamados pacientes de longa permanência, aqueles internados por mais de 30 dias.

Até outubro, 166 pacientes passaram pelo SAD. Segundo o diretor técnico do Hospital, Christian Campos, o paciente encaminhado ao serviço tem um cuidado igual ao prestado na unidade de saúde, fundamentalmente executado por um cuidador domiciliar com o suporte de uma equipe multiprofissional. O acompanhamento do quadro clínico, o atendimento e orientação de cuidados com a saúde são os mesmos.

Saúde do homem




Imagem abaixo: Prefeitura de Biguaçu

E pensar que esta história começou com um grande Irmão Psiquiatra, que literalmente me tirou de rota de colisão comigo mesmo, me fez assumir novamente o manche de minha vida, me permitiu voar em céu de brigadeiro, resgatando meu perdido norte.

Por mais que relutemos em aceitar o passar do tempo, chega uma hora em que temos que nos submeter a um check-up geral, daqueles que te reviram de ponta cabeça mesmo. As mulheres são muito mais cuidadosas do que nós. É só surgir a primeira menstruação e já criam rotina saudável de agendar visitas periódicas ao ginecologista. Com elas, qualquer sinalzinho diferente na pele é motivo para irem correndo ao dermatologista. Quer mais? Homem só vai ao dentista quando dente dói!

O percentual de mulheres com as cadernetas de vacinação completas é surpreendentemente maior do que o dos homens. Na nossa, geralmente temos a antitetânica e a febre amarela, pois uma é quase sempre exigência trabalhista e, sem a outra, não se atravessa, se frequenta regiões de pesca onde a doença reina selvagem. Homens geralmente gostam de pescar. Eu particularmente só pesco de rede.

Isso mesmo, rede. Chego à beira do rio, acho bela sombra, estendo minha rede, em local mais alto, me deito, pego um bom livro, uma cerveja e, vez ou outra, dou olhada para as canoas. Pesco não.

Que fique bem claro que, infelizmente, estou falando de uma camada da população que domina o conhecimento e tem acesso a serviço médico de qualidade, infelizmente uma minoria. Basta ver as alarmantes estatísticas de casos de câncer de útero, de próstata, de mama, e outras tantas doenças evitáveis, cuja prevenção e atenção médica em muitas cidades estão distantes, fora do alcance da população. Enumerá-las aqui seria um desafio.

Em quase todos nós, ao contrário das mulheres, a segurança absoluta de saúde plena já começa a balançar nas antessalas dos consultórios médicos. Um medo inexplicável vem do quase nada. Digo quase nada, porque, na realidade, ele é totalmente justificado. Já notaram as feições dos outros que estão ali sentados? Uns folheiam revistas vencidas sem ler, batem o pé sem parar em visível estado de tensão, outros lhe dirigem sorrisos sem graça, sorriso esse que pode ser de autopiedade ou de dó da gente a pensar: ”coitado, esse aí está pior do que eu”. Mesmo que você tenha entrado ali para buscar uma receita para outra pessoa, no clima da antessala do doutor você já começa, mentalmente, a escanear seu corpo. Será que aquela dorzinha de cabeça que tive em abril poderia ser um aneurisma? E o formigamento que senti mês passado? A dor no estômago outro dia estava estranha. O pensar que se tem é, às vezes, pior do que ter, pois o que se pode ter, geralmente, é simples de resolver.

Cada um, acredito, tem seu “timing”, seu momento em que percebe que já não é mais o super-homem de ontem que podia todo santo dia se deliciar com dobradinhas do Cidão, feijoadas aos sábados e picanha gorda domingo com a família. Sem contar as cervejas geladas ao fim da tarde, de terça a domingo. Claro, segunda-feira não pode.

Em entrevista que vi de um integrante do famoso Harlem Globetrotters, o atleta respondeu magistralmente à pergunta sobre a hora de parar de jogar: “The head says go the legs say no”, resumindo filosoficamente a condição humana para tudo, não apenas esporte.

O mais interessante, constatei, é que, geralmente, o alerta vem não de seu próprio corpo, mas das conversas entre amigos e colegas, principalmente de trabalho. Se você não tem nada, não faz uso de nenhum medicamento, considere-se fora da roda.

Ou é doença ou futebol. Como não entendo de futebol, além do fato de ser torcedor do Atlético Mineiro, resolvi dar uma geral no corpo para me integrar, pois o antidepressivo que ultimamente ando tomando não conta para o grupo. Não puxa assunto, é medicamento para secar papo. Todos te olham de lado, dando-lhe as costas e continuam:
— Já viram aquele genérico novo para pressão? E aquele outro para gota?

Pois lá fui eu cumprir minha via-crúcis, saindo de meu Pretório particular em busca de Calvário próprio, mas que gerasse assunto e aceitação.

Comecei com o tabu masculino, coisa de brasileiro machão besta, o urológico. Não precisa dizer que, quando voltei à roda, além dos sorrisos cínicos, todos queriam saber como foi. Senti-me incluído. A propósito, passei com louvor no exame. Supercompetente, meu amigo de longa data e urologista solicitou sangue completo para ver o que corria nessas veias abertas de mineiro medroso. O PSA era de criança, mas aí veio o susto. Meu triglicérides estava a ponto de se tornar tetra e a caminho do penta.

Toco a marcar consulta com outro amigo, médico dos bons, que me recomendou medicamento, dieta e exercícios para baixar o tal, isso antes da consultar, pois iria demorar um pouco e queria fazer o cardiológico primeiro.

Outra médica atenciosa e competente. Passei com nota média na esteira, o eco mostrou que ainda tenho coração e o Mapa não registrou nenhuma anomalia. Não preciso dizer que ficar 24 horas com aquele aparelho é duro e incômodo. Dia sem banho e, em uma reunião séria, a mangueirinha do aparelho se soltou. Tem coisa que só acontece comigo. Moral da história: nem um remedinho a mais para tomar. Que falta de assunto para o grupo! Só recebi um “que bom”.

Resumindo, estou criando penas de tanto comer carne de frango. Sinto-me ruminante com tanta salada e sabiá com tanta fruta. Contrariado faço caminhadas diárias sozinho e ainda acho a coisa mais chata do mundo, pois andar com destino é uma coisa, andar por andar não é fácil. Já emagreci mais de 2 kg, mas ainda não posso me dar ao luxo de dizer que me sinto diferente, pois, na realidade, não sentia absolutamente nada antes dos exames.

Sinto falta mesmo é da dobradinha do Cidão, da picanha gorda de domingo e da cerveja gelada. Com essa até sonho. Sorte minha que não fumo há mais de década, senão seria mais um vício a largar. Logo vou ao consultório de meu amigo para avaliação final. Espero que cheguemos a um meio-termo e que, pelo menos uma vez por semana, eu possa me dar ao luxo de alguns excessos. Não precisam ser muitos, a ponto de me atribuírem o pecado da gula, mas que sejam prazerosos, porém controlados.

E para os machões de plantão, uma recomendação se me permitem. Façamos como nossas mulheres, que não são de Atenas. Não vacilem nem demorem muito para check-ups periódicos. Queira ou não, para seu próprio bem, um encontro com um urologista está marcado, mas fique tranquilo, sua virilidade não será em nada maculada e, a partir dessa consulta, poderá descobrir que sua vida estava por um fio e você nem desconfiava.






Publicado no Jornal Correio em 11/11/11 , data um tanto quanto cabalística, essa e parte 2 em 12/11/11

Dia Mundial do Diabetes


O diabetes exige alguns cuidados que são para o resto da vida, tanto para o paciente, quanto para a família. Ambos precisam tomar uma série de decisões relacionadas ao tratamento do diabetes: medir a glicemia, tomar medicamentos, exercitar-se regularmente e ajustar os hábitos alimentares. Além disso, pode ser necessário apoio psicológico. Como as consequências do tratamento são baseadas nas decisões tomadas, é de extrema importância que as pessoas com diabetes recebam educação de qualidade, ajustada às necessidades e fornecidas por profissionais de saúde qualificados Sem a educação em diabetes, os pacientes estão menos preparados para tomar decisões baseadas em informação, fazer mudanças de comportamento, lidar com os aspectos psicossociais e, por fim, não estar equipado o suficiente para fazer um bom tratamento.

O mau controle resulta em prejuízo para a saúde e em uma grande probabilidade de desenvolver complicações. O papel dos profissionais educadores em diabetes é essencial, juntamente com a equipe multidisciplinar. O educador faz com que a pessoa com diabetes monitore sua saúde com escolhas e ações baseadas em julgamento vindo da informação.

Por isto, a Unidade de Saúde do Custodio Pereira realiza, todos os anos, em novembro, campanhas para rastreamento e detecção de novos casos e Encontros com pacientes já diagnosticados para reforçar a importância do auto cuidado e acompanhamento médico.
Este ano realizaremos, no dia 14 de novembro – segunda-feira - o IV Encontro de Diabéticos e a Campanha para detecção de novos casos.

Wilma Silva Nunes Amorim

Clique no quadro abaixo para melhor visualizar programação

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Células-tronco

Foto web

Estudo clínico brasileiro usa células-tronco para tratar enfisema pulmonar

Técnica experimental melhorou condição de 75% dos testados. Doença afeta 210 milhões de pessoas no mundo

O enfisema pulmonar, uma doença que afeta 210 milhões de pessoas no mundo, pode receber, no futuro, um tratamento a base de células-tronco desenvolvido no Brasil. Testes iniciais da técnica feitos por pesquisadores paulistas revelam uma eficiência de 75% em pacientes com o problema.

O primeiro estudo com humanos foi conduzido por uma equipe de cientistas da Universidade Estadual Paulista (Unesp) e de um laboratório especializado em células-tronco entre 2009 e 2010, com apenas quatro participantes - todos com enfisema pulmonar em estágio avançado.

No teste, os pacientes tiveram seus pulmões regenerados com células-tronco obtidas na medula óssea.

A doença compromete a respiração, trazendo dificuldades até mesmo para a locomoção. Antes do estudo, os quatro participantes precisavam usar cilindros de oxigênio para andar. Após a aplicação das células, três deles puderam se livrar dos equipamentos.


quinta-feira, 10 de novembro de 2011

No Twitter

Prefeitura de Uberlândia

Saiba como funciona a Assistência Farmacêutica na rede municipal de saúde.
Assista no Jornal Nossa Cidade - http://t.co/L8P6wXpD

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

PenCalc

Pesquisa do Instituto de Biociências (IB) desenvolveu um software, denominado PenCalc, que calcula a taxa de penetrância de doenças autossômicas dominantes, que são doenças hereditárias, passadas de geração para geração. Os afetados são heterozigotos Aa, em que A é o gene que determina o defeito. Em muitas doenças autossômicas dominantes, nem todos os heterozigotos manifestam a doença. A porcentagem de casos Aa com a doença é o que se entende por taxa de penetrância. Por exemplo, no retinoblastoma, um tumor maligno que afeta a retina, apenas 80% dos heterozigotos Aa tem o tumor. Os outros 20% são normais. Portanto, a taxa de penetrância do gene do retinoblastoma, ou a probabilidade de uma pessoa Aa manifestar a doença é de 80%.

Saúde Toda Hora

Pacientes terão desconto na conta de luz

Ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, e o ministro da Saúde, Alexandre Padilha.
ASCOM/MS

As famílias que têm uma pessoa com doença ou deficiência terão desconto na tarifa de energia, quando, para tratamento ou benefício da saúde, for necessário o uso de equipamentos médicos elétricos de uso continuado. Portaria assinada entre os ministros de Minas e Energia, Edison Lobão, e da Saúde, Alexandre Padilha, inclui esse público nos beneficiados da Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE). A portaria foi assinada durante a cerimônia de lançamento dos programas Melhor em Casa e SOS Emergência, no Palácio do Planalto, com a presença da presidenta da República, Dilma Rousseff. As medidas integram as ações da rede Saúde Toda Hora, que está reestruturando os serviços de urgência e emergência do país.

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Atenção Integral




INFORMAMOS QUE O III ENCONTRO DE ATENÇÃO INTEGRAL AO PACIENTE COM LESÃO LÁBIO PALATAL, ACONTECERÁ NO DIA E LOCAL ABAIXO:


DATA: 22 DE NOVEMBRO/2011
LOCAL: ANFITEATRO CÍCERO DINIZ
Av. Anselmo Alves dos Santos, nº600 - Sta Mônica

VAGAS LIMITADAS!

INSCRIÇÕES: dgp@uberlandia.mg.gov.br

(34) 3256-3814 - 3256-3816

Diretoria de Gestão de Pessoas e Educação em Saúde

Eu sou 12 por 8


Recebemos de Antonio Carlos de Oliveira

Navegue pelo link abaixo, onde encontrará informações claras e objetivas que esclarecem sobre o assunto hipertensão arterial: www.eusou12por8.com.br

Didático, simples navegação, extremamente amigável. Informações imprescindíveis ao alcance de todos. Recomendamos

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Riscos na ponta do lápis

Profissionais de saúde podem ser obrigados a informar riscos por escrito

Pela proposta, os profissionais de saúde deverão apresentar um termo de esclarecimento prévio, que será assinado pelos pacientes

A Câmara analisa o Projeto de Lei 1475/11, da deputada Lauriete (PSC-ES), que obriga os profissionais de saúde a detalhar ao paciente, ou a seu responsável legal, os riscos dos procedimentos cirúrgicos ou anestésicos que serão executados.

Pela proposta, os profissionais de saúde deverão apresentar um termo de esclarecimento prévio, que será assinado pelos pacientes. O documento deverá conter os itens seguintes:
- riscos envolvidos no procedimento que será executado;
- resultados esperados;
- identificação dos cirurgiões e anestesistas que realizarão o procedimento, incluindo seus registros nos conselhos profissionais.

Linguagem acessível

O termo deverá ser escrito em linguagem acessível àqueles que não trabalham na área da saúde. Caso o paciente se recuse a assinar o termo, uma testemunha confirmará esse fato no documento. No caso de pacientes analfabetos, as informações serão dadas oralmente na frente de uma testemunha, que deverá assinar o papel.

A entrega do termo de esclarecimento prévio só não será obrigatória nos casos de iminente perigo de morte. Em todos os outros casos, caso o profissional de saúde não apresente o documento ao paciente ele estará sujeito a multa e suspensão da atividade profissional.

Resultados inesperados

A autora da proposta explica que a medida é necessária para evitar que os pacientes sejam surpreendidos por resultados inesperados, o que, segundo ela, vem se tornando comum. “Certamente, é possível recorrer ao Judiciário para a devida reparação penal e civil, quando for o caso. Entretanto, é importante que os cidadãos disponham de meios para prevenir essas ocorrências”, disse.

Para Lauriete, a medida beneficia tanto os pacientes quanto os próprios profissionais de saúde: “A adoção do termo de esclarecimento prévio facilitaria uma tomada de decisão mais consciente por parte do usuário, além de resguardar, formalmente, os profissionais de saúde contra erros de compreensão”.


Tramitação
A proposta, que tramita de forma conclusiva, será analisada pelas comissões de Seguridade Social e Família; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Autor: Carolina Pompeu
Fonte: Agência Câmara

Alerta: Botulismo


Via Marcão

Alerta: Azeitona Orgânica com Amêndoas Bio Gaudiano

A Anvisa alerta os consumidores para que não utilizem o produto Azeitona Orgânica com Amêndoas da marca Bio Gaudiano. A área de Alimentos da Agência recebeu alertas da Rede Internacional de Autoridades em Inocuidade de Alimentos da Organização Mundial da Saúde (INFOSAN/OMS) e do Sistema de Alerta Rápido para Alimentos e Ração da Comunidade Européia (RASFF), sobre recolhimento no mercado de todos os lotes e embalagens do produto.

A medida está sendo adotada por causa da notificação de dois casos de botulismo na Finlândia associadas ao consumo do produto.

Segundo rastreamento feito pela Anvisa, o Brasil importou, em julho de 2010, 150 unidades do lote F2510X, com prazo de validade até junho de 2012. As unidades importadas são frascos de vidro de 314ml que foram distribuídas aos estados de Goiás, Espírito Santo, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.

A Anvisa está atuando em conjunto com as vigilâncias sanitária para que as unidades do produto que ainda estejam no mercado possam ser recolhidas.

Até o momento não há casos de botulismo registrados no país pelo consumo do produto. O botulismo é uma doença não contagiosa, causada por uma toxina produzida pela bactéria Clostridium botulinum e se caracteriza clinicamente por manifestações neurológicas e/ou gastrointestinais, podendo ter evolução grave, com necessidade de hospitalização prolongada.


Veja o Alerta da Anvisa aos Consumidores.

Fonte: Imprensa/Anvisa

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Mal de Parkinson

Avanços no tratamento do mal de Parkinson

Brasil começa a produzir remédio contra mal de Parkinson e alcançará a autossuficiência dentro de cinco anos

O Brasil estará produzindo, dentro de cinco anos, toda a quantidade do medicamento pramipexol necessária para o tratamento do mal de Parkinson no país. A produção nacional do remédio, apontado como a primeira escolha no tratamento da doença, será feita pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Acordo assinado nesta quinta-feira (3), no Rio de Janeiro, deu início à transferência da tecnologia para a produção do remédio que será repassada pelo laboratório alemão Boehringer Ingelheim a técnicos do Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos).

O Farmanguinhos é a unidade técnico-científica da Fiocruz considerada o maior laboratório farmacêutico oficial vinculado ao Ministério da Saúde. A partir de 2015, a Fiocruz passa a responder por 50% do pramipexol produzido e consumido no país. “[O pramipexol] é, hoje, o principal tratamento [para o mal de Parkison] e, para nós, do ponto de vista da produção, tem ainda uma atração tecnológica: com nosso aprendizado, essa tecnologia vai permitir que Farmanguinhos incorpore outros medicamentos relacionados aos males do sistema nervoso central no futuro”, explicou o diretor do Instituto Farmanguinhos, Hayne Felipe da Silva

Em 2017, toda a produção do medicamento consumido pelos brasileiros será nacional. A nacionalização da tecnologia do medicamento significa economia e maior controle sobre a demanda. Anualmente, são gastos cerca de R$ 40 milhões na aquisição desse remédio no mercado internacional para a distribuição em toda a rede pública de saúde brasileira.

“Tem o lado da soberania do país, enquanto fornecedor de um medicamento importante. E também possibilita a ampliação de acesso porque você reduz custo. A parceria permitirá uma redução de aproximadamente 5% do valor dispendido hoje pelo Ministério da Saúde, que poderá ampliar o acesso”, acrescentou Silva.

O pramipexol é um dos medicamentos mais usados no tratamento do mal de Parkinson, doença que afeta quase 200 mil brasileiros com mais de 60 anos, segundo estimativas da Associação Brasil Parkinson. O medicamento age como a dopamina (neurotransmissor cuja produção decai no doente de Parkinson pela morte dos neurônios que o produzem) e vem apresentando bons resultados, segundo especialistas, tanto na fase avançada, associado a outras substâncias, quanto na fase inicial do tratamento, protegendo o cérebro contra algumas complicações tardias do tratamento com levodopa ou retardando o aparecimento dessas complicações.

O mal de Parkison é uma doença degenerativa, crônica e progressiva, que atinge, principalmente, a população idosa, provocando tremor, rigidez muscular, diminuição da velocidade dos movimentos e afetando o equilíbrio físico do doente. A doença também pode provocar problemas de sono, depressão e dificuldades da fala.


Autor: Carolina Gonçalves
Fonte: Agência Brasil

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Novembro azul

Depois do Outubro Rosa, o próximo mês será dedicado ao diabetes. A Secretaria Municipal de Saúde, por meio do Centro de Atenção ao Diabetes (Hiperdia), promove o Novembro Azul, que terá ações de conscientização contra a doença.

O azul é a cor do círculo que representa o diabetes. O movimento, que também carrega esta cor, é realizado em todo o mundo, em mais de 160 países, em alusão ao Dia Mundial do Diabetes (14 de novembro). No Brasil, as ações são coordenadas pela Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), com o objetivo de disseminar informações importantes para ajudar a controlar e prevenir o diabetes, além de educar a população.

Segundo Maria Luiza Mendonça, coordenadora do Centro de Atenção ao Diabetes (Hiperdia), a doença, quando diagnosticada precocemente, pode ser controlada sem complicações. “É importante estarmos sempre atentos aos sinais de alerta do diabetes. Obesidade, hipertensão, sedentarismo e casos de diabetes na família são fatores de risco que devem ser observados”, explicou.


Finalmente Vet

Nova Política Nacional de Atenção Básica inclui Médico Veterinário no NASF
PORTARIA Nº 2.488, DE 21 DE OUTUBRO DE 2011

Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a organização da Atenção Básica, para a Estratégia Saúde da Família (ESF) e o Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS).
Trecho da portaria:

O NASF 1 deverá ter uma equipe formada por uma composição de profissionais de nível superior escolhidos dentre as ocupações listadas abaixo que reúnam as seguintes condições:
I - a soma das cargas horárias semanais dos membros da equipe deve acumular no mínimo 200 horas semanais;

II - nenhum profissional poderá ter carga horária semanal menor que 20 horas; e

III - cada ocupação, considerada isoladamente, deve ter no mínimo 20 horas e no máximo 80 horas de carga horária semanal. O NASF 2 deverá ter uma equipe formada por uma composição de profissionais de nível superior escolhidos dentre as ocupações listadas abaixo que reúnam as seguintes condições:

I - a soma das cargas horárias semanais dos membros da equipe deve acumular no mínimo 120 horas semanais;

II - nenhum profissional poderá ter carga horária semanal menor que 20 horas; e III - cada ocupação, considerada isoladamente, deve ter no mínimo 20 horas e no máximo 40 horas de carga horária semanal. Poderão compor os NASF 1 e 2 as seguintes ocupações do Código Brasileiro de Ocupações - CBO: Médico Acupunturista; Assistente Social; Profissional/Professor de Educação Física; Farmacêutico; Fisioterapeuta; Fonoaudiólogo; Médico Ginecologista/Obstetra; Médico Homeopata; Nutricionista; Médico Pediatra; Psicólogo; Médico Psiquiatra; Terapeuta Ocupacional; Médico Geriatra; Médico Internista (clinica médica), Médico do Trabalho, Médico Veterinário, profissional com formação em arte e educação (arte educador) e profissional de saúde sanitarista, ou seja, profissional graduado na área de saúde com pós-graduação em saúde pública ou coletiva ou graduado diretamente em uma dessas áreas.
A composição de cada um dos NASF será definida pelos gestores municipais, seguindo os critérios de prioridade identificados a partir dos dados epidemiológicos e das necessidades locais e das equipes de saúde que serão apoiadas.

Acesso completo aqui: http://www.brasilsus.com.br/legislacoes/gm/110154-2488.html

http://veterinariaesaudepublica.blogspot.com/2011/10/nova-politica-nacional-de-atencao.html

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Maconha


Estudo afirma que maconha causa 'caos cognitivo' no cérebro

Usuários apresentam alteração mental com resultados similares aos da esquizofrenial

O consumo de maconha está associado a alterações na concentração e na memória que podem causar problemas neurofisiológicos e de conduta, indicou nesta terça-feira um estudo publicado pela revista Journal of Neuroscience.

Os pesquisadores descobriram que a atividade cerebral fica descoordenada e inexata durante os estados de alteração mental com resultados similares aos observados na esquizofrenia.

O estudo, produzido por cientistas da Universidade de Farmacologia de Bristol, na Inglaterra, analisou os efeitos negativos da maconha na memória e no pensamento, o que pode provocar redes cerebrais "desorquestradas".

O doutor Matt Jones, um dos autores da pesquisa, equiparou o funcionamento das ondas cerebrais ao de uma grande orquestra na qual cada uma das seções vai estabelecendo um determinado ritmo e uma afinação que permitem o processamento de informações e que guiam nosso comportamento.

Para comprovar a teoria, Jones e sua equipe administraram em um grupo de ratos um fármaco que se assemelha ao princípio psicoativo da maconha, a cannabis, e mediram sua atividade elétrica neuronal.

Embora os efeitos nas regiões individuais do cérebro tenham sido muito sutis, a cannabis interrompia completamente as ondas cerebrais atravéhttp://www.blogger.com/img/blank.gifs do hipocampo e do córtex pré-frontal, como se as seções de uma orquestra tocassem desafinadas e fora de ritmo.

Jones indicou que estas estruturas cerebrais são fundamentais para a memória e a tomada de decisões e estão estreitamente vinculadas à esquizofrenia.

Os ratos se mostravam desorientadas na hora de percorrer um labirinto no laboratório e eram incapazes de tomar decisões adequadas.

"O abuso da maconha é comum entre os esquizofrênicos, e estudos recentes mostraram que o princípio psicoativo da maconha pode provocar sintomas de esquizofrenia em indivíduos sãos", explicou Jones.

Fonte: www.sissaude.com.br/