Secretaria Municipal de Saúde






Toda pessoa tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar a si e a sua família saúde e bem estar, inclusive alimentação, vestuário, habitação, cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis, e direito à segurança em caso de desemprego, doença, invalidez, viuvez, velhice ou outros casos de perda dos meios de subsistência fora de seu controle.

Artigo Artigo XXV da Declaração Universal de Direitos Humanos



Saúde, Ciência, Pesquisa, Arte, Cultura, nossa gente da SMS, e o que mais possa interessar.



Organizado por William H Stutz

Veterinário Sanitarista

whstutz@gmail.com



Este Blog é independente, sem vínculo oficial com instituição alguma.
Todos
estão convidados a contribuir com informações de interesse coletivo.





segunda-feira, 28 de maio de 2012

Diabetes

Exame distingue células beta no pâncreas para detecção precoce do diabetes

Abordagem também pode ajudar médicos a monitorar alterações que ocorrem no organismo em resposta aos tratamentos

ISaúde.net - Pesquisadores da Universidade Vanderbilt, nos Estados Unidos, desenvolveram uma nova técnica capaz de iluminar e distinguir células beta presentes no pâncreas. A abordagem pode ajudar os médicos a diagnosticar o diabetes mais cedo e monitorar alterações na massa das células beta em resposta aos tratamentos.

As células beta residem no pâncreas e segregam insulina em resposta aos picos de níveis de açúcar no sangue. Em pessoas com diabetes, elas não funcionam corretamente, e muitas vezes estão em número reduzido.

Como as células beta compõem uma pequena porcentagem do pâncreas, a distinção delas do tecido circundante por meio de aplicações de imagem é difícil.

O pesquisador Jack Virostko e seus colegas fotografaram camundongos usando tomografia por emissão de pósitrons (PET). Eles usaram radioatividade para detectar tecidos e bioluminescência para identificar células beta geneticamente modificadas que expressam luciferase, a mesma proteína que faz brilhar os vaga-lumes.

Por meio da combinação destas duas técnicas, os autores conseguiram distinguir as células beta no interior da cavidade abdominal do rato.