Secretaria Municipal de Saúde






Toda pessoa tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar a si e a sua família saúde e bem estar, inclusive alimentação, vestuário, habitação, cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis, e direito à segurança em caso de desemprego, doença, invalidez, viuvez, velhice ou outros casos de perda dos meios de subsistência fora de seu controle.

Artigo Artigo XXV da Declaração Universal de Direitos Humanos



Saúde, Ciência, Pesquisa, Arte, Cultura, nossa gente da SMS, e o que mais possa interessar.



Organizado por William H Stutz

Veterinário Sanitarista

whstutz@gmail.com



Este Blog é independente, sem vínculo oficial com instituição alguma.
Todos
estão convidados a contribuir com informações de interesse coletivo.





quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Controle do Colesterol


8 de agosto
Dia Nacional de Controle do Colesterol incentiva hábitos saudáveis
Cardápio balanceado e exercícios são fundamentais para o controle das taxas




Celebrado no dia 8 de agosto, o Dia Nacional de Controle do Colesterol não é só um alerta aos riscos que o colesterol elevado apresenta. É também um convite às mudanças de hábitos alimentares, à prática de exercícios físicos e ao abandono do cigarro. O conjunto de medidas saudáveis resulta não só no equilíbrio dos níveis de colesterol como na prevenção e manutenção de doenças como diabetes e hipertensão arterial.

O colesterol é uma substância responsável por diversas funções do organismo. Entre elas, o transporte das gorduras pelo sangue, a manutenção das células e a fabricação de hormônios e de vitamina D , explica Cyntia Carla da Silva, coordenadora de nutrição do Hospital do Coração.

A especialista esclarece ainda que a maior parte do colesterol é fabricada pelo próprio organismo. Apenas 30% do colesterol total são provenientes da alimentação. Os outros 70% são sintetizados pelo fígado , completa. O colesterol proveniente da dieta está exclusivamente presente nos alimentos de origem animal, como gema de ovo, frutos do mar, carnes gordas, embutidos, leite e laticínios integrais.

As gorduras saturadas e trans também são apontadas como contribuintes para o aumento do colesterol. As gorduras saturadas são encontradas principalmente nas gorduras das carnes, no leite integral e nos seus derivados, no coco e no azeite de dendê. Já as margarinas em tabletes, as gorduras industriais usadas na preparação de chocolates, cremes, biscoitos recheados e sorvetes são alimentos ricos em gordura trans , lista a especialista do HCor.

Cyntia alerta que os problemas surgem, na maioria das vezes, quando as pessoas passam a ingerir colesterol e gordura saturada em excesso. Ela explica que, nestes casos, a gordura excedente não é totalmente aproveitada pelo organismo e começa a ser depositada nas artérias, formando as placas de gordura. O uso de pílulas anticoncepcionais e problemas como hipotireodismo são outros fatores contribuintes para o aumento do colesterol.

Um dos pontos negativos do colesterol elevado é que, normalmente, o descontrole não apresenta sintomas até levar a uma conseqüência mais grave. Todos que tiverem as taxas de colesterol elevadas precisam de acompanhamento médico. As primeiras alternativas de tratamento são mudanças no cardápio e prática de exercícios. Mas, é sempre bom lembrar que cada indivíduo tem a necessidade de um tratamento específico , orienta Samantha Christie Enande, nutróloga da Clínica Valéria Marcondes.

Mantenha os níveis saudáveis
É importante ressaltar que, por desempenhar tarefas importantes no organismo, o colesterol não pode ser visto apenas como vilão. Dividido em colesterol bom (HDL) e ruim (LDL), as duas frações devem se manter equilibradas.



O HDL remove o excesso de colesterol no sangue, reduzindo o risco de formação das placas de gordura. Por isso, quanto maior a quantidade, melhor. Os baixos níveis do colesterol do bem indicam grande risco para o desenvolvimento de doenças cardíacas, como infarto. É aconselhável que a taxa de HDL seja maior ou igual a 60 mg/dL.

Enquanto isso, o LDL é o responsável pela formação de placas de gordura nas artérias, o que prejudica a passagem de sangue, indicando risco de infarto e derrame cerebral. O nível de LDL sangüíneo tido como ótimo é menor do que 100 mg/dL.

Dicas para atingir os níveis recomendados
1. Substitua o leite e seus derivados integrais (requeijão, iogurtes, queijos gordurosos) pelas versões desnatadas.
2. Dê preferência à margarina vegetal cremosa, rica em gordura insaturada.
3. Evite preparar os alimentos com banha de porco, bacon e gordura de coco.
4. Controle a ingestão de miúdos de boi e ave, como coração, miolo e fígado.
5. Controle a ingestão de ovos. Consuma, no máximo, dois por semana. Atente ainda às preparações que levam ovos, como panquecas, tortas, suflês e bolos.
6. Evite carnes gordurosas, como picanha, cupim, lingüiça e embutidos. Controle também a ingestão de frutos do mar.
7. Retire a pele do frango antes do cozimento.
8. Leia os rótulos alimentícios e evite os alimentos que contêm gorduras saturadas e hidrogenadas.
9. Prefira alimentos grelhados e cozidos.


Fonte: www.minhavida.com.br