Secretaria Municipal de Saúde






Toda pessoa tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar a si e a sua família saúde e bem estar, inclusive alimentação, vestuário, habitação, cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis, e direito à segurança em caso de desemprego, doença, invalidez, viuvez, velhice ou outros casos de perda dos meios de subsistência fora de seu controle.

Artigo Artigo XXV da Declaração Universal de Direitos Humanos



Saúde, Ciência, Pesquisa, Arte, Cultura, nossa gente da SMS, e o que mais possa interessar.



Organizado por William H Stutz

Veterinário Sanitarista

whstutz@gmail.com



Este Blog é independente, sem vínculo oficial com instituição alguma.
Todos
estão convidados a contribuir com informações de interesse coletivo.





quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Sem Tabaco

Dia Nacional sem Tabaco: cigarro mata 5 milhões de pessoas por ano




Os derivados do tabaco são responsáveis por cerca de 5 milhões de mortes anualmente. São 200 mil apenas no Brasil. De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), um terço da população mundial adulta fuma. Os homens são a maioria e representam cerca de 80% dos fumantes. No entanto, enquanto o consumo masculino está em declínio o número feminino cresce de modo preocupante. Vale destacar que o tabagismo ativo é a primeira causa de morte evitável no mundo, mas o fumo passivo também merece atenção ocupando o terceiro lugar. As mulheres são as principais vítimas. Segundo dados do Inca (Instituto Nacional de Câncer), elas representam 60% das mortes por tabagismo passivo no Brasil.

De acordo com a pneumologista do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos Tania Pereira Ignacio, as substâncias presentes nos derivados do tabaco são diretamente responsáveis por aproximadamente 50 doenças. ”Entre elas enfisema pulmonar, problemas cardiovasculares e inúmeros tipos de câncer”, lista. São mais de 4.700 componentes tóxicos como o monóxido de carbono (mesmo gás venenoso que sai do escapamento de automóveis) e a nicotina (droga psicoativa responsável pela dependência física) que também causam infertilidade, halitose e envelhecimento precoce da pele. Em gestantes o fumo é responsável por abortos múltiplos e episódios de hemorragia, além de problemas na placenta e nascimentos prematuros. O cigarro ainda está relacionado a uma taxa elevada de morte fetal e de recém-nascidos.

Leia mais no Jornal Correio