Secretaria Municipal de Saúde






Toda pessoa tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar a si e a sua família saúde e bem estar, inclusive alimentação, vestuário, habitação, cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis, e direito à segurança em caso de desemprego, doença, invalidez, viuvez, velhice ou outros casos de perda dos meios de subsistência fora de seu controle.

Artigo Artigo XXV da Declaração Universal de Direitos Humanos



Saúde, Ciência, Pesquisa, Arte, Cultura, nossa gente da SMS, e o que mais possa interessar.



Organizado por William H Stutz

Veterinário Sanitarista

whstutz@gmail.com



Este Blog é independente, sem vínculo oficial com instituição alguma.
Todos
estão convidados a contribuir com informações de interesse coletivo.





terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Dengue

Agentes de endemia dão início ao LIRAa



Os agentes de controle de endemias da Secretaria Municipal de Saúde iniciaram nesta segunda-feira (14) o Levantamento rápido de infestação do Aedes aegypti (LIRAa). São 25 equipes distribuídas em toda cidade. Esse procedimento é feito por amostragem, em cada 100 residências 20% são visitadas. O último LIRAa do município aconteceu em outubro onde foi detectado incidência de 1%, que é considerado um grau satisfatório. De acordo com esse levantamento, foram identificados que 100% dos focos do mosquito estão nas residências, sendo 20% dentro das casas e 80% nos quintais.

Segundo a diretora de Vigilância em Saúde, Rosuíta Fratari Bonito, para combater de forma eficaz a dengue é necessário a conscientização da população. “Precisamos eliminar todo o foco, qualquer utensílio jogado no quintal pode ser um reservatório de água que precisa ser eliminado. Independente do tamanho, tudo pode se tornar um criadouro, daí a importância da população em contribuir para que os índices estejam dentro do índice considerado tolerável pelo Ministério da Saúde”. O índice favorável é de até 1% dos casos; Entre 2ª a 3 % a situação é de risco. Acima de 3% é considerado alto índice de infestação de focos do Aedes aegypti.

Hoje, Uberlândia tem 17 casos notificados sendo que ainda não existe nenhum deles confirmados pela sorologia. A confirmação desses casos demora 15 dias. Para a diretora de Vigilância em Saúde, essa situação é considerada normal de acordo com o tamanho do município. “Ainda estamos em condição favorável, mas em estado de alerta, visto que temos muitos casos confirmados em municípios vizinhos”, afirma Rosuíta.