Secretaria Municipal de Saúde






Toda pessoa tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar a si e a sua família saúde e bem estar, inclusive alimentação, vestuário, habitação, cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis, e direito à segurança em caso de desemprego, doença, invalidez, viuvez, velhice ou outros casos de perda dos meios de subsistência fora de seu controle.

Artigo Artigo XXV da Declaração Universal de Direitos Humanos



Saúde, Ciência, Pesquisa, Arte, Cultura, nossa gente da SMS, e o que mais possa interessar.



Organizado por William H Stutz

Veterinário Sanitarista

whstutz@gmail.com



Este Blog é independente, sem vínculo oficial com instituição alguma.
Todos
estão convidados a contribuir com informações de interesse coletivo.





quarta-feira, 27 de março de 2013

Escorpiões de Março

Foto: William H Stutz

Começa o pico de reprodução do escorpião


Por ano, são capturados em Uberlândia mais de 2.000 animais

É nessa época do ano (março/maio) que ocorre o pico da reprodução dos escorpiões. O período se inicia em dezembro juntamente com as chuvas. À medida que elas se tornam menos freqüentes, com os locais ainda úmidos e o aumento da temperatura, é formado ambiente ideal para a reprodução, que se estende até o mês de maio.

O número de chamadas registrando o aparecimento de escorpiões aumenta em cerca de 30% nesta época. Por dia, os técnicos do laboratório animais peçonhentos do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) fazem, em média, nove visitas para captura de animais. Além de repassar todos os procedimentos de segurança e de eliminação de criadouros de escorpião, os técnicos percorrem todo o quarteirão do endereço onde partiu a ocorrência.

Em Uberlândia existem seis espécies predominantes, duas delas (Tityus bahiensis – de cor marrom e o Tityus serrulatus – de cor amarela) são consideradas de maior preocupação por oferecerem risco à saúde.

A picada do escorpião é caracterizada pela dor intensa que pode durar mais de 24 horas. Em caso de picada a pessoa deve ser levada para UAI do bairro Pampulha ou para o Pronto Socorro da Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

Em caso de aparecer escorpião em casa, a população deve comunicar o caso ao laboratório pelo telefone 3255-3028 e de preferência guardar o animal (vivo ou morto) para os técnicos registrarem o caso no monitoramento do município. “Nós temos um trabalho constante de captura de escorpião, temos locais de visitação freqüente para monitorar se a população do animal aumenta ou se aparece novas espécies na cidade”, disse o veterinário William Stutz.

O controle dos animais no município é feito pelos técnicos e veterinário do laboratório de animais peçonhentos do CCZ, que sistematicamente recolhem escorpiões pela cidade. As regiões de maior predominância são perto dos córregos, no cemitério São Pedro e nos bairros Martins, Aparecida, Brasil e região central, onde existe maior concentração de construções antigas.

Por ano, são capturados em Uberlândia mais de 2.000  animais, número considerado alto já que a cidade não é foco de incidência de escorpião. A população deve evitar acúmulo de lixo e de entulho de construção e manter telas de proteção nos ralos, já que o escorpião preferencialmente vive na rede de esgoto.

Os animais capturados são encaminhados para a Fundação Ezequiel Dias, em Belo Horizonte, para a produção de soro. Além de escorpiões de Uberlândia, são enviados os animais capturados na região, somando mais de 3.500 escorpiões enviados por ano.

Confira nosso relatório de atividades de 2012

Fonte: Secom PMU