Secretaria Municipal de Saúde






Toda pessoa tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar a si e a sua família saúde e bem estar, inclusive alimentação, vestuário, habitação, cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis, e direito à segurança em caso de desemprego, doença, invalidez, viuvez, velhice ou outros casos de perda dos meios de subsistência fora de seu controle.

Artigo Artigo XXV da Declaração Universal de Direitos Humanos



Saúde, Ciência, Pesquisa, Arte, Cultura, nossa gente da SMS, e o que mais possa interessar.



Organizado por William H Stutz

Veterinário Sanitarista

whstutz@gmail.com



Este Blog é independente, sem vínculo oficial com instituição alguma.
Todos
estão convidados a contribuir com informações de interesse coletivo.





segunda-feira, 18 de março de 2013

Hanseníase

Cento e sete municípios participam de Campanha contra a Hanseníase

Agência Minas

A divisa do Triângulo Mineiro com Goiás está entre as regiões com maior números de casos de hanseníase

Na semana da Campanha Nacional de Hanseníase e Geohelmintiases (verminoses), promovida pelo Ministério da Saúde e veiculada entre os dias 18 e 22 de março, 107 municípios mineiros aderiram à proposta de divulgar, por meio de mobilização e orientações dos professores e alunos, o tema nas escolas públicas do Estado.

De acordo com a Coordenadora de Dermatologia Sanitária da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), a médica dermatologista, Ana Regina Coelho de Andrade, os municípios mineiros participantes estão em áreas que merecem maior atenção. “As regiões com maior número de casos de hanseníase estão nas divisas do Estado com o sul da Bahia e Espírito Santo, Goiás e Distrito Federal e na divisa de Goiás com o Triângulo Mineiro. Locais onde o problema da doença é agravado, não só pelos movimentos migratórios próprios destas localidades, mas também pela estrutura assistencial existente”, explicou.

Além de reduzir a carga parasitária de geohelmíntos em crianças e adolescentes matriculados no ensino público fundamental, a campanha busca identificar precocemente os casos suspeitos de hanseníase, através do “método do espelho” (utilização de formulários para o mapeamento das lesões). Em todo o estado, cerca de 277 mil estudantes, na faixa etária de 5 a 14 anos, serão alcançados pela campanha.


Ainda, segundo Ana Regina, a cada ano são diagnosticados cerca de 2000 casos novos no Estado. “Em 2011, dos 1.524 casos registrados da doença 4,1% (63 casos) foram identificados em menores de 15 anos. O acometimento de crianças pressupõe a presença de adultos doentes sem diagnóstico e sem tratamento, convivendo e transmitindo a hanseníase para crianças e adolescentes”, relatou.

O foco do programa de controle de hanseníase da SES-MG está no diagnóstico precoce, tratamento adequado e na vigilância de contatos. Com atenção especial aos casos que ocorrem em menores de 15 anos, onde as ações de vigilância epidemiológica são intensificadas. O Programa tem o objetivo de melhorar o acesso ao diagnóstico, tratamento, prevenção de incapacidades e reabilitação, nos vários níveis de atenção à saúde para disponibilizar uma atenção integral e adequada ao portador da doença.


A doença

A hanseníase é uma doença infecciosa, crônica, causada por uma bactéria chamada M. leprae que afeta a pele e os nervos periféricos, em especial os dos braços e das pernas. A doença tem cura e se tratada precocemente e de forma adequada, não deixa sequelas.

Mancha na pele ou área aparentemente normal, mas com alteração de sensibilidade, pode ser hanseníase. Neste caso o paciente deve ser encaminhado a uma unidade de saúde pública para confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento que é gratuito e tem duração de 6 a 12 meses. Ao iniciar o tratamento, o paciente deixa de transmitir a doença à outras pessoas do seu convívio.


Foto e fonte: Jornal Correio de hoje 18/03/2013