Secretaria Municipal de Saúde






Toda pessoa tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar a si e a sua família saúde e bem estar, inclusive alimentação, vestuário, habitação, cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis, e direito à segurança em caso de desemprego, doença, invalidez, viuvez, velhice ou outros casos de perda dos meios de subsistência fora de seu controle.

Artigo Artigo XXV da Declaração Universal de Direitos Humanos



Saúde, Ciência, Pesquisa, Arte, Cultura, nossa gente da SMS, e o que mais possa interessar.



Organizado por William H Stutz

Veterinário Sanitarista

whstutz@gmail.com



Este Blog é independente, sem vínculo oficial com instituição alguma.
Todos
estão convidados a contribuir com informações de interesse coletivo.





quarta-feira, 29 de maio de 2013

Doença Falciforme

Quatorze profissionais da saúde de Uberlândia foram capacitados no projeto “Doença Falciforme: Linha de Cuidados na Atenção Primária à Saúde”. A equipe de avaliação e monitoramento deste projeto apresentou os resultados alcançados pelos profissionais aprovados no curso e a proposta de replicação dos conhecimentos adquiridos nas unidades de atendimento.

De acordo com a coordenadora do Programa de Atenção Integral às Pessoas com Doença Falciforme em Uberlândia, Clenize das Graças, a capacitação oferecida pelo curso contribuiu para a reflexão crítica dos profissionais na atenção primaria à saúde. “A participação da prefeitura em projetos como estes reafirmam o compromisso que a gestão tem com o paciente e com a educação, promovendo a capacitação para assistência integral nos casos de doença falciforme” disse a coordenadora.

A doença falciforme é hereditária e resulta de uma modificação genética no gene (DNA) que ao invés de produzir o pigmento chamado hemoglobina (hb). A dentro dos glóbulos vermelhos ou hemácias, produz outra denominada S (Hbs).

O diagnóstico é feito com o teste do pezinho na primeira semana de vida ou com exame sanguíneo a partir dos 4 meses de vida. Em Uberlândia, já foram registrados 409 casos no serviço de referencia ambulatorial. As pessoas com diagnóstico confirmado de doença falciforme devem ser cadastradas no serviço de referência e receber orientações médicas conforme protocolo estabelecido no Ministério da Saúde.

Fonte: Portal da PMU