Secretaria Municipal de Saúde






Toda pessoa tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar a si e a sua família saúde e bem estar, inclusive alimentação, vestuário, habitação, cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis, e direito à segurança em caso de desemprego, doença, invalidez, viuvez, velhice ou outros casos de perda dos meios de subsistência fora de seu controle.

Artigo Artigo XXV da Declaração Universal de Direitos Humanos



Saúde, Ciência, Pesquisa, Arte, Cultura, nossa gente da SMS, e o que mais possa interessar.



Organizado por William H Stutz

Veterinário Sanitarista

whstutz@gmail.com



Este Blog é independente, sem vínculo oficial com instituição alguma.
Todos
estão convidados a contribuir com informações de interesse coletivo.





terça-feira, 9 de julho de 2013

Cesáreas demais

Índice de cesáreas em Uberlândia é o dobro do registrado em Minas Gerais

Daniela Nogueira Repórter

O índice de partos cirúrgicos em Uberlândia é mais que o dobro do nacional, quase duas vezes maior que a média de Minas Gerais e é cinco vezes maior que o idealizado pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Dos 8,8 mil partos na cidade em 2012, 7,2 mil foram cesáreas, o que equivale a 82,3% do total no ano passado, segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde. No Brasil, a taxa de cesarianas foi de 40,14% e a média mineira foi de 44,61%, de acordo com informações do Ministério da Saúde. O indicador preconizado pela OMS para este tipo de procedimento é de 15%.

Para a coordenadora do Programa Saúde da Mulher em Uberlândia, Bárbara Cunha Melo Lazarini Antoniolo, o principal fator que sustenta o alto índice de partos cirúrgicos na cidade é o fato de o Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU) e Hospital Municipal serem referências na região do Triângulo Mineiro para casos de alto risco. “Uberlândia drena todos os casos de alto risco na região e considerando essa referência, nosso ideal é de 40% de cesáreas. Estamos trabalhando para diminuir o nosso índice, mas não precisa esperar de nós um índice menor que 40%”, afirmou Barbara Antoniolo.


Médica obstetra Silvia Caires incentiva o parto humanizado




Jornal Correio de 9 de Julho de 2013