Secretaria Municipal de Saúde






Toda pessoa tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar a si e a sua família saúde e bem estar, inclusive alimentação, vestuário, habitação, cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis, e direito à segurança em caso de desemprego, doença, invalidez, viuvez, velhice ou outros casos de perda dos meios de subsistência fora de seu controle.

Artigo Artigo XXV da Declaração Universal de Direitos Humanos



Saúde, Ciência, Pesquisa, Arte, Cultura, nossa gente da SMS, e o que mais possa interessar.



Organizado por William H Stutz

Veterinário Sanitarista

whstutz@gmail.com



Este Blog é independente, sem vínculo oficial com instituição alguma.
Todos
estão convidados a contribuir com informações de interesse coletivo.





quinta-feira, 4 de julho de 2013

Democracia começa em casa

Médicos paralisam atendimentos nas Unidades de Atendimento Integrado

Renata Tavares Especial para o CORREIO


Os atendimentos em algumas UAIs foram reduzidos

Mais de 50 médicos paralisaram os atendimentos ambulatoriais na rede municipal de saúde durante todo o dia desta quarta-feira (3). De acordo com o delegado do CRM em Uberlândia Melicégenes Ribeiro Ambrósio, a categoria aderiu ao movimento nacional que pede melhorias de condições de trabalho, valorização da classe e a não contratação de médicos estrangeiros.

Os atendimentos emergenciais e urgentes, segundo a secretaria de Saúde, foram mantidos. Somente nas unidades dos bairros Planalto e Tibery, zona Oeste e Leste da cidade, respectivamente os casos classificados como não graves foram direcionados para outras UAIs. A reportagem do jornal CORREIO esteve nas duas unidades na tarde desta quarta-feira, apesar de poucos pacientes, a espera para atendimento no bairro Planalto era longa.

A caseira Adriele dos Santos Moraes, 22 anos, estava deitada no banco e aguardava ser chamada. Segundo ela, foram oito horas de espera. “Eu estou com infecção no sangue. Vim para cá às 8h e me disseram que iriam me levar para outra UAI, mas até agora nada”, disse por volta das 17h.

As consultas ambulatoriais foram remarcadas para outras datas. Ainda de acordo com a secretaria os médicos também deixaram de atender, nesta quarta-feira, em parte das unidades de atenção primária, que a exemplo das UAIs, terão as consultas médicas marcadas em outro dia.
Manifestação

Em Uberlândia são 2,4 mil médicos, que atendem a rede pública e privada, 150 participaram da manifestação em frente ao CRM, na avenida Cesário Alvim na tarde desta quarta-feira (3). A delegada do Sindicato dos Médicos de Uberlândia, Viviane Garcia de Souza, disse que essa foi a primeira vez que a categoria aderiu aos movimentos e que espera melhorias. “Estamos batalhando para melhorar a infraestrutura das unidades também. As UAI’s, principalmente as mais antigas precisam passar por reformas”.

Fonte: Jornal Correio de Uberlândia