Secretaria Municipal de Saúde






Toda pessoa tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar a si e a sua família saúde e bem estar, inclusive alimentação, vestuário, habitação, cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis, e direito à segurança em caso de desemprego, doença, invalidez, viuvez, velhice ou outros casos de perda dos meios de subsistência fora de seu controle.

Artigo Artigo XXV da Declaração Universal de Direitos Humanos



Saúde, Ciência, Pesquisa, Arte, Cultura, nossa gente da SMS, e o que mais possa interessar.



Organizado por William H Stutz

Veterinário Sanitarista

whstutz@gmail.com



Este Blog é independente, sem vínculo oficial com instituição alguma.
Todos
estão convidados a contribuir com informações de interesse coletivo.





sábado, 30 de março de 2013

Dia da Saúde e Nutrição

31 de Março - Dia da Saúde e Nutrição

O Dia da Saúde e da Nutrição é uma data comemorativa criada no Brasil para conscientizar a população para a importância da saúde e boa alimentação. Esse dia é escolhido para que as pessoas possam pensar na sua própria saúde e seus hábitos alimentares. Também serve para que as instituições, públicas e privadas, pensem como podem contribuir para um desenvolvimento sustentável nessa área.

Ter uma boa alimentação é mais do que satisfazer simplesmente a fome. Uma alimentação saudável tem que incluir o consumo de nutrientes necessários para o bom funcionamento do corpo humano, e isso leva a um aumento da qualidade de vida.

Uma dica para uma melhor nutrição é consumir menos alimentos processados e passar a consumir mais alimentos naturais e frescos. A atividade física regular também é benéfica para a saúde e tem efeitos na resposta do corpo à absorção dos nutrientes.

Fonte: Calendar R Brasil




quarta-feira, 27 de março de 2013

Contra a gripe

Lançada campanha de vacinação contra a gripe

A campanha de vacinação contra a gripe acontece entre 15 à 26 de abril em todos os estados

Foi anunciado, nesta terça-feira (26), o lançamento da 15º Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe Influenza. A campanha será realizada de 15 a 26 de abril, com o dia de mobilização nacional (Dia D) marcado para o sábado (20). Realizada pelo Ministério da Saúde, em parceria com as secretarias estaduais e municipais, a campanha abrange todos os estados do País e o Distrito Federal.

Este ano, a vacina tem os três tipos de vírus que mais circularam no inverno, Influenza H1N1, H3N2 e Influenza B.

A meta é atingir 31,30 milhões de pessoas em todo o Brasil, com o objetivo de evitar a propagação do vírus da influenza, principalmente entre os grupos prioritários, que compreende crianças de 6 meses a 2 anos de idade; gestantes, independente da idade gestacional (meses de gravidez); mulheres no período puerpério, até 45 dias após o parto; pessoas com 60 anos de idade ou mais; trabalhadores da Saúde que atuam nos serviços de referência para Influenza; população privada de liberdade (população prisional); e, neste ano, estendida também a pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições que possam favorecer o surgimento de casos graves de gripe influenza.

De acordo com o ministro da saúde, Alexandre Padilha, a maior preocupação é reforçar a vacinação aos grupos de doenças crônicas e as mulheres no período puerpério (com 45 dias após o parto). “Este ano estamos estimulando estados e municípios a terem métodos de busca ativa dos públicos prioritários”, destacou.

Portal Brasil

Escorpiões de Março

Foto: William H Stutz

Começa o pico de reprodução do escorpião


Por ano, são capturados em Uberlândia mais de 2.000 animais

É nessa época do ano (março/maio) que ocorre o pico da reprodução dos escorpiões. O período se inicia em dezembro juntamente com as chuvas. À medida que elas se tornam menos freqüentes, com os locais ainda úmidos e o aumento da temperatura, é formado ambiente ideal para a reprodução, que se estende até o mês de maio.

O número de chamadas registrando o aparecimento de escorpiões aumenta em cerca de 30% nesta época. Por dia, os técnicos do laboratório animais peçonhentos do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) fazem, em média, nove visitas para captura de animais. Além de repassar todos os procedimentos de segurança e de eliminação de criadouros de escorpião, os técnicos percorrem todo o quarteirão do endereço onde partiu a ocorrência.

Em Uberlândia existem seis espécies predominantes, duas delas (Tityus bahiensis – de cor marrom e o Tityus serrulatus – de cor amarela) são consideradas de maior preocupação por oferecerem risco à saúde.

A picada do escorpião é caracterizada pela dor intensa que pode durar mais de 24 horas. Em caso de picada a pessoa deve ser levada para UAI do bairro Pampulha ou para o Pronto Socorro da Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

Em caso de aparecer escorpião em casa, a população deve comunicar o caso ao laboratório pelo telefone 3255-3028 e de preferência guardar o animal (vivo ou morto) para os técnicos registrarem o caso no monitoramento do município. “Nós temos um trabalho constante de captura de escorpião, temos locais de visitação freqüente para monitorar se a população do animal aumenta ou se aparece novas espécies na cidade”, disse o veterinário William Stutz.

O controle dos animais no município é feito pelos técnicos e veterinário do laboratório de animais peçonhentos do CCZ, que sistematicamente recolhem escorpiões pela cidade. As regiões de maior predominância são perto dos córregos, no cemitério São Pedro e nos bairros Martins, Aparecida, Brasil e região central, onde existe maior concentração de construções antigas.

Por ano, são capturados em Uberlândia mais de 2.000  animais, número considerado alto já que a cidade não é foco de incidência de escorpião. A população deve evitar acúmulo de lixo e de entulho de construção e manter telas de proteção nos ralos, já que o escorpião preferencialmente vive na rede de esgoto.

Os animais capturados são encaminhados para a Fundação Ezequiel Dias, em Belo Horizonte, para a produção de soro. Além de escorpiões de Uberlândia, são enviados os animais capturados na região, somando mais de 3.500 escorpiões enviados por ano.

Confira nosso relatório de atividades de 2012

Fonte: Secom PMU

terça-feira, 26 de março de 2013

1ª Jornada de Sustentabilidade


Meio Ambiente realiza Jornada de Sustentabilidade

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente dá início, na próxima quarta-feira (27), às 17h, a 1ª Jornada de Sustentabilidade. A palestra acontece no auditório do Centro Administrativo Municipal e será ministrada por dois representantes do Grupo Algar. Nesse primeiro encontro serão abordados os três pilares que a empresa apoia e incentiva nas cidades onde ela atua que são a sustentabilidade social, ambiental e econômica. Será feita uma apresentação do case das boas práticas do grupo na área da sustentabilidade. Além de promover a capacitação dos servidores da secretaria, a Jornada de Sustentabilidade também visa abrir espaços ao público em geral, interessado em debater sobre o assunto.

O objetivo do secretário da pasta, Hélio Mendes, é que durante os quatro anos de gestão seja ministrada uma palestra por mês relacionada ao tema sustentabilidade. Serão ao todo 48 encontros que vão dar ênfase nos quatro pilares do desenvolvimento sustentável. O maior desafio da secretaria é traçar um planejamento para Uberlândia até o ano de 2050. “Uma cidade para ser considerada sustentável tem que priorizar o lado social, econômico, ambiental e cultural da sociedade. A nossa intenção com essas ações é capacitar nossos servidores e o público interessado, é possível sim fazer um bom planejamento”, afirma o secretário.

Durante a palestra, a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (Correios) fará um lançamento de dois selos comemorativos do “Ano internacional de cooperação pela água”, que entrou em circulação a partir desse mês.

SERVIÇO:

O quê: 1ª Jornada de Sustentabilidade
Quando: Quarta-feira (27) – 17h
Onde: Auditório Cícero Diniz – Centro Administrativo Municipal


segunda-feira, 25 de março de 2013

sexta-feira, 22 de março de 2013

Catarse

Reunião técnica da Divisão de Vigilância em Saúde. Aqui se programa, avalia e se faz saúde  coletiva.
Local onde literalmente é Proibido Calar Catarses.

A reunião aconteceu nas instalações da Imunização onde fomos acolhidos com a carterística fidalguia da  colega e amiga Cida com um belo café da manhã. Um despertar em cheiros e sabores em manhã de muita chuva que contribuiu sobremaneira para o bem andar da reunião, frutífero trocar de idéias e criação.

Clique nas fotos que elas aumentam

 Foto -  Urbanogramas


Fotos Paulo - Colega motorista da Imunização


quarta-feira, 20 de março de 2013

Interação gênica

Em busca de alvos terapêuticos, cientistas mapeiam rede de interação gênica
20/03/2013
Por Karina Toledo

Agência FAPESP – Descobrir como os genes de um determinado tecido do corpo humano se comunicam, e o que muda nessa rede de interação gênica quando uma pessoa fica doente, permite não apenas compreender melhor o mecanismo molecular das enfermidades como também identificar alvos terapêuticos para o desenvolvimento de novas drogas.

Pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) estão usando essa estratégia para estudar o cérebro de pessoas com uma forma de epilepsia resistente aos medicamentos hoje disponíveis. Também estão usando o método para entender o desenvolvimento do timo, órgão de grande importância para o sistema imunológico, com o objetivo futuro de descobrir como as doenças autoimunes e as imunodeficiências se instalam.

“Estamos aplicando na área de genômica uma ferramenta que surgiu na Física há muito tempo: análise de redes complexas. Isso permite mapear de maneira precisa os genes mais importantes e aqueles que têm mais ligações com outros genes”, contou Carlos Alberto Moreira-Filho, da Faculdade de Medicina (FMUSP).



Parque ecológico

2ª AÇÃO SOCIAL E CULTURAL E 5ª CAMINHADA PELA IMPLANTAÇÃO DO PARQUE ECOLÓGICO DO CÓRREGO BONS OLHOS

Acontecerá no domingo, dia 24/03/2013, às 08h30m, a 2ª Ação Social pela Implantação do Parque Ecológico do Córrego Bons, na Rua Nelson Grama, bairro Nova Uberlândia. Mas, antes desse grande evento, você deve participar da 5ª Caminhada Ecológica pelo mesmo objetivo, que sai da Rua dos Jasmins, esquina com a Rua das Juritis, indo até a Rua Nelson Grama. Os novos participantes ganharão uma camiseta personalizada do Movimento pelo parque.

Além de apresentações culturais, como a Orquestra de Viola Caipira e o Grupo Manos do Hip-Hop, temos uma série de serviços comunitários para oferecer à comunidade. A Tenda da Saúde estará presente aferindo a pressão arterial e fazendo teste de glicemia, bem como, orientação nutricional.

Haverá cama elástica, barraca de orientações contra às drogas, Polícia Militar, Bombeiros, orientação jurídica, sorteios, segurança do trabalho, matrículas em cursos profissionalizante, ouvidoria, solicitações, oficinas de reciclagem.

O evento é uma realização do Movimento Cidade Futura, do Instituto de Geografia, da Proex/UFU, do Gabinete da Vereadora Michele Bretas e da Associação de Moradores do Bairro Cidade Jardim.

Maiores informações no site: www.bonsolhos.org.br/

Consumo de sal


OMS divulga novas orientações no consumo de sal e potássio para adultos e crianças
Entidade afirma que balanço entre os dois nutrientes ajuda a prevenir hipertensão

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou novas diretrizes recomendando que adultos consumam menos sal e incluam um mínimo de potássio em suas dietas diárias a fim de reduzir o risco de doenças cardíacas e derrame. Pela primeira vez, limites para o consumo diário de sódio também foram estabelecidos para crianças.

Antes dessas resoluções, a OMS recomendava o consumo diário de 2 gramas de sódio (ou 5 gramas de sal). As novas orientações baixaram esse limite e agora indicam a ingestão de menos de menos de 2 gramas de sódio por dia, sendo esse o valor máximo. Esse limite também é válido para as crianças acima de dois anos, mas pede reajustes para valores ainda menores conforme idade, peso e necessidades calóricas de cada uma. Segundo a organização, a pressão alta na infância pode se estender para a vida adulta, aumentando o risco de males como hipertensão e doenças cardiovasculares.

As diretrizes que tratam do consumo de sódio para adultos também foram alteradas. De acordo com a entidade, os adultos devem consumir menos de 2 gramas de sódio e pelo menos 3,51 gramas de potássio por dia. Esse parâmetro se dá pelo fato de que o potássio também é um regulador da pressão arterial - quanto mais baixos forem os seus níveis no sangue, maior o risco de hipertensão. A agência afirma que doenças silenciosas ligadas à alimentação são crônicas e levam décadas para se manifestar. O atraso do surgimento dessas doenças poderia salvar vidas e resultar em cortes de gastos substanciais para a saúde.

Substitua alimentos ricos em sódio com estas dicas e receitas

Síndrome de Down


Fonte: JN Gazeta de Uberlândia - Edição de 20 a 26 de março de 2013

terça-feira, 19 de março de 2013

Khumbaya - Soweto Gospel Choir

Khumbaya - Soweto Gospel Choir

Descarte de pneus

Centro de Controle de Zoonoses alerta contra o descarte inadequado de pneus

Por Vinícius Oliveira
Programa de Aprimoramento Profissional

Embora seja uma ação considerada agressiva ao meio ambiente e um perigo para a saúde da população, ainda é comum encontrar pessoas descartando indevidamente pneus velhos em terrenos baldios ou em áreas periféricas da cidade. Uma dessas ações foi flagrada recentemente pela reportagem do CORREIO de Uberlândia, quando o motorista de caminhão foi observado jogando pneus usados na alça de acesso ao Viaduto da Ceasa. Questionado, o homem disse não se importar, pois funcionários da prefeitura passariam e recolheriam depois o material. O Centro de Controle de Zoonoses é contra esse tipo de ação.

De acordo com o coordenador do Centro de Zoonoses de Uberlândia, Adalberto Pajuaba Neto, a prática do motorista, infelizmente, não é isolada, mas alerta às pessoas que desejam se desfazer de pneus que entrem em contato com o centro por meio do telefone (34) 3213-1470, meio pelo qual o agente que atender vai informar quais os meios de descarte mais indicados ou, dependendo da quantidade de pneus, uma unidade da zoonoses vai até o endereço para fazer o recolhimento.


Ainda segundo o coordenador do Centro de Controle de Zoonoses, não existem muitas ocorrências nesse sentido, pois agentes do centro habitualmente passam, recolhendo os pneus velhos nas borracharias que desejam fazer o descarte. Independente disso, para quem ainda insiste em descartar pneus no meio ambiente, Adalberto alerta: “Jogar pneus em lotes ou áreas não autorizadas se torna um grande risco pra sociedade, além de ser um ótimo lugar para o mosquito da dengue se alojar. Pode também entupir bueiros e causar enchentes”.


Foto acima: Motorista é flagrado jogando pneus velho em área 
próxima ao Ceasa 

Plasmodium vivax

Pesquisa sobre malária causada por Plasmodium vivax precisa ser ampliada

Por Elton Alisson, de Tóquio

Agência FAPESP – Em razão dos grandes investimentos em pesquisa e desenvolvimento de vacinas realizados por instituições filantrópicas internacionais, nos últimos anos se avançou muito no conhecimento sobre o Plasmodium falciparum – uma das principais espécies causadoras de malária.

Já estudos sobre a espécie Plasmodium vivax – responsável por 85% dos casos de malária registrados no Brasil e 50% dos na Ásia – ficaram relegados a segundo plano. Diferentemente do Plasmodium falciparum, o P. Vivax não causa mortalidade, supostamente não é resistente às drogas e é impossível cultivá-lo em laboratório, o que dificulta a pesquisa de sua biologia.

Nos últimos dez anos, no entanto, começaram a surgir no mundo inteiro – inclusive no Brasil – casos de pacientes diagnosticados com malária causada por P. vivax que começaram a apresentar complicações de saúde e, em alguns casos, chegaram a óbito.

A fim de aumentar a compreensão sobre o parasita – até então considerado benigno –, grupos de pesquisa na Austrália, nos Estados Unidos, em Cingapura e no Brasil se dedicam a estudá-lo. Os esforços de pesquisa, no entanto, estão aquém do necessário, alertam os malariologistas.

segunda-feira, 18 de março de 2013

Hanseníase

Cento e sete municípios participam de Campanha contra a Hanseníase

Agência Minas

A divisa do Triângulo Mineiro com Goiás está entre as regiões com maior números de casos de hanseníase

Na semana da Campanha Nacional de Hanseníase e Geohelmintiases (verminoses), promovida pelo Ministério da Saúde e veiculada entre os dias 18 e 22 de março, 107 municípios mineiros aderiram à proposta de divulgar, por meio de mobilização e orientações dos professores e alunos, o tema nas escolas públicas do Estado.

De acordo com a Coordenadora de Dermatologia Sanitária da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), a médica dermatologista, Ana Regina Coelho de Andrade, os municípios mineiros participantes estão em áreas que merecem maior atenção. “As regiões com maior número de casos de hanseníase estão nas divisas do Estado com o sul da Bahia e Espírito Santo, Goiás e Distrito Federal e na divisa de Goiás com o Triângulo Mineiro. Locais onde o problema da doença é agravado, não só pelos movimentos migratórios próprios destas localidades, mas também pela estrutura assistencial existente”, explicou.

Além de reduzir a carga parasitária de geohelmíntos em crianças e adolescentes matriculados no ensino público fundamental, a campanha busca identificar precocemente os casos suspeitos de hanseníase, através do “método do espelho” (utilização de formulários para o mapeamento das lesões). Em todo o estado, cerca de 277 mil estudantes, na faixa etária de 5 a 14 anos, serão alcançados pela campanha.


Ainda, segundo Ana Regina, a cada ano são diagnosticados cerca de 2000 casos novos no Estado. “Em 2011, dos 1.524 casos registrados da doença 4,1% (63 casos) foram identificados em menores de 15 anos. O acometimento de crianças pressupõe a presença de adultos doentes sem diagnóstico e sem tratamento, convivendo e transmitindo a hanseníase para crianças e adolescentes”, relatou.

O foco do programa de controle de hanseníase da SES-MG está no diagnóstico precoce, tratamento adequado e na vigilância de contatos. Com atenção especial aos casos que ocorrem em menores de 15 anos, onde as ações de vigilância epidemiológica são intensificadas. O Programa tem o objetivo de melhorar o acesso ao diagnóstico, tratamento, prevenção de incapacidades e reabilitação, nos vários níveis de atenção à saúde para disponibilizar uma atenção integral e adequada ao portador da doença.


A doença

A hanseníase é uma doença infecciosa, crônica, causada por uma bactéria chamada M. leprae que afeta a pele e os nervos periféricos, em especial os dos braços e das pernas. A doença tem cura e se tratada precocemente e de forma adequada, não deixa sequelas.

Mancha na pele ou área aparentemente normal, mas com alteração de sensibilidade, pode ser hanseníase. Neste caso o paciente deve ser encaminhado a uma unidade de saúde pública para confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento que é gratuito e tem duração de 6 a 12 meses. Ao iniciar o tratamento, o paciente deixa de transmitir a doença à outras pessoas do seu convívio.


Foto e fonte: Jornal Correio de hoje 18/03/2013

Notícias da Saúde

Caros amigos e amigas,
Pelo link abaixo você acompanha as notícias de nossa Secretaria publicadas no Portal da Prefeitura, fique por dentro das nossas ações, tenha uma visão geral do que se faz por nossa gente. Boa leitura e ótima semana

William H Stutz ( Billy)

Clique aqui para Notícias da nossa SMS

1ª Canoagem Ecológica

Sol, disposição e muita adrenalina. Foi com este espírito que um grupo de pessoas percorreu com caiaques cerca de 5,5 quilômetros do rio Uberabinha, em Uberlândia. A 1ª Canoagem Ecológica abre a VI Semana de Preservação e Conservação dos Recursos Hídricos, evento realizado pela Câmara Municipal em parceria com a Prefeitura de Uberlândia.

Portal da nossa Prefeitura - A 1ª Canoagem Ecológica teve como objetivo principal conscientizar a população quanto à limpeza e preservação do rio. Com o auxílio de um bote, foram recolhidas sacolas plásticas, isopor, garrafas pet e vários outros objetos jogados às margens e dentro do rio Uberabinha, principal fonte de abastecimento de água da população. Ao todo, o grupo conseguiu recolher o equivalente a uma caminhonete repleta de lixo.

Segundo o publicitário Cassius Emmanuel, um dos organizadores da atividade, foram retirados capacetes, peças de motocicletas, vídeos cassete, bolas, isopor, latas de cerveja, sacolas plásticas, garrafas, entre outros objetos. “O bote ficou lotado de sujeira e dejetos, além das próprias embarcações. É um absurdo. Isso porque não havia mais local para colocar tanto lixo. Precisamos nos conscientizar porque senão toda a comunidade será prejudicada, pois os mananciais estão sendo destruídos”, disse.

A 1ª Canoagem Ecológica teve início no Clube Caça e Pesca até o Praia Clube e durou aproximadamente três horas e meia. A atividade contou também com o apoio das empresas Kaiakar, Trilhas Interpretativas e Eco Mergulho.

O evento também teve o apoio do Corpo de Bombeiros e Polícia Militar que ao longo dos 5,5 Km do percurso montou sete pontos estratégicos de apoio e resgate. “Os pontos de apoio são fundamentais no caso de um possível acidente, mas todos os remadores são experientes e já conhecem o trecho percorrido”, explicou Lucas Franco, um dos responsáveis da Eco Mergulho.






sexta-feira, 15 de março de 2013

Sangue de cordão umbilical

Brasil terá mais cinco bancos de sangue de cordão umbilical até 2014 

Rio de Janeiro – O Brasil vai ganhar até 2014 mais cinco bancos de sangue de cordão umbilical e placentário para integrar a rede brasileira, Brasilcord, criada em 2004, que conta atualmente com 12 bancos públicos desse tipo de sangue. O coordenador da BrasilCord, Luiz Fernando Bouzas, informou que uma unidade será inaugurada em Minas Gerais, em meados deste ano.

“Ainda faltam cidades importantes devido a características genéticas para serem cobertas. E os próximos bancos serão construídos nos próximos dois anos nos estados do Amazonas, Maranhão, da Bahia, de Mato Grosso do Sul. Com esses 17 bancos, esperamos ter a cobertura de todo o território nacional, com uma amostragem da população brasileira armazenada”, disse Bouzas.

O investimento médio em cada banco da expansão da rede foi R$ 3,5 milhões, financiados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Já existem quatro bancos em São Paulo, devido à densidade populacional, um no Rio, um no Paraná, em Curitiba, no Rio Grande do Sul, Ceará, Pará e em Pernambuco.



quinta-feira, 14 de março de 2013

Copa sem fumo

Inca elogia decisão da Fifa de livrar estádios da fumaça de cigarros durante jogos da Copa

Alana Gandra
Repórter da Agência Brasil

Rio de Janeiro - A decisão da Federação Internacional de Futebol (Fifa) de tornar os estádios livres da fumaça de cigarros e outros produtos derivados do tabaco durante os jogos da Copa das Confederações, que começa em junho, e das partidas da Copa do Mundo de 2014 foi considerada “excepcional” pelo diretor-geral do Instituto Nacional do Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca), Luiz Antonio Santini.

A instituição já havia feito essa solicitação à Fifa em nome da Comissão Nacional para Implementação da Convenção-Quadro (Conicq), que é o acordo para o controle do tabaco e a proteção das pessoas dos efeitos nocivos do tabagismo passivo. “Felizmente, a Fifa adotou essa posição, que é muito importante”, disse Santini à Agência Brasil.

Ele considera a medida essencial para proteger as pessoas que comparecerão aos jogos do incômodo da fumaça do cigarro e também do risco de doenças como o câncer e as cardiovasculares. “E, em segundo lugar, por divulgar a importante recomendação, no caso do Brasil, da legislação que proíbe o fumo em ambientes fechados, estendendo a medida para ambientes semiabertos nos estádios mas que, de qualquer maneira, são altamente próximos às pessoas que estarão sujeitas à inalação involuntária da fumaça”.

quarta-feira, 13 de março de 2013

Cordão umbilical

Anvisa lançará cartilha sobre reais benefícios de armazenar sangue de cordão umbilical

Flávia Villela
Repórter da Agência Brasil

Rio de Janeiro - A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) vai lançar, no fim de março, uma cartilha para alertar os futuros pais sobre os reais benefícios de armazenar o sangue de cordão umbilical para uso próprio, também conhecido como autólogo.

O gerente de Tecidos, Células e Órgãos da Anvisa, Daniel Roberto Coradi de Freitas, explicou que a iniciativa, que conta com a parceria do Instituto Nacional do Câncer (Inca), foi impulsionada pela constatação de que muitos pais pagam caro para congelar o sangue dos cordões umbilicais dos filhos na crença de que estão adquirindo um seguro de vida.

“Na verdade, o uso dessas unidades é muito restrito. E nosso intuito é esclarecer aos pais essa realidade para que eles tomem uma decisão consciente”, disse Coradi. “Alguns bancos acabam fazendo propaganda sobre o uso da célula para o tratamento de uma série de doenças, o que ainda está sendo pesquisado”, acrescentou.


terça-feira, 12 de março de 2013

Ciência

Células “mães” se sacrificam por “filhas”
Leia em: http://agencia.fapesp.br/16944

Base de dados brasileira de produtos naturais recebe reconhecimento internacional
Leia em: http://agencia.fapesp.br/16945

14º Congresso Brasileiro de Trauma Ortopédico (CBTO)

Evento da Sociedade Brasileira de Trauma Ortopédico ocorre em maio em Ribeirão Preto; enfoque principal é a atualização, com destaque para os temas: artroplastia primária no trauma, fraturas articulares complexas, complicações da osteossíntese e avanços na regeneração óssea 

Leia em: http://agencia.fapesp.br/16954

sexta-feira, 8 de março de 2013

Dia Internacional da Mulher


8 de Março, Dia Internacional da Mulher
Por que essa data é comemorada no dia 8 de março?

Foto ao lado: Incêndio em fábrica de Nova York, matou mais de 150 mulheres.


No dia 8 de março de 1857, operárias de uma fábrica de tecidos, na cidade norte americana de Nova Iorque, fizeram uma grande greve. Ocuparam a fábrica e começaram a reivindicar melhores condições de trabalho, tais como, redução na carga diária de trabalho para dez horas (as fábricas exigiam 16 horas de trabalho diário), equiparação de salários com os homens (as mulheres chegavam a receber até um terço do salário de um homem, para executar o mesmo tipo de trabalho) e tratamento digno dentro do ambiente de trabalho.

A manifestação foi reprimida com total violência. As mulheres foram trancadas dentro da fábrica, que foi incendiada. Aproximadamente 130 tecelãs morreram carbonizadas, num ato totalmente desumano.
Porém, somente no ano de 1910, durante uma conferência na Dinamarca, ficou decidido que o 8 de março passaria a ser o "Dia Internacional da Mulher", em homenagem as mulheres que morreram na fábrica em 1857.
A data foi oficializada pela ONU (Organização das Nações Unidas) através de um decreto no ano de 1975.

Fonte: Sua Pesquisa

quinta-feira, 7 de março de 2013

Outra verdade incômoda



Temos visto muitas notícias sobre infecções hospitalares e a sensação que fica é a de que essa tragédia acaba de chegar a Uberlândia. Infelizmente, não é verdade. O assunto é complexo por ter múltiplas causas (algumas inevitáveis), por depender da atuação de todos os envolvidos e, principalmente, por envolver a vida das pessoas. Com o devido respeito às famílias que perdem seus parentes, devemos basear nossas condutas em aspectos técnicos e discussões racionais e responsáveis, ainda que seja impossível abandonarmos nossas emoções. Ouso citar alguns conceitos na tentativa, talvez pretensiosa, de trazer um pouco de luz à discussão.

1 – todos nós convivemos com um grande número de agentes infecciosos (bactérias, fungos, vírus, entre outros), sem que esses nos causem doença. A isso chamamos colonização, como ocorre em nossa pele, intestinos, narinas e boca. Isso é normal e até benéfico;

2 – ao usar antibióticos, eliminamos as bactérias sensíveis e causamos um desequilíbrio. Passam a proliferar bactérias que são resistentes e essas podem ou não causar doença, o que depende da imunidade da pessoa;

3 – buscando diagnosticar e tratar, os pacientes são submetidos a procedimentos que quebram suas barreiras naturais às infecções. Por exemplo, o uso de cateteres na veia visa à aplicação de medicamentos, mas quebra a integridade da pele, propiciando a entrada de bactérias por essa via. Da mesma forma, uma sonda na bexiga para medir o volume de urina facilita a chegada de bactérias à bexiga, causando infecção dos rins ou generalizada (sepsis). Outro exemplo: o tubo oro-traqueal, passado pela garganta do paciente, visa oferecer oxigênio a quem não consegue respirar sozinho; no entanto, também permite que bactérias alcancem os pulmões, causando pneumonias;

4 – devemos comemorar o aumento da sobrevida dos pacientes, inclusive daqueles internados. Pacientes que há algum tempo morreriam antes mesmo de chegar ao hospital – como os portadores de cânceres, infartos, derrames ou vítimas de traumas e violência – hoje sobrevivem. Isso em grande parte às custas do uso dos dispositivos citados. Junto a isso, é enorme o crescimento de doenças degenerativas que aumentam o grau de dependência dos pacientes;

5 – na tentativa de reduzir tais riscos, todo hospital é obrigado a manter em funcionamento um Serviço de Controle de Infecções Hospitalares (SCIH), o qual está inserido em uma Comissão de Controle de IH’s (CCIH), composta por representantes de todas as áreas envolvidas direta ou indiretamente na assistência ao paciente. São seguidas normas definidas por órgãos nacionais e internacionais.

Portanto, pacientes submetidos a procedimentos que lhes podem salvar a vida têm, paradoxalmente, um risco aumentado de adquirir infecções hospitalares potencialmente graves ou fatais. Assim, internações devem ser absolutamente necessárias. Desnecessário dizer que ninguém ou nenhuma instituição patrocina tamanha tragédia, nem que suas soluções estejam escondidas na geleia ideológico-partidária brasileira. A redução dos riscos de infecções hospitalares é tarefa conjunta de profissionais da área da saúde, administradores, pacientes e familiares, por meio de medidas complexas ou de outras extremamente simples e eficientes, como o simples ato de lavar as mãos.

Thogo Lemos
Médico Infectologista do HC-UFU
Gerente de Riscos do Hospital Municipal

Publicado no Jornal Correio em 7 de Março de 2013

quarta-feira, 6 de março de 2013

PISAST

Recebemos da colega Fabiana Godoy Malaspina da Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Contaminantes Químicos - VIGIPEQ,
Coordenação Geral de Vigilância em Saúde Ambiental - CGVAM
Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador - DSAST
Secretaria de Vigilância em Saúde - Ministério da Saúde



PISAST –Painel em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador

Clique na imagem abaixo para abrir o Painel (em PDF)

terça-feira, 5 de março de 2013

Convivência de casais

Recebi do amigo Thogo Lemos

Esther Perel: The secret to desire in a long-term relationship.

Não legendado, esforce com seu inglês o tema abordado é extremamente interessante.


segunda-feira, 4 de março de 2013

Dia Mundial da Alimentação -- Ecobenefícios

"Em uma ação realizada no início do mês em Porto Alegre, trocamos os pratos tradicionais do buffet de um restaurante de grande fluxo por outros 20% menores -- nos quais literalmente faltava um pedaço. A ideia era chamar a atenção para os 20% de alimentos que são desperdiçados diariamente no Brasil -- campeão mundial no índice."

Sindrome do pânico




Cana



Com grandes ressalvas ouço e leio sobre o gigantesco investimento de R$ 2,4 bi, com vistas a concretizar a produção sucroalcooleira em nossa região. Se por um lado a geração de milhares de empregos diretos e indiretos é notícia alvissareira – é esperar para ver – por outro fico mais uma vez preocupado com nosso escamoteado meio ambiente. Posso parecer um ecochato, não sou. Com propriedade disse Guto Requena em artigo publicado recentemente na “Folha de S. Paulo”: “Para ser moderno e descolado, hoje, é preciso ter uma mesa com selo verde, uma almofadinha feita de PET reciclado ou uma bolsa com tampinhas de refrigerante, tudo ao estilo “hippie-chique”.

E continua “Ao contrário: o ato de consumo sem necessidade já é, a priori, insustentável”.
Não, nada disso. Prefiro me sentir apenas como alguém simplesmente consciente, preocupado com o futuro, nada mais.

Está certo, concordo que “o biocombustível vem sendo encarado como um dos métodos preferenciais de reduzir as emissões de gases responsáveis pelo efeito estufa, geradas pela queima de combustíveis fósseis, e assim reduzir o aquecimento global causado pelas atividades humanas”. (Kelly Hearn na National Geographic News e isso dito em 2007).

A expansão da produção agrícola em larga escala a fim de cultivar mais cana, dizem os críticos, agravará a perda de diversidade de espécies, as questões de qualidade da água e a fragmentação de habitats em algumas das regiões mais diversificadas biologicamente em todo o mundo. “A preocupação primária é que o esforço de produção de biocombustíveis amplie direta ou indiretamente as perdas nas áreas de alta diversidade biológica remanescentes no Brasil, tais como o Cerrado”, diz John Buchanan, diretor sênior da Conservation International, uma organização norte-americana sem fins lucrativos. A região do Cerrado, “com 1,9 milhão de quilômetros, representa a maior savana da América do Sul e uma das mais ricas do mundo em termos de espécies de pássaros, répteis, peixes e insetos”, completa Hearn.

Nosso Cerrado, antes da expansão agrícola que, com técnicas apropriadas conseguiu tornar-se farto em produção, ia muito bem obrigado. Rico em vida e saúde.

Terras antes consideradas impróprias economicamente hoje são negociadas a preço de ouro. Basta uma voltinha nos arredores de Uberlândia para ver o estrago irreparável causado ao nosso frágil ecossistema. Não, não precisa ser nenhum Augusto Ruschi ou um Jacques Cousteau nem militante de carteirinha do Greenpeace para perceber o enorme impacto que causamos em nosso entorno. As loucas estações do ano com suas mudanças sentidas na pele são uma pequena demonstração do nosso poder de destruição e inconsequência.
Cana só dá em terra boa. Imagine você o que será necessário para que os verdes campos sejam corrigidos para receber essa cultura exógena.

A cana-de-açúcar veio para ficar, até aí nenhuma novidade. Mas seguramente não veio para adoçar nossas vidas e muito menos a de nossas plantas e nossos bichos. O preço de tanto doce poderá, um dia, ser a causa de nossa diabetes existencial e do envenenamento irreversível do solo, onde todos nós um dia gostaríamos de descansar em paz. Não haverá insulina nem antídotos em quantidade suficiente para salvar o que ainda resta de magnífico e já condenado cerrado. Morte anunciada. A culpa? Ganância.




Publicado no Jornal Correio em 04/03/2013