Secretaria Municipal de Saúde






Toda pessoa tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar a si e a sua família saúde e bem estar, inclusive alimentação, vestuário, habitação, cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis, e direito à segurança em caso de desemprego, doença, invalidez, viuvez, velhice ou outros casos de perda dos meios de subsistência fora de seu controle.

Artigo Artigo XXV da Declaração Universal de Direitos Humanos



Saúde, Ciência, Pesquisa, Arte, Cultura, nossa gente da SMS, e o que mais possa interessar.



Organizado por William H Stutz

Veterinário Sanitarista

whstutz@gmail.com



Este Blog é independente, sem vínculo oficial com instituição alguma.
Todos
estão convidados a contribuir com informações de interesse coletivo.





terça-feira, 30 de julho de 2013

Semana da amamentação



O leite materno é considerado fundamental para o crescimento saudável de toda criança. O incentivo à amamentação no primeiro ano de vida faz parte do programa Saúde da Criança e do Adolescente da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Realizada em mais de 120 países desde 1998, em Uberlândia a Semana do Aleitamento Materno acontecerá entre os dias 1º e 7 de agosto. A Prefeitura apoia o evento que é realizado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

O tema desta edição é “Aconselhamento” e visa a estimular as mães na amamentação com todo o suporte da rede e da família. A mobilização social desse tema acontece em determinadas unidades do Programa de Saúde da Família, com palestras, reuniões com gestantes, vídeo educacional, grupos de bate-papo, orientações e distribuição de material educativo nas salas de espera. Assistentes sociais, médicos e enfermeiros unem esforços para mostrar a técnica correta de amamentação e a importância da prática às pacientes da rede pública de saúde.

“É uma programação para orientar as mães sobre a importância do leite materno tanto para o bebê quanto para a mãe. Há um declínio na amamentação e por isso é importante o aconselhamento contínuo às gestantes e àquelas que já deram à luz”, explicou a pediatra e coordenadora do programa, Raquel Cazabona.

No Dia D da Semana de Aleitamento Materno (6 de agosto) serão ministradas duas palestras para profissionais da área da saúde no Anfiteatro do Bloco 2A, no Campus Umuarama da UFU, a partir das 14h30. A primeira é sobre o “Aconselhamento às mães que amamentam”, da pediatra do Centro de Lactação de Santos, Keyko Miyasaki Teruya. A segunda será ministrada pelo obstetra do Hospital Sofia Feldman, Edson Borges de Souza, de Belo Horizonte, com o tema “O papel do Obstetra na promoção e apoio à amamentação”. Ao final, os participantes debatem sobre as questões levantadas em uma mesa-redonda.

Vantagens da amamentação

O aleitamento traz inúmeras vantagens para o organismo da criança em relação ao leite de vaca ou artificial. O leite materno é capaz de evitar mais de seis milhões de mortes por ano no mundo e reduz as chances de morte por doenças respiratórias em quatro vezes. Além disso, o bebê que não é amamentado pela mãe, tem 60 vezes mais necessidade de internação hospitalar e 14 vezes mais possibilidades de óbito por diarreia.

Em relação a mãe, os benefícios também são enormes. Segundo a pediatra, o aleitamento previne cânceres de mama, ovário e útero, bem como evita a osteoporose e a depressão pós-parto. “Além disso, ajuda a mãe a parar o sangramento do útero após o parto e permite uma perda de peso mais rápida”, concluiu Raquel Cazabona.


Fonte: Portal da Prefeitura de Uberlândia


Qualidade, não quantidade

Pesquisa de qualidade, não de quantidade

Por Elton Alisson, de Recife

Agência FAPESP – Depois de crescer em quantidade, a ciência brasileira enfrenta o desafio de melhorar a qualidade e aumentar seus impactos científico, social e econômico. Para isso, são necessárias, entre outras medidas, mudanças nos critérios de avaliação de pesquisadores e de instituições adotados pelas agências de fomento à pesquisa do país.

A análise foi feita por integrantes de uma mesa-redonda sobre “Impacto e avaliação da pesquisa”, realizada na terça-feira (23/07), durante a 65ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), em Recife (PE).

O encontro teve a participação de Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da FAPESP, Glaucius Oliva, presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), e Jorge Almeida Guimarães, presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

De acordo com dados apresentados por Brito Cruz, desde 1980 vem aumentando o número de artigos científicos publicados por autores do Brasil. “Isso indica um avanço inconteste do sistema de ciência brasileiro, especialmente se levarmos em conta que é um sistema tardio [em comparação com países com tradição científica] e que ainda enfrenta grandes dificuldades”, disse Brito Cruz.



sexta-feira, 26 de julho de 2013




Não tem situação mais estranha do que participar de reunião onde não se conhece ninguém. Reunião esta que pode até ser festiva, mas que, curiosamente, são as mais constrangedoras. Você recebe o convite de um grande amigo e sabe que não pode faltar. Pega mal. Lá chegando, meio que sem graça, dá uma volta por todo o ambiente e nada do tal amigo aparecer. Solução: busque uma mesa, a mais afastada possível de tudo e todos, de preferência encostada em alguma parede. Seu campo de visão é vasto e pouco se é notado. Arme-se de um meio sorriso sem graça e fica a observar o movimento. A ansiedade cresce a cada minuto que passa sem que nenhum rosto conhecido apareça, não precisa ser amigo, só conhecido.

Já encontrou com conhecido de Uberlândia em algum lugar do mundo durante viagem? Pode ser no litoral do Nordeste, em Orlando ou Viena. Essas pessoas, que nunca em tempo nenhum lhe dirigiram um aceno que fosse, fazem a maior festa, como se tivessem sido criadas na mesma rua e crescido juntas. Quem de longe observasse ficaria encantado com tanta gentileza e alegria. Pois bem, volte para cá e cruze com estas mesmas pessoas na rua, no clube, no teatro ou em algum restaurante. Baixam os olhos à sua passagem e você volta a ser o desconhecido de sempre, do qual querem a maior distância possível. Juro, nunca entendi esse comportamento bizarro. C’est la vie, penso eu, cada um com seus problemas e esquisitices.

Em reuniões, a situação é quase a mesma. Um rosto conhecido se aproxima e você lá, com sorriso suplicante, recebe um olhar, com certo pouco caso. O máximo! Sente-se em casa e aquele sujeito passa, por alguns segundos, a ser seu maior confidente, conhecedor de todos seus mais profundos segredos. O cara aproxima-se, o cumprimenta nem tão efusivamente e segue caminho. Seu olhar se dirige para o arranjo da mesa, cutuca uma flor, ajeita o vaso. A vontade é de se esconder atrás dele como se fosse moita.

Finalmente chega a bebida e o garçom passa a ser a bola da vez. Ele é o único que vem à sua mesa com
frequência, enche sua taça, troca algumas palavras. O esforço para tratá-lo bem é máximo. Não que queira prioridade em atendimento, mais fartura de bebidas, copo sempre cheio ou maior variedade de folhados e canapés. Nada disso. Você deseja apenas e unicamente companhia.

Aos poucos, a bebida começa a fazer seus loucos e relaxantes efeitos. Nada mais importa. A festa fica linda, onde até arriscar alguns passos na pista de dança acontece. A noite passa, finda e a volta para casa de táxi é doce e feliz. Valeu a pena.

Reuniões de trabalho são mais ou menos assim, quando poucos são os conhecidos. Olhares desconfiados sempre surgem: quem é esse cara a invadir nosso ambiente seguro?

Sou meio arredio para reuniões. Semana dessas, fui representar minha coordenadora em uma. Obviamente conhecia algumas pessoas lá presentes e tinha certo domínio sobre o assunto abordado. Fiquei encantado com a condução. Organização e timming perfeitos. Recado bem dado. Altamente produtiva. Único entrave foi que, marcada para tal hora, só começou bem mais tarde. Faltou pontualidade de alguns.

Mineiramente, já que ali estava como observador, tentei agir como a coruja do português comprada como sendo papagaio. Perguntado se o bicho falava, retrucou: olha, falar, fala não, mas presta uma atenção!





Publicado em Jornal Correio de Uberlândia em 26/07/2013


quarta-feira, 24 de julho de 2013

Ainda Gramado

Recebi do colega e amigo Guilherme Carneiro Reckziegel da Unidade Técnica de Vigilância de Zoonoses/ UVZ/CGDT/DEVEP/SVS/MS/ Responsável Técnico do  GT-Animais Peçonhentos
Nossa apresentação




Vacina oral contra hepatite B

Butantan iniciará teste clínico de vacina oral contra hepatite B
Nova vacina deverá ter a mesma eficácia da imunização por injeção, mas é mais barata e fácil de ser aplicada


Butantan iniciará teste clínico de vacina oral contra hepatite B
24/07/2013
Por Elton Alisson, de Recife

Agência FAPESP – O Instituto Butantan deverá iniciar, em breve, testes clínicos de uma vacina oral contra hepatite B que promete ter a mesma eficácia da vacina injetável, mas mais fácil de ser aplicada e com custo mais baixo.

O anúncio foi feito por Osvaldo Augusto Brazil Esteves Sant’Anna, pesquisador do Instituto Butantan, durante conferência proferida nesta terça-feira (23/07) na 65ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), em Recife (PE).

“O protocolo para iniciar os testes clínicos da vacina está sendo preparando. A vacina é importante mundialmente por mudar um paradigma de vacinação”, disse Sant’Anna, à Agência FAPESP.

De acordo com o pesquisador, um dos desafios para se administrar vacinas por via oral é fazer com que os antígenos (responsáveis pela imunização) cheguem ao sistema imune, localizado fundamentalmente no intestino.

A dificuldade ocorre porque é difícil atravessar o suco gástrico – que possui acidez muito alta, além de proteases (enzimas que quebram proteínas) – e chegar incólume ao intestino, a partir de onde será realizada a ação de imunização. Por esse motivo, um dos únicos exemplos de vacina administrada por via oral atualmente no mundo é a Sabin, utilizada para imunizar crianças contra a poliomielite.

Leia mais em  agencia.fapesp.br/17601

terça-feira, 23 de julho de 2013

Promoção da Igualdade Racial



Até o dia 26 de julho, estarão abertas as inscrições para os interessados em participar da Conferência Municipal de Promoção da Igualdade Racial. Elas podem ser feitas no Portal da Prefeitura. Esta é a terceira edição do evento, que acontece nos dias 26 e 27 de julho e terá como tema Democracia e desenvolvimento sem racismo: por uma Uberlândia afirmativa. A realização é da Superintendência da Igualdade Racial, ligada à Secretaria Municipal de Governo e a expectativa é de um público de aproximadamente 300 pessoas.

A conferência será realizada no auditório do Centro Administrativo Municipal e contará com palestras, painéis, debates em plenário e grupos de trabalho para discutir as políticas de igualdade racial no Brasil. O debate vai abordar os avanços, os desafios e as estratégias para o desenvolvimento e o enfrentamento ao racismo. Também compõem a pauta a análise dos arranjos institucionais para assegurar a sustentabilidade das políticas de igualdade racial, a participação política e controle social, entre outros temas de relevância municipal.

Todas as propostas discutidas e aprovadas servirão como subsídio à elaboração do Plano Municipal de Promoção da Igualdade Racial, um dos pilares da proposta da administração no que tange à implementação de ações necessárias ao estabelecimento de uma cidade afirmativa. “O objetivo principal é propiciar a participação ampla e democrática dos diversos segmentos da sociedade uberlandense de modo que o relatório final reflita fielmente tal diversidade”, disse a superintendente de Igualdade Racial, Marli Anastácio.

Além de representantes do poder público, foi constituída uma Comissão Organizadora formada por membros do Fórum Municipal de Promoção da Igualdade Racial e da Comissão Racial da Câmara Municipal de Uberlândia. Representantes desses órgãos junto com demais membros da sociedade civil formam o público da Conferência, que fará uma plenária para eleger 15 delegados. Os eleitos levarão as propostas do município para a Conferência Estadual, confirmada para os dias 28 a 30 de agosto em Belo Horizonte.

Portal da Prefeitura de Uberlândia

segunda-feira, 22 de julho de 2013

Plano Plurianual

Clique sobre a foto para ampliá-la



A Secretaria Municipal de Saúde iniciou nesta sexta-feira (18) as discussões para elaboração do Plano Municipal de Saúde e as ações do Plano Plurianual. O objetivo é planejar as diretrizes e metas para gestão dos recursos da saúde entre os anos de 2014 até 2017. Este encontro foi uma oportunidade de diálogo entre representantes do Conselho Municipal de Saúde, diretores e coordenadores da rede municipal de saúde. “É importante pensarmos em ações sequenciais na saúde conciliando as normatizações orçamentárias previstas em lei e a humanização dos serviços prestados”, disse o secretário municipal de Saúde, Almir Fontes.

O secretário destacou ainda a preocupação da gestão com a atenção primária e a necessidade de mobilizar ações para o melhor atendimento nas unidades de saúde de Uberlândia. “O Plano Municipal de Saúde é um diagnóstico que oportuniza a identificação de situações problemas e possibilita elaboração de propostas para melhoria dos serviços utilizados pela população”, explica a diretora de Planejamento e Informação em saúde, Dayana Fonseca. A proposta desta elaboração é pensar a prática cotidiana da saúde e estabelecer prioridades futuras, considerando os problemas e as potencialidades da rede municipal.

Fonte: Secom/PMU

quinta-feira, 18 de julho de 2013

Vacinação antirrábica

Campanha de vacinação antirrábica já vacinou
 mais de 4 mil animais na zona rural

Cindhi Belafonte Repórter


Segundo Ana Cláudia Borges, o objetivo da ação é manter o município imune à doença

Mais de 4 mil animais, entre cães e gatos, foram imunizados na zona rural de Uberlândia na primeira quinzena da campanha de vacinação contra raiva. A ação, que é realizada pelo 30º ano, vai até o dia 31 de julho. Na zona urbana, as aplicações começam no dia 17 de agosto. Ao todo, seis equipes de agentes do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) percorrem propriedades rurais do município para aplicar as vacinas. A expectativa é de que até o fim desta etapa sejam vacinados 8 mil animais de propriedades rurais.

De acordo com a veterinária e coordenadora do programa de controle de raiva animal do CCZ, Ana Cláudia Borges, o objetivo da ação é manter o município imune da doença. “Estamos em uma condição epidemiológica muito favorável, porque não temos casos de raiva canina, felina e humana há 27 anos, graças à adesão da população às campanhas de vacina”, disse. Segundo ela, além de imunizar, o CCZ toma outras medidas de prevenção. “Fazemos o acompanhamento epidemiológico dos animais agressores e a castração gratuita, de modo a realizar controle populacional das espécies”, afirmou.

No perímetro urbano, a vacinação ocorre entre os dias 17 e 24 de agosto e conta com 80 equipes de agentes para imunização. “A expectativa é vacinar mais de 50 mil animais”, afirmou Ana Cláudia Borges. Segundo ela, haverá um posto de vacinação itinerante para cada uma das regiões da cidade. “A cada dia, a estrutura de imunização será instalada em um local diferente, para atender aos bairros daquele setor. Além desses, haverá mais 30 postos fixos”, disse.

Clique na imagem para visualizar o roteiro da campanha de vacinação


Em Jornal Correio de 18/07/2013



quarta-feira, 17 de julho de 2013

1ª Reunião CAT-Talassemias

Recebemos de Silma Melo. Consultora Técnica, Área de Assessoramento Técnico às Talassemias (ATT), Coordenação-Geral de Sangue e Hemoderivados/DAE/SAS
Ministério da Saúde


Com prazer repassamos para conhecimentos de todos

"A Associação Brasileira de Hematologia e Hemoterapia publicou, em seu portal, nota sobre a 1ª Reunião da Comissão de Assessoramento Técnico às Talassemias (CAT-Talassemias), realizada nos dias 1 e 2 de julho de 2013, em Brasília/DF.








13ª edição da Expoepi

Recebemos de Fabiana Godoy Malaspina.
Coordenação Geral de Vigilância em Saúde Ambiental - CGVAM
Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador - DSAST
Secretaria de Vigilância em Saúde - Ministério da Saúde

Inscrições para 13ª edição da Expoepi, em Brasília, terminam no dia 19 de julho


As unidades federativas e municípios que ainda não se inscreveram para a 13ª edição da Mostra Nacional de experiências Bem-Sucedidas em Epidemiologia, Prevenção e Controle de Doenças (Expoepi) têm até sexta-feira (19/7) para garantir a participação. O evento está previsto para acontecer no mês de outubro, em data a ser definida, e tem como intuito a difusão de temas relevantes para a consolidação do Sistema Único de Saúde (SUS).


Os trabalhos técnico-científicos vencedores serão premiados com até R$ 50 mil.

São três modalidades. Na primeira, podem participar estados e municípios, além do Distrito Federal, com experiências em 13 áreas da saúde pública como vigilância em saúde ambiental e saúde do trabalhador e também doenças imunopreveníveis, por exemplo. Os vencedores de todos os campos assinalados no edital, neste caso, receberão prêmio no valor de R$ 50 mil. A segunda modalidade está aberta para os profissionais do SUS que elaboraram trabalhos técnico-científicos em função de pós-graduação na área de saúde coletiva e afins, e que contribuíram para o aprimoramento de ações. No caso dos especialistas, a gratificação será de R$ 6 mil; de mestres, R$ 9 mil; e de doutores, R$ 12 mil.

Já a terceira modalidade selecionará o movimento que apresentou a intervenção social que mais tenha contribuído para as ações de vigilância em saúde nos temas indicados pelo edital, em áreas como hepatites virais, hanseníase e tuberculose. O projeto vencedor ganhará R$ 5 mil.

O edital completo está disponível no link www.saude.gov.br/svs.

Para fazer a inscrição da sua experiência na Modalidade I, clique aqui.

Para fazer a inscrição do seu trabalho técnico-científico na Modalidade II, clique aqui.

Para fazer a inscrição da intervenção social na Modalidade III, clique aqui.



Mais informações:

E-mail: expoepi@saude.gov.br

Telefones: (61) 3213-8391 e 3213-8394

terça-feira, 16 de julho de 2013

Comemoração para os ACSs


O evento para os Agentes Comunitário de Saúde,foi muito bom,
tivemos muita música boa,palestra com Célia Penatti Coachi e
um maravilhoso momento de comunhão com sorteios de brindes
e CoffeBreck.

Segue fotos
Cidinha-Assistente Social


Imagem inline 2Imagem inline 3Imagem inline 1

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Saúde do homem - Urologia


Quase metade dos homens brasileiros não procura o urologista, aponta pesquisa

Repórter

Quatro em cada dez homens brasileiros nunca foram a uma consulta com um urologista nem fazem exames preventivos regularmente. Os dados são de uma pesquisa realizada neste ano pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) em seis capitais brasileiras e apontam que 44% dos 5 mil entrevistados não têm o hábito de ir ao médico. O estudo ainda mostra que apenas 23% dos homens ouvidos fazem o exame para detectar o câncer de próstata.


Luiz Mauro disse que o descuido com a saúde é prejudicial

A falta de cuidado com a saúde é também constatada em Uberlândia em um levantamento aleatório realizado pela reportagem do CORREIO de Uberlândia. Entre 30 homens abordados pela reportagem 53,3%, 16 deles, nunca consultaram um urologista. Do total de homens abordados, 26,6%, 8 deles, disseram que fazem exames preventivos regularmente.
De acordo com o urologista e terapeuta sexual Luiz Mauro Coelho Nascimento, o número de pessoas que não vão ao médico ainda é muito alto. “Em geral, as pessoas e, especialmente os homens, têm muita resistência para cuidar da saúde, principalmente quando o assunto é urologia, por causa do exame de próstata”, disse. Segundo ele, a falta de hábito em fazer consultas pode prejudicar o tratamento. “Há doenças que têm maior chance de cura se forem detectadas precocemente. Se a pessoa evita fazer exames, isso pode agravar o problema”, afirmou.

Ainda de acordo com Luiz Mauro, o que mais impede os homens de irem ao médico ainda é a falta de conhecimento. “Na média, as pessoas que têm grau de instrução maior demonstram mais consciência e preocupação com questões relacionadas à saúde”, disse. Ele afirma que, para aumentar o número de exames preventivos, é necessário incentivar políticas que falem sobre cuidados com a saúde do homem. “É importante desmistificar o câncer de próstata e conscientizar as pessoas de que elas têm de se cuidar, fazer exames preventivos e ir ao médico periodicamente”, disse.






Publicado em Jornal Correio de 15 de Julho de 2013

terça-feira, 9 de julho de 2013

Cesáreas demais

Índice de cesáreas em Uberlândia é o dobro do registrado em Minas Gerais

Daniela Nogueira Repórter

O índice de partos cirúrgicos em Uberlândia é mais que o dobro do nacional, quase duas vezes maior que a média de Minas Gerais e é cinco vezes maior que o idealizado pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Dos 8,8 mil partos na cidade em 2012, 7,2 mil foram cesáreas, o que equivale a 82,3% do total no ano passado, segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde. No Brasil, a taxa de cesarianas foi de 40,14% e a média mineira foi de 44,61%, de acordo com informações do Ministério da Saúde. O indicador preconizado pela OMS para este tipo de procedimento é de 15%.

Para a coordenadora do Programa Saúde da Mulher em Uberlândia, Bárbara Cunha Melo Lazarini Antoniolo, o principal fator que sustenta o alto índice de partos cirúrgicos na cidade é o fato de o Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU) e Hospital Municipal serem referências na região do Triângulo Mineiro para casos de alto risco. “Uberlândia drena todos os casos de alto risco na região e considerando essa referência, nosso ideal é de 40% de cesáreas. Estamos trabalhando para diminuir o nosso índice, mas não precisa esperar de nós um índice menor que 40%”, afirmou Barbara Antoniolo.


Médica obstetra Silvia Caires incentiva o parto humanizado




Jornal Correio de 9 de Julho de 2013

segunda-feira, 8 de julho de 2013

Dia do Agente Comunitário de Saúde

Recebemos da colega Cidinha,Assistente Social das UAPSFs Aurora/São Jorge IV este especial convite em comemoração ao dia do Dia do Agente Comunitário de Saúde, este imprescindível profissional que compõe nossas equipes. Vamos todos prestigiar !!!





Comemoração do Dia do Agente Comunitário de Saúde
Data :11/07/2013 apartir das 14.00 hs,
Local: Auditório Sal da Terra
Rua Antonio Paiva Catalão,
745.B.São Jorge, próximo ao Corpo de Bombeiros.

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Zoonoses combate a Leishmaniose

Quando o que realmente conta é a técnica, o compromisso pessoal e profissional com a saúde de nossa população.
Parabéns a colega Márcia e sua equipe.



Veja entrevista  Zoonoses combate a Leishmaniose


quinta-feira, 4 de julho de 2013

Democracia começa em casa

Médicos paralisam atendimentos nas Unidades de Atendimento Integrado

Renata Tavares Especial para o CORREIO


Os atendimentos em algumas UAIs foram reduzidos

Mais de 50 médicos paralisaram os atendimentos ambulatoriais na rede municipal de saúde durante todo o dia desta quarta-feira (3). De acordo com o delegado do CRM em Uberlândia Melicégenes Ribeiro Ambrósio, a categoria aderiu ao movimento nacional que pede melhorias de condições de trabalho, valorização da classe e a não contratação de médicos estrangeiros.

Os atendimentos emergenciais e urgentes, segundo a secretaria de Saúde, foram mantidos. Somente nas unidades dos bairros Planalto e Tibery, zona Oeste e Leste da cidade, respectivamente os casos classificados como não graves foram direcionados para outras UAIs. A reportagem do jornal CORREIO esteve nas duas unidades na tarde desta quarta-feira, apesar de poucos pacientes, a espera para atendimento no bairro Planalto era longa.

A caseira Adriele dos Santos Moraes, 22 anos, estava deitada no banco e aguardava ser chamada. Segundo ela, foram oito horas de espera. “Eu estou com infecção no sangue. Vim para cá às 8h e me disseram que iriam me levar para outra UAI, mas até agora nada”, disse por volta das 17h.

As consultas ambulatoriais foram remarcadas para outras datas. Ainda de acordo com a secretaria os médicos também deixaram de atender, nesta quarta-feira, em parte das unidades de atenção primária, que a exemplo das UAIs, terão as consultas médicas marcadas em outro dia.
Manifestação

Em Uberlândia são 2,4 mil médicos, que atendem a rede pública e privada, 150 participaram da manifestação em frente ao CRM, na avenida Cesário Alvim na tarde desta quarta-feira (3). A delegada do Sindicato dos Médicos de Uberlândia, Viviane Garcia de Souza, disse que essa foi a primeira vez que a categoria aderiu aos movimentos e que espera melhorias. “Estamos batalhando para melhorar a infraestrutura das unidades também. As UAI’s, principalmente as mais antigas precisam passar por reformas”.

Fonte: Jornal Correio de Uberlândia

terça-feira, 2 de julho de 2013

Vacinação contra raiva animal

Vacinação contra raiva animal começa nesta segunda-feira na zona rural

Começa nesta segunda-feira (1º) a primeira etapa da campanha de vacinação contra raiva animal para cães e gatos na zona rural de Uberlândia. Seis equipes de agentes do Controle de Zoonoses vão percorrer toda área rural do município entre os dias 1 a 31 de julho. A estimativa é que oito mil animais sejam vacinados neste período. Na zona urbana, a segunda etapa da vacinação terá inicio no dia 17 de agosto.

A raiva é uma doença de origem animal que quando ocorre em humanos, se não for tratada adequadamente, pode levar ao óbito. Em Uberlândia, não há registros de casos da doença em animais e humanos há 26 anos. É importante a adesão da população nesta campanha para atingir a meta de 80% da vacinação e manter o controle da infecção.

Devem ser vacinados contra a raiva animal cães e gatos com mais de três meses de vida. Durante o período de gestação e lactação, o animal não deve receber a dose da vacina. Para estes casos basta o dono do animal procurar o Centro de Controle de Zoonoses para aplicação da dose após o desmame dos filhotes.

A prevenção contra raiva ocorre através da vacinação dos animais domésticos e evitando o contato com animais de procedência desconhecida. A doença é transmitida por lambeduras, mordeduras, arranhaduras e secreções dos animais contaminados. Ao ser ferido por qualquer animal é importante buscar ajuda médica e tomar a vacina antirrábica em uma unidade de saúde.

Os cães e gatos infectados pelo vírus transmissor da raiva apresentam agressividade repentina, dificuldade em engolir alimentos e ingerir água, em alguns casos paralisia muscular. A morte do animal acontece, em média, de cinco até sete dias após as manifestações dos sintomas. A doença não tem cura e a vacina é o único modo de evitar a contaminação.

Os moradores da zona rural que estiver com dúvida sobre como garantir o acesso a vacina devem entrar em contato com o Controle de Zoonoses e verificar a previsão das visitas na sua localidade.

Jornal Correio de Uberlândia

Canseira


Imagem agoraencena.blogspot.com.br

Ando árido de pouco escrever. Parece que a fonte secou ultimamente. Secura de mundão que em tudo imita um sertão de Rosa e Euclides – quanta intimidade com gênios imortais. Deve ser cansaço, descrença ou espanto. Talvez os três – tríade da desesperança que, espero, seja momentânea.

Não que falte assunto, isso nunca. Aliás, estamos passando fase de alta safra de temas, prato cheio para jornalistas, palpiteiros e rodas de prosa. Enumero sem me apegar a cronologia. Comecemos pelo que nesse momento sacode o país: as manifestações populares Brasil afora em proporção só vista em minha humilde vivência e das quais participei ativamente durante as “Diretas já” e no “Fora Collor”. Só isso daria um livro. Observo atento, apoio irrestrito.

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) número 37, que amordaça nosso Ministério Público, é uma afronta à nossa jovem democracia. Já pensou a farra se o MP fosse proibido de conduzir investigações criminais? Inimaginável.

Mais assunto? Tome: a aprovação pela Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados do projeto de lei conhecido como “cura gay”, pelo qual psicólogos podem propor tratamento para o homossexualismo. Felizmente os psicólogos não pensam assim. Eu não sei se pulo de uma ponte ou mudo de planeta. Pelo que sinto, a idade das trevas retorna com seu manto de ignorância, intolerância e maldade, só que, desta vez, sob o comando de outra igreja. Será que entre eles não existem mentes brilhantes como um Dom Helder Câmara?

“Mariama, Nossa Senhora, mãe de Cristo e Mãe dos homens!
Mariama, Mãe dos homens de todas as raças, de todas as cores, de todos os cantos da Terra. Pede ao teu filho que esta festa não termine aqui, a marcha final vai ser linda de viver.”

Um Frei Betto? Um Frei Tito? Que, exilado, mortificado pelas torturas sofridas durante a ditadura, suicidou-se em Lyon na França e, mesmo assim, lhe foi permitido enterro em campo santo: “São noites de silêncio./ Vozes que clamam num espaço infinito./Um silêncio do homem e um silêncio de Deus./ Talvez seja esta a voz humana, de nosso tempo”.

“Lasciate ogni speranza, voi ch’entrate! Abandone toda a esperança, vós que entrais aqui! Tito se lança a Dante para título de seu derradeiro poema”. Imaginem a angústia e sofrimento desse homem.

Não, não é falta de assunto. Corrupção generalizada e institucionalizada, prato cheio. Mais desatino? Aprovação do “Ato Médico”. Que doido!

Ronaldinho diz que não se faz copas com hospitais. Pelé bagunça o coreto, em declaração esclerosada pedindo ao povo que abandone as manifestações. Tirando um Tostão, um Sócrates, um Ray, um Reinaldo, um Zico e mais meia dúzia, chego à triste conclusão que a maioria dos jogadores sofre de deslocamento de órgãos: o cérebro se deslocou para os pés. Romário tinha razão. Pelé calado é um poeta.

Vejo com nó na garganta um país se esboroando ao vento e me sinto acordando de um sonho que, em sua fase mais profunda, tornou-se pesadelo. O chão de milhões balançam em dúvidas sobre futuro incerto. Não é falta de assunto, este sobra. Reflexos da tríade lá do alto. Mas passa, como tudo passa.

Em último recado, para aqueles que acreditam que o movimento é coisa de preço de tarifa de transporte, transcrevo aqui a melhor frase que vi em todas as manifestações: “Enfia esses R$ 0,20 no SUS”.

PS: Acho que este dito do cartaz será impublicável.






Publicado Jornal Correio em 2 de julho de 2013


segunda-feira, 1 de julho de 2013

FUNED


Foto Divulgação / Funed
Fundação Ezequiel Dias é avaliada como o melhor laboratório de saúde pública do Brasil

Funed obteve 100% de aprovação nos cinco critérios e 152 itens analisados. A classificação tem validade até que a CGLAB realize uma nova avaliação

Com 100% de aprovação, a Fundação Ezequiel Dias (Funed) foi considerada o melhor laboratório de saúde pública do país. O anúncio foi feito pela Coordenação Geral de Laboratórios de Saúde Pública do Ministério da Saúde (CGLAB), após avaliação realizada em todos os 28 laboratórios do Brasil.

“Além do reconhecimento, a Funed passa a contar com mais investimentos”, comemora o coordenador da Divisão de Controle Epidemiológico da Funed, Chequer Chamone. A classificação dos laboratórios existe pela determinação da Portaria 2.606, de 28 de dezembro de 2005. Para a avaliação, são estabelecidos pela CGLAB cinco critérios e 152 itens a serem analisados, como a política da qualidade de biossegurança e a parte técnica junto aos laboratórios instalados.

As últimas avaliações foram realizadas em três etapas entre 16 de julho e 31 de agosto de 2012. As duas primeiras foram autoavaliativas. Já a terceira, foi uma avaliação analítica por parte dos auditores da CGLAB, que fizeram uma conferência das duas etapas anteriores e também a consolidação de dados e preposições de ações pré-estabelecidas.


Asma



Inverno aumenta risco de doenças respiratórias, como a asma; saiba prevenir

Agência Minas

A temporada do inverno, iniciada no mês de junho, exige cuidados especiais para evitar doenças decorrentes dessa época do ano, como a asma. Por isso, a população deve redobrar a atenção sobre a importância do tratamento e prevenção da doença. Marcada pela queda da temperatura e pelo ar frio e seco, essa é a época em que as crises são mais comuns.

Asma é responsável por 250 mil mortes prematuras por ano em todo o mundo

A doença crônica afeta pessoas de todas as idades e é responsável por 250 mil mortes prematuras em todo o mundo, sendo 3 mil óbitos só no Brasil.

Poeira, fumo, pelos de animais, grandes altitudes, variações de temperatura, infecções respiratórias, estresse emocional e até exercícios físicos, alimentos e medicações são fatores que desencadeiam as crises. As crianças devem ser bem hidratadas e alimentadas, ter uma dieta saudável e balanceada, além de evitar aglomerações.

Jornal Correio