Secretaria Municipal de Saúde






Toda pessoa tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar a si e a sua família saúde e bem estar, inclusive alimentação, vestuário, habitação, cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis, e direito à segurança em caso de desemprego, doença, invalidez, viuvez, velhice ou outros casos de perda dos meios de subsistência fora de seu controle.

Artigo Artigo XXV da Declaração Universal de Direitos Humanos



Saúde, Ciência, Pesquisa, Arte, Cultura, nossa gente da SMS, e o que mais possa interessar.



Organizado por William H Stutz

Veterinário Sanitarista

whstutz@gmail.com



Este Blog é independente, sem vínculo oficial com instituição alguma.
Todos
estão convidados a contribuir com informações de interesse coletivo.





terça-feira, 27 de agosto de 2013

Regionalizando técnicas


Foto Renato Cury

Laboratório de animais peçonhentos capacita agentes de endemias na região


Portal Prefeitura de Uberlândia - O laboratório de animais peçonhentos e quirópteros de Uberlândia vai capacitar 28 agentes de endemias e saúde da família para captura e manejo de escorpiões. O treinamento será de 27 a 29 de agosto na cidade de Araporã e terá a participação dos agentes das cidades de Centralina, Canápolis, Prata e do Laboratório Central de Saúde Pública de Goiás (LACEN/GO). Esta é a primeira atuação regionalizada na captura dos escorpiões que desencadeia o controle de animais peçonhentos nas localidades e contribui para produção do soro antiescorpiônico em Minas Gerais.

Os escorpiões, após serem capturados nestas cidades, serão enviados para o Centro de Controle de Zoonoses em Uberlândia. No local, eles ficam em observação por quarenta dias para verificação da sanidade (tratamento de fungos e parasitas). Após o período de tratamento, eles são encaminhados para produção da sorologia pela FUNED em Belo Horizonte.

O laboratório de animais peçonhentos e quirópteros registrou 711 ocorrências para capturas do escorpião em 2012. Comparado a 2011 quando foram notificadas 987 ocorrências, houve queda nos atendimentos realizados nas residências. De acordo com o veterinário sanitarista do laboratório, William Stutz, embora exista o crescimento populacional, as ações de higiene e limpeza contribuíram para o controle de incidência de escorpiões na cidade. Com hábitos noturnos, os escorpiões vivem em lugares escuros, quentes e úmidos. São encontrados na região urbana em locais com entulhos, materiais para construção, pedras, e costumam esconder nas residências dentro de sapatos e junto às roupas.

Segundo o Ministério da Saúde, são registrados mais de 100 mil acidentes com escorpiões no país e quase 200 óbitos por ano. A picada do escorpião pode ser letal dependendo da quantidade de veneno injetado e das condições físicas da vítima (crianças e idosos). O veneno age no sistema nervoso causando dor, alterando a pulsação cardíaca e temperatura do corpo. É importante procurar atendimento médico caso haja acidentes para diagnóstico e tratamento.

Uberlândia é referencia para captura e manejo de animais peçonhentos

O programa para controle e manejo de escorpiões atua há 29 anos em Uberlândia. Durante este período foram atendidas 18.836 ocorrências. A cidade é referência para captura destes animais peçonhentos quando eles ainda eram vistos como praga comum pela população. A partir da criação das Associações de Bairros, surgem encontros com a comunidade e se inicia uma discussão sobre o tema, relacionando à saúde da família. A apropriação do programa pela comunidade foi importante para a consolidação do serviço que agora está fazendo plantões nos finais de semana.

Portal da nossa Prefeitura de Uberlândia


Nota do Blog da Saúde
: Técnicos do Instituto Butantan estão com nossa equipe. Assim como o Lacem-Go, nos auxiliam na capacitação e desenvolvem buscas ativas de aranhas.

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Escorpiões em Goiás

Mais uma vez, desta feita em Goiânia GO de  12 a 16/08, técnicos do Laboratório de Animais Peçonhentos de nosso  CCZ/ Secretaria de Saúde junto com técnicos do Ministério da Saúde e Instituto Butantan e LACEN GO,  participam como instrutores/monitores de mais um Curso de Manejo e Controle de Escorpiões. Foram capacitadas todas as Regionais de Saúde do Estado.


Instrutores

 


Módulo Teórico







Prática de Campo






Raiva vai até sábado

Foto: Portal da Prefeitura


Portal da Prefeitura de Uberlândia - Termina neste sábado (24) a segunda etapa da vacinação contra raiva em Uberlândia. Até o momento, foram imunizados mais de 43 mil animais na zona urbana. Outros nove mil animais receberam a vacina na zona rural, durante a primeira etapa da campanha. As doses estão disponíveis em 50 postos fixos e itinerantes de vacinação distribuídos em todos os setores da cidade. É importante a adesão da população para atingir a meta de imunização e manter o controle da infecção.

Uberlândia não registra casos de raiva há 26 anos. A doença não tem cura e a vacina é o único modo de evitar a contaminação. Para ter mais informações sobre o endereço dos postos fixos e itinerantes de vacinação, basta entrar em contato com o Controle de Zoonoses pelo telefone 3213-1470 ou 3213-8114. As informações também estão disponíveis no Portal da Prefeitura.

Vírus da dengue

Vírus da dengue é mais estável do que se pensava
23/08/2013

Por Karina Toledo

Agência FAPESP – Em um artigo publicado em agosto na revista PloS One, pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) descrevem que o vírus da dengue (DENV) sofre mutações em um ritmo muito mais lento do que se imaginava – o que aumenta as chances de se encontrar uma vacina eficaz contra a doença.

Para chegar a tal conclusão, os cientistas sequenciaram o genoma completo de milhares de partículas virais encontradas em dez amostras de sangue de pacientes diagnosticados durante a epidemia que atingiu a Baixada Santista em 2010. Na ocasião, foram notificados 33 mil casos de dengue tipo 2 na região, ainda que os especialistas estimem que o número real de infectados seja pelo menos cinco vezes maior.

De acordo com os resultados, a variabilidade genética do vírus encontrada dentro de um mesmo indivíduo (intra-hospedeiro) foi de aproximadamente 0,002% – muito menor do que a apontada em estudos anteriores, contou Camila Malta Romano, pesquisadora do Instituto de Medicina Tropical de São Paulo, da USP, e autora da pesquisa que contou com apoio da FAPESP.

“Os trabalhos anteriores usaram métodos tradicionais de sequenciamento, bem mais trabalhosos e caros. Por isso, apenas uma determinada região do genoma era analisada e nem todas as partículas virais eram amostradas. Em nossa pesquisa, graças às técnicas de sequenciamento em larga escala, geramos praticamente uma sequência completa para cada partícula de vírus existente na amostra, o que dá uma profundidade de análise muito maior”, contou.



quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Prêmio Lobo Guará de Ouro

Cultura celebra aniversário da cidade lançando Prêmio Lobo Guará de Ouro
Concurso nacional premiará as melhores trilhas sonoras para a cinema, televisão e jogos eletrônicos

Portal da Prefeitura de Uberlândia - Agosto será um mês de grande festa cultural em Uberlândia. Para celebrar os 125 anos da cidade, a Secretaria Municipal de Cultura preparou uma programação especial, ancorada sobretudo no lançamento do Prêmio Lobo Guará de Ouro, uma iniciativa inédita que atrairá a atenção de todo o país dando visibilidade a trabalhos de trilha sonora para cinema, televisão e jogos eletrônicos.

Dentro do pacote comemorativo, está contemplada a diversidade de gêneros artísticos. As artes cênicas são representadas por meio do teatro, nos dias 29 e 30 de agosto, e por meio da dança, no dia 1º de setembro. Abre a programação, na quarta, dia 28, a mostra de fotografias “Um olhar sobre a cidade”, com curadoria do coordenador de Artes Visuais da Secretaria Municipal de Cultura, Afonso Lana.

Na quinta, 29, será oficialmente lançado o Prêmio Lobo Guará de Ouro, com solenidade oficial acompanhada de show do músico Antônio Pinto, que assina a trilha sonora de importantes filmes brasileiros, como “Central do Brasil” e “Cidade de Deus”, entre outros, e um dos mais requisitados compositores de trilhas sonoras da indústria do cinema em Hollywood. Além do lançamento do Prêmio Lobo Guará, no mesmo dia haverá a estreia do Memorial dos Artistas Locais. O Memorial será uma projeção permanente em uma das paredes do foyer de entrada do Teatro Municipal destacando artistas e grupos que fizeram história nas artes cênicas produzidas em Uberlândia.

O Prêmio Lobo Guará de Ouro é uma iniciativa que irá premiar trilhas sonoras em todo o país produzidas para cinema, televisão e jogos eletrônicos. Essa iniciativa, com a abrangência de gêneros à qual se propõe, é inédita no Brasil. No país, há um festival parecido em Conservatória, distrito do município de Valença (RJ) e, no mundo, apenas a Bélgica realiza evento similar, mas ambos com enfoque somente em cinema. Além de apresentar o projeto à comunidade, a Secretaria Municipal de Cultura lança concurso aos artistas visuais para a criação da estatueta do Lobo Guará de Ouro, abrindo, assim, as etapas que compõem o projeto. A primeira etapa se encerra em agosto de 2014 com a mostra dos filmes cujas trilhas foram selecionadas e as respectivas premiações.


Biossensor para detectar pesticida

Pesquisadores criam biossensor para detectar pesticida
21/08/2013

Por Elton Alisson

Agência FAPESP – Pesquisadores do Instituto de Física de São Carlos (IFSC) da Universidade de São Paulo (USP), em colaboração com colegas da Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT), criaram um sensor biológico (biossensor) que detecta em minutos, na água, no solo e em alimentos, a presença de um pesticida altamente tóxico que está sendo banido no Brasil, mas que ainda é usado em diversas lavouras no país: o metamidofós.

Desenvolvido no âmbito do Instituto Nacional de Eletrônica Orgânica (INEO) – um dos INCTs apoiados pela FAPESP e pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) no Estado de São Paulo –, o sensor pode ser adaptado para detecção de outros tipos de pesticidas, afirmam os pesquisadores. O princípio básico do dispositivo também deu origem a um possível novo teste rápido para detecção de infecção pelo vírus da dengue.


Vacinação infantil


Começa neste sábado (24) a campanha nacional de atualização da caderneta de vacinação infantil. A data também marca o dia D de mobilização e divulgação nacional. Em Uberlândia, 64 salas de vacinas vão atualizar o esquema vacinal infantil até o dia 30 de agosto. O horário de atendimento das unidades para vacinação será entre 8 e 17 horas.

Durante a campanha serão oferecidas todas as vacinas do calendário básico infantil para 41.343 crianças com até 5 anos de idade. “Todos os pais ou responsáveis por crianças nesta faixa etária devem comparecer a uma unidade de saúde com a caderneta para avaliação dos profissionais de saúde”, disse o secretário municipal de Saúde, Almir Fontes. Nos casos em que alguma vacina não tenha sido aplicada, a criança receberá a dose na hora.

Com esta ação a Secretária Municipal de Saúde pretende aumentar a cobertura vacinal e reduzir o risco de transmissão de várias doenças. Durante a campanha estão disponíveis doses das vacinas: BCG, hepatite B, penta, inativada poliomielite (VIP), oral poliomielite (VOP), rotavírus, pneumocócica 10 valente, meningocócica C conjugada, febre amarela, tríplice viral (sarampo, rubéola e caxumba) e DTP (difteria, tétano e coqueluche).

Os pais que não tiverem a caderneta de vacinação dos seus filhos devem comparecer a uma unidade de saúde para que seja feito a avaliação da situação vacinal de acordo com a faixa etária. A imunização só acontece quando as crianças completam todo o esquema vacinal, incluindo as doses de reforço previsto no calendário básico de vacinação do Ministério da Saúde.

Portal da nossa Prefeitura de Uberlândia

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Congresso Brasileiro de Psicanálise

24º Congresso Brasileiro de Psicanálise

Charge de Maurizio Di Reda



Agência FAPESP – A Federação Brasileira de Psicanálise (Febrapsi) realiza, entre os dias 25 e 28 de setembro, o 24º Congresso Brasileiro de Psicanálise, em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul.

Com o tema "Ser contemporâneo: medo e paixão", o congresso tem entre seus objetivos discutir a psicanálise nos moldes atuais e a sua relação com a filosofia.

A programação inclui cursos, mesas-redondas e discussões de casos clínicos, que prometem suscitar o debate sobre assuntos relacionados à violência, tabus da sociedade contemporânea, o medo de se relacionar, isolamento, desamparo, luto, sexualidade, entre outros.

As inscrições podem ser feitas até o dia 20 de setembro no site do evento febrapsi.org.br/congresso/

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Raiva animal

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) estima vacinar 55 mil animais durante a campanha de vacinação contra a raiva animal na zona urbana. A campanha foi lançada no sábado (17), pelo secretário de Saúde, Almir Fontes, e vai até o dia 24 de agosto.



As doses serão aplicadas em 50 postos fixos e itinerantes de vacinação distribuídos em todos os setores da cidade. O horário de atendimento será de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h, e no sábado, das 8h às 14h.

A costureira Ângela Maria fez questão de levar o vira-lata Mailon para vacinar. "Gosto muito dele, então tenho que cuidar para que não tenha nenhuma doença. É também uma questão de segurança para minha família”, disse.

A raiva é uma doença infecciosa que acomete o sistema nervoso do animal e não tem cura. Os cães e gatos infectados pelo vírus transmissor da doença apresentam agressividade repentina, dificuldade em engolir alimentos e ingerir água, em alguns casos paralisia muscular. Ao ser ferido por qualquer animal é importante buscar ajuda médica e tomar a vacina antirrábica em uma unidade de saúde. Em Uberlândia não há registro de casos de raiva em animais e em humanos há 26 anos.

A prevenção contra a doença ocorre por meio da vacinação de cães e gatos, com mais de três meses de vida e com boas condições de saúde. Na primeira etapa da campanha contra raiva na zona rural foram aplicadas mais de nove mil doses da vacina.



Para ter mais informações sobre os postos fixos e itinerantes de vacinação, basta entrar em contato com o Controle de Zoonoses pelo telefone 3213-1470 ou 3213-8114. As informações também estão disponíveis no portal da prefeitura.

Recomendação

Nesta etapa urbana o CCZ orienta a utilização de focinheiras, coleiras e guias para cães agressivos. Os gatos devem estar envolvidos em sacolas de pano ou materiais adequados para proteção do dono do animal e dos vacinadores.
Durante o período de gestação e lactação, o animal não deve receber a dose da vacina. Para estes casos basta o dono do animal procurar o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) ou o Hospital Veterinário para aplicação da dose após o desmame dos filhotes.

Fonte: Site de nossa Prefeitura de Uberlândia

Ações de Vigilância em Saúde (PQA-VS)

Recebemos da colega e amiga Fabiana Godoy Malaspina

Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Contaminantes Químicos - VIGIPEQ
Coordenação Geral de Vigilância em Saúde Ambiental - CGVAM
Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador - DSAST
Secretaria de Vigilância em Saúde - Ministério da Saúde

Segue a PORTARIA Nº 1.708 16_8_2013-PQAVS que regulamenta o Programa de Qualificação das Ações de Vigilância em Saúde (PQA-VS), com a definição de suas diretrizes, financiamento, metodologia de adesão e critérios de avaliação dos Estados, Distrito Federal e Municípios.

Repassando, clique abaixo



Testes de hepatites

Secretaria de Saúde realiza testes de hepatites diariamente

Com o tema “Hepatites Virais: sem perceber, você pode ter”, a rede municipal de saúde se mobilizou para realizar testes para detecção das hepatites B e C. A ação é parte da campanha nacional do Ministério da Saúde, em comemoração ao Dia Mundial de Combate às Hepatites Virais, que é celebrado em 28 de julho. Durante esta semana 207 pessoas fizeram o teste rápido nos terminais de transporte urbano e no Ambulatório Hebert de Souza.

“Nos exames que são detectados a hepatite, encaminhamos a pessoa para realização de um novo teste de sorologia e já agendamos uma consulta médica para o paciente”, disse a coordenadora do Programa DST/AIDS, Maíra Rocha. A Secretaria Municipal de Saúde está investindo em ações de prevenção e no acesso rápido ao diagnóstico.

O Brasil é o único país em desenvolvimento no mundo a oferecer acesso universal ao diagnóstico e ao tratamento para as hepatites virais por meio do sistema público de saúde. “Sempre faço o teste de hepatite porque é uma doença transmitida de diversas maneiras, até mesmo no contato com a manicure se os instrumentos não forem desinfetados corretamente”, disse Carolina Alves, após fazer o teste.

A Hepatite B e C são transmitidas pelo contato com sangue contaminado, sêmen, ou compartilhamento de seringas, agulhas ou instrumentos cirúrgicos contaminados. É uma doença grave que debilita o fígado, órgão vital para o funcionamento do corpo humano. Os testes continuam sendo feitos diariamente no Ambulatório Herbert de Souza.

Serviço:
O quê: Exames para Hepatite e Doenças Sexualmente Transmissíveis
Onde: Ambulatório Hebert de Souza
Rua Avelino Jorge Nascimento, nº 15, Bairro Roosevelt
Quando: Segunda- feira a sexta, das 8h30 às 17h30
Dúvidas: 3215-2444

Fonte: Portal da nossa Prefeitura de Uberlândia

Monarquia múltipla

Formigueiros na Ilha do Cardoso têm até 12 rainhas por colônia

Por Elton Alisson

Agência FAPESP – O imaginário popular de que um formigueiro é composto por uma única rainha, que reina pacificamente sobre um exército de operárias, está longe da realidade das colônias da espécie Odontomachus hastatus.

Estudos realizados por pesquisadores do Instituto de Biologia (IB) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) demonstram que colônias dessa espécie de formiga podem ter mais de uma rainha, que, com a escassez de lugares adequados para fundar colônias, fazem alianças para garantir sua sobrevivência e formar o maior exército possível de operárias. Após consolidar a colônia, porém, elas estabelecem uma hierarquia, por meio de lutas ritualizadas, na qual uma se sagra a rainha-alfa e assume a tarefa de pôr a maior quantidade de ovos.

As rainhas perdedoras se tornam subalternas e, apesar de também serem fecundadas, são obrigadas a pôr menos ovos do que a rainha-alfa e a desempenhar a função de operárias.

“Quando pensamos em uma colônia de insetos sociais, como as formigas, que vivem em ninhos, é comum achar que se trata de uma organização harmônica, na qual há uma divisão bem definida de trabalho em que uma única rainha tem função reprodutiva. É contra nossa intuição imaginar que, em um formigueiro, existam alianças seguidas de conflitos nos quais uma formiga rainha bate na outra de forma ritualizada e a inibe de se reproduzir para se tornar a rainha-alfa, como pudemos observar durante a série de estudos”, disse Paulo Sérgio Oliveira, professor do IB e coordenador do projeto, à Agência FAPESP.



quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Problemas mentais e trauma


OMS lança guia para problemas mentais causados por traumas

Por CBN Foz, com informações de Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York

Programa de Ação Global de Saúde Mental vai abranger pessoas que sofram da disordem de estresse pós-traumático; documento foi preparado pela agência da ONU e pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, Acnur.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, lançou, na última terça-feira(06), um novo guia com protocolos clínicos para o tratamento de doenças mentais causadas por traumas ou perdas.

Segundo a agência da ONU, as doenças mentais são comuns, incapacitantes e geralmente, não são tratadas. O Programa de Ação Global de Saúde Mental da OMS foi criado em 2008 e agora, a organização decidiu incluir os cuidados com o transtorno de estresse pós-traumático.

Violência

Dados da Organização Mundial da Saúde mostram que os eventos traumáticos e as perdas são comuns nas vidas das pessoas. Um estudo da agência feito em 21 países revelou que 21,8% sofreram algum tipo de violência. Mais de 16% tiveram experiências com guerras e 12% sofreram com a perda de uma pessoa querida.

Para tratar destas pessoas, o novo protocolo produzido em conjunto pela OMS e pelo Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur, diz que o atendimento inicial pode ser feito nos hospitais.


Noite é para dormir

Estudo da USP comprova efeitos nocivos do trabalho noturno para saúde
A atividade, a longo prazo, traz prejuízos aos processos imunológicos, sendo ligada ao surgimento do câncer de mama e próstata


Quem trabalha no período noturno e precisa descansar durante o dia dorme menos e pior. Além disto, os hormônios melatonina e cortisol, bem como as citocinas inflamatórias salivares sofrem uma desregulação em sua produção, o que pode ser um indicador para diversas doenças, incluindo o câncer. Estes são alguns dos apontamentos da bióloga Érica Lui Reinhardt, em sua tese de doutorado pela Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP. Ela afirma que, para diminuir estes problemas, as empresas devem implantar turnos alternantes, já que o trabalho noturno é necessário a alguns setores profissionais.

Devido à exposição à luz durante a noite, o organismo destes trabalhadores diariamente secreta menos o hormônio melatonina, que participa do controle dos ritmos biológicos, incluindo o que regula o sono. Ou seja, a mudança na quantidade de melatonina no organismo também altera o "relógio" pelo qual o corpo diz a hora de dormir. Quanto mais escuro e calmo um ambiente, mais melatonina tende a ser secretada e com mais sono a pessoa fica. A secreção de cortisol nesses trabalhadores, por sua vez, perdeu seu ritmo natural. Este hormônio prepara para situações de estresse, podendo prejudicar esta função. Além disto, melatonina e cortisol ajudam no controle das respostas aos agentes que invadem o corpo, como microorganismos, com destaque para o papel do cortisol.

A tese de doutorado de Érica foi defendida em abril deste ano na área de Saúde Ambiental da FSP. A pesquisadora constatou que os horários de produção de citocinas salivares durante o dia se alterou, o que talvez possa, a longo prazo, acarretar prejuízos aos processos imunológicos. Mesmo não tendo como foco as doenças ocasionadas quando estas alterações ocorrem, a bióloga explica que a mudança no ciclo da melatonina "tem sido relacionada com surgimento do câncer de mama em mulheres e de próstata em homens".


segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Mortalidade infantil


Índice de mortalidade infantil em Uberlândia cai 19,73% em um ano, aponta DataSUS

Daniela Nogueira Repórter

O índice de mortalidade infantil em Uberlândia é menor que o de outras cidades mineiras de mesmo porte, como Juiz de Fora e Contagem, segundo os últimos dados divulgados pelo DataSUS, que reúne informações do Sistema Único de Saúde (SUS). Os indicadores, de 2011, mostram que a cada mil crianças nascidas vivas em Uberlândia, 10,59 morreram antes de completar um ano. Em 2012 e no primeiro trimestre de 2013, os índices foram 8,5 e 8,8 – uma queda de 19,73% e 17,73% respectivamente. Em Contagem a taxa de 2011 foi de 11,17 e, em Juiz de Fora, de 13,77. Essas cidades ainda não têm o fechamento do ano passado e o deste ano.
Índice de mortalidade infantil em Uberlândia cai 19,73% em um ano, aponta DataSUS


Aumento no número de leitos em UTI neonatal foi um entre outros 
motivos para a queda de mortes (Foto: Valter de Paula 18/8/2005 )

A Organização Mundial da Saúde (OMS) preconiza o índice de 10 bebês a cada mil nascidos vivos até o primeiro ano de vida. Para a coordenadora do programa Saúde da Criança e do Adolescente de Uberlândia, Raquel Cazabona, as ações de prevenção realizadas pela Secretaria de Saúde de Uberlândia desde 2010 são as responsáveis por manter a taxa da cidade mais baixa do que a de outros municípios. “A secretaria vem realizando trabalhos de treinamento das equipes de saúde para atender melhor a mãe e o bebê, melhoramos o pré-natal, estamos conscientizando as gestantes sobre os problemas que podem acontecer se não houver um acompanhamento da gestação e aumentamos o número de leitos em UTI neonatal”, disse Raquel Cazabona.

Ainda segundo a pediatra, cerca de 80% das crianças que morrem com menos de um ano nasceram prematuras. “O nascimento precoce ocorre por problemas na gestação, como a mãe apresentar pressão alta, infecção urinária, contração ou sangramento. Por isso, é importante que se dê mais atenção ao pré-natal.” Raquel Cazabona ainda afirmou que a má-formação e cardiopatia são os responsáveis pelos outros 20% de mortes entre as crianças até um ano de vida.
Em4 anos, óbitos caíram 34,45%

Um levantamento da Secretaria de Saúde de Uberlândia aponta que o índice de mortalidade infantil da cidade teve queda em 2012, quando, a cada mil crianças nascidas vivas, 8,5 morreram antes de completar o primeiro ano. Em quatro anos, a taxa caiu 35,45%, já que 13,17 crianças morreram durante o primeiro ano de vida a cada mil nascidas vivas em 2009.

A coordenadora do programa Saúde da Criança e do Adolescente de Uberlândia, Raquel Cazabona, afirmou que o cenário de mortalidade infantil em Uberlândia durante 2012 foi inédito. “Nós nunca tínhamos tido um resultado tão bom quanto o do último ano.” De acordo com ela, a secretaria não espera reduzir esse número, mas pretende manter o índice abaixo de 10, que é o recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Jornal Correio de Uberlândia 05/08/2013


Saúde


Depois de grande susto, há dois anos, resolvi tomar jeito e cuidar melhor desse invólucro que recebi para passar um tempo aqui na terra. Não que eu fosse de abusar dos prazeres da vida, mas devo dizer que era chegado a alguns dos pecados capitais, em particular: a gula. Comia de tudo e em demasia. Mesmo assim, nunca fui obeso, mas o tal do sobrepeso me incomodava excessivamente. Susto tomado toca a cuidar da saúde. Entrei de cara para trás no modismo das ervas e sementes milagrosas. Parecia canarinho de gaiola que passa a alpiste, painço, osso de siba e jiló. Couvezinha quando em vez.

Como era, digamos, semissedentário, comecei a caminhar. O “semi” fica por conta de minhas andanças de trabalho atrás de escorpião e morcego e do trato de jardim e casa. Devagar no começo, quilômetros poucos, hoje fico entre 10 km a 15 km seis vezes por semana, metade correndo, metade a passos apressados, como o coelho atrasado de Alice. Mas não é das carreiras diárias que quero falar, e sim dos meus alpistes, painços e complementos.

Comecei com linhaça, passei pela chia, tentei girassol, mas este sempre me lembrava um papagaio de minha infância que teve morte trágica, larguei logo. Entrei na onda do noni, até plantei pé da fruta em casa. Alimentação frugal e muito exercício. Tudo ia maravilhosamente bem. Emagreci em excesso e fiquei com cara de doente. Um dia, perguntaram se era anoréxico. Sem problemas, mas a minha bronca ficou com a ciência. Com a mesma rapidez que descobrem e indicam propriedades quase milagrosas de algum alimento, na semana seguinte, outro grupo, em outro lugar, cai de pau mostrando riscos de se consumir aquilo que era a bola da vez.

O ovo é o maior exemplo desse empurra-encolhe: ora faz bem e pode-se comer sem restrição, ora deve nem ser provado, pois mata mais do que formicida Tatu. E olha que nem descobriram quem veio primeiro, se ele ou a genitora galinha.
Noni, milagroso até outro dia, segundo estudos pode causar hepatite fulminante e a transplante de fígado, se usado em demasia. Anvisa pede cautela, o que não nos contam é quanto é o tal demasia. Os ômegas da linhaça não são tão eficientes como os do peixe, diz outro estudo. E a chia chia no bolso, chegando a preço astronômico, depois que virou moda.

Todo dia sai uma história nova. Quem não se lembra da casca de ipê-roxo para curar câncer? Quase levou a pobre espécie à extinção. Volta e meia nos pedem cascavel, pois dizem que a gordura dela cura artrite, artrose, picadas de insetos, gripe, frieira, chulé, caspa e até, se acompanhado de reza brava, tira mau-olhado ou encosto e, se perfumada, arruma casamento. Se começar a correr boato como o da suspensão do Bolsa Família, nossa pobre cobra corre risco de desaparecer de vez.
Larguei mão. Vou à nutricionista, mas, por ora, descobri que a melhor dieta é aquela que sempre comia: bom arroz, feijão, bife e salada. Pelo menos até a próxima publicação ou notícia de jornal provarem o contrário.

Quer saber, enquanto não resolvem se o ovo é mocinho ou bandido, vez por semana, bato um ou dois com arroz branquinho, mas tem que ser de gema mole. Deixo registro e agradecimento ao grande médico e imensidão de amigo/irmão de mais de 30 anos por me apresentar as delícias do caminhar/correr: Luiz Mauro, não é à toa que seu sobrenome é Coelho.





Publicado Jornal Correio em 03/08/2013


Em pdf no dropbox (clique na caixa)