Secretaria Municipal de Saúde






Toda pessoa tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar a si e a sua família saúde e bem estar, inclusive alimentação, vestuário, habitação, cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis, e direito à segurança em caso de desemprego, doença, invalidez, viuvez, velhice ou outros casos de perda dos meios de subsistência fora de seu controle.

Artigo Artigo XXV da Declaração Universal de Direitos Humanos



Saúde, Ciência, Pesquisa, Arte, Cultura, nossa gente da SMS, e o que mais possa interessar.



Organizado por William H Stutz

Veterinário Sanitarista

whstutz@gmail.com



Este Blog é independente, sem vínculo oficial com instituição alguma.
Todos
estão convidados a contribuir com informações de interesse coletivo.





quinta-feira, 31 de julho de 2014

Vacina contra a malária

Vacina contra a malária pode começar a existir no próximo ano

Eficácia da vacina não é completa mas terá alto impacto em países com índices elevados da doença, afirma especialistas

Eficácia da vacina não é completa mas terá alto impacto em países com índices elevados da doença, afirma especialistas Foto: Reuters / Reuters
O Globo com Agências Internacionais

A primeira vacina do mundo contra a malária pode começar a existir já no próximo ano. A afirmação ocorre após experimentos com uma nova droga que mostraram resultados promissores. Em publicação na revista cientifica PLoS Medicine, os pesquisadores mostraram que para cada mil crianças que receberam a vacina, 800 casos da doença podem ter sido evitados. Além disso, a proteção permaneceu por 18 meses após a injeção.

Uma indústria farmacêutica, a GlaxoSmithKline (GSK), já pediu aprovação regulatória para a fabricação.

— Este é um marco — afirmou Sanjeev Krishna, professor de parasitologia molecular e medicina na Universidade de Londres — O cenário de desenvolvimento da vacina da malária está repleta de cadáveres. Precisamos manter um olhar atento para os eventos contrários, mas tudo parece no caminho certo para que a vacina seja aprovada já no próximo ano.

No último experimento feito em vários países africanos, 1.500 crianças e bebês receberam a vacina. Após 18 meses, o número de casos de malária caiu para a metade entre as crianças e teve queda de um quarto entre os bebês.

Cientistas estão investigando se um reforço poderia melhorar ainda mais as chances de sucesso.

— De fato, chegar nesta fase é muito encorajador. Aguardamos ansiosamente os próximos resultados para ver como é a proteção duradoura e se ainda cabe um reforço no potencial — afirmou Krishna que não participou da pesquisa mas analisou os resultados.

O professor Brian Greenwood, que esteve envolvido com os experimentos, afirmou que ter uma vacina contra a malária seria um enorme progresso.

— Apesar de não proporcionar uma proteção completa, (a descoberta) terá um impacto real para as áreas onde a malária é comum — afirmou Greenwood para a BBC.

Cerca de 800 mil pessoas morrem de malária a cada ano, a maioria delas são crianças da África sub-saariana com menos de cinco anos de idade. Vários países africanos foram envolvidos no desenvolvimento da nova vacina. Os fabricantes farmacêuticos afirmam que esta medida pode ser usada junto com outras formas de controle como mosquiteiros e inseticidas.

A vacina está sendo desenvolvido pela GlaxoSmithKline com a organização sem fins lucrativos Malaria Vaccine Initiative e possui financiamento da Fundação Bill & Melinda Gates.


Fonte: Noticias/Saúde e Ciência