Secretaria Municipal de Saúde






Toda pessoa tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar a si e a sua família saúde e bem estar, inclusive alimentação, vestuário, habitação, cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis, e direito à segurança em caso de desemprego, doença, invalidez, viuvez, velhice ou outros casos de perda dos meios de subsistência fora de seu controle.

Artigo Artigo XXV da Declaração Universal de Direitos Humanos



Saúde, Ciência, Pesquisa, Arte, Cultura, nossa gente da SMS, e o que mais possa interessar.



Organizado por William H Stutz

Veterinário Sanitarista

whstutz@gmail.com



Este Blog é independente, sem vínculo oficial com instituição alguma.
Todos
estão convidados a contribuir com informações de interesse coletivo.





sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

De morcegos e escorpiões

Incidência de morcegos cresce durante este período do ano
por Leonardo Leal


O Laboratório de Animais Peçonhentos e Quirópteros do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Uberlândia tem recebido de oito a dez ligações por dia de moradores que encontram morcegos em casa. O laboratório recebe ligações durante todo o ano, mas, no período de novembro a maio, esse número chega a quadruplicar devido à reprodução da espécie. Em 2014, até novembro, a equipe do laboratório capturou 56 morcegos vivos e orientou 352 moradores. O contato para agendar a visita do CCZ é a medida mais correta para ficar livre dos mamíferos.


Veterinário William H Stutz disse que existem, em Uberlândia, 
58 espécies de morcegos (Foto: Cleiton Borges)

O laboratório vem recebendo, neste mês, chamados de moradores dos bairros Tibery, zona leste, Pampulha e Jardim Karaíba na zona sul, Jardim Brasília, zona norte, Canaã, zona oeste e Roosevelt, no setor central. O veterinário do CCZ, William Stutz, disse que os morcegos estão por toda a cidade e que, nessa época, usam o telhado das casas para se reproduzir. “Os moradores recebem orientações sobre a vedação de telhado, frestas e como tratar as colônias de morcegos”, disse Stutz.

No Brasil, segundo o veterinário, há cerca de 170 espécies de morcego, em Uberlândia, são 58 e somente três espécies se alimentam de sangue, sendo uma de mamíferos e duas de aves. “Como quase todo mamífero terrestre, o morcego é um potencial transmissor da raiva.” O especialista disse ainda que cerca de 70% das espécies de morcegos se alimentam de insetos e ajudam a reduzir a quantidade deles na zona urbana e o uso de agrotóxicos nas lavouras.

Na semana passada, um morcego apareceu do lado de fora da residência da dona de casa Pâmela de Oliveira Souza, no bairro Canaã. “Fiquei preocupada porque tenho duas crianças pequenas.” Ela disse que os agentes do CCZ recolheram o mamífero que estava morto e a orientaram a ligar no mesmo dia, caso apareça outro morcego.

Aumenta também o aparecimento de escorpiões

O número de ligações para reclamação de escorpiões é cinco vezes maior no período de novembro a maio devido também à reprodução da espécies e às chuvas da estação. O Laboratório de Animais Peçonhentos e Quirópteros do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Uberlândia recebe cerca de 20 ligações por dia nessa época.

Os bairros onde os escorpiões têm aparecido mais são o Cazeca, o Martins e o Fundinho, no setor central, e o Santa Mônica, na zona leste.
De acordo com o veterinário do Laboratório do CCZ, William Stutz, há sete espécies em Uberlândia e o escorpião amarelo é o mais encontrado. O especialista disse ainda que, neste ano, até novembro, foram recebidas 1.359 reclamações e foram capturados 1.176 escorpiões. “Quinhentos e quarenta e oito foram enviados à fundação Ezequiel Dias (Funed) para extração do veneno.”

Stutz afirmou que os moradores que encontrarem escorpiões também devem ligar para o laboratório. Caso tenha sido picada pelo aracnídeo, a pessoa deve se dirigir diretamente à Unidade de Atendimento Integrado (UAI) Pampulha ou ao Pronto-Socorro do Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU). No caso dos morcegos, a pessoa mordida deve procurar a UAI Martins ou o HC para receber vacina antirrábica.

Jornal Correio de Uberlândia