Secretaria Municipal de Saúde






Toda pessoa tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar a si e a sua família saúde e bem estar, inclusive alimentação, vestuário, habitação, cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis, e direito à segurança em caso de desemprego, doença, invalidez, viuvez, velhice ou outros casos de perda dos meios de subsistência fora de seu controle.

Artigo Artigo XXV da Declaração Universal de Direitos Humanos



Saúde, Ciência, Pesquisa, Arte, Cultura, nossa gente da SMS, e o que mais possa interessar.



Organizado por William H Stutz

Veterinário Sanitarista

whstutz@gmail.com



Este Blog é independente, sem vínculo oficial com instituição alguma.
Todos
estão convidados a contribuir com informações de interesse coletivo.





quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

A armadilha do PET


Norbert Suchanek - Publicado em Quinta, 23 Janeiro 2014 12:22

Foi na última semana, quando uma amiga me enviou uma foto de seu quintal de permacultura, e com orgulho ela escreveu: "Olha estou reciclando garrafas de PET, utilizando no viveiro para as minhas plantinhas." A minha amiga se acha ecologicamente correta e consciente, mas sem querer ela entrou na armadilha da grande indústria do plástico e do petróleo.

Por anos, incontáveis de workshop de reciclagem ensinaram aos brasileiros, criancinhas, adultos, idosos, donas de casa, comunidades carentes e povos indígenas, a maravilha de “reciclar” garrafas PET. As garrafas de PET usadas passam então a servirem para várias coisas. Vasos para plantas, brinquedos, bijuterias, árvores de Natal, móveis ou qualquer coisa inimaginável. Paralelo a isso, foi criado um mercado de roupas com malha PET, identificada como ecologicamente correta. Camisas caríssimas porque salvam o Planeta, diz a propaganda.

Uma mentira que só virou verdade nesta sociedade do século 21, porque foram repetidas milhares vezes. A realidade é essa: O uso de uma garrafa PET velha no seu quintal ou em forma de roupa, ou como um “telhado verde”, não é reciclagem e nem preserva o meio ambiente. Reciclagem é quando uma garrafa PET velha vira uma garrafa PET nova, como é feito com as garrafas de vidro. Só assim o uso da matéria prima, o petróleo, e o gasto de energia estarão reduzidos. Mas o que acontece com a PET, na realidade, é o contrário disso. A garrafa PET na prática mundial não vira uma nova garrafa PET. A garrafa velha vira um outro produto, um processo que internacionalmente recebeu o nome “Downcycling”.

Ao contrário do vidro, a PET não pode ser reutilizada na linha de produção original e o seu processo de reciclagem de verdade é ainda caro e complicado. Por isso a indústria de embalagens prefere utilizar matéria prima para seus produtos e inventou a propaganda da PET-Recicling.

Leia mais AQUI em www.diarioliberdade.org

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Você fuma?

Então assista ao vídeo


Semana Nacional de Humanização do SUS




"Nos dia 7 a 11 de Abril o Ministério da Saúde está promovendo a Semana Nacional de Humanização do SUS. Nesta semana, o intuito é que toda a cidade de Uberlândia seja mobilizada a pensar e falar sobre humanização. Para isto, queremos convidá-lo a organizar uma atividade relacionada ao tema em sua Unidade. O objetivo principal é integrar trabalhadores e usuários na construção do SUS. Organize em sua Unidade: fóruns, assembleias com a comunidade, reuniões com os trabalhadores, arrecadação de materiais (livros,brinquedos), oficinas, vídeos, fotos, atividades culturais, e outras. Ou seja,  qualquer outras atividades voltadas para a integração e produção em saúde. Pedimos que vocês cadastrem a atividade escolhida até o dia 30 de Janeiro no site www.redehumanizasus.net para oficializarmos as atividades realizadas.

O cadastro de atividades no site não impede que atividades além sejam realizadas.

Contamos com a sua participação. Afinal, você faz parte do SUS que dá certo!"

Att,

Comissão Municipal de Humanização

Analice Neres

Telefone para contato: 98070377 ou Cida -92460580/88111957

Congresso: Controle de Dengue



Mais informações AQUI

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Terceira Unidade de Pronto Atendimento (UPA)



A Prefeitura de Uberlândia anunciou nesta manhã (21), o lançamento do edital de licitação para a construção da terceira Unidade de Pronto Atendimento (UPA), que ficará próximo à margem do córrego do Óleo e ao lado do Terminal de ônibus do bairro Planalto. Cinco novas Unidades Básicas de Saúde (UBS) também estão sendo contruídas pela Administração Municipal nos bairros Morumbi, Joana D’arc, Jardim Brasília, Canaã e Dom Almir. A construção das UPAs e UBSs somam mais de R$ 19,3 milhões em investimentos.

“Não adiante improvisar na saúde. Estamos preparando a base, a estrutura da saúde em Uberlândia. As UPAs e UBSs vão possibilitar que seja implantado em Uberlândia o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU. Em 2013 e 2014 é o período de restruturação do sistema, para que o SAMU comece a funcionar em 2015”, declarou o prefeito Gilma Machado durante entrevista coletiva concedida à imprensa uberlandense.

A terceira UPA será construída em uma área de 1,8 mil metros quadrados. O valor da obra é de R$ 4 milhões em uma parceria entre Município e Governo Federal. Os envelopes com as propostas das empresas interessadas na licitação serão abertos na segunda quinzena de fevereiro.

No ano passado, foi iniciada a construção de duas UPAs, localizadas nos bairros Pacaembu e Novo Mundo. Elas vão abranger as regiões norte e leste, com capacidade para atender 300 mil habitantes cada. Cada UPA conta com 17 leitos de observação e um mínimo de seis médicos plantonistas distribuídos entre pediatras e clínicos gerais.

Já as cinco UBSs, que também devem ser inauguradas ainda este ano, receberam, cada uma, mais de R$ 1 milhão em recursos municipal, estadual e federal. Quatro das novas UBSs são de tipo 3 (mínimo de três equipes de estratégia saúde da família) e uma de tipo 2 (mínimo de duas equipes de atenção básica). As UBSs dispõem de atendimento multiprofissional, ginecologia, consultório odontológico, agentes de saúde, área para coleta de materiais, sala de curativos, apoio epidemiológico, sala de educação e sala de espera.

Para atender a necessidade de profissionais para as novas unidades, a Fundasus realizará um concurso público, ainda no primeiro semestre de 2014. Outra medida adotada pelo Município é o convênio com a Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Uberlândia. “A Fundasus organizará um concurso público com plano de carreira completo, que dará ao profissional maior estabilidade e possibilidade de crescimento a cada curso realizado. Também assinamos com a UFU, no Programa Mais Médicos, a residência médica, em que os estudantes desde o primeiro ano terão contato com a rede na Atenção Básica à Saúde”, acrescentou Gilmar Machado.


Leia mais em nosso Portal

Does culling help?

Mais uma comprovação de que sempre estivemos no caminho certo. Não se controla raiva matando morcegos !

Vampire bats spread rabies in Latin America. Does culling help?

Published on December 2, 2013

Written by Jim Erickson
ANN ARBOR—Culling vampire bat colonies to stem the transmission of rabies in Latin America does little to slow the spread of the virus and could even have the reverse effect, according to University of Michigan researchers and their colleagues.

A common vampire bat. Photo by Daniel Streicker

Vampire bats transmit rabies virus throughout Latin America, causing thousands of livestock deaths each year, as well as occasional human fatalities. Poison and even explosives have been used since the 1960s in attempts to control vampire bat populations, but those culling efforts have generally failed.

Last year, a team of U-M researchers and their University of Georgia colleagues reported the results of a long-term vampire bat field study in Peru. Now, the same team has combined the field findings with new computer models of rabies transmission and data from infection studies using captive vampire bats to show that culling has minimal effect on containing the virus, and can, in some cases, actually increase its spread by driving infected bats into neighboring colonies.


Leia publicação completa AQUI


quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Águas minerais: tanto faz a marca, certo?

Águas minerais: tanto faz a marca, certo?

Errado!!!





No geral, a gente tem a tendência a achar que água é sempre igual e que tanto faz qual marca comprar! Porém, isso não é verdade!

Vai dizer que você não acha que é a pessoa MAIS SAUDÁVEL quando opta por água ao invés de refrigerante no restaurante?

Mas, você já reparou na quantidade de sódio das águas minerais? Tem água com mais sódio do que refrigerante!

As leitoras Manú, Candice e Luiza pediram que fizéssemos uma avaliação comparativa sobre as águas minerais:
Já observaram que algumas têm quantidade muito alta de sódio? A Cristal da Coca-cola, tem um valor considerável.
Acho que seria interessante apresentar uma tabela demonstrativa. Percebo que muita gente tem essa dúvida, posso colaborar com alguns rótulos.
Percebo também que algumas empresas estão investindo na propaganda e rótulos, com muitas promessas.
Moro próximo a fábrica da àgua Sarandi, trouxeram até um médico para palestrar sobre água, a matéria foi veiculada em jornais e revistas da região, com promessas absurdas, associando essa marca como sendo a melhor, segundo ele tem poderes quase curativos! Já vi muitas reportagens tb na internet, não associando a marca, mas especulando o assunto.

Inspiradas nisso, hoje falaremos sobre a diferença das águas minerais do mercado!

Em uma visita ao supermercado, encontramos as seguintes águas minerais. Destacamos o teor de sódio de cada marca:




Leia mais Clicando AQUI