Secretaria Municipal de Saúde






Toda pessoa tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar a si e a sua família saúde e bem estar, inclusive alimentação, vestuário, habitação, cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis, e direito à segurança em caso de desemprego, doença, invalidez, viuvez, velhice ou outros casos de perda dos meios de subsistência fora de seu controle.

Artigo Artigo XXV da Declaração Universal de Direitos Humanos



Saúde, Ciência, Pesquisa, Arte, Cultura, nossa gente da SMS, e o que mais possa interessar.



Organizado por William H Stutz

Veterinário Sanitarista

whstutz@gmail.com



Este Blog é independente, sem vínculo oficial com instituição alguma.
Todos
estão convidados a contribuir com informações de interesse coletivo.





segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Qualificação na atenção primária

Profissionais da saúde participam de oficina de qualificação na atenção primária
Especialista renomado em saúde pública, professor Eugênio Vilaça é um dos palestrantes


O Projeto Qualificação das Equipes para Coordenação das Redes de Atenção à Saúde será lançado pela Secretaria Municipal de Saúde, nesta quinta-feira (9), com a presença da assessora técnica para atenção primária à saúde do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass), Maria José Evangelista, e dos médicos consultores do Conass, Marco Antônio Bragança de Matos e Eugênio Vilaça Mendes.

O lançamento será às 14h, no bloco 3Q no Campus Santa Mônica, e faz parte das atividades desenvolvidas nas oficinas da Qualificação das Equipes de Saúde para Coordenação das Redes de Atenção, promovida pela secretaria.

Durante esta semana, os coordenadores municipais e gerentes das unidades da atenção básica, além dos demais profissionais da área da saúde do Município, participam de seminários e oficinas sobre como estabelecer padrões de qualidade comuns para a Atenção Primária à Saúde (APS). O objetivo é determinar a mesma linguagem no cuidado nas redes de atenção à saúde e nos diversos pontos de atenção.

No lançamento, o professor Eugênio Vilaça vai realizar uma oficina sobre o Acesso na Atenção Primária à Saúde. Eugênio é um dos mais renomados especialistas em saúde pública do Brasil, com vários livros publicados sobre o assunto. Ele destacou-se como sanitarista, oferecendo grande contribuição para a melhoria da saúde pública no Brasil, além de conquistar reconhecimento internacional.

Durante 10 anos, foi consultor da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), além de prestar consultoria para o Banco Mundial e para o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e consultoria para várias Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde.



Fonte SECOM Portal da Prefeitura de Uberlândia

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Tattoo do Bem


 Paulo Oliveira personalizou a tatuagem informativa com uma raposa 
(Foto: Livea Viana/Arquivo Pessoal)


Artista de MG cria tatuagens de alerta sobre doenças e tipos sanguíneos

Tatuagens geralmente marcam algo especial e, em alguns casos, a arte pode ajudar a carregar alertas na pele, informando doenças crônicas, alergias, tipos sanguíneos e até se a pessoa é doadora de órgãos, por exemplo. Em Uberaba, a artista plástica Marcelly Corrêa, de 36 anos, investe nessa proposta com o projeto “Tattoo do Bem".

Marcelly se inspirou na ideia de uma tatuadora de São Paulo, Buuh Safeco, que fazia esse tipo de tatuagem cobrando apenas o valor de custo. “Pensei: ‘quero ajudar estas pessoas’. É o mínimo que posso fazer”, contou.

Depois de postar o projeto em sua página no Facebook, Marcelly está surpresa com a repercussão. “Em uma semana, o post teve centenas de compartilhamentos e milhares de visualizações. Tem até pessoas vindo de outras cidades para fazerem a tatuagem de alerta. Estou muito feliz com a repercussão do projeto na cidade e região”, comentou.

Apesar de ter um caráter informativo, as "tatuagens do bem" são personalizadas, de acordo com o gosto do cliente. “Eu tento alinhar a funcionalidade com a expectativa do cliente, seguindo minha linha artística”, destacou a tatuadora.

Qualquer pessoa que tenha uma doença que exija cuidados específicos em uma emergência, transtornos, alergias, tipo sanguíneo pode fazer a tatuagem pelo preço que varia de R$ 40 a R$ 70. O estúdio funciona há pouco mais de dois meses no Bairro Fabrício.

Leia mais em G1

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Torneira

Nada melhor nesse mundo do que amigos daqueles que você pode contar sempre, em qualquer situação ou embaraço. Conhecidos milhares, amigos poucos. Pois foi exatamente um amigo a me convidar para seu aniversário.
Sabedor do dia exato, botei algum estranhamento apenas no horário: meio do dia de uma bruta sexta-feira. Bom, pensei, assim seja, chego pouco mais tarde e saio direto do trabalho para lá almoçar em festa.

Feito. Cheguei com sol a pino, presente na mão e fome de anteontem, como cantou Chico. Não, não seria feijoada, mas churrasco e um suculento pernil assado.
Toco a campainha meio sem graça, pois a festa seria em casa de outro. Nada não. Logo fico sabendo que a festança seria sábado, ou seja, cheguei vinte e quatro horas adiantado. Tirando a vergonha passada ganhei foi muita boa prosa e disposição para ajudar no temperar pernil, o que na realidade não ocorreu. A irmã do agora amigo em comum o fez sozinha.

O ambiente da casa merece um detalhado descrever. Ficaria horas pormenorizando as belezas de uma ilha verde bem no centro da cidade. Quem está dentro se vê na mata, quem está fora nada vê. Muita planta e água de um azul infinito a jorrar de mina incessante. Passarinhos aos montes e, para meu deleite, uma colônia respeitável de morcegos, moradores permanentes da varanda. Morcegos polinizadores, mansos a fazer o eterno preservar e multiplicar da vida.

Ali ficamos a conversar e degustar saborosa cerveja até a boca da noite nos engolir mansa. Nada de acender luzes. Só no breu total estratégicas luminárias concederiam aspecto mágico ao frondoso jardim e à piscina.
Saí encantado esperando o novo dia.
Assim feito, sábado começou cedo naquele paraíso.
Boa música ofertada por outro amigo, mestre DJ de bom gosto inquestionável. O dia passava manso e divertido.
Todos sabem o resultado mais cedo ou mais tarde de uma cerveja. Isso, xixi.

Levantei tranquilo e fui ao banheiro para desbeber. Feito e aliviado fui lavar mãos. Aí meu caro, me deparei com a pia e sua torneira. Olhei bem para a dita sem entendê-la. Uma torneira será sempre uma torneira, por mais diferente que possa parecer. Não me fiz de rogado e levei a mão para abri-la. Convém contar que não era daquelas de torcer para direita ou esquerda. A manopla era reta.
Levei para um lado, nada. Levei para outro e que água que nada. Olhei para os lados já pensando no alívio de que não havia ninguém a me ver. Com olhos atentos me coloquei a observar aquele desafiador pedaço de metal, a me fazer de completo besta. Perguntar a alguém que sabe? Nunca! A gozação iria durar dias.

Não poderia ser passado para trás por uma simples torneira. Nem tão simples assim, cá prá nós. Desse modo o tempo ia ligeiro, até outro apertado à porta do lavabo bater. Era tudo ou nada. Impaciente, mas sem raiva, bati a mão naquele pedaço de metal a me fitar. Olha só! Água abundante a jorrar. O jogo era este. Para cima abria, para baixo fechava. Para cima e à direita água quente. O contrário, água fria.
Mãos lavadas e perfumadas saí à luz do dia como quem sabe tudo. Pensei no coitado do próximo a entrar. Ou seria só eu o dessabido?

Assim ficou mais uma aula de que pouco de quase nada sabemos. Precioso esse nosso viver.
De torneira lição, só para quem bem quer aprender, se assim não for vai-se em vazio e mãos sem lavar.

Para encerrar o prazeroso dia só mesmo um indescritível arroz com linguiça com direito a fantástica aula de culinária recheada de segredos dignos dos melhores chefs do mundo, caprichosamente produzido por outro novo amigo.






Publicado em Uberlândia Hoje em 22 de janeiro de 2017

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Combate ao Aedes



Profissionais da saúde e agentes do CCZ reforçam ações de combate ao Aedes

Estratégias de combate são debatidas durante Seminário



Em estado de alerta contra as doenças transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti, a Secretaria de Saúde reuniu, nesta segunda-feira (16), no Auditório Cícero Diniz, profissionais do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) e da rede de saúde para a realização do Seminário "Juntos Contra o Aedes". O evento discutiu as diretrizes para eliminação de criadouros, visando a prevenção e controle de doenças relacionadas, além da importância de uma ação integrada dos órgãos públicos e também da população para evitar um surto, como em 2015, quando foram registrados na cidade 19 mil casos de dengue naquele ano.

O secretário de Saúde, Gladstone Rodrigues, abriu o seminário, falando da relevância do trabalho em conjunto para evitar uma epidemia e reforçou que o desafio neste início de ano é fazer o melhor, mesmo com pouco recurso em caixa, neste momento de insuficiência financeira no Município. Segundo levantamento feito pela equipe do prefeito de Uberlândia, Odelmo Leão, atualmente são 110 funcionários ligados diretamente ao combate do inseto vetor - sendo 40 no Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) e outros 70 cedidos às equipes do Programa Saúde da Família (PSF) - dos 400 que existiam até 2012. “Temos que trabalhar, mostrando a confiança que sempre tivemos ao realizar o combate ao mosquito, mesmo em um período tão difícil como o que encontramos a saúde de Uberlândia. Se não houver união, uma epidemia afeta todos os setores. Por isso, precisamos ser eficazes, com estratégias inovadoras e, principalmente, envolvendo o público”, afirmou o secretário.

Leia mais AQUI

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Mutirão Cidade Limpa

Mutirão Cidade Limpa recolhe 1.356 toneladas de lixo em quatro dias de trabalho



Foto: Portal da Prefeitura de Uberlândia



Em quatro dias de trabalhos do Mutirão Cidade Limpa, a força-tarefa da Prefeitura de Uberlândia já retirou 1.356 toneladas de lixo das ruas da Zona Leste de Uberlândia. Do total, 125 toneladas correspondem a massa verde, que são materiais orgânicos retirados durante roçagem e capina de canteiros centrais e lotes vagos abertos. As outras 1.231 toneladas são de entulhos recolhidos nas ruas e em lotes vagos.

O objetivo do Mutirão Cidade Limpa é limpar e organizar a cidade com serviços de capina, roçagem, retirada de entulhos, varrição, tapa buracos e sinalização. Segundo o secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbanístico, Dorovaldo Rodrigues Júnior, os trabalhos são importantes para garantir a segurança da população de Uberlândia e também para a prevenção de doenças, como a dengue. “Estamos em um momento crítico e propício à infestação do mosquito transmissor da dengue. Temos que prevenir e orientar a população da importância de manter o quintal e os lotes limpos, eliminando locais de possíveis focos da doença”, afirmou.


Leia mais AQUI

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Febre amarela


Mosquito haemagogus é um dos transmissores da forma rural da febre amarela 
(Foto: Reprodução/TV Globo)



O governo de Minas Gerais decretou situação de emergência em saúde pública por 180 dias nas áreas do estado onde há surto de febre amarela. O decreto contempla 152 cidades no entorno de Coronel Fabriciano, Governador Valadares, na Região Leste, Manhumirim, na Zona da Mata, e Teófilo Otoni, no Vale do Jequitinhonha e Mucuri (veja a lista das cidades no fim da reportagem)
Deste total, 10 mortes são consideradas prováveis, pois os pacientes tiveram exame laboratorial preliminar positivo, conforme o último Informe Epidemiológico divulgado pelo governo.

Leia mais AQUI

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Finalmente árvores


Quem me conhece sabe o carinho e paixão que tenho por árvores e bichos, por todos seres viventes.
Certas notícias nos deixam em felicidade plena. NUNCA se plantou tanto em tão pouco tempo. Suba a Nicomedes e observe o canteiro central e depois me conte
agora mais uma boa nova.

Um detalhe. Plantando em época certa e não em secos e tórridos junhos e julhos como muito e tristemente vi.

Hora de protetores, poetas, apaixonados de fato pela vida se unirem ao poder público, apresentarem projetos e muita ação,  chega de cortes absurdos que aconteciam todo dia. É hora de plantar, plantar, plantar!


Programa Buriti trabalha a recomposição da mata ciliar em mananciais

"Na segunda semana do ano, o Dmae encerra um ciclo de plantio de mais de mil árvores. A ação foi realizada pelo Programa Buriti, regulamentado pela lei estadual 12.503 de 1997 e pela legislação municipal 10.060 de 2008, que dá apoio aos produtores rurais na proteção e recuperação de nascentes. As 1042 árvores de 47 espécies foram plantadas em uma área de um hectare de terra, como parte da recomposição vegetal em um trecho onde houve a expansão da Estação de Tratamento de Água do Sucupira.

O plantio, feito na margem esquerda da represa de Sucupira, obedeceu a critérios estabelecidos por órgãos ambientais para assegurar a sobrevivência das mudas. “Cada árvore se desenvolve melhor em um tipo de solo. Para isso, as espécies são classificadas em “A”, “B” ou “C”, de acordo com a umidade que cada uma precisa”, explica Cairo Silva, supervisor de projetos e recuperação de nascentes da Gerência Ambiental do Dmae.

Dentre as mudas plantadas, estão as de Aroeira, Graviola, Jatobá e Ipês de quatro cores. As mudas passarão por manutenções em março, com o coroamento, que consiste em limpar os arredores das árvores, e adubação. Além disso, é colocado um gel na terra que retém a água e protege a raiz em períodos de seca. Em novembro, as operações se repetirão e serão replantadas as mudas que não sobreviveram, aproveitando o período chuvoso.

Fonte Portal da Prefeitura de Uberlândia

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Carnaval em Uberlândia

"Quem não gosta de samba bom sujeito não é, é ruim da cabeça ou doente do pé"
Acordei com esse trechinho de Samba da Minha Terra do genial Dorival Caymmi criado em um longínquo 1940.

A polêmica do momento é ter ou não ter carnaval em nossa querida Uberlândia, machucada, tristonha, deitada em leito de UTI em sofrimento depois de tão maltratada, chagas abertas para quem quiser ver.

Em época de vacas magras faz-se festa monumental de aniversário para filho? Acho que não. E por isso deixamos de gostar menos do filho? Nunca. Sim dói, nos sentimos os piores seres do mundo, mas engolimos seco, colheita e fartura virão, assim como aniversários. Conversamos e rola um bolo, se der uma jarra de Q-suco. Muitos parabéns e beijos de verdadeiro amor. Quanto os fatos são explicados, ninguém vai para terapia por conta de uma festa perdida.

Acho até que não sou mal sujeito mas querem saber? Estou momentaneamente doente do pé e muito ruim da cabeça. Não posso imaginar festa em sala de espera de unidade intensiva.

Vamos reerguer nossa amada cidade, vamos devolver à nossa gente a alegria e orgulho de viver em cidade bela, "plena de sol, sem chaminés ou fumaça" como cantando em Terral de Fagner e ai sim festejar com a alegria de tamborins, caixas. Dedos ligeiros a vibrar melódicas cuícas, agogôs e reco-recos.
Surdo e repique a dominar uma avenida vibrante de alegria e com a certeza de poder voltar para casa sem riscos de cair em buracos, que seus filhos estão sendo bem cuidados em creches e escolas públicas de qualidade, que a medicação da avó, da tia do neto, do filho de todos estará nas prateleiras . Utopia? Acho que não, quem viver verá.
Verá muitos carnavais, muitos sorrisos muita alegria.
Hoje não. Tenhamos paciência. O impossível pode-se fazer, milagre demora um pouquinho mais.

Vamos juntos, poder público e nós cidadãos fazer Uberlândia brilhar em carro abre alas e muitos carros alegóricos, muito trabalho pela frente e depois, ai sim muitos carnavais, natais luzes e tais.
Me veio um lampejo. Gostamos tanto assim de carnaval? Está tão entranhado na nossa cultura popular como na Bahia, em Olinda, em maracatus de São Luis, ou o Carnaboi de Manaus?
Ou temos carnaval de rua, blocos, fantasias, alegria espontânea como Ouro Preto, São João del-Rei e tantas outras?

Sem custo, fechar trecho de avenida e pronto o povo faz sua festa sem a dependência paternal do estado. Cria-se nossa Praça Castro Alves e ali, para os que gostam que façam ordeira e pacificamente sua manifestação carnavalesca. As finanças públicas agradecem, e o povo faz a festa.

Sim sou ruim da cabeça quando se trata de assunto que dizem respeito à coletividade. mas recursos públicos para carnaval em plena crise?  Educação, Hospital Municipal a pleno vapor, salários, atendimento integral à população em todas as áreas ai sim. Tudo no lugar então carnavais a mil. Antes? Não mesmo!
Tenham dó. Mão na consciência gente. Mão na consciência

" Este ano eu vou sair de buda
A minha fantasia ninguém muda
Mexe o buda pra cá
Mexe o buda pra lá
O que eu quero é rebolar

A minha fantasia de buda
Foi um presente do sultão de lá
Mas se esse ano chover
A minha buda
Vai encolher "

Marchinha carnavalesca de domínio público antiga que só





Uberlândia 11 de janeiro de 2017


Post Scriptum: Este texto não foi revisado, nasceu assim em desabafo, erros? Me contem por favor

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Calamidade financeira

Após quatro dias de trabalho intenso para apurar a gravíssima situação financeira do Município de Uberlândia e as dívidas deixadas pela administração anterior, o prefeito Odelmo Leão e sua equipe concluíram o levantamento do rombo que aponta mais de R$ 390 milhões negativos nas contas públicas municipais. Os dados foram apresentados à imprensa em coletiva na manhã desta sexta-feira (6).

A Prefeitura também informou que será publicado ato oficial em que decreta estado de calamidade financeira no Município diante desta situação de insolvência entregue pelo governo anterior. O Decreto de Calamidade a ser publicado será enviado à Assembleia Legislativa de Minas Geras (ALMG). A iniciativa vai facilitar o acesso a recursos estaduais e federais para auxiliar na normalização das contas públicas do Município.

Leia mais no Portal da Prefeitura clicando aqui

Nova presidente

Por: Agência Fiocruz de Notícias

A Fundação Oswaldo Cruz tem uma nova presidente. Doutora em Sociologia e servidora da Fiocruz desde 1987, a pesquisadora, professora e gestora Nísia Trindade Lima será a primeira mulher a comandar a Fundação, em 116 anos de história. O decreto presidencial com a sua nomeação foi publicado nesta quarta-feira (4/1), no Diário Oficial da União (DOU).

Escolhida pelo presidente da República, Michel Temer, e pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros, como a nova presidente da Fundação Oswaldo Cruz na gestão 2017-2020, Nísia Trindade Lima foi a candidata mais votada nas eleições internas da Fiocruz, realizadas em novembro de 2016, com 59,7% dos votos em primeira opção. No processo eleitoral que indica até três nomes para a escolha do Ministério da Saúde, a candidata Tania Cremonini de Araújo-Jorge alcançou 39,6% dos votos em primeira opção.

Durante o processo de escolha da nova presidente da Fiocruz, Nísia Trindade Lima definiu dez compromissos centrais para o seu programa de gestão: defender o direito universal à saúde: compromisso com o SUS; promover a ciência, a tecnologia e a inovação em benefício da sociedade; valorizar os trabalhadores e promover relações de trabalho inclusivas e com respeito à diversidade; promover a qualidade e a integração na atenção, na vigilância e na promoção à saúde; fortalecer a saúde na agenda ambiental e do desenvolvimento sustentável; promover educação e divulgação cientifica para a ciência, a saúde e a cidadania; promover a informação e a comunicação como fatores estratégicos do desenvolvimento institucional e como direitos da sociedade; orientar a cooperação internacional para o fortalecimento de sistemas universais de saúde e o desenvolvimento científico e tecnológico; realizar uma gestão democrática comprometida com o papel de instituição pública estratégica de Estado; contribuir para a construção da Fiocruz do Futuro.

Leia mais

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Sucateado



O secretário municipal de Saúde, Gladstone Rodrigues, aproveitou a visita técnica realizada, na tarde desta quarta-feira (4), ao Hospital e Maternidade Municipal Dr. Odelmo Leão Carneiro, para pontuar os desafios que a atual gestão municipal enfrentará para recuperar a rede de saúde do Município.

Segundo o secretário, por exemplo, será necessário levantar ao menos R$ 80 milhões para quitar a herança de dívidas trabalhistas e normalizar o abastecimento de insumos (remédios, materiais, dentre outros) às unidades de saúde de Uberlândia. “Só considerando os salários atrasados de dezembro de 2016, bem como 13º, são quase R$ 47 milhões. Em outra frente, para abastecer a rede, dimensionamos um gasto de R$ 2 milhões ao mês. Ou seja, R$ 12 milhões em um semestre. Estamos ainda fazendo levantamentos e, a cada dia, adaptamos os cálculos à uma nova realidade de problemas que são encontrados”, disse Rodrigues, durante a visita, que foi acompanhada pela imprensa da cidade.

Rodrigues destacou que o levantamento sobre a situação da rede como um todo começou pelo Hospital Municipal. Isso devido ao fato de a unidade ser considerada a “espinha dorsal” da Saúde municipal. “O hospital tem um déficit de custeio de R$ 32 milhões. Montante que deveria ter sido repassado em 2016. Algo que, em caráter global, diminuiu em 30% o número de atendimento e procedimentos realizados na unidade”, disse.

Leia mais no Portal da Prefeitura de Uberlândia

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Voltamos

Depois de quatro anos fora do ar, sem divulgar ações de nossa Secretaria Municipal de Saúde estamos de volta a todo vapor.
Os motivos que nos levaram a esta parada não merecem ser nem ser mencionados, todos já sabem.
Começa um período de reconstrução, de retorno.
A nossa eterna paixão pelo fazer renasce!
Feliz ano novo a todos !
2017 é um marco de esperança, de mudanças para melhor!

Palavras de ordem ? TRABALHO DURO, RECONSTRUÇÃO, ESPERANÇA !