Secretaria Municipal de Saúde






Toda pessoa tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar a si e a sua família saúde e bem estar, inclusive alimentação, vestuário, habitação, cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis, e direito à segurança em caso de desemprego, doença, invalidez, viuvez, velhice ou outros casos de perda dos meios de subsistência fora de seu controle.

Artigo Artigo XXV da Declaração Universal de Direitos Humanos



Saúde, Ciência, Pesquisa, Arte, Cultura, nossa gente da SMS, e o que mais possa interessar.



Organizado por William H Stutz

Veterinário Sanitarista

whstutz@gmail.com



Este Blog é independente, sem vínculo oficial com instituição alguma.
Todos
estão convidados a contribuir com informações de interesse coletivo.





quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Sucateado



O secretário municipal de Saúde, Gladstone Rodrigues, aproveitou a visita técnica realizada, na tarde desta quarta-feira (4), ao Hospital e Maternidade Municipal Dr. Odelmo Leão Carneiro, para pontuar os desafios que a atual gestão municipal enfrentará para recuperar a rede de saúde do Município.

Segundo o secretário, por exemplo, será necessário levantar ao menos R$ 80 milhões para quitar a herança de dívidas trabalhistas e normalizar o abastecimento de insumos (remédios, materiais, dentre outros) às unidades de saúde de Uberlândia. “Só considerando os salários atrasados de dezembro de 2016, bem como 13º, são quase R$ 47 milhões. Em outra frente, para abastecer a rede, dimensionamos um gasto de R$ 2 milhões ao mês. Ou seja, R$ 12 milhões em um semestre. Estamos ainda fazendo levantamentos e, a cada dia, adaptamos os cálculos à uma nova realidade de problemas que são encontrados”, disse Rodrigues, durante a visita, que foi acompanhada pela imprensa da cidade.

Rodrigues destacou que o levantamento sobre a situação da rede como um todo começou pelo Hospital Municipal. Isso devido ao fato de a unidade ser considerada a “espinha dorsal” da Saúde municipal. “O hospital tem um déficit de custeio de R$ 32 milhões. Montante que deveria ter sido repassado em 2016. Algo que, em caráter global, diminuiu em 30% o número de atendimento e procedimentos realizados na unidade”, disse.

Leia mais no Portal da Prefeitura de Uberlândia